Ricardo Augusto da Silva

Sêneca, Vygotsky e a importância de espaços de convivência (V.3, N.5, 2017)

 Quem dá aula sabe: como professores, queremos que os alunos, mais do que absorver conteúdos, desenvolvam determinadas competências, como proatividade, capacidade de trabalhar em grupo, entre outras. Com isso, surge a seguinte questão:  “Qual a importância dos espaços de ensino, sejam eles físicos ou virtuais,...

Um começo de crítica à ead no ensino superior brasileiro (V.3, N.4, 2017)

O Brasil tem experimentado um crescimento vertiginoso nas matrículas dos cursos de ensino superior a distância. Mas não podemos apenas olhar esse crescimento com um otimismo ingênuo, com o pensamento de que as TDICs afinal estão sendo devidamente incorporadas nos processos de ensino e aprendizagem; tampouco...

Por um bom conceito de tecnologia (V.2, N. 10, 2016)

Confesso que sou um imigrante na área da Educação, minha formação base é em Ciências da Computação, por isso, a palavra tecnologia e seu conceito me é bastante familiar. Entretanto, quando adentrei ao mundo da Educação, para pesquisar dentro do eixo Tecnologia & Educação, não...

Com telas e robôs ou lousa e giz, o importante é a qualidade do ensino (V.2, N. 9, 2016)

Nesta última quinta-feira, dia 11 de Setembro, foi publicada no site da Folha de São Paulo uma matéria da qual tomei a liberdade de emprestar o mesmo título como o deste post. A matéria em resumo aborda um ‘case de sucesso’ da integração das TDICs no programa pedagógico...

Professores e a resistência à tecnologia (V.2, N. 7, 2016)

Particularmente, considero impressionante a resistência apresentada por grande parte dos professores quando o assunto é a incorporação de tecnologias na educação. Aparentemente, parte significativa dessa resistência gira em torno de duas tensões. A primeira tensão, em minha opinião, é com relação ao tradicionalismo existente na educação. É...

Tecnologias e novos espaços (V.2, N. 3, 2016)

Diante de uma sociedade que incorpora rapidamente as inovações tecnológicas na maioria de seus segmentos, muitos veem na tecnologia a possibilidade promissora de solução e melhoria na área da educação, atribuindo equivocadamente a ela um caráter messiânico. Equivocadamente pois diversos autores apontam duas grandes falhas...

Skip to content