>

Em um oásis no meio do deserto, Alberto e Bruno decidem matar Cláudio. Alberto não sabe da decisão de Bruno e vice-versa. Alberto põe veneno no cantil de Cláudio. Depois, Bruno fura o cantil. Cláudio acaba por morrer — de sede. Quem o matou?
Mais tarde, no tribunal, Alberto argumenta que Cláudio nunca bebeu o veneno. E Bruno diz que apenas evitou que Cláudio bebesse água envenenada. Ambos estão certos, mas Cláudio foi assasinado. Então, quem é o culpado?
Alguém se arrisca a agir como juiz e dar uma solução para o caso?

2 comentários

Igor Santos · 2 de abril de 2012 às 10:53

Juridicamente, ambos tiveram a intenção de matar. É como dar um tiro na cabeça de alguém que, sem que você saiba, acabou de morrer de um infarto.
Se C morreu de sede, quem o matou foi B, que o impediu de beber, mas A também vai responder por tentativa com morte posterior, ou algum outro nome que me escapou agora.

    Anônimo · 14 de dezembro de 2020 às 20:06

    Vou expor a minha opinião, leia com atenção ela e tire sua conclusão sobre estar certa, parcialmente certa ou errada.

    1° Como o texto fala de início “ambos já tem intenção de matar o Cláudio” nessa pequena parte inicial já colocamos ambos como uma tentativa de assassinato culposo, fecha a primeira acusação aqui.

    2° Alberto toma a primeira iniciativa no seu plano colocando veneno no cantil, vamos lá ” primeiro não é detalhado se é o único cantil que eles tem ou mesmo que cada um possua o seu nisso vamos pensar em algumas alternativas sobre isso, se tivesse apenas um cantil como somente Cláudio morreu e nisso já colocamos também como Alberto e Bruno mesmo que ambos planejaram isso, o único que ainda podia se safar seria Bruno que apenas roubaria o cantil para ele assim só ele sobrevivendo, mas como o relato fala Alberto já tinha colocado o veneno e Bruno só tirou o cantil depois nisso já elimina a chance de sobrevivência de todos, então como só Cláudio morreu ?, Resta deduzir teoricamente que havia mais cantil para ambos estarem vivos defendendo o ato que fizeram, para sair como ambos inocentes ou jogar a culpa um no outro, mas ambos já eram culpados, porque além de já planejar a morte de Cláudio efetuaram a ação fecha essa parte aqui vamos para a próxima.

    3° É evidente para mim, lembrando na minha opinião que é um paradoxo com uma linha de consequências continua, um efeito borboleta melhor dizendo, esse termo se encaixa perfeitamente para explicar a minha teoria da morte de Claudio, tudo começa bem antes do que o relato nós mostra, teorizando que antes de chegar a aquele ponto onde se inicia o relato Alberto e Bruno para tomarem tal ação tranquilamente e colocar o plano em ação eles já tinham preparado suas mentes e talvez já tem a intenção de matar o próximo quando sente que ele vai correr perigo em um futuro não tão distante, então juntando tudo isso vamos fechar a terceira parte do ocorrido e na minha opinião eu volto a falar como disse na 1° parte ambos já são culpados e como disse na 3° teoricamente é claro, já são culpados disso bem antes do relato se iniciar, vamos a conclusão junto de uma quarta parte falando algumas coisas que também pode ter ocorrido tanto antes como no ato como depois de tudo.

    Conclusão / 4° parte: De tudo que o relato nós mostra para mim foi evidente como julgaria os dois, só pela primeira parte, mas como antes de tomar tal iniciativa precisamos logicamente ouvir todo o acontecido, ouvir ambas as partes, para depois julgar, e como o relato não oferece muita informação sobre o acontecido em si bem dizer só falou o mais importante ele deixa para nós teorizar os acontecimentos que não está evidente assim nos faz pensar sobre tudo que pode ter acontecido, eu fiz isso sendo sincero bem por cima para escrever tudo isso, porque já coloquei a conclusão com uma 4 parte juntas é porque eu sinto que mesmo teorizando algumas partes antes do relato, como falei do preparo psicológico dos até então para mim assassinos, como não comentei também sobre o principal que eu deveria e acho que vou falar também logo após como um bônus do Cláudio a nossa vítima, ele só aparece no relato para morrer não tem sequer uma fala dele, não apresenta como estava, nem nada eu pensei que ele já estaria passando por desidratação pois é meio estranho morrer por não tomar um cantil, logo já pode colocar que os outros dois já considerava ele um peso morto já que iria morrer de todo jeito e só decidiram adiantar isso, mas colocando isso em prática já criaria novos caminhos que poderia levar a novas consequências por isso digo novamente isso ainda deveria ser levado mais como efeito borboleta do que paradoxo, vou parar por aqui se não eu crio mil e uma coisas, obrigado se leu até aqui 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *