Excessos alimentares no final de ano: É possível evitar?

O final de ano é um período caracterizado por vários eventos sociais, encontros e confraternizações.  Afinal, trata-se do encerramento de mais um ano, é hora de comemorar as conquistas, contabilizar os erros e os acertos, e acreditar que coisas boas virão no próximo ano. Na maioria dos casos, se não em todos, esses eventos e festividades são associados a muita comida e bebida. As pessoas comem e bebem como se não houvesse amanhã. Mas, o amanhã chega… E muitas vezes acompanhado das consequências desses excessos como: a culpa e o arrependimento de ter comido e bebido em grande quantidade, a frustração de ter saído da “dieta”, além de sintomas físicos como má digestão, dor abdominal, disfunção intestinal, inchaços, dor de cabeça, ganho de peso, entre outros. Nesse contexto, é importante destacar que o que mais caracteriza essa fase alimentar do ano é a procrastinação, palavra difícil, mas, na prática todo mundo sabe bem o que significa (procrastinar = deixar para depois ou outro dia, adiar). Ou seja, quem nunca pensou ou falou: “no ano que vem vou me alimentar melhor”; “vou fazer dieta”; “vou ao nutricionista”; “mas, só no ano que vem, pois, agora vou aproveitar”: leia-se exagerar. O réveillon acaba e o ano “que vem” chega, porém, nenhuma mudança de comportamento alimentar acontece e essas atitudes se repetem ano após ano.

Mas, por que comer e beber tanto nessa época do ano? As respostas são variadas e listadas a seguir:

1) Porque todo mundo come e bebe muito nessa época e de alguma forma quero pertencer ao grupo com quem convivo;

2) Porque eu mereço, afinal trabalhei e/ou estudei muito nesse ano;

3) Porque tive um ano difícil por algum ou vários motivos, portanto, preciso muito esquecer o que passou para começar um novo ano;

4) Porque o ano foi ótimo e quero muito comemorar (palavra que significa celebrar/festejar) e festa tem que ter muita comida e bebida senão não é festa.

Enfim, existem diversas respostas e daria para enumerar muitas outras, pois cada pessoa tem o(s) seu(s) motivo(s) para justificar os seus porquês. De uma forma geral, todos os motivos são válidos e importantes para comemorar um ano que se encerra e celebrar o novo ano que está por vir. Mas, o que se vê em comum em todas essas repostas é a recorrência da palavra muito (que significa em excesso, exagero, diferente de pouco). E de alguma forma essa intensidade do que foi (ou não) vivido é transferida consciente ou inconscientemente para o consumo de alimentos e bebidas, o que resulta nos excessos de final de ano. Daí vem a pergunta: é possível evitar tais excessos? Hoje em dia muitos sabem que moderação é a palavra-chave. Mas, como comer e beber com moderação diante de tanta oferta de alimentos e bebidas nos eventos, nos encontros e nas confraternizações? A resposta é objetiva e direta. A partir da alimentação consciente e da atenção plena (Mindful Eating) é possível mudar nosso comportamento e nossas atitudes em relação aos alimentos e bebidas nas festas de final de ano.

Para facilitar a prática desse modo consciente de se alimentar, seguem algumas orientações:

  • Comer com consciência e atenção plena, apreciando o sabor, o aroma, a temperatura e a textura dos alimentos;
  • Mastigar lentamente o(s) alimento(s), consumindo um alimento ou uma porção de cada vez;
  • Os mesmos princípios da alimentação consciente são validos para o consumo de bebida: beber devagar, apreciando o sabor, o aroma e a temperatura da bebida.
  • Perceber os sinais de saciedade do corpo como: estômago cheio, redução da salivação e sede intensa. Esses sintomas costumam aparecer após o consumo de alimentos e/ou bebidas em grande quantidade. Mas, não precisa chegar ao extremo para parar de comer ou beber, basta prestar atenção nos seus sinais de fome e de saciedade.
  • Não sentir culpa se cometer excessos porque isso gera um círculo vicioso de compulsão, satisfação momentânea e culpa.
  • Viva uma refeição por vez, coma com prazer e equilíbrio. Se cometer excessos em alguma refeição, tente não extrapolar nas outras refeições ou se cometer excesso em algum dia da semana, tente não extrapolar para toda a semana;
  • Mantenha-se ativo, com uma rotina de exercício e de sono, pois, isso tem influencia direta na alimentação;
  • Aproveite os encontros de final de ano para conversar, falar sobre coisas boas e se divertir. E lembre-se que a comida e a bebida fazem parte do contexto festivo de final de ano, mas, não são o motivo principal da festa. Vale a pena refletir sobre o significado das pessoas, coisas e fatos em nossas vidas.

No início, colocar em práticas todas essas orientações pode parecer difícil, mas, com boas doses de motivação, de disciplina e de autoconhecimento é possível começar. Se não conseguir realizar todas as orientações, tente pelo menos uma e vá aumentando aos poucos, reconhecendo cada conquista no processo de mudança de comportamento alimentar. Assim, é possível aproveitar as confraternizações de final de ano com a família e os amigos sem excessos, culpas ou arrependimentos em relação à comida e à bebida. E que venha 2018 com muita saúde e paz para todos! 

Para mais informações sobre Mindful Eating acesse o link: http://mindfuleatingbrasil.com.br/index.php/principiosmindfuleating/

Sobre Helena Previato 12 Artigos
Helena Previato é Doutora em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Nutricionista e Mestre em Saúde e Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto. Especialista em Nutrição Clínica pela Associação Brasileira de Nutrição.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*