Tag Archives: vida selvagem

O document√°rio do momento e a√ß√Ķes individuais

Eu n√£o vi Seaspiracy, nem Cowspiracy e provavelmente n√£o verei. E por algum motivo depois de ver esses filmes tem gente que se acha no direito de sair fiscalizando a carteirinha de ambientalista das pessoas.

Vi gente perguntando como um ambientalista poderia comer carne, vi outra pessoa dizendo que questionar o tal document√°rio era passar pano, vi uma pessoa manifestando seu desprezo pela √Āsia por causa do document√°rio… e tudo mais que as redes sociais permitem.

Como j√° disse ali, n√£o vi o document√°rio e n√£o preciso dele para saber que a ind√ļstria da pesca est√° acabando com os estoques pesqueiros do mundo e que segundo proje√ß√Ķes, em 2050 teremos mais pl√°sticos nos mares do que peixes. Tamb√©m sei que por culpa da mesma ind√ļstria pesqueira as baleias azuis, provavelmente o maior bicho que esse planeta j√° viu, est√£o em extin√ß√£o. Quem me conhece sabe que eu tenho um amor por mega fauna e acho um absurdo viver num planeta com um n√ļmero cada vez menor desses indiv√≠duos. Enfim, √© triste? √Č duro? √Č dif√≠cil? Me sinto impotente? O tempo todo.

Mas a quest√£o ambiental n√£o se resume a consumir ou n√£o carne e a√ß√Ķes individuais s√£o p√≠fias perto do que as ind√ļstrias poderiam estar fazendo. A maioria das pessoas no mundo sequer sabem que podem ter op√ß√£o de comida, mesmo quando elas sabem e mesmo assim optam por comer carne √© impratic√°vel pensar que num futuro pr√≥ximo, digo nos pr√≥ximos 10 anos, conseguir que a cultura da carne se acabe aqui no Brasil, por exemplo. Ah, ent√£o n√£o vamos fazer nada? Olha, eu sei de uma coisa que a gente pode fazer que tamb√©m √© uma a√ß√£o individual e pode fazer uma diferen√ßa absurda: votar melhor.

Veja a diferença

Do que adianta voc√™ separar seu lixo em casa, n√£o comer carne e recusar canudinho de pl√°stico quando temos um Ministro contra o meio ambiente? Quando temos um presidente que j√° tomou multa ambiental, se recusou a pag√°-la e ainda puniu o servidor que aplicou a multa? Enquanto tem gente que fica ai conferindo se quem fala que √© ambientalista come ou n√£o carne a Comiss√£o de Meio Ambiente da C√Ęmara Federal est√° sendo presidida por uma pessoa que mente sobre desmatamento e defende garimpo em terras ind√≠genas. Lamento informar mas todo seu esfor√ßo de fazer a sua parte pode n√£o estar surtindo assim tanto efeito, s√≥ para voc√™ ter uma ideia o Biden com uma canetada l√° nos EUA quer acabar com subs√≠dios para combust√≠veis f√≥sseis, sabe o que isso pode representar? Que se esse dinheiro for bem investido, ele pode fazer muito mais pelo planeta do que a sua exist√™ncia inteira sendo vegano. Lamento mas √© a realidade. Pra voc√™ ter uma ideia, s√≥ no primeiro pacote de incentivo fiscal do governo dos EUA na pandemia, foram dados nada mais nada menos que US$8,2 bilh√Ķes de isen√ß√£o fiscal pra 77 empresas de combust√≠vel f√≥ssil. Imagina esse valor sendo revertido em investimentos em formas de energia limpa e conserva√ß√£o da vida selvagem. Algu√©m a√≠ faz a conta e me fala quantas pessoas mais precisamos que sejam vegetarianas para chegarmos nesse impacto?

Ah, ent√£o desiste de fazer qualquer coisa?

A minha quest√£o aqui n√£o √© dizer: ser vegetariano/vegano √© in√ļtil, reciclar √© bobagem ou queimem mesmo todos os combust√≠veis f√≥sseis do mundo. A quest√£o √© entender a complexidade dos problemas ambientais, o tamanho deles e como as a√ß√Ķes individuais representam pouco perto de uma decis√£o do alto escal√£o de uma grande empresa ou de um governo. Sim, temos que pressionar, sim mudar de h√°bitos √© importante como forma de press√£o, mas n√£o sejamos inocentes de achar de que √© s√≥ isso que vai nos tirar dessa situa√ß√£o. Demonizar as pessoas que n√£o querem ou n√£o podem fazer a parte delas n√£o ajuda na solu√ß√£o do problema.

Eu devo ser provavelmente a √ļnica pessoa que j√° leu todos os posts desse blog, no passar desses 14 anos de blogueirinha de meio ambiente eu fiz uma listinha dos meus pecados ambientais e acreditei que a√ß√Ķes individuais pudessem fazer toda a diferen√ßa, mas revi esse ponto de vista e creio que devemos cobrar de quem de fato impacta o planeta e tem o poder fazer as coisas mudarem numa outra escala. Consci√™ncia √© importante, a√ß√£o ajuda muito, mas focar energia na a√ß√£o que vai trazer mais resultados √© o que de fato far√° o rumo das coisas mudarem.

Uma história real

Isso tudo me faz pensar numa amiga que trabalha numa empresa de petróleo, será que algum ambientalista já perguntou para ela como ela consegue trabalhar numa empresa que é a principal responsável pelo aquecimento do planeta? Mas calma gente, ela é vegetariana, sério, desde criancinha porque ela cresceu num sítio e não suportava a ideia de comer as galinhas que ela alimentava todos os dias. E ai fiscal de carteirinha de ambientalista, você vai dar o título de ambientalista para minha amiga ou não?

P.S.1: Tem umas coisinhas nessa minha resenha de um outro document√°rio que podem ser √ļteis para esse debate, confira Planet of Humans.

P.S.2: Gosto muito desse texto quando ou√ßo pessoas focando apenas na import√Ęncia das a√ß√Ķes individuais, em ingl√™s.

Wildeverse, o PokémonGo da vida selvagem

Em 2018 descobri a Internet of Elephants e contei sobre eles neste post. Ai, por coincidência, ou não, fiz um estágio lá enquanto fazia minha pós em Gestão em Inovação Social enquanto estava no Quênia.

Quando escrevi o post eles já tinham planos de lançar o Pokémon Go Ecológico, enquanto estava lá os primeiros testes para esse jogo estavam sendo feitos. Eu até ajudei na produção de videos mostrando esses testes nas redes sociais deles e eis que em Outubro de 2019 eles lançaram a primeira versão de Wildeverse.

Wildeverse √© um jogo para celular sobre macacos (pelo menos por enquanto) que usa a tecnologia de realidade aumentada. O objetivo do jogo √© ajudar a encontrar e monitorar um orangotango, um gorila, um chimpanz√© e um gib√£o. A ideia √© o jogador coletar dados sobre esses animais e enviar para cientistas e pesquisadores de vida selvagem para tentar entend√™-los e principalmente proteg√™-los. Os dados usados para a cria√ß√£o do jogo s√£o baseados em dados reais e foram obtidos com a ajuda de duas organiza√ß√Ķes de conserva√ß√£o: Borneo Nature Foundation (na Indon√©sia) e a Goualougo Triangle Ape Project (no Congo).

Além disso o jogo será usado como fonte de dados para uma pesquisa científica, da Universidade de Oxford. O objetivo da pesquisa é verificar a eficácia do uso de jogos online para comportamentos pró meio ambiente.

Infelizmente o jogo só está disponível em inglês.

Eu n√£o consegui jogar Wildeverse porque meu celular n√£o √© compat√≠vel com o aplicativo do jogo ūüôĀ

Mas tenho certeza que se você gosta de PokémonGo, você vai gostar de Wildeverse.

Aqui o trailer do jogo:

Uma curiosidade meio fora do assunto, voc√™ sabia que uma das empresas unic√≥rnio no Brasil chama-se Wildlife? E √© um studio de jogos mobile, sabe quantos jogos deles tem alguma coisa a ver com vida selvagem? Nenhum…

Jogo para salvar animais em extinção?

Sabe aquela ideia que você fala por que eu não pensei nisso antes? Quando descobri esse aplicativo foi o que eu pensei. Mas ao mesmo tempo também pensei: ainda bem que tem gente mais criativa que eu no mundo! hehehe

A Internet of Elephants resolveu juntar jogo, realidade aumentada, educa√ß√£o ambiental e conserva√ß√£o de animais e criou um jogo para celular chamado Safari Central, ainda em sua fase inicial, mas que tem uma ideia muito boa que √© trazer animais selvagens para o dia-a-dia das pessoas e estimul√°-las a fazer micro doa√ß√Ķes dentro do jogo para projetos que protejam a on√ßa pintada no Brasil, elefantes ou rinocerontes no Qu√™nia, l√™mures no Madagascar, pangolins no deserto do Kalahari e uma ursa-cinzenta nos EUA.

Essa versão inicial apenas te dá a opção de 5 fotos com o animal a sua escolha. Se você quiser mais fotos é só fazer uma doação para a organização responsável pela preservação desses animais que você poderá fazer mais fotos. No Brasil você ajuda a WWF e o Instituto Pró-Carnívoros com a Onça Atiaia.

Ano passado com o lan√ßamento dessa pr√©via eles fizeram um concurso de fotografias cujo pr√™mio era um safari para √Āfrica do Sul pelo deserto do Kalahari.

Mas a ideia mesmo é entregar um jogo até o fim de 2018, o que eles já chamam de Pokémon Go Ecológico e usa dados dos animais reais para reproduzir o comportamento e características deles.

A ind√ļstria dos games no mundo gerou em 2017 US$108,9 bilh√Ķes, no Brasil foram US$1,3 bilh√Ķes, imagina uma pequena parte desse dinheiro indo para projetos de conserva√ß√£o de animais com perigo de desaparecer na Terra?

Além disso a ideia do jogo é também criar mais envolvimento das pessoas com relação à vida selvagem, pelo menos é o que o fundador da Internet of Elephants pretende. Esse ano a empresa foi listada pela Fast Company como uma das empresas mais inovadoras.

Acho lindo quando encontro coisas que gosto juntas, nesse caso conservação ambiental e tecnologia.

Eu j√° fiz minha fotinho com a Lola, a rinoceronte √≥rf√£ do Qu√™nia. ūüėČ

Lola e a Claudia fazendo selfie.

Vida selvagem

Adoro vídeos de natureza, isso inclui belas paisagens, vida selvagem e curiosidades do mundo animal.

Esse v√≠deo do Discovery Channel √© incr√≠vel, em slow motion, mostra tubar√Ķes atacando presas de mentira.

Al√©m de v√≠deos de natureza tamb√©m adoro tubar√Ķes, eles s√£o fascinantes e se voc√™ tem medo desses seres incr√≠veis, saiba que todo esse medo √© culpa da ind√ļstria cinematogr√°fica que acabou com a fama desse animal lindo e sensacional, extremamente importante para o ecossistema marinho!

Uma das maiores frusta√ß√Ķes da minha vida foi n√£o ter conseguido mergulhar com nenhum tubar√£o em Fernando de Noronha e olha que l√° em qualquer praia, com snokel voc√™ consegue isso.