>

William Steiger era um pé-frio — literalmente. Mas ele tinha um funil, um elástico e uns pedaços de mangueira sobrando. Juntando tudo, ele percebeu que poderia simplesmente aquecer os próprios pés com o calor de sua expiração.
Antes de patentear seu “pedal calorificator” (#tabajarafeelings) em 1877, Steiger testou a gambiarra durante o inverno em Maryland. Os resultados não poderiam ser melhores: ele descobriu que o ar não apenas chegava quente aos seus pés como também era aquecido pelo calor do próprio corpo durante o transporte. 
O improvisado aquecedor mantinha os pés frios de Mr. Steiger a uma agradável e constante temperatura de 84°F (29ºC). Segundo a patente, era necessário apenas exalar no bocal do funil, “um processo simples, que eu comprovei praticamente que pode ser mantido por um longo tempo (…) sem muita inconveniência pessoal”. 

0 comentário

Patentes Patéticas (nº. 86) | hypercubic · 1 de dezembro de 2012 às 23:09

[…] “energia pedal” (ou, se preferir, passiva). Como não lembrar do tênis ar-condicionado? Ou do aquecedor de pés com mangueiras? Mas a patente nº. 6.387.064 [pdf] é muito mais ousada e sofisticada que suas antecessoras. Mr. […]

Patentes Patéticas (nº. 148) | hypercubic · 6 de julho de 2014 às 23:17

[…] Shoes [Aparato de Aquecimento para Botas ou Sapatos] é uma solução mais high-tech do que aquele aquecedor a baforadas que apresentamos nos primórdios desta patética série. Embora não seja tão sofisticado quanto o […]

Patentes Patéticas (nº. 148) - Numinalabs · 7 de julho de 2014 às 12:05

[…] Aquecimento para Botas ou Sapatos] é uma solução mais high-tech do que aquele aquecedor a baforadas que apresentamos nos primórdios desta patética série. Embora não seja […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *