>Passagem de ida e volta

>Nomes palindrômicos de cidades ou vilas: Anahanahana, Madagascar Zirak Kariz, Afeganistão Allagalla, Sri Lanka Arrawarra, Austrália Assamassa, Portugal Caraparac, Peru Daba Qabad, Somália Dabababad, Irã Elleyelle, Nigéria Illibilli, Sudão Wassamassaw, Estados Unidos Alguém conhece uma opção nacional?

>A Voz de Shakespeare

> Embora no começo do século XVII não existissem meios para gravar o áudio de peças de teatro, ainda hoje é possível ouvir as peças de Shakespeare tal e qual eram pronunciadas quando de sua estreia. A façanha é fruto de estudos do professor Paul Meier, da Universidade do Kansas, Leia mais…

>Nomes (im)Próprios

> Se você acha que apenas no Brasil poderiam surgir nomes ééééé, digamos, “criativos”, como Valdisnei, Usnavi, Maiquel Géquiçom, Erripóter, Letisgo, Brucili ou até mesmo Urrigrisson, lembre-se de que os americanos sempre podem conseguir fazer coisas melhores (ou piores): O censo dos Estados Unidos, agora quase completado, trouxe à luz Leia mais…

>Trava-dedos

> Se você não pode falar, nunca vai precisar enrolar a língua com palavras complicadas, como os trava-línguas. Certo? Errado! Como qualquer língua, a linguagem de sinais também tem suas expressões problemáticas. Um exemplo vem da Linguagem de Sinais Americana, a ASL: dizer “Good blood, bad blood” é tão difícil Leia mais…

>Fulanos

> Diversas línguas usam nomes inventados (ou muito comuns) para se referir a alguém cujo nome ou é desconhecido ou não pode ser citado. Eis os parentes estrangeiros de Fulano de Tal: África do Sul: Koos van der Merwe Austrália: Fred Nurk Áustria: Hans Meier Bélgica: Jan Janssen Croácia: Ivan Leia mais…

>E se Espirrar, “Saúde!”

> Se você vai viajar para o exterior e está gripado mas não sabe espirrar em outra língua não se desespere! Eis um guia prático com alguns espirros ao redor do mundo para você espirrar aliviado: França: Atchoum!  Finlândia: Atsiuh!  Islândia: Atsjú!  Suécia: Atjo! Índia: Akchhee! Dinamarca: Atju!  Holanda: Hatsjoe!  Leia mais…

>Soma de Corvos

> O plural da palavra russa para corvo no caso genitivo é sorok. A mesma palavra também significa quarenta. Assim, pode haver uma construção matematicamente ambígua: “100 sorok + 100 sorok = 200 sorok” ou “100 + 40 + 100 + 40 = 280”. V.M. Bradis, Lapses in Mathematical Reasoning Leia mais…

Skip to content