Feliz Aniversário Querida Unicamp!

_ Bom Dia “Alma Mater”!!!

_ Credo menina, que horror, não me chama assim não… Já não sei se estou me sentindo muito bem hoje. Me chama pelo nome vai…

Rio alto:

_ Eita Unicamp… Pára com isso! Feliz aniversário querida!!! Muitas felicidades! Muitas alegrias!

_ Obrigada querida.

_ Mas que ar sério e preocupado é esse? Não está feliz com seu aniversário de meio século?

_ Você deve estar querendo me irritar né?! Precisava contar em séculos?

_ Como assim Unicamp? Você é uma Universidade, lembra-se? Universidades contam séculos e não anos… Você está se incomodando de completar meio século? Imagina Dna. Cambridge ou Dna. Bologna então…

_ Bom, lá isso é verdade… Mas também não me venha tratar como criancinha… Veja, já tenho corpo bem formado!

Eu rio alto novamente e não perco a oportunidade de troçar:

_ É verdade… Olhando assim seu corpo, eu diria que você é adolescente: meio desproporcional, cheia de espinhas, ainda meio desajeitada e sem elegância.

Quando termino, me recrimino. Talvez eu tenha ido longe demais…

_ Nossa, mas hoje você está inspirada hein? Se era para me deixar prá baixo, não precisava ter vindo…

_ Calma Unicamp… Você não deixou eu terminar de falar… Você está mais bela e exuberante que nunca. Uma linda adolescente! Você sabe que te amo não sabe?

_ Sim querida, eu sei… Estava com saudades de ver você sentada aqui debaixo dessa árvore.

_ Ahhh… Você me exaure e me deixa feliz! Não tenho mesmo tido muito tempo de aproveitar a sombra de suas árvores, os trabalhos estão intensos. Mas você já sabe né? Faço questão de não ter armários de livros na minha sala só para poder ter a desculpa de ir à pé até as bibliotecas e passear nos seus caminhos.

Unicamp sorri.

_ Você adora minhas bibliotecas não é?

_ Amo!!! Adoro o fresquinho da biblioteca do IMECC, adoro as fotos do Cesar Lattes na BC, adoro me perder nas prateleiras da BAE, chorei quando a do IEL pegou fogo e fiquei indignada de saber que tinham goteiras na do IFCH.

_ Eu também as adoro. Zeferino sempre falava da importância delas… Depois dos cérebros, dos cérebros, dos cérebros…

_ Será que ele era um zumbi? Com essa obsessão por cérebros… Sei não…

Finalmente consegui arrancar uma risada dela…

_ Sua boba! Zeferino Zumbi… Vê se pode!

_ Ahh Unicamp, que bom que está mais alegrinha… É seu aniversário menina! Faz um tempão que já estamos comemorando.

_ Mas você sabe que hoje é apenas uma data comemorativa não é?

_ Sim, eu sei… Mas é bom que se tenha uma data assim bem certinha para cortar o bolo não é?

_ Vai ter bolo???

_ Pelo menos na minha aula de hoje vai! Vou levar um cupcake para cada um! Que tal?

_ Isso! Isso! Isso! Meus alunos! Meus alunos devem comer o bolo! Sem eles eu não seria nada!

Os olhos da Unicamp ficam marejados.

_ Eu sei meu amor… Não precisa se emocionar… Eu também me sinto assim.

_ É que esse é um momento muito confuso para mim sabe? Já tenho muitas responsabilidades… Lá no hospital o trabalho tem sido pesado. Meus queridos alunos também andam agitados. O mundo está muito dinâmico e estou com medo de não acompanhar…

_ Querida, não fique assim… Também fico preocupada às vezes. Também fico brava e triste se você é atacada. Mas veja, olhe por outra perspectiva…  Nossos jovens estão querendo encontrar seu caminho. E que lugar melhor para eles fazerem isso do que em seus domínios? Você oferece a eles liberdade de pensamento e uma grande liberdade de comportamento. Essas são coisas muito poderosas. Levamos um tempo para aprendermos a lidar com elas. APRENDER… Entendeu?

_ Você está certa! Eu darei a eles essa oportunidade de aprendizado! E eu confio neles! Sei do que eles são capazes. Há cinquenta anos os observo fazendo coisas extraordinárias! Como sou orgulhosa!

A face da Unicamp se ilumina. É fácil reconhecer esse brilho no olhar.

_ Levante-se! Hora de se espreguiçar! Cantem os pássaros, soltem os lagartos, acordem as maritacas, peça para que os ipês coloquem sua melhor roupa! Hoje é meu ANIVERSÁRIO!!! Saia daí debaixo dessa árvore. Vá cuidar dos seus alunos! Desde quando você acha que no dia do meu aniversário todo mundo ficaria de folga? Não podemos parar de avançar! Vai, vai, vai…

_ Isso! Vamos arregaçar as mangas! Vamos estampar seu nome entre as melhores do mundo!

_ Isso é música para meus ouvidos! Vem cá, me dê a mão. Preparada? VAMOS!

Paula D. Paro Costa

Cientista desde o nascimento, Engenheira e Professora da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação, na Unicamp. Atua nas áreas de processamento digital de imagens, aprendizado de máquina, ciência dos dados e computação afetiva. Nas horas vagas, trabalha para que crianças e jovens tenham contato com as áreas de ciências, engenharia e tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content