roscofe (ros.co.fe)
s.m., adj. 2 g.
Bras. produto ou indivíduo inferior, de má qualidade, ruim; mequetrefe. “relógio roscofe, carro roscofe, candidato roscofe”. ► “dar o roscofe”: chulismo em desuso, que significa ser pederasta passivo; “queimar a rosca”. [do antropônimo Roskopf, deriv. de Georges Frederic Roskopf (1813-1889), relojoeiro suíço que deu nome a uma marca de relógios]

De acordo com o artigo sobre Roskopf na Wikipedia anglófona, o relojoeiro suíço era um idealista que sonhava com relógios de baratos e de boa qualidade. No entanto, para atingir esse objetivo, ele simplesmente “clonava” relógios mais sofisticados. Roskopf chegou até mesmo a se apropriar de técnicas e aperfeiçoamentos de outros relojoeiros suíços, patenteando-os no exterior (principalmente nos EUA, França e Bélgica) no fim dos anos 1860. Parte de sua má-fama pode decorrer menos da qualidade dos relógios e mais dessa desonestidade técnica.


0 comentário

Roberto Takata · 23 de outubro de 2012 às 13:19

Um kibador avant la lettre.

[]s,

Roberto Takata

rafinha.bianchin · 23 de outubro de 2012 às 15:22

Engenharia reversa. Por que vocês acham que existem caças a jato hoje em dia?

Igor Santos · 26 de outubro de 2012 às 11:23

Chulismo nem tanto em desuso aqui em Natal.

Em uma palavra [129] | hypercubic · 6 de novembro de 2012 às 11:32

[…] desprezível que algo mixuruca; adj. de qualidade inferior à de mixuruca; chinfrim, mequetrefe, roscofe. [claramente derivado de mixuruca, o neologismo foi cunhado pelo jornalista Paulo Francis; como […]

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content