O bibliotecário ranzinza

Com a devida permissão de sua Autoridade, exerça grande Discriminação sobre as pessoas que venham a ser autorizadas a usar a Biblioteca. Pois o Tesouro do Lar da Literatura não pode ficar aberto às pilhagens da Multidão irracional do mesmo modo que um Jardim não pode ser deixado sem proteção Leia mais…

As terríveis revelações de Maria Monk

nickell-maria-monk-fb

[Traduzido de Awful Disclosures, publicado pelo Dr. Romeo Vitelli em Providentia]

Foi em 1836 que se publicou em Nova York um livro que parecia uma bomba de efeito moral. Em The Awful Disclosures of Maria Monk or The Hidden Secrets of a Nun’s Life in a Convent Exposed [As terríveis revelações de Maria Monk ou Os segredos ocultos da vida de um convento de freiras expostos] uma suposta ex-monja apresentava descrições lúgubres de sua vida num convento de Montreal e da exploração sexual à qual foi submetida naquele lugar. (mais…)

Margorie McCall, a moça enterrada duas vezes

Lugan, condado de Armagh, Irlanda do Norte, 1705. Margorie McCall morre após uma doença misteriosa e seu corpo é enterrado às pressas. Seu marido, John, era o médico da vila mas não conseguira salvar nem a esposa nem o valioso anel que ela levou para a cova em um de seus dedos. O Dr. John McCall até tentou remover a joia, mas o inchaço do corpo da esposa não lhe permitiu reaver o anel.

Como a Lugan fosse um lugar pequeno, todo mundo sabia do anel. Assim, a recém-finada Miss McCall era o alvo perfeito para os lúgubres ladrões de cemitério. Na mesma noite em que foi enterrada, antes mesmo que o solo se acomodasse, Margorie foi exumada. Os ladrões abriram o caixão, mas também não conseguiram puxar o anel da falecida. Eles estavam prestes a partir para a ignorância — cortar o dedo para levar o anel. Quando a lâmina da faca mutiladora encostou no dedo de Margorie, houve um grito. Três, na verdade.

O primeiro foi de Margorie, que levantou-se do caixão. Ela não estava morta, mas fora enterrada prematuramente. Os outros dois gritos, claro, foram dos ladrões. Assustados, eles teriam simplesmente fugido, jurando jamais voltar a violar túmulos (há quem diga que um deles morreu com o susto). Mal souberam que haviam salvo a esposa do Dr. McCall.

Margorie, por sua vez, também fugiu dali. Não tinha muita agilidade e não estava em seu melhor estado, mas logo percebeu que não precisava de muito esforço. Ela havia sido enterrada no cemitério atrás da Igreja. Sua família morava numa casa perto dali, do outro lado da praça. A Lua cheia lhe iluminava os passos.

Em casa, o Doutor John consolava os filhos quando ouviu batidas bem familiares na porta da frente. “Se Margorie estivesse viva”, pensou ele, “poderia jurar que é ela quem está batendo”. Ao abrir a porta, depara justamente com a esposa, em suas vestes fúnebres e com sangue a escorrer do dedo. Viva, inteira e com o anel.

Era inacreditável demais. O coração de John McCall não resistiu à ressurreição da esposa e o médico bateu as botas ao dar de cara com a ex-falecida esposa. Ele acabaria enterrado na mesma cova onde esteve a mulher.

De volta à vida, Margorie casou-se novamente e teve vários filhos além dos que já tinha. Quando finalmente faleceu, em idade avançada, foi pela segunda vez no mesmo cemitério. Em sua lápide, que já caiu e tornou-se ilegível, lia-se: Margorie McCall: Lived Once, Buried Twice. (mais…)

Histórias de Mundos Sem Fundos

symzonia diagram

Diagrama de “Symzonia” (1820)

Se está no Google, dizem os defensores da Terra Oca, é porque existe. Se depender apenas de fontes respeitáveis, a ideia também esteve presente nas páginas da Philosophical Transactions e de vários livros do século XVIII e XIX. O que ninguém diz é que a Terra Oca daquela publicação respeitável era apenas uma pequena hipótese que nunca foi levada a sério pelos cientistas. E a maioria dos livros que se seguiram eram apenas obras pioneiras de ficção científica. (mais…)

Miss Piggy

O mais antigo relato de uma lady com face suína que o escritor encontrou foi publicado em Londres, em 1641, intitulado “A certain relation of the Hog-Faced Gentlewoman”. Desta obra, nós aprendemos que seu nome era Tanakin Skinker e que ela havia nascido em Wirkham, no Reno, em 1618. Como Leia mais…