Já que não tem dinheiro, pelo menos aprenda a tocar violão.

jack_johnsonUm dia desses ouvi uma dessas piadas “sem graça”, mas que te fazem “rir por dentro”. Um amigo me perguntou se eu sabia qual era o esporte favorito das mulheres. Quando ele viu minha cara de “what the hell?“, ele logo respondeu: “o esporte favorito da mulherada é karatê: karatê carro, karatê dinheiro e karatê uma conta bancária recheada”. Claro que não ri (mentira… ri sim). E como um Nerd nato, fiquei pensando: “Não é que isso faz sentido!!!”

Vários estudos na área de psicologia evolucionista mostram que essa piada nem é tão sem fundamento assim. Em termos evolucionistas, as mulheres buscam não só garantir que seus filhos tenham bons genes (por isso gostam do cara bonitão), como também buscam garantir a sobrevivência das suas crias. Em termos práticos, elas buscam parceiros que podem, de alguma forma, sustentar e proporcionar um bem-estar para seus filhos. Por isso preferem parceiros que demonstram um certo tipo de superioridade em termos de seu status físico, intelectual e financeiro. Um estudo realizado em 2012, por exemplo, mostrou que mulheres davam seu número de telefone para um estranho, somente se esse estranho tivesse saído de um carro que custa caro. Se o mesmo estranho tivesse saído de um carro barato, as mulheres não davam o telefone pra ele.

Agora, se você é do tipo de cara que não tem dinheiro, aprenda a tocar violão. Oi? Isso mesmo. Um estudo recente sugere que mulheres têm uma preferência maior por homens que demonstram ter algum tipo de habilidade musical. Nesse estudo, Nicolas Guéguen e outros dois pesquisadores na França colocaram um cara de 20 anos de idade na rua para pedir o número de telefone de mulheres. A manipulação que eles fizeram foi a seguinte: em um dia, o cara pedia o telefone das garotas e não tinha nada nas mãos. No outro dia, ele carregava uma mochila esportiva. No terceiro dia, ele trazia nas costas o seu violão.

Os resultados mostraram que um percentual significativamente alto de mulheres deram o telefone para o cara apenas quando ele estava com o seu violão. O mesmo não ocorreu quando ele estava com uma mochila esportiva ou com as mãos abanando.

Agora, por que isso acontece? Uma explicação possível é de que as mulheres percebem a habilidade musical como um indício forte de que aquela pessoa possui também uma habilidade física e intelectual grande, o que por sua vez seria indício de que essa pessoa tem uma probabilidade grande de ser bem sucedido pessoal e profissionalmente. Vários outros estudam mostram que mulheres associam a habilidade musical de homens com altos níveis de esforço de trabalho, esforço cognitivo e até mesmo maior habilidade com números (um ponto importante no mundo financeiro).

Fica então a dica do Cognando para 2014: aprenda a tocar violão, piano ou algum tipo de instrumento musical. Quem sabe assim a mulherada não demonstra por você o mesmo amor (pra não dizer tesão) que têm pelo Jack Johnson?

O Cognando deseja a todos um 2014 repleto de ciência, conhecimento e muita música! 🙂

Esta entrada foi publicada em Psicologia Cognitiva. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

8 respostas para Já que não tem dinheiro, pelo menos aprenda a tocar violão.

  1. Bárbara disse:

    E mulheres que tocam violã, arrumam namorados melhores? Hahahaha

  2. Hahah pior que não. Estudos mostram que esses efeitos são verdadeiros so com mulheres.

  3. Thiago disse:

    Entre violão e piano, vou aprendar a tocar violão mesmo porque sair com o piano nas costas deve dá um certo trabalho =D

    Feliz ano novo Andre com tudo isso que vc desejou e mais participações no Nerdcast =)

  4. André Souza disse:

    Pelo experimento feito, nem é preciso saber tocar violão…basta sair por aí carregando um…

  5. Felipe Argolo disse:

    Um dos motivos pelos quais a psicologia evolucionista vem perdendo respeito do resto da comunidade acadêmica é por esse tipo de anúncio. Os caras fazem um estudo cheio de vieses, que não foi reproduzido ainda e anunciam como se fosse algo sólido…

    E se o ator em questão se sente mais confiante com um violão nas costas? E se o tamanho do que ele está carregando influencia na resposta? E se ele acordou mais disposto no dia da testagem do violão? Fora outras variáveis difíceis de controlar. Por exemplo, aposto que se ele consegue o primeiro telefone, fica muito mais confiante nas outras abordagens.

    É o tipo do fenômeno que deveria ser reproduzido algumas vezes antes de ser anunciado como verdade.

    • Oi Felipe, obrigado pelo comentário. Eu compartilho com você muitas dessas inquietações. No entanto, não acho que elas sejam peculiares a Psicologia evolucionista. O motivo pelo qual a Psicologia evolucionista tem perdido espaço nos círculos acadêmicos vai muito além dos pontos levantados. Além disso, o estudo original não faz nenhum tipo de afirmação conclusiva acerca dos resultados do estudo. Pelo contrário, levantam vários confounds (inclusive não próprios da psicologia evolucionista). Ainda assim, concordo com você que a ciência como um todo não deve buscar verdades absolutas e fazer afirmações conclusivas. O que mais gosto da divulgação científica é o fato de que ela possibilita comentários críticos como o seu que só enriquecem a discussão e a alfabetização científica. Valeu mesmo!!!!

  6. Lucho disse:

    Sobre esse negócio de mulheres, carros e dinheiro, eu me lembro de uma reportagem do Fantástico. Nessa reportagem, um homem passou próximo a uma boate com um carro velho (acho que era um fusca). Nenhuma deu bola. Aí depois o mesmo homem passou em frente a mesma boate com um carro. Um monte de mulher foi em cima do cara.

    E sobre esse negócio do violão, ótimo, porque eu acabei de aprender quais são as notas das cordas do violão. De baixo para cima é Mi, Si, Sol, Re, Lá e Mi. Para quem toca guitarra, as notas são as mesmas.

  7. Jonas disse:

    Por isso toco vários instrumentos, não tem erro com nenhuma mulher uhaauhauha. Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.