Protestar é legal, mas qual é o embasamento recente?

Recebi comentários criticando a campanha do Desafio 10:23 РHomeopatia: é feita de nada como um protesto fraco e que não provará nada. Também chegaram críticas de que ao menos nós do RNAm, como profissionais da área científica, deveríamos pensar em um modo mais confiável de refutar o funcionamento da homeopatia.

Agrade√ßo todas as sugest√Ķes, mas vou esclarecer alguns pontos relacionados √† homeopatia e ao Desafio 10:23:

  1. homeopathyoverdose.jpg“Voc√™s v√£o fazer um protesto s√≥ para tirar uma onda com a cara dos homeopatas?”: N√£o posso falar por todos os participantes, mas quem me conhece sabe que eu dificilmente sairia da cama num s√°bado de manh√£ sem um prop√≥sito maior. Al√©m disso, a ideia do protesto n√£o √© ridicularizar a pr√°tica homeop√°tica e sim chamar a aten√ß√£o da popula√ß√£o para algo que, apesar de carecer de confirma√ß√£o cient√≠fica rigorosa, em 2008 consumiu quase 3 milh√Ķes de reais em verbas do Minist√©rio da Sa√ļde. Para ser mais exato, de acordo com um comunicado do pr√≥prio minist√©rio foram R$ 2.953.480,00 (a √≠ntegra pode ser acessada em http://is.gd/OhdzmC).
  2. “N√£o encontrei nenhum tipo de padroniza√ß√£o: cada participante escolher√° o que tomar, quanto tomar e a √ļnica recomenda√ß√£o que encontrei foi comprar dilui√ß√Ķes a partir de 30C, que n√£o t√™m mais princ√≠pio ativo. Querem provar o que desse modo?”: Primeiro, o protesto n√£o prop√Ķe um experimento cient√≠fico e sim uma a√ß√£o de conscientiza√ß√£o. Segundo, a pr√≥pria homeopatia postula que maiores dilui√ß√Ķes t√™m como resultado efeitos amplificados (a tal “mem√≥ria da √°gua” que j√° foi refutada in√ļmeras vezes, dessa vez em condi√ß√Ķes de boa metodologia cient√≠fica). Considerando que qualquer “tratamento” m√©dico pode ser prejudicial em excesso, demonstrar a falta de efeitos colaterais ou qualquer outro tipo de resposta sinaliza para o que j√° se sabe, isto √©, os resultados homeop√°ticos s√£o derivados de influ√™ncias psicol√≥gicas nos pacientes – o famoso efeito placebo.
  3. “Ah, mas seria muito mais interessante e importante se voc√™s tentassem fazer uma manifesta√ß√£o na forma de um experimento controlado”: Novamente, a ideia do protesto √© conscientizar. Al√©m disso, em Ci√™ncia n√£o √© responsabilidade dos cr√≠ticos provar se algo funciona ou n√£o. Isso √© chamado √īnus da prova e na boa pr√°tica cient√≠fica, a responsabilidade de provar qualquer proposta √© sempre de quem a defende. A famosa frase de Carl Sagan “afirma√ß√Ķes extraordin√°rias exigem evid√™ncias extraordin√°rias” √© baseada nisso. Os homeopatas querem ser ci√™ncia? Ent√£o precisam mostrar seu valor dentro das boas pr√°ticas cient√≠ficas, como todos os alopatas e pesquisadores biom√©dicos s√£o obrigados a fazer.
  4. Ainda pensando em quem pede que os cientistas busquem provas que a homeopatia n√£o funciona: muitos j√° fazem isso, meu post anterior possui algumas refer√™ncias, mas se voc√™ considera artigos de 2005 um tipo de “pr√©-hist√≥ria acad√™mica”, deixo dois exemplos mais recentes abaixo.
  • Renckens, C. (2009). A Dutch View of the ”Science” of CAM 1986–2003 Evaluation & the Health Professions, 32 (4), 431-450 DOI: 10.1177/0163278709346815: Avalia√ß√£o do governo holand√™s sobre o subs√≠dio de medicinas alternativas no per√≠odo entre 1986 e 2003. Os poucos resultados satisfat√≥rios foram atribu√≠dos a pobres metodologias de an√°lise como a falta de grupos-controle tratados com placebo. Alguns estudos relataram resultados negativos. Esses dados culminaram na suspens√£o da verba governamental destinada a pr√°ticas complementares.
  • Nuhn, T., L√ľdtke, R., & Geraedts, M. (2010). Placebo effect sizes in homeopathic compared to conventional drugs – a systematic review of randomised controlled trials Homeopathy, 99 (1), 76-82 DOI: 10.1016/j.homp.2009.11.002: Esse estudo derrubou a hip√≥tese de que os ensaios testando a validade cl√≠nica da homeopatia falhavam por apresentarem grupos-controle tratados com placebo que retornavam efeitos maiores dos observados em ensaios cl√≠nicos alop√°ticos. A conclus√£o foi de que os grupos-controle tratados com placebo dos ensaios homeop√°ticos n√£o demonstraram efeitos maiores dos observados na medicina convencional.
Outros estudos podem ser encontrados em locais como o PubMed e outras bases de dados acadêmicos. Divirtam-se na pesquisa e não esqueçam:

1023-Brazil-300x205.png

Informa√ß√Ķes sobre a a√ß√£o em http://1023.haaan.com/