>A Voz de Shakespeare

> Embora no começo do século XVII não existissem meios para gravar o áudio de peças de teatro, ainda hoje é possível ouvir as peças de Shakespeare tal e qual eram pronunciadas quando de sua estreia. A façanha é fruto de estudos do professor Paul Meier, da Universidade do Kansas, e seus alunos de artes […]

>Curriculum Christi

> E não adianta dizer que é “Filho do Dono”!

>Nomes (im)Próprios

> Se você acha que apenas no Brasil poderiam surgir nomes ééééé, digamos, “criativos”, como Valdisnei, Usnavi, Maiquel Géquiçom, Erripóter, Letisgo, Brucili ou até mesmo Urrigrisson, lembre-se de que os americanos sempre podem conseguir fazer coisas melhores (ou piores): O censo dos Estados Unidos, agora quase completado, trouxe à luz alguns espécimes curiosos de nomes […]

>É uma cilada, Obama!

>

>É dando que se recebe!

> Um Católico Romano tinha uma ficha tão longa que decidiu se confessar com o padre para obter uma absolvição. Ele entrou no apartamento do padre e disse: “Padre, eu tenho pecado.” O padre fê-lo ajoelhar-se diante da cadeira de penitências. O penitente estava olhando à sua volta quando viu o relógio de ouro do […]

>Fausto 2.0

>Se Goethe vivesse hoje, Fausto conseguiria um contrato mais justo: EULA, xkcd, onde esta sopa de letrinhas vai parar?

>Conflitos Esquecidos [8] — As Batalhas de Khalkhin Gol

> As Batalhas de Khalkhin Gol, também chamadas de Incidente de Nomonhan pelos japoneses, foram uma série de escaramuças entre mongóis — apoiados por forças soviéticas — e o exército de Manchukuo, um Estado-fantoche formado pelo Império do Japão na Manchúria. As batalhas ocorreram entre 11 de maio e 16 de setembro de 1939. Embora […]

>Como deixar um autor irado

> Mude um título genial alegando questões de mercado. Foi o que fizeram com C.P. Smith. Em 1938, o poeta Chard Powers Smith (1894-1977) levou um semi-acabado romance para a sua editora, a Scribner’s. O texto foi elogiado, mas pediram a Smith que o título fosse mudado, pois pensavam que ele assustaria os leitores. Smith […]

>Uma bolha de otimismo

> Economia é uma coisa complicada e imprevisível. Tão complicada e imprevisível que os caras da Weekly Letter [Carta Semanal], a revista da Sociedade Econômica de Harvard, demoraram a perceber a gravidade da crise de 1929. Eis alguns excertos dos números da WL publicados durante o primeiro ano da Grande Depressão: Uma depressão severa como […]

« Página anterior
Skip to content