Benefícios da Vitamina D: muito além da saúde óssea

A Vitamina D apresenta diversos benefícios para o equilíbrio do organismo e para a saúde em geral.

O termo vitamina D engloba sua forma ativa (calcitriol ou 1,25 (OH)2D), e seus precursores (vitamina D3 ou colecalciferol, vitamina D2 ou ergosterol).

A ação mais conhecida da vitamina D se refere ao metabolismo do cálcio e à saúde óssea. Sabe-se que a vitamina D atua na absorção intestinal de cálcio e fósforo, sendo fundamental para a mineralização óssea.

Entretanto, nas últimas décadas, novas ações da vitamina D têm sido descobertas.

Além da ação clássica relacionada à homeostase (equilíbrio) do cálcio, a vitamina D desempenha um papel chave nas respostas dos sistemas imunológico e nervoso.

No tecido muscular, a vitamina D estimula a síntese proteica e o crescimento das células musculares com efeito positivo sobre a força e o tônus muscular.

Várias pesquisas mostram novas ações da vitamina D:

  • na proliferação, diferenciação e apoptose celular, na regulação dos sistemas imunológico, cardiovascular e musculoesquelético, e no metabolismo da insulina.
  • além de efeitos preventivos sobre as doenças neurodegenerativas e também efeitos antienvelhecimento.

Abaixo estão resumidos alguns dos benefícios da vitamina D.

PRINCIPAIS EFEITOS DA VITAMINA D:

  • Imunorregulação e defesa antimicrobiana
  • Funções neuroprotetoras
  • Redução do estresse oxidativo
  • Desintoxicação xenobiótica
  • Controle da pressão arterial
  • Melhora da sensibilidade à insulina
  • Ações anti-inflamatórias/anticâncer 
  • Proteção cardiovascular

DE ONDE VEM A VITAMINA D?

A vitamina D é produzida principalmente a partir da ação do raio UVB na pele e pode ser obtida de alimentos como: óleos de peixe, salmão, atum e sardinha, ovo, fígado, leite e derivados, cogumelos e produtos alimentícios fortificados.

Porém, apenas 10% a 20% da vitamina D necessária à adequada função do organismo provêm da alimentação. Os 80% a 90% restantes são sintetizados endogenamente a partir da exposição solar. Todavia, a exposição solar deve ser feita com moderação devido ao risco de câncer de pele induzido pela radiação UVB.

HIPOVITAMINOSE D

Parcela significativa da população brasileira apresenta baixos níveis de vitamina D e diversos fatores podem contribuir para sua deficiência como:

  • Baixa exposição ao sol
  • Localização geográfica
  • Quantidade de melanina na pele
  • Estilo de vida
  • Padrão dietético pobre em alimentos fontes de vitamina D
  • Disfunções hepáticas/renais que prejudicam a conversão da vitamina D em suas formas metabolicamente ativas

A deficiência de vitamina D afeta negativamente a saúde, provocando uma série de desequilíbrios e patologias como o raquitismo, a osteoporose e o aumento do risco de quedas e fraturas ósseas.  

Além disso, o baixo nível sérico de vitamina D também pode estar associado ao aumento do risco de desenvolvimento de diabetes, doenças cardiovasculares, certos tipos de câncer, depressão e doenças auto-imunes.

Portanto, é importante enfatizar que a suplementação em cápsulas, comprimidos ou gotas é necessária nos seguintes casos:

1) deficiência ou insuficiência da vitamina D;

2) na população idosa, em que a recomendação diária de vitamina D é maior do que nas outras faixas etárias.

Segundo a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML), os valores bioquímicos recomendados de 25-hidroxivitamina D são:

  • Maior do que 20 ng/mL para população geral saudável;
  • Entre 30 e 60 ng/mL para idosos, gestantes, pacientes com osteomalácia, raquitismo, osteoporose, hiperparatiroidismo secundário, doenças inflamatórias, doenças autoimunes, doença renal crônica e pré-bariátricos.

Por outro lado, alguns estudos defendem que 30ng/dL de 25-hidroxivitamina D é o valor mínimo para se observar os benefícios da vitamina D nos diferentes sistemas como na saúde óssea, prevenção contra cânceres, controle da pressão arterial e menor risco de quedas e fraturas.

Enfim, o ideal é procurar um profissional de saúde habilitado para solicitar a dosagem de vitamina D e estabelecer o tratamento adequado para sua reposição.

Dessa maneira, será possível obter os benefícios da vitamina D para a manutenção da saúde e o equilíbrio nos vários sistemas do corpo humano.

Para maiores informações sobre a Vitamina D acesse o artigo  Gil A, Plaza-Diaz J, Mesa MD. Vitamin D: Classic and Novel Actions. Ann Nutr Metab. 2018;72:87-95. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29346788
Sobre Helena Previato 11 Artigos
Helena Previato é Doutora em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Nutricionista e Mestre em Saúde e Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto. Especialista em Nutrição Clínica pela Associação Brasileira de Nutrição.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*