Embolação Viral

Gripe, AIDS, ebola, corona: por trás de toda grande epidemia existem as bolinhas minúsculas que conhecemos como vírus. Embora eles sejam bem-estudados, só agora estamos entendendo como se formam suas redondas blindagens virais. Ele é o troço mais simples, mais elementar e mais minúsculo da biologia: o vírus não passa Leia mais…

18 artigos de 2018

Ao longo de um ano marcado pelos altos e baixos em muitas coisas (inclusive meu mestrado), publicamos 130 posts. Aqui vai uma coletânea com o resumo de 18 que merecem ser lembrados.   1) Outra reviravolta em torno de KIC 8462852 — Também conhecido como Estrela de Tabby, esse astro Leia mais…

Lagartichips

O delicado processo mecânico que faz as lagartixas subir pelas paredes pode permitir a fabricação de melhores (e menores) chips de computadores. Poucas coisas chamam mais a atenção do cientista dentro de cada criança (e de alguns adultos) do que uma lagartixa andando pelas paredes ou até o teto como Leia mais…

O curioso caso das baratas magnéticas

A descoberta de que baratas vivas e mortas têm propriedades magnéticas bem distintas pode ajudar bioengenheiros a projetar novos sensores magnéticos.   [Tradução de “The Curious Case of Cockroach Magnetization”, publicado na MIT Technology Review] Os pássaros são o exemplo mais conhecido de criaturas capazes de sentir campos magnéticos e Leia mais…

Martelinho de ouro neural

Levar pancadas na cabeça costuma ser perigoso, mas precisamos saber como os neurônios reagem a impactos. Para resolver isso, um trio de pesquisadoras americanas está preparando um micromartelinho. Quando duas cabeças se batem, a gente sabe bem o que acontece por fora. Primeiro vem o barulho — toc! — da Leia mais…

Ginástica no Laboratório

estica e puxa

Estica e puxa, amassa e desamassa, prende e solta, corre e pára, bate e rebate, contrai e relaxa. Cada uma no seu ritmo, as células vivas estão sempre se movimentando. Conhecemos os aspectos bioquímicos das estruturas celulares há décadas, mas seus movimentos e suas características puramente físicas sempre foram deixados meio de lado. Sempre pareceu difícil estudar os impactos do incessante estica-e-puxa que acontece dentro dos seres vivos. (mais…)

Músculos a vácuo

vacuummuscle

Contração. Relaxamento. Contração. Relaxamento. Três séries de 20 repetições. Contração. Relaxamento. Poderia ser uma cena de academia, mas exercícios como esse estão sendo realizados num laboratório da Universidade de Harvard, onde cientistas estão desenvolvendo um novo tipo de músculos — atuadores a vácuo. (mais…)

Medindo as forças de Van der Waals

Vanderval: um bom nome para uma lagartixa

Vamos voltar às aulas de química do colegial: as ligações iônicas juntam átomos por meio de atrações eletrostáticas formando moléculas. As moléculas, por sua vez, unem-se pela influência das pontes de hidrogênio (que são fortes) ou da forças de van der Waals (que é fraca). Tão fraca é a força de van der Waals que ela nem recebe muita atenção dos professores. Nem dos físico-químicos, pois essa interação só foi mensurada com precisão recentemente. (mais…)

Magnetismo que dá nos nervos

nervos

Desde que Luigi Galvani deu uns choques numas pernas de rãs, no fim do século XVIII, os médicos e cientistas sabem que os nervos são condutores de corrente elétrica. Em meados do século XIX, Maxwell estabeleceu a inter-relação entre eletricidade e magnetismo. Desde então, cientistas têm buscado um meio prático e confiável para medir o magnetismo gerado pela rede elétrica do sistema nervoso. Um novo tipo de dectector está nascendo nos laboratórios da Dinamarca e parece ser o graal do biomagnetismo. (mais…)