63 – O que não te contaram sobre a COP26

E aí pessoal. Tudo bem?

Este texto será em relação a COP26, ocorrida em Glascow, realizada em novembro de 2021. Neste texto, trarei alguns pontos aos quais eu considero importantes a discussão.

Brasil e a COP 26

Considerando os péssimos exemplos que o governo brasileiro deu em relação ao meio ambiente e aos povos indígenas, o Brasil foi “premiado” com o Prêmio Fóssil da Semana. Inclusive, a estudante de direito Txai Suruí de 24 foi agredida verbalmente por um membro da delegação brasileira após seu discurso no evento, sendo a única a falar na abertura da COP 26[1]. Em seu discurso, Txai denunciou a situação da Amazônia e os impactos que os indígenas sofrem com as mudanças climáticas, graças a política adotada pelo governo Bolsonaro.

Em relação a promessas, o Brasil se comprometeu a reduzir em 30% a emissão de metano ate 2020 junto com mais 100 países. Tais promessas são bastante controvérsias, visto que há uma política de destruição ao meio ambiente, desde Ricardo Salles até o ministro Joaquim Leite[2].

COP 26 e controvérsias

Outra questão discutida foi o comprometimento de países desenvolvidos ajudarem os mais pobres. Pois estes seriam responsáveis por mais da emissão dos gases poluentes e desta forma ajudarem os países que menos contribuíram para o aquecimento global. Porém, segundo o Greenpeace (fonte nos comentários) e outras entidades, faltaram ações efetivas e soluções falsas apareceram. Há também comentários de vários especialistas, como o do Marcio Astrini do Observatório do Clima e Fernanda Carvalho da WWF, que alegou a falta de planejamento e a falta de obrigatoriedade de algumas propostas feitas pela COP 26[3][4].

Outro aspecto é que a COP parece ter ignorado uma recomendação feita pelo Youth4Climate em setembro de 2021, pedindo o fechamento da indústria de combustíveis fósseis até 2030.  Isto comprova o ponto da falta de seriedade nas metas estabelecidas por esta reunião[5].

Finalmente, aparentou-se uma espécie de “greenwashing” pelas Big Techs. Por exemplo, Jeff Bezos da Amazon (já foi falado sobre ele em um texto aqui do Blog) não foi visto de forma positiva. Apesar de Bezos ter se comprometido com as mudanças climáticas, pelos ativistas e outros críticos seu ato foi mais como uma relação pública do que uma oportunidade de ouvir os povos afetados pela crise climática[6].

Conclusão

Esta COP é mais um reforço de que não basta apenas promessas, basta cumpri-las. E reforça que a salvação do planeta não virá de tecnologias avançadas (por mais que estas sejam bem vindas quando benéficas), mas sim de políticas públicas. Tais políticas devem focar nas energias renováveis e na redução da desigualdade, para que países menos desenvolvidos e comunidades carentes possam utilizar energias mais limpas, e que estes possam se recuperar e ser menos afetados pelas mudanças climáticas.

E você? O que achou desta COP 26? Conforme o projeto de divulgação científica vai crescendo, a gente em breve poderá ter mais recursos para acompanhar as futuras COPs. Eventos como este são importantes para ajudar a determinar um planejamento energético ideal para a nossa sociedade.

Comente o que achou. E não se esqueça de nos seguir nas nossas redes sociais, em especial o Instagram a qual estamos com a meta de chegarmos a 200 seguidores. E na nossa rede nova, que é o Tiktok, a qual já tem dois vídeos por lá.

Até a próxima.

Referências

[1] Maltrato a indígenas dá ao Brasil o “Fóssil da Semana” em Glasgow, Observatório do Clima, disponível em: <https://www.oc.eco.br/maltrato-a-indigenas-da-ao-brasil-o-fossil-da-semana-em-glasgow/>, acesso em: 1 dez. 2021.

[2] Um resumo do que rolou na primeira semana da COP26, Greenpeace Brasil, disponível em: <https://www.greenpeace.org/brasil/blog/um-resumo-do-que-rolou-na-primeira-semana-da-cop26/>, acesso em: 1 dez. 2021.

[3] PINHEIRO, Lara, COP26: rascunho do texto final traz avanços e pede promessas melhoradas em 2022 para combate às mudanças climáticas, G1 – Globo, disponível em: <https://g1.globo.com/meio-ambiente/cop-26/noticia/2021/11/10/rascunho-acordo-cop26.ghtml>, acesso em: 1 dez. 2021.

[4] DANTAS, Carolina, COP26: texto final é aprovado e defende redução do uso de combustíveis fósseis, G1 – Globo, disponível em: <https://g1.globo.com/meio-ambiente/cop-26/noticia/2021/11/13/cop26-texto-final-e-acordado-apos-pedido-de-mudanca-de-ultima-hora-mas-ainda-assim-defende-reducao-de-combustiveis-fosseis.ghtml>, acesso em: 1 dez. 2021.

[5] Youth4Climate: Jovens propõem fechamento do setor de combustíveis fósseis, Epoca Negócios, disponível em: <https://epocanegocios.globo.com/Um-So-Planeta/noticia/2021/09/youth4climate-jovens-propoem-fechamento-do-setor-de-combustiveis-fosseis.html>, acesso em: 1 dez. 2021.

[6] BRETERNITZ, Vivaldo José, O ‘greenwashing’ das big techs na Cop-26, EcoDebate, disponível em: <https://www.ecodebate.com.br/2021/11/26/o-greenwashing-das-big-techs-na-cop-26/>, acesso em: 1 dez. 2021.

Rafael Henrique

Sou graduado em Engenharia de Energia pela PUC Minas. Recentemente, concluí o mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Decidi dar inicio a este blog, com o intuito de abrir o espaço de divulgação científica relacionado a energia e seus temas relacionados.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content