Para uma ideia diluída, o remédio é conhecimento concentrado.

homeopatia.jpgTudo que você sempre quis saber sobre homeopatia mas tinha vergonha de perguntar

A homeopatia se tornou uma grande ind√ļstria e √© propagandeada como um tratamento seguro, natural e hol√≠stico para v√°rias doen√ßas como artrite, asma, depress√£o, diarr√©ia, dores de cabe√ßa, ins√īnia etc.

Apesar disso, a evidência científica mostra que a homeopatia atua somente como um placebo (fármaco ou procedimento inerte que apresenta efeitos terapêuticos devido aos efeitos fisiológicos da crença do paciente que está a ser tratado) e não há explicação dentro da ciência de como isso poderia ser diferente.

Princípios homeopáticos
A homeopatia √© baseada em duas suposi√ß√Ķes: “semelhante cura semelhante” e “quanto menor a dose, mais potente √© a cura”. Resumidamente, os homeopatas escolhem uma subst√Ęncia que causa os mesmos sintomas que a doen√ßa a ser tratada. Essa subst√Ęncia √© ent√£o dilu√≠da e agitada repetidamente, o que supostamente reduz seu potencial prejudicial e a torna mais potente.

Os princípios analisados pela ciência

Cura pelo semelhante
Alguns homeopatas afirmam que √© um processo semelhante √† vacina√ß√£o. Isso √© errado pelo fato de as vacinas fazerem com que o sistema imune reconhe√ßa uma doen√ßa espec√≠fica, enquanto na “cura por semelhante” s√≥ os sintomas da doen√ßa e do tratamento precisam ser correspondentes, uma hip√≥tese n√£o cab√≠vel com o funcionamento do nosso corpo. Uma dor de cabe√ßa pode ser causada por estresse ou por um tumor no c√©rebro, mas o tratamento em cada caso √© completamente diferente, n√£o √©? Se voc√™ buscar a homeopatia, n√£o…

Dose mínima
Prepara√ß√Ķes homeop√°ticas s√£o t√£o dilu√≠das que muitas n√£o cont√™m mais o princ√≠pio ativo. Uma dilui√ß√£o comum, a 30C, tem uma gota de princ√≠pio ativo dilu√≠da em 100 gotas de √°gua, e assim por diante, at√© que tenham sido feitas 30 dessas dilui√ß√Ķes. A probabilidade de haver uma √ļnica mol√©cula do princ√≠pio ativo na solu√ß√£o final √© menor do que a chance de se ganhar na loteria brit√Ęnica por cinco semanas seguidas. Os homeopatas acreditam que a √°gua desenvolve uma “mem√≥ria” do ingrediente ativo, mas pensem: se isso fosse poss√≠vel, todo preparo homeop√°tico teria v√°rias mem√≥rias, pois qualquer gr√£o de poeira que entrasse em contato com a √°gua traria milhares de microrganismos e part√≠culas diferentes.

As evidências científicas
Mais de 150 estudos falharam em demonstrar o funcionamento da homeopatia. Alguns estudos menores apresentaram resultados positivos devido a metodologias fracas ou efeitos aleatórios.

efetividade.jpg

Conheçam a mais poderosa ferramenta estatística que existe: o gráfico de porcentagem em pizza gerado com dados qualitativos. (nota do tradutor: hihihi)

Quando os dados são analisados em conjunto, a homeopatia não é superior a nenhum placebo. Uma publicação de 2005 no periódico Lancet comparou 110 ensaios homeopáticos a 110 ensaios clínicos alopáticos. Os autores observaram que estudos mais rigorosos demonstraram fortes evidências de que, ao contrário dos resultados positivos nos estudos alopáticos, a homeopatia não teve eficácia. Em outras palavras: quanto melhor a pesquisa feita, menos a homeopatia funciona. De acordo com esse estudo estão mais de doze análises similares que chegaram à mesma conclusão: homeopatia não produz resultados melhores do que os placebos.

Ent√£o por que a homeopatia “funciona”?
As pessoas fazem uso da homeopatia por acreditarem em sua eficácia, o que faz com que a mesma, mesmo inerte em termos clínicos, possa induzir a mudanças psicológicas. O tratamento também pode coincidir com uma melhora da própria resposta imune do paciente.

O efeito placebo
A cren√ßa de estar recebendo tratamento frequentemente traz al√≠vio a um paciente. Sabe-se que a redu√ß√£o do estresse fisiol√≥gico pode acelerar a recupera√ß√£o de ferimentos e infec√ß√Ķes virais por um aumento da fun√ß√£o imune, ou seja, mesmo um “tratamento” inerte pode afetar o organismo. Respostas condicionadas tamb√©m acontecem: experi√™ncias de tratamentos passados podem estimular o sistema imune a agir mais rapidamente quando outro tratamento (mesmo um placebo) √© recebido.

Desconsiderando o al√≠vio de estresse e o condicionamento, o efeito placebo √© pequeno em rela√ß√£o √† replicabilidade e √† pot√™ncia. Pacientes que fazem uso regular de morfina podem substituir uma dose por um placebo com sucesso, mas √† medida que o uso do placebo se torna mais freq√ľente, o resultado piora (o organismo reconhece a diferen√ßa entre o tratamento real e a substitui√ß√£o). Esse mesmo efeito pode funcionar em doen√ßas menos graves e ser eficiente para dor, fadiga, n√°usea e similares, mas n√£o ser√° eficaz contra fraturas, infec√ß√Ķes ou tumores. Novamente, sua aplica√ß√£o combate sintomas de determinada doen√ßa e n√£o a doen√ßa em si.

Um placebo poderoso?
Quando a homeopatia cura condi√ß√Ķes m√©dicas s√©rias fala-se de um “poderoso efeito placebo”, mas existem muitas outras explica√ß√Ķes diferentes que devem ser descartadas. A administra√ß√£o de um comprimido pode coincidir com a recupera√ß√£o do paciente sem estar relacionada a esse fato, como em recupera√ß√Ķes espont√Ęneas ou sintomas flutuantes. Por exemplo, como a dor da artrite √© intermitente (ela “vem e vai”) e as pessoas tendem a buscar tratamento quando os sintomas est√£o em seu pior efeito, qualquer medicamento administrado pode dar a impress√£o de melhora.

E a homeopatia veterin√°ria?
Os homeopatas argumentam que a homeopatia funciona em animais, o que descartaria o efeito placebo inclusive em beb√™s. No entanto, esses testes dependem de observa√ß√Ķes humanas que, sem normatiza√ß√£o ou veterin√°rios independentes, pode sofrer um grande vi√©s (muitas vezes n√£o intencional). Os estudos que corrigem esse tipo de vi√©s demonstram que a homeopatia n√£o funciona.

O fato de um placebo fazer a pessoa se sentir melhor não justifica sua prescrição por um médico?
A √©tica obriga que a rela√ß√£o m√©dico-paciente seja baseada em honestidade, respeito, sinceridade e confian√ßa. A prescri√ß√£o de um placebo exige que o m√©dico minta ao paciente (do contr√°rio o placebo n√£o surtir√° seu efeito), o que fere esses princ√≠pios. Ainda, como placebos combatem os sintomas de uma doen√ßa, e n√£o a doen√ßa propriamente dita, deixar a condi√ß√£o m√©dica real sem tratamento pode ter implica√ß√Ķes severas para o paciente.

Um caso de fadiga pode ser remediado por um placebo, mas e se essa fadiga for um sintoma de depressão, de uma infecção viral, ou de algo pior?

Referências bibliográficas

Shang, A. et al. 2005 ‘Are the clinical effects of homeopathy placebo effects? Comparative study of placebo-controlled trials of homeopathy and allopathy’ Lancet, 366: 726-732.

Glaser, R. 2005 ‘Stress-associated immune dysregulation and its importance for human health: a personal history of psychoneuroimmunology’ Brain, Behavior and Immunity, 19: 3-11.

Lovallo, W.R. & W. Gerin 2003 ‘Psychophysiological reactivity: mechanisms and pathways to cardiovascular disease’ Psychosomatic Medicine, 65: 36-45.

Kienle, G.S. & H. Kiene 1997 ‘The powerful placebo effect: fact or fiction?’ Journal of Clinical Epidemiology, 50: 1311-1318.


N√£o sei de voc√™s, mas eu prefiro apostar as minhas fichas na Medicina Baseada em Evid√™ncias…

O texto acima é uma adaptação de um informe sobre homeopatia elaborado em 2006 pela organização Sense About Science, criada em 2002 com o objetivo de promover respeito por evidências científicas e boas práticas de ciência, aumentando a compreensão da população sobre o tema.

A tradução adaptada do informe Sense About Homeopathy (o original pode ser acessado pelo link) é parte do material de apoio e divulgação da campanha:

1023-Brazil-300x205.png

Mais informa√ß√Ķes sobre a a√ß√£o em http://1023.haaan.com/

RNAm Expresso vol. 5 – Leituras interessantes!

090821085252_axolote226.jpgCientistas estudam anf√≠bio ‘monstro’ para tratar regenera√ß√£o de membros: a gracinha que pode ser vista na foto ao lado, chamada Axolote, √© capaz de regenerar at√© peda√ßos do C√ČREBRO! Isso explica ter tanto dinheiro indo pr√°s pesquisas com esse anf√≠bio, s√≥ o Departamento de Defesa dos EUA j√° doou 6 milh√Ķes de d√≥lares para esses estudos. BBC Brasil
Sintomas mostram a hora de ir ao médico; veja lista criada por especialistas: lista elaborada pela Clínica Mayo (EUA) com dez sinais que indicam necessidade de cuidados médicos, comentada por especialistas contatados pela Folha Online.
Butantan come√ßa a fazer vacina antigripe em outubro; conhe√ßa a f√°brica por dentro: vejam esse √≥timo infogr√°fico mostrando como √© a f√°brica que produzir√° as vacinas contra a Gripe Su√≠na (H1N1; Gripe A) no Instituto Butantan. G1 Ci√™ncia e Sa√ļde
Cientistas transplantam genoma em novo ‘passo’ rumo √† cria√ß√£o de vida sint√©tica: a equipe de cientistas comandada por Craig Venter (algu√©m a√≠ lembra da Celera Genomics quando estavam sequenciando o genoma humano?) diz estar mais pr√≥xima de criar uma c√©lula sint√©tica! Eles anunciaram a cria√ß√£o de um novo tipo de bact√©ria a partir de um genoma modificado. UOL Ci√™ncia e Sa√ļde
E n√£o se esque√ßam, para receber nosso conte√ļdo e outras coisas interessantes em primeira m√£o, siga-nos no Twitter em @Gabriel_RNAm e @Rafael_RNAm e clique aqui para ser nosso assinante de Feed/RSS!
Por hoje é só pessoal, bom sábado a todos!
Imagem: Jes√ļs Chimal, pesquisador da Universidad Nacional Aut√≥noma de M√©xico, um dos autores dos estudos envolvendo o Axolote

Vídeos de cirurgias no Youtube

√Č um estudante de medicina com pregui√ßa de sair de casa ou apenas tem uma psicopatologia de serial killer? Ent√£o assista a opera√ß√Ķes muito did√°ticas pela internet!
10 delas foram selecionadas aqui pela WIRED.
Aviso: tirem as crianças da sala.
Aqui uma das opera√ß√Ķes: opera√ß√£o de um cora√ß√£o batendo