Por dentro da URSS: os muçulmanos

A escola de religião islâmica de Bukhara [na RSS do Uzbequistão], com novecentos anos de existência, ainda funciona. Falamos com o reitor, pessoa sonolenta e de barba espessa, parecido com os dignitários muçulmanos da Nigéria setentrional ou do Marrocos. Dirige o estabelecimento há mais de trinta anos; e este possuía Leia mais…

Artesanato atômico

Aplicado a átomos de ferro e estanho, um padrão tradicional de artesanato japonês pode nos levar à supercondutividade e à computação quântica No Japão antigo, a palha — de arroz ou de bambu — era matéria-prima onipresente na fabricação dos mais diversos objetos: chapéus, cestos, cordas, biombos. Ao longo dos Leia mais…

Por dentro da URSS: Champanhe

Completando o panorama industrial, a Geórgia tem a mais famosa fábrica de champanha da União Soviética. Esse estabelecimento produziu no ano passado nove milhões de garrafas, diversas das quais bebidas por nós em nossa visita. Uma das raras e leves sátiras por mim encontradas na URSS foi proporcionada por essa Leia mais…

Ferrovias intracelulares

Redes ferroviárias têm construção mais difícil mas quanto mais são usadas, mais fácil fica sua manutenção. Algo parecido ocorre dentro de nossas células. Tal como um país, uma célula tem zonas de produção localizadas em áreas distintas: as usinas de energia (mitocôndrias), as indústrias químicas (lisossomos, ribossomos, complexo de Golgi), Leia mais…

Em uma palavra [372]

zoteca (zo.te.ca) s.f. Arq., Hist. 1. pequena sala para descanso ou estudo nas residências greco-romanas. 2. espaço escavado numa parede para guardar objetos; nicho, reentrância. [do lat. zotheca = gabinete de repouso]

A viúva de Cabochard

Um dos anúncios mais curiosos reproduzidos por John Timbs em sua History of Advertising [1874, p. 280] teria sido inscrito numa lápide do Père la Chaise, o famoso cemitério parisiense. As palavras no monumento funerário do padeiro Pierre Cabochard terminavam assim: Sua inconsolável viúva dedica este monumento à sua memória Leia mais…