MIT descobre o universal linguístico (ou não)

596px-Bruegel_d._Ä.,_Pieter_-_Tower_of_Babel_-_Museum_Boijmans_Van_Beuningen_Rotterdam

Torre de Babel (Pieter Bruegel, o velho. c. 1563)

[tradução e adaptação de: “MIT claims to have found a “language universal” that ties all languages together“, por Cathleen O’Grady, no Ars Technica]

Ao redor do mundo, as línguas assumem uma estonteante variedade de formas — a tal ponto que isso mantém um longo debate sobre se todas as línguas podem ter alguma propriedade em comum. Agora, de acordo com um paper publicado na edição dessa semana da PNAS, há um novo candidato ao fugidio título de “universal linguístico”. Todas as línguas, segundo os autores, se organizam de tal modo que conceitos relacionados ficam tão próximos quanto possível dentro de uma frase, facilitando a compreensão da noção geral que expressam. (mais…)

Em uma palavra [240]

cotão (co.tão) s.m. 1. penugem da casca de alguns frutos (pêssego, kiwi); 2. fiapo que se solta dos panos, farrapo; 3. bolota de material têxtil e sujeira que se forma no interior de bolsos ou móveis sem uso ou que não são limpos. [do francês coton = algodão]

Vulcano e os irmãos perdidos de Mercúrio (parte 2)

Mercury_Globe-MESSENGER

Mercúrio, tal como visto pela sonda MESSENGER. [imagem: NASA]

A ideia de que possa haver (ou ter havido) um planeta em órbita intra-mercuriana é, na verdade, mais antiga que as pesquisas sobre sistemas extrassolares. No século XIX, astrônomos profissionais como o francês François Arago e o matemático Urbain Le Verrier suspeitavam da existência de um planeta ainda mais achegado ao Sol. Chamado de Vulcano, o pequeno e tórrido planeta rochoso foi caçado com telescópios e equações por dezenas de astrônomos profissionais e amadores, mas nunca foi encontrado. Não no nosso sistema solar. (mais…)

Vulcano e os irmãos perdidos de Mercúrio (parte 1)

Vulcanoid-580x435

Impressão artística de um pequeno (e hipotético) asteroide vulcaniano.

O século XIX foi pródigo na descoberta de asteróides, cometas e planetas. O primeiro grande evento astronômico dos 1800s foi a descoberta de Ceres, então considerado um planeta, logo no dia 1º. de janeiro de 1801. Décadas mais tarde, um matemático francês encontrou Netuno nos confins do Sistema Solar. Seu nome era Urbain Le Verrier e ele passou a vida acreditando ter descoberto um outro planeta, Vulcano. (mais…)