Fim de um Mistério: Majorana (ou não)

Ser ou não ser, ligado ou desligado, zero ou um, partícula ou onda. O mundo está cheio de alternativas mutuamente excludentes. Mas há também muito entre esses extremos. Muita ambiguidade, indefinição: ondas que são partículas e podem estar ligadas e desligadas, sendo e/ou não sendo. Enquanto na escala cosmológica, temos os quasares (objetos quase estelares), na escala subatômica encontramos as quasipartículas. E nenhuma quasipartícula é tão quase e tão ambígua quanto o Férmion de Majorana. Nem quase tão fácil de encontrar. (mais…)

Patentes Patéticas (n°. 124)

image

Emissoras de TV podem contar com institutos de pesquisa, “clínicas” e aparelhos eletrônicos para medir sua audiência junto ao público (e corrigi-la, se necessário). Mesmo que tivessem dinheiro, professores não poderiam pagar o IBOPE para saber a quantas anda a audiência das aulas entre os alunos. Mas e se houvesse um aparelho para medir o feedback de uma aula em tempo real? Esse aparelho existe e é o Treadmill foot-control for electronic gauging of classroom satisfaction [Esteira controlada pelo pé para medição eletrônica da satisfação em sala-de-aula]: (mais…)

Linhas de expressão cartesianamente corretas

Dadas suficientes variáveis, é possível plotar qualquer coisa num plano cartesiano. Círculos, triângulos, órbitas planetárias e até pessoas. O único problema é que, pra ser matematicamente preciso, você teria que encontrar e resolver as equações certas antes de sair por aí desenhando entre os eixos x e y.

Ou talvez baste apenas fazer uma boa busca no Wolfram Alpha. Mais que um mecanismo de busca, o W|A é um verdadeiro processador online — e para demonstrar seu poder de computação, ele é capaz de plotar algumas person curves. As person curves são retratos de diversas personalidades da cultura pop, da ciência e da política. Além da plotagem, o Wolfram Alpha também apresenta os cálculos por trás de cada imagem.

Há, por exemplo, a PSY curve  psy curve

e sua respectiva equação paramétrica:

psy equation

Apresentada aqui parcialmente, é claro.

(mais…)

Cérebros, internet e universo

A comparação de mapas que representam as geometrias do universo e de redes complexas (como o cérebro ou a internet) demonstra que, em grande escala, as dinâmicas e estruturas são similares. [imagem: CAIDA/SDSC]

“Cada cérebro é um universo”; “a internet é um universo”. Comparações como essas são relativamente comuns — e podem estar mais próximas da realidade do que se imagina. É o que revela um estudo recém-publicado no Scientific Reports, que demonstra as similaridades existentes entre as leis que regem cérebros, redes de computadores e o próprio Cosmos. (mais…)

A vida, o Universo e tudo mais — na ponta da língua


A expressão “tá na ponta da língua” pode tornar-se bastante literal em um futuro próximo. Graças ao cruzamento de engenharia genética e ciência da computação, será possível armazenar tudo o que você quiser na ponta da sua língua — ou melhor, no DNA da ponta da sua língua. Nos laboratórios, DNA como mídia de armazenamento não é exatamente uma novidade. Mas o recente feito de um bioengenheiro e de um geneticista de Harvard é de cair o queixo. (mais…)

Patentes Patéticas (nº. 50) \o/

mouse-pressMouses (ou como dizem os lusos, ratos) são aqueles dispositivos de entrada que graças às telas-sensíveis-ao-toque começam a parecer desengonçados (ou não). Mas antes mesmo do indispensável botão de rolagem, do rastreamento a laser ou dos dispositivos sem-fio, já havia gente pensando em aperfeiçoar esses ratos eletrônicos.

Talvez inspirados pelas ideias da convergência de aparelhos, esses inventores tentaram colocar impressoras em mouses. Embora não seja a única, a solução mais “elegante” é o Mouse device with a built-in print [Dispositivo mouse com impressora embutida] proposto pelo japonês Yasushi Murai: (mais…)

Patentes Patéticas (nº. 50) \o/

mouse-pressMouses (ou como dizem os lusos, ratos) são aqueles dispositivos de entrada que graças às telas-sensíveis-ao-toque começam a parecer desengonçados (ou não). Mas antes mesmo do indispensável botão de rolagem, do rastreamento a laser ou dos dispositivos sem-fio, já havia gente pensando em aperfeiçoar esses ratos eletrônicos.

Talvez inspirados pelas ideias da convergência de aparelhos, esses inventores tentaram colocar impressoras em mouses. Embora não seja a única, a solução mais “elegante” é o Mouse device with a built-in print [Dispositivo mouse com impressora embutida] proposto pelo japonês Yasushi Murai: (mais…)

Patentes Patéticas (nº. 50) \o/

mouse-pressMouses (ou como dizem os lusos, ratos) são aqueles dispositivos de entrada que graças às telas-sensíveis-ao-toque começam a parecer desengonçados (ou não). Mas antes mesmo do indispensável botão de rolagem, do rastreamento a laser ou dos dispositivos sem-fio, já havia gente pensando em aperfeiçoar esses ratos eletrônicos.

Talvez inspirados pelas ideias da convergência de aparelhos, esses inventores tentaram colocar impressoras em mouses. Embora não seja a única, a solução mais “elegante” é o Mouse device with a built-in print [Dispositivo mouse com impressora embutida] proposto pelo japonês Yasushi Murai: (mais…)