A ‘História’ de Raleigh

Walter Raleigh [1522-1618] compôs sua History of the World enquanto estava preso na Torre de Londres. Apenas uma pequena porção da obra acabou publicada, graças às seguintes circunstâncias: — Numa tarde, olhado através de sua janela para um dos pátios da Torre, ele viu dois homens brigando, quando na verdade Leia mais…

O louco das bolhas de sabão

Quando Sir Isaac Newton mudou sua residência para a Leicester Place, sua vizinha era uma jovem viúva que logo ficou intrigada com o pouco que observava do filósofo. Um dia, um dos Fellows da Royal Society passou pela casa dela e ouviu, entre outras notícias mais domésticas, ela dizer que Leia mais…

Tomando a parte do leão

O Capitão C. Kennedy relata, em sua Journey through Algeria and Tunis [Jornada através da Argélia e Tunísia]: — “Nós estávamos ansiosos por saber se havia qualquer chance de outro leão ser encontrado nas redondezas e fomos informados que sem dúvida haveria muitos. Mas tal era a natureza do terreno Leia mais…

Fortunas livrescas perdidas

Indubitavelmente, muitas obras pereceram no estado de manuscrito. Por uma petição do Dr. [John] Dee [1527-1609?] à Rainha Mary, existente na Biblioteca de Cotton, parece que o tratado de Cícero — de Republica — foi um dia bastante comum neste país. [O Rev. Thomas] Huet [?-1591] observa que Petrônio [27-66] Leia mais…

“Anúncios Curiosos na Igreja”

sleeping congregation

“Sleeping Congragation” (William Hogarth, 1728)

Independente da religião, sempre há um momento bastante solene no culto, missa ou ritual. Pode ser um sermão ou pregação, uma oração ou a leitura da respectiva escritura sagrada. Por vezes, porém, essa solenidade toda pode ser perdida por motivos diversos. O Rev. R. Wilkins Rees relata alguns causos de sermões que deram errado no ensaio “Curious Anouncements in the Church”, publicado em Ecclesiastical Curiosities (ANDREWS, 1899). Vamos começar com um pequeno mal-entendido: (mais…)

Thomas Britton, o carvoeiro erudito

 

Thomas Britton, o carvoeiro musical (gravura de autor desconhecido, 1777)

Thomas Britton, o carvoeiro musical (gravura de autor desconhecido, 1777)

Pouco se sabe da vida deste curioso personagem que apareceu em Londres na virada do séc. XVII para o séc. XVIII. O que se sabe é que nasceu em Northamptonshire e, logo que pode, mudou-se para Londres, onde estabeleceu-se como vendedor de carvão — primeiro como empregado e mais tarde como autônomo. Também não se sabe se teve alguma educação formal, mas tudo indica que foi um autodidata, especialmente dedicado ao estudo da música, de livros antigos e talvez até de química. (mais…)

Ciência com o próprio fígado

Não faltam experimentos de um único voluntário na História da Ciência. Nem experimentos em que a linha entre pesquisador e pesquisado é bem tênue. Também não são poucos os créditos mal-atribuídos pela participação em uma pesquisa. Um caso com todas essas características aconteceu em 1954, na Universidade de Londres. Ao Leia mais…

Ciência tônica

Senhoras e senhores, vocês não deveriam… sobrestimar os métodos científicos, como devem aprender com a história de um homem que começou a investigar para descobrir porque as pessoas ficam bêbadas. Me parece que este conto pode lhes interessar aqui na Suécia. Numa noite, este homem ofereceu a alguns de seus Leia mais…

Piquenique com formigas

Assorted picnic ants

[via: iainclaridge.co.uk]

Sempre é uma experiência desagradável fazer um convescote na companhia destes pequenos (às vezes nem tanto) insetos sociais. Mas nem nos desenhos animados, onde essa situação é um lugar-comum, um pequenique foi tão terrível quanto o relatado — ou melhor, transcrito — pelo entomologista e fotógrafo Mark W. Moffett na edição de 16 de feveiro de 2012 da respeitável Nature. Parece mais uma pequena peça tragicômica do “Indiana Jones da Entomologia” — como Moffett é conhecido — do que um artigo científico. Atendendo a pedidos, na maior cara dura, tomamos a liberdade de traduzir o artigo inteiro. Os links indicados são nossos: (mais…)