Será o fim da tabela periódica?

Às vésperas de completar 150 anos, a tabela periódica começa a levantar dúvidas entre os cientistas sobre os seus limites. Quando apresentou ao mundo sua tabela para organizar os elementos químicos segundo suas propriedades e similaridades, Mendeleiev sabia que ela continha algumas lacunas. Em vez de se envergonhar pela incompletude, Leia mais…

Planeta 9: um mundo sequestrado

Planet9

Concepção artística do Planeta 9 como um gigante netuniano.

Os confins do sistema solar são um lugar misterioso, frio e obscuro — algo perfeito para o cativeiro de um sequestrador. O criminoso, no caso, seria o Sol e o sequestrado seria um mundo conhecido apenas recentemente e por enquanto chamado Planeta 9. (mais…)

As reviravoltas em torno de KIC 8462852

TabbyStar

Concepção artística de KIC 8462852 segundo a hipótese da nuvem de cometas

Nos últimos meses uma estrela tem causado polêmica na comunidade astronômica e vem sendo reportada com estardalhaço na mídia. KIC 8462852 é o nome da estrela que se tornou alvo de especulações quando uma astrônoma revelou seu padrão de luminosidade, considerado irregular e inexplicável. Não demorou muito para aparecer uma hipótese de que o comportamento do astro fosse reflexo da presença de uma civilização extraterrestre bastante avançada em suas imediações. Pesquisas mais recentes mostram que não é para tanto. (mais…)

Tomando a parte do leão

O Capitão C. Kennedy relata, em sua Journey through Algeria and Tunis [Jornada através da Argélia e Tunísia]: — “Nós estávamos ansiosos por saber se havia qualquer chance de outro leão ser encontrado nas redondezas e fomos informados que sem dúvida haveria muitos. Mas tal era a natureza do terreno Leia mais…

Macro, escura e massiva

Uma galáxia-anã em formação, há cerca de 7 bilhões de anos. Estrelas em amarelado, gás em ciano e matéria escura em tons avermelhados. [imagem: Bourke e Duffy/International Centre for Radio Astronomy Research, via scienceillustrated.com.au]

Ela está por toda parte, permeando o universo. Mas não a enxergamos, não podemos tocá-la e assim não sabemos do que é feita. Dos efeitos sabemos: ela compõe aproximadamente 27% do Cosmos (a matéria ordinária só ocupa 5%), mantém as galáxias coesas e não interage com a luz. Por isso, e na falta de nome melhor, a chamamos de Matéria Escura.

Há três décadas, os melhores físicos do mundo tem quebrado a cabeça para entendê-la. Construímos aceleradores de partículas cada vez maiores para buscar partículas cada vez menores. Será que esse foi o caminho certo? Quem levanta a pergunta são dois jovens físicos teóricos e professores de Física de uma universidade da África do Sul. (mais…)

Andrew Crosse e seus insetos elétricos II

Andrew Crosse

Andrew Crosse (1784-1855): gentleman, poeta e Frankenstein acidental.

Tudo começou em 1836, quando Andrew Crosse foi persuadido por um amigo a participar de um encontro da British Association for the Advancement of Science [Associação Britânica para o Progresso da Ciência], em Bristol. Informalmente, Crosse descreveu algumas de suas descobertas durante um jantar em Bristol, onde foi estimulado a fazer apresentações mais formais (e práticas) de suas eletrocristalizações para as seções de química e de geologia da Associação. (mais…)

Andrew Crosse e seus insetos elétricos

Andrew Crosse

Andrew Crosse (1784-1855): gentleman, poeta e Frankenstein acidental

Ao escrever seu clássico Frankenstein ou o Prometeu Moderno em 1818, Mary Shelley [1797-1851] fez mais do que simplesmente inventar o gênero de ficção científica. Ao criar Victor Frankenstein e seu monstro, ela também estabeleceu um arquétipo do novo gênero: o cientista arrogante que ousa criar vida e desafia os planos de Deus agindo… bem, como um deus. Frankenstein, mais do que sinônimo de monstro, passou a representar (às vezes exageradamente) o cientista insensível, vil ou até mesmo maluco. (mais…)

Ciência com o próprio fígado

Não faltam experimentos de um único voluntário na História da Ciência. Nem experimentos em que a linha entre pesquisador e pesquisado é bem tênue. Também não são poucos os créditos mal-atribuídos pela participação em uma pesquisa. Um caso com todas essas características aconteceu em 1954, na Universidade de Londres. Ao Leia mais…