Em 1867, o Departamento de Finanças da cidade de Madri contratou um homem chamado Don Juan Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha.

Agora, vamos imaginar que Don Juan Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha tivesse se mudado para a Boêmia — hoje, República Checa —, e fosse admitido como “presidente-delegado da Comissão de Embalagem e Racionamento de Alimentos”. Nesse caso, o cargo do senhor Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha seria “Lebensmittelzuschlusseinstellungskomissionsvorsitzenderstellvertreter”.

Como o salário não seria tão grande quanto o nome do cargo, o Sr. Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha poderia fazer um trabalhar como “Gesundheitswiederherstellungsmittelzusammenmischungsverhältniskundiger”, o equivalente, segundo Bismarck, a apotecário. Em bom português: ele faria um bico como balconista de farmácia.

Nas horas vagas, Don Juan Nepomucenopoderia ler o Antipericatametanaparbeugedamphicribrationes Toordicantium, citado por Rebelais em Gargântua e Pantagruel. Uma leitura mais leve seria Headlong Hall, de Thomas Love Peacock (1785-1866). Em Headlong Hall, o frenologista chamado Mr. Cranium descreve estruturas anatômicas com adjetivos compostos por raízes latinas ou gregas. Coisas do tipo osseocarnisanguineoviscericartilaginonervomedular ou osteosarquematoviscerocondroneuromeduloso — o que dá no mesmo.

Cansado desses excessos vocabulares, o Sr. Burionagonatotorecagageazcoecha poderia passar umas férias em um spa de Bristol, na Inglaterra. As águas dessa cidade foram descritas pelo escritor médico inglês Edward Strother (1675-1737) simplesmente como aequeosalinocalcalinoceraceoaluminosocupreovitriólicas.

Ou então, ele poderia ter visitado o Winsconsin, nos Estados Unidos, para conhecer Kagwadawwacomëgishearg, um pajé local. Infelizmente, nosso funcionário público espanhol — para não dizer Don Juan Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha — perderia a viagem nesse caso. O Chefe Kagwadawwacomëgishearg morreu um ano antes, em 1866.

Talvez fosse melhor Don Juan Nepomuceno… ficar só com os números das planilhas do Departamento das Finanças em Madrid.


0 comentário

Um banco e uma placa | hypercubic · 17 de dezembro de 2012 às 20:31

[…] Veja também: Um dia na vida de Don Juan Nepomuceno de Burionagonatotorecagageazcoecha. […]

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *