Comunicação gelada

640px-Geladas

Comunidade de geladas (Theropithecus gelada) nas montanhas Semien, Etiópia.

Sílabas se juntam em palavras, palavras se articulam em sentenças, sentenças se estruturam num parágrafo, parágrafos se sucedem num texto, textos constroem um livro, etc. Nas linguagens humanas, quanto maior o todo, menores as partes: palavras compridas tendem a ter sílabas curtas e frases compridas, por exemplo, contém palavras pequenas.

Esse fenômeno linguístico é descrito pela Lei de Menzerath. Tal como a sintaxe — recém-observada em pássaros —, pensava-se que essa lei fosse exclusividade da comunicação humana. Mas a mesma estruturação acaba de ser observada em macacos etíopes, segundo estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). (mais…)

Tomando a parte do leão

O Capitão C. Kennedy relata, em sua Journey through Algeria and Tunis [Jornada através da Argélia e Tunísia]: — “Nós estávamos ansiosos por saber se havia qualquer chance de outro leão ser encontrado nas redondezas e fomos informados que sem dúvida haveria muitos. Mas tal era a natureza do terreno Leia mais…

Conflitos Esquecidos [12] — Guerra(s) Luso-Turca(s)

Ao estudar a história da ascenção do Império Português no século XVI, poucos autores e professores lembram-se de mencionar os opositores de tal expansão. Não são apenas os nativos americanos que são historicamente desprezados. Até mesmo os longos conflitos com o poderoso Império Otomano pela posse do Oceano Índico e a influência sobre a África Oriental são esquecidos.

A rivalidade entre lusos e turcos remontava a 1509, quando os portugueses conquistaram Diu, na Índia. Embora não fosse um império colonial (ao menos não no sentido ocidental), o Império Otomano tinha grande influência econômica e política sobre o Oceano Índico. Consequentemente, a expansão portuguesa era uma ameaça aos turcos. Além dos motivos econômicos, havia a rivalidade religiosa: Portugal era então a maior potência cristã e a Turquia Otomana era a potência islâmica. (mais…)