Como já vimos anteriormente, muitas vezes a parte mais divertida ou surpreendente de um livro encontra-se justamente em suas últimas páginas — o índice remissivo. O exemplo de hoje vem de Essays in Musical Analysis, Volume VI [Ensaios sobre análise musical, volume VI]. De autoria do músico e musicólogo Donald Francis Tovey (1875-1940), o livro foi publicado em 1939 e tem alguns itens em seu índice remissivo que mais parecem um teste psicanalítico de livre-associação:

Açúcar, vide Mercearia
Agonóstico, vide Daschund.
Apendicite, vide Candência.
Críticos, vide Experts.
Espirro, vide Cherubini e Beethoven.
Experts, vide Críticos.
Feitiçaria, vide Mendelssohn.
Girafa, vide Berlioz.
Monstro, vide Lago Ness.
Papa, vide Bruckner.
Porco-espinho, vide Brahms.

Se você encontrar algum índice remissivo bizarro ou engraçado, não se esqueça de compartilhá-lo conosco, através do Facebook ou pelos comentários mesmo.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content