Suco de inhame NÃO cura Dengue

dengue inhame mosquitoTem de tudo na internet sobre dengue. Até um velhinho adepto da Biocura (seja lá o que for isso), que fala que a dengue não vem do mosquito. E não vem mesmo, vem do vírus da dengue, e o moquito só leva o vírus pra lá e pra cá. Mas pra esse cidadão a dengue vem da prisão de ventre, acumulo de toxinas e blábláblá.

Sempre esse papo de toxinas acumuladas acumulando tudo.

Não vou por o link pra esse vídeo pra não dar audiência. Ao invés disso veja o meu vídeo sobre isso:

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=Ju83VwTP_00″]

 

Deu na Ana Maria Braga que pode funcionar e no programa Bem Estar que não funciona de jeito nenhum. Quem está certo? Ninguém, como sempre. Assista e veja o porquê.

Links:

Bem Estar: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/04/inhame-repelente-vitamina-b-veja-o-que-e-mito-e-verdade-sobre-dengue.html

Mais Você: http://gshow.globo.com/receitas/maisvoce/suco-contra-a-dengue-4ea7e64bc8157c31f4008808

Quer artigo científico? Então tome:
http://www.bioone.org/doi/abs/10.2987/8756-971X(2005)21%5B213:TVBAAH%5D2.0.CO;2

Ch√° Verde FUNCIONA contra c√Ęncer

folha cha verde cancer.jpgResearchBlogging.orgO ch√° √© a bebida mais consumida no mundo, depois da √°gua claro. E os mais conhecidos deles s√£o o ch√° verde e o preto, ambos feitos da Camellia sinensis. Os benef√≠cios do ch√° j√° foram at√© citados neste blog anteriormente, mas agora vamos ver exatamente o que √© que faz o ch√° ser eficiente na preven√ß√£o do c√Ęncer (segundo um artigo de revis√£o publicado na revista Nature Reviews C√Ęncer).

Uma das coisas que torna o ch√° verde interessante para estudo √© que j√° se conhece todas as subst√Ęncias presentes em sua constitui√ß√£o.

Por exemplo, catequinas (uma fam√≠lia de polifen√≥is) s√£o as principais subst√Ęncias presentes no ch√°. Elas neutralizam os radicais livres, que s√£o grandes respons√°veis por provocar danos ao DNA que podem come√ßar o desenvolvimento de c√Ęncer.

Estudos realizados em animais, utilizando o chá verde ou suas catequinas purificadas, mostraram inibição da formação e crescimento de tumores em diferentes modelos animais, como pulmão, trato digestivo (boca, cólon intestino) e próstata.
Esta inibição está associada à diminuição da proliferação celular, aumento da morte celular (apoptose), e inibição da formação de novos vasos sanguíneos utilizados pelo tumor em crescimento para obtenção de nutrientes (angiogênese).

Claro que todos os estudos já feitos em animais tiveram diferentes abordagens de tratamento e diferentes focos de observação, mas de 147 trabalhos científicos publicados até dezembro de 2008, 133 descrevem uma melhora na prevenção e mesmo na inibição de tumores.

Al√©m de antioxidante, a catequina EGCG do ch√° verde √© uma subst√Ęncia que comprovadamente se liga a v√°rios receptores e mol√©culas de sinaliza√ß√£o da c√©lula, que tamb√©m podem estar ligadas √† gera√ß√£o de tumores.

Os famosos flavonóides também estão presentes no chá e possuem efeito antioxidante, mas parece que as catequinas têm um papel mais importante na prevenção tumoral justamente por este efeito adicional de se ligar a outras proteínas.

Mas e em humanos?

Em humanos, alguns estudos de prevenção já vêm sendo feitos, e com resultados promissores.

Apesar destes estudos em laborat√≥rio, n√£o h√° um estudo que deixe claro que pessoas que j√° v√™m tomando ch√° verde t√™m menos c√Ęncer. Estes estudos chamados epidemiol√≥gicos n√£o s√£o muito controlados e mesmo pessoas que tomam ch√° podem ter rotinas totalmente diferentes umas das outras, como varia√ß√£o na quantidade de ch√° ingerido, algumas podendo ser fumantes outras n√£o, consumo de √°lcool, etnia, entre outros fatores dif√≠ceis de serem analisados.

Mas os estudos que levam tudo isto em conta mostram sim uma relação entre consumo de chá e menor aparecimento de tumores.

Por exemplo, em um dos estudos, homens e mulheres que n√£o fumavam e nem bebiam √°lcool, mas bebiam ch√°, apresentaram menor risco de adquirir c√Ęncer. J√° fumantes que tomam ch√° n√£o apresentam este menor risco.

Interessante observar que a composição do chá varia de acordo com o clima, modo de cultivo, variedade e idade da folha. Os diferentes métodos de produção também alteram a composição química das folhas secas.
Por isso melhores estudos epidemiológicos neste sentido devem ser realizados.

Quanto a gente deve tomar de ch√° afinal de contas?

Em dois trabalhos epidemiológicos que mostraram resultados positivos, foi relatado que consumir o chá de mais de 250 gramas de folhas secas por ano já foi o suficiente para aumentar a proteção. Isto daria de 2 a 3 xícaras de chá por dia. Nada exorbitante.

ch√° verde monte fuji.jpgEfeitos colaterais e contra-indica√ß√Ķes

Mas nem tudo são flores, afinal de contas o chá contém uma boa quantidade de cafeína, que pode ser um problema para hipertensos, gestantes e lactantes, já que a cafeína passa para o leite materno e pode ser prejudicial para o desenvolvimento do feto ou do bebê.
O consumo exagerado pode causar sintomas como taquicardia, náusea, dor de cabeça e problemas gastrointestinais.

Mas segundo profissionais de sa√ļde, n√£o ultrapassando 4 x√≠caras por dia n√£o h√° problema. Mesmo porque uma x√≠cara de caf√© expresso deve conter bem mais cafe√≠na q 4 x√≠caras de ch√°. E um pouco de cafe√≠na tamb√©m faz bem, tanto para evitar c√Ęncer quanto at√© mesmo para prevenir o Alzheimer.

Diferenças entre os chás verde, branco e preto

Todos vêm da mesma planta, o que muda é a forma de processamento das folhas após a colheita.

O chá verde tem as folhas aquecidas e secas, resultando na inativação de alguns componentes oxidativos e outras enzimas. Este processo permite a preservação da atividade dos polifenóis.

O ch√° preto tem as folhas maceradas e passam por um processo de fermenta√ß√£o, gerando subst√Ęncias como as teoflavinas que d√£o a cor vermelha ou alaranjada e o sabor caracter√≠stico do ch√° preto.

O chá branco é elaborado a partir do broto da Camellia sinensis e não passa por esse processo de aquecimento, assegurando uma concentração maior dos princípios ativos.

O ch√° Oolong tamb√©m deriva da mesma planta, mas seus benef√≠cios s√£o menos evidentes. √Č feito apenas da parte tenra das folhas e passa por um processo r√°pido de fermenta√ß√£o. Este √© o que mant√©m maiores concentra√ß√Ķes das ben√©ficas catequinas

Como preparar o ch√°

A receita para o chá não foi aprimorada em laboratório, mas é a receita tradicional que os asiáticos em geral usam e provavelmente a que foi usada pelas pessoas entrevistadas nos estudos que mostraram resultados.

  • Esquente a √°gua at√© que quase ferva e sem as folhas (um ch√° √© uma infus√£o, n√£o um cozimento de folhas)
  • Coloque 2,5 gramas de folhas em 250 mL de √°gua quente (uma colher de sopa rasa por x√≠cara)
  • Deixe tampado por 5 min.

Cada 2,5g em 250 mL de √°gua cont√©m de 620 a 880 mg de subst√Ęncias dissolvidas, sendo 1/3 de catequinas e 3 a 6% de cafe√≠na
Como j√° foi dito, o tipo de ch√° e varia√ß√Ķes na prepara√ß√£o das folhas podem variar as caracter√≠sticas do ch√°.

Gostou desse texto? Siga-me no twitter @Rafael_RNAm e clique aqui para assinar nosso Feed/RSS e receber conte√ļdo novo em primeira m√£o!
Yang, C., Wang, X., Lu, G., & Picinich, S. (2009). Cancer prevention by tea: animal studies, molecular mechanisms and human relevance Nature Reviews Cancer, 9 (6), 429-439 DOI: 10.1038/nrc2641