No meio da (micro)multidão

metro

Sabe quando você está numa estação de metrô lotada? Todo mundo está praticamente parado mas aí você reconhece alguém (teu crush, um amigo de infância, o carinha que vende chocolates) no meio da multidão. Vocês se reconhecem, tentam se aproximar e (quase) conseguem. Segundo uma pesquisa recém-publicada, isso também acontece com multidões de corpos bem pequenos, como células e micropartículas. (mais…)

A pirâmide de Newton

pirâmide de Newton

Mausoléus são imensos monumentos póstumos geralmente dedicados a reis, príncipes e generais. Por que um cientista não mereceria igual homenagem? Isaac Newton [1643-1727], por exemplo, não seria digno de um desses monumentos funerários? Um certo Thomas Steele, de Cambridge, achava que sim. Numa carta publicada no The Times em 1825, Steele propôs um monumento nacional a Newton: a casa do físico aninhada numa grande pirâmide encimada por uma enorme esfera. A inspiração veio da Itália: (mais…)

Venderskortet, um mapa de terra

Saindo da Antártica, você passa por uma ponte, atravessa a África com alguns passos, pula o Mediterrâneo, dá mais alguns passos pela Europa e vai aos saltos até o Polo Norte. Parece loucura, mas é possível fazer uma viagem de polo a polo com esse roteiro bastante simplificado. Tudo o que você precisa é de um mapa-múndi em escala adequada criado por um dinamarquês. (mais…)

Carrinhos e carrões de fricção

Brinquedo no lab: carrinho foi o meio encontrado para testar os nanogeradores triboelétricos. [Imagem: College of Engineering/University of Wisconsin-Madison]

Vruuuumm… Vruuuummmm… O carrinho de brinquedo zune pelo ambiente, com suas grandes rodas douradas e as luzinhas piscando. Quem está com o controle nas mãos não é uma criança, mas um homem crescido de feições asiáticas e o ambiente que o jipinho explora não é um quarto ou quintal. O adulto asiático não é um colecionador, mas um cientista e a cena descrita bem deve ter acontecido num laboratório. O jipinho da foto acima é realmente um brinquedo e ao mesmo tempo é o objeto de pesquisa de Xudong Wang, professor-associado engenharia e ciência de materiais da Universidade de Winconsin-Madison, nos Estados Unidos. (mais…)

As aranhas supernanopoderosas

dona aranha

A Dona Aranha subiu pela parede do laboratório e um cientista a pegou. Veio uma chuva de nanopartículas e a derrubou. Antes de cair, porém, a D. Aranha ficou supernanopoderosa e produziu uma seda reforçada — mais forte do que o mais forte fio de aranha conhecido, segundo cientistas italianos. (mais…)

Postrô, o metrô postal de Londres

Mail-Rail-Staff-©Royal-Mail-Group-Ltd.-courtesy-BPMASubir arquivo, enviar arquivo e baixar arquivo. Essa é a ordem usual para enviar e receber documentos rapidamente nos dias de hoje. Mas na Londres de meados do século passado, o correto seria baixar, enviar e subir pacotes de informação. Pacotes mesmo, além de cartas, cartões postais e outros tipos de encomendas. Mais precisamente, esse era o procedimento em oito estações postais interligadas por um metrô em miniatura. (mais…)

Os navios anfíbios de Elblag

Slip ramp Elblag-Ostroda Canal.jpg

Passeio de barco ou de trem? Em qualquer lugar do mundo, é uma escolha mutuamente excludente. Mas não é assim no Elblag Canal, situado no norte da Polônia. Com pouco mais de 80km de extensão, o Canal de Elblag liga o Lago Druzno (ao norte) ao Lago Jeziorak, passando pelas cidades de Ilawa, Ostróda e Elblag. Apesar da extensão, o canal é descontínuo. (mais…)

Mais um marciano à vista

Enquanto jipe-robô-laboratório Curiosity continua subindo ladeiras e perfurando rochas do Planeta Vermelho e o veterano Opportunity se aproxima da maratônica marca de 41km rodados em Marte, o próximo marciano está nascendo na Terra. Nesta semana, a Lockheed Martin começou a fase de montagem da sonda InSight Mars [algo como “Marte Leia mais…

Um cone de coníferas

Há uma montanha de árvores coníferas plantadas de maneira padronizada numa montanha artificial cônica perto de Ylöjärvi, na Finlândia. Seriam aliens? Claro que não, são finlandeses. Foram 11 mil pessoas de diversos países que plantaram 11 mil árvores dispostas num padrão matemático baseado na proporção áurea. Mas o que levaria Leia mais…