>

Depois de ver a diferença entre o estacionamento do shopping e o estacionamento no shopping, você deve achar que já viu de tudo em termos de soluções para esse problema do trânsito.
Uma solução mais séria seria apostar em carros compactos. Mas o que te vem à cabeça quando você pensa em carro compacto? VW Fox? Ford Ka? Mini? Smart? Romi-Isetta? Você ainda não viu nada, por que você não conhece o Peel P50.

Fabricado entre 1963 e 1964 na pequena Ilha de Man (Inglaterra) o Peel P50 é considerado pelo Guiness Book como o menor carro do mundo produzido em série. O P50 era um triciclo com carroceria de fibra de vidro — e sem chassi! — movido um pequeno, barulhento e fumacento motor DKW de 49 cm³, acoplado a um câmbio de três marchas (sem ré). Dimensões? 1,37m de comprimento por 1,11m de largura.
O material publicitário anunciava a incrível marca de 100 milhas por galão (42,5 km/litro). O carro poderia correr uma maratona com apenas um litro! Bem, na verdade correr não seria a expressão mais adequada: a velocidade máxima beirava as 40 milhas por hora (pouco mais de 64 km/h).
Na época do lançamento, o preço era proporcional ao carro: apenas 400 libras (cerca de R$ 550,00 pela cotação atual). Mas o preço da gasolina também era barato e a produção foi minúscula: 47 unidades do modelo monoposto. Do total produzido, poucos encontram-se hoje em condições de rodar. O resultado é que hoje um P50 original não sai por menos de £35 000 (quase R$ 100 000).
Nada disso, porém, dá uma boa ideia do P50 pra quem nunca viu um. Em 2007, o carrinho foi apresentado no Top Gear, programa especializado em automóveis da BBC. Com 1,98m de altura, o apresentador Jeremy Clarkson teve que fazer contorcionismo para entrar na mala motorizada. Cheia de cenas hilárias, a matéria mostra Clarkson dando voltas pelo centro de Londres para depois passar um dia inteiro com o carro (literalmente).
Quem quiser ter uma mala motorizada pode comprar  uma carroceria da Modern Microcars por £1.650 (uns 4 500 paus) e se virar com um motor de mobilte que dá na mesmo. Mas se já é difícil dirigir o carro-mala no trânsito londrino, imagine em São Paulo.
descobri no meio de umas coisas retrô.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *