Hai-kais periódicos

Conhecido pelo tamanho diminuto e a temática elementar, esse tipo de poesia japonesa parece perfeito para descrever os elementos químicos Resumir tudo em apenas três versos de poucas sílabas. Esse é o desafio enfrentado por quem cria um hai-kai, (ou haicai ou mesmo haiku) poema tipicamente japonês. Do silêncio das Leia mais…

Halobenzenopoesia

Reações de amido de potássio Com halobenzenos em amônia Via intermediários de benzeno ocorrem. Bergstrom e colaboradores reportam, Baseados em competições entre dois componentes, Que bromobenzeno é o mais rápido a reagir, De perto seguido pelo iodobenzeno, Com o cloro-composto bem atrás E fluorobenzeno sendo bastante inerte No ponto de Leia mais…

Muito agradecido

Em 1935, e.e. cummings não era levado a sério pelos editores enquanto tentava publicar seus 70 Poems. Assim, o poeta das letras minúsculas teve que pedir um empréstimo de 300 dólares à própria mãe para conseguir publicar sua coletânea de poemas. Porém, no último momento, cummings encontrou a vingança perfeita Leia mais…

Em uma palavra [168]

tautograma (tau.to.gra.ma) s.m. Lit. composição poética em que todas as palavras começam com a mesma letra. tautogramático, adj. [do grego tautó = mesmo + grama = letra] Ainda que sutil, há diferença entre um tautograma e uma aliteração. Esta é um fenômeno fonético enquanto aquele é essencialmente gráfico e/ou visual. Leia mais…

Poesia Cthulhu

http://scienceblogs.com.br/hypercubic/files/2013/07/Cthulhu_Rising_by_somniturne.jpg

Cthulhu Rising by somniturne (via mobground.net)

Para quem não sabe, os contos de horror cósmico de H. P. Lovecraft (1890-1937) retratam um mundo muito além da compreensão humana. Situado na tríplice fronteira do horror com a fantasia e a ficção científica, seu universo é governado por deuses com aparências capazes de perturbar qualquer mente sã. O primeiro destes contos foi “The Call of Cthulhu”, escrito em 1926 e publicado na Weird Tales de fevereiro de 1928. A Wikisource tem o texto na íntegra (em inglês, of course). O Chamado de Cthulhu é uma tradução para o português disponibilizada pelo Site Lovecraft [pdf em zip].

Mas e se, em vez de contos, Lovecraft tivesse contado a história de Cthulhu em versos? Em 2011, o americano David Jalajel fez de Lovecraft um poeta. Ou quase isso. No poema experimental Cthulhu on Lesbos [Cthulhu em Lesbos], Jalajel pega frases de The Call of Cthulhu e as arranja em cantos safados sáficos com pouca ou mesmo nenhuma consideração pela sintaxe convencional. Eis os primeiros versos, acompanhados de nossa tradução: (mais…)

“Tribos das Asas Escamosas”

Esse é o título de um longo poema escrito pelo entomologista britânico Edward Newman em 1857. A inspiração, evidentemente, é entomológica. Apresentamos uma versão em português (com hiperligações para os nomes citados, quando encontrados): Vamos dar uma volta, minha Laura, Descendo pela Alameda Rural até o lago arbustivo, Onde teu Leia mais…

>Soneto ao Nada

>Poema de Richard Porson, publicado na edição de 4 de março de 1814 do Morning Chronicle: Misterioso Nada! Como hei-de mostrarVosso infome, infundado, ilocável vazio?Nem forma, nem cor, nem som, nem tamanho traz.Nem palavras ou dedos podem expressar vosso vozerio. Mas embora não possamos vos comparar a algures,Um milhar de Leia mais…

>Literatura Médica

> Quando o médico escocês John Armstrong (1709-1779) disse aos amigos que tinha planos de escrever um livro sobre A Arte de Preservar a Saúde todos devem ter achado uma boa ideia. O que ninguém esperava é que ele o escrevesse em versos brancos (a divisão dos versos foi mantida Leia mais…

>A última canção

> Enquanto está sendo desativado (ou morto) em 2001: Uma Odisseia no Espaço, o computador HAL começa a cantar “Daisy Bell”. É uma cena clássica: Hal 9000 sings Daisy por _Mycroft_ A letra da música é singela: Daisy, Daisy, give me your answer do,I’m half crazy, all for the love Leia mais…