cultura

Sobre escola, alunos e obviedades pouco questionadas… (V.4, N.5, 2018)

Hoje eu resolvi falar sobre obviedades… Acerca da escola, da infância, da docência… Tudo aquilo o que em um primeiro momento parecerá bobo. Todavia, sempre me faz parar e pensar (e pensar e pensar) quando me deparo com perguntas específicas em sala de aula… Mas,...

Precisamos falar de gênero e sexualidade na escola? (Parte 4) (V.4, N.2, 2018)

Grande parte do debate público – especialmente no que tange à Educação – sobre gênero e sexualidade vem sendo veiculado a partir do termo Ideologia de gênero.  Em diversos municípios têm aparecido leis e projetos de leis proibindo o termo de ser trabalhado como conteúdo na...

Sócrates, Eurípides y la “decadencia” de la cultura clásica (V.4, N.1, 2018)

 En El nacimiento de la tragedia (NT)*, Nietzsche avanza una interpretación de la cultura clásica un tan herética como genial. Grosso modo, la tesis es la siguiente: en su momento de mayor esplendor el hombre griego posee, junto a una lucidez intelectual destacada, una sensibilidad especialmente aguda en relación...

Precisamos falar de gênero e sexualidade na escola? (Parte 3) (V.4, N.1, 2018)

Será que falar de gênero e sexualidade é importante quando estudamos saúde, reprodução e prevenção de doenças e gravidez na adolescência? Nos últimos dois posts sobre o tema, falamos sobre os conceitos gênero, sexualidade e corpo, apontando suas relações entre biologia, cultura e sociedade. A...

Sobre a cultura do estupro: senta aqui, vamos conversar… (V.4, N.1, 2018)

 Volta e meia temos o assunto “Cultura do Estupro” vindo à tona aqui em nosso país… Em 2016, quando uma menina de 16 anos sofreu um estupro coletivo (33 homens, até onde sabemos). E, também, com a divulgação de imagens do ato em diferentes redes...

Precisamos falar de gênero e sexualidade na escola? (parte 2) (V.4, N.1, 2018)

Falar de gênero e sexualidade envolve outro conceito que é sumamente importante: corpo. Quando tratamos das questões do corpo, na biologia, lidamos com terminologias próprias desse campo de conhecimento. Tomamos o corpo muitas vezes uma expressão pura, nomeando-o como “organismo”. Qual o problema disto?

Skip to content