Sem dinheiro, sem lei

Ser xerife no faroeste nem sempre era sinônimo de grana e poder. Aliás, quanto menos dólares no bolso, mais limitado era o raio de ação de um xerife. Esse foi, por exemplo, o caso do xerife George Tyng, de Yuma County, no então Território do Arizona. O caso é tão enrolado quanto a descrição feita […]

As “escravisauras” das minas britânicas

Muito se fala de que a industrialização inglesa fez-se sem qualquer consideração pelas duríssimas condições de trabalho que criou para seus operários. Isso não é inteiramente correto. Em 1842, uma comissão parlamentar de inquérito (ou seja, uma CPI) debruçou-se sobre as condições de trabalhos das moças e rapazes empregados em minas de carvão. Algo semelhante […]

Perde-se a vida, mas não se perde a elegância

Na quinta-feira [passada, dia 25 de agosto] à tarde, um grande grupo de amigos, que estava a divertir-se em um convescote na pitoresca vizinhança de Boscastle, Devonshire, estava prestes a retornar para casa, quando o chapéu de Mr. Denis, um procurador que estava auxiliando duas ladies a subir na carruagem, foi levado pelo vento. Ao […]

Amikejo, o quase-país do Esperanto

Quando se fala em (ou melhor, sobre) Esperanto, há sempre a objeção de que não é uma língua natural, que não tem uma cultura própria ou falantes nativos. Pois bem, o Esperanto quase foi a língua oficial de um pequeno país europeu. Tudo começou muito antes do Dr. Zammenhoff. Ironicamente, a culpa é de Napoleão. […]

Patentes Patéticas (nº. 65)

No finzinho do século XIX, as bicicletas estavam em alta e Samuel G. Goss, de Chicago, achou que só faltava ter música para os passeios se tornarem mais agradáveis. Como ainda não havia rádio nem gramofones portáteis — muito menos mp3-players —, a única solução que Goss encontrou foi tranformar as próprias bikes em instrumentos […]

« Página anterior
Skip to content