Texto escrito por Gildo Girotto Junior e Cyntia Almeida

A simples ingestão de um ou outro alimento poderia nos tornar imune ao coronavírus? Apesar de estranha,  tenho presenciado situações e recebido mensagens diversas sobre o pH dos alimentos e sobre diversos produtos que as pessoas tem utilizado em substituição ao álcool em gel.

A primeira delas ocorreu logo após o governo de São Paulo decretar a quarentena oficial (anúncio feito dia 20/03 com quarentena a partir de 24/03). Confesso que precisei ir ao mercado para comprar insumos básicos e notei que, além da falta do álcool gel, o limão também era um item ausente nas gôndolas. Ao questionar um dos funcionários sobre o sumiço do limão, ele me informou que as pessoas estavam comprando pois acreditavam que o suco de limão preveniria a COVID-19.

A segunda situação ocorreu mais recentemente, quando recebi uma mensagem relatando que a ingestão de alguns alimentos poderia proteger nosso organismo devido ao pH do alimento versus pH do vírus. A mensagem afirmava que o pH do limão era 9,9 e o do abacate 15,6, enquanto que o pH do vírus variava entre 5,5 e 8,5. No entanto, alguns estudos mostram que o pH desses dois frutos são respectivamente 2,17 (em uma média de três tipos distintos de limões)1 e 6,59 (na média de duas espécies de abacates)2;

Bom, vamos buscar na Química o que é, qual a escala e como varia o pH para entender quais as explicações adequadas (se é que existem).

O que significa o tal do pH?

A medida de pH é um parâmetro que indica o quanto um sistema é ácido ou básico, algo que é uma das características das soluções químicas naturais ou sintéticas. Você provavelmente já ouviu falar que o limão ou laranja são frutas ácidas. Do mesmo modo, se olhar o rótulo de uma garrafa de água mineral, poderá notar a indicação do pH deste produto. 

Mas a acidez não é igual em todos os casos. Existem soluções mais ácidas e menos ácidas e essa intensidade é medida por uma escala denominada “escala de pH”, que comumente é nos apresentada variando entre 0 (pH relacionado a uma solução mais ácida) a 14 (pH relacionado a uma solução mais básica – ou menos ácido), sendo o valor 7 um pH de uma substância / solução neutra.

Assim, quanto mais distante da neutralidade (pH 7) maiores problemas as substâncias poderiam causar se consumidas. Ressalta-se no entanto, que consumimos alimentos ácidos (como algumas frutas cítricas) e alimentos com pH básicos (o leite, por exemplo). No entanto, substâncias extremamente ácidas ou básicas podem apresentar caráter corrosivo. 

Quimicamente falando, o termo pH significa potencial hidrogeniônico e se representa a capacidade de liberação da espécie química H+ (íon hidrogênio ou próton, de modo simplificado) ou liberação de H3O+ (íon hidrônio) . Essa definição é a utilizada para o desenvolvimento de sistemas que permitem determinar os valores da escala mencionada. Mas de fato, o que nos interessa no momento é entender por que o pH está sendo associado ao combate do corona vírus.

O pH e nosso organismo?

No nosso caso, podemos citar o sangue, uma mistura de várias substâncias que circula por quase todas as partes do nosso corpo. Para que as transformações bioquímicas do nosso organismo aconteçam de modo adequado, o pH desse sistema deve estar com valores adequados. 

No  caso do nosso sangue, o pH varia entre 7,34 e 7,44 unidades, sendo a média aceitável de 7,43. Ressalta-se que dependendo do local em nosso organismo, esses valores podem ser distintos. Nosso organismo se esforça para manter esse valor, e qualquer alteração desencadeia diferentes respostas, com diferentes transformações para corrigir tal alteração. 

Sim, nosso organismo possui mecanismos para manter o equilíbrio interno existente, de modo que dificilmente conseguimos alterar esse valor. E mais, caso isso ocorra, provavelmente teremos sérios problemas, podendo mesmo levar a morte

Por exemplo, valores de pH sanguíneo muito baixos, podem gerar o problema denominado acidose (ou acidulose) o qual está associado a sobrecarga respiratória, vasoconstrição renal, entre outros. Enquanto valores de pH elevados estão associados a alcalose, associada a hipocalcemia, ou seja, taxa de cálcio no sangue baixa, hipopotassemia, quantidade menor de potássio do que a recomendada, entre outros.

Pois bem, o que as mensagens têm recomendado?

Cabe então comentar a respeito de duas informações / recomendações contidas nessas mensagens.

Será que  ao passarmos substâncias ácidas na mão (como o limão que estava em falta no mercado) estaríamos nos protegendo contra o vírus? Neste caso, o limão seria um produto anti séptico?

Se por um lado, para que o vírus sobreviva são necessárias condições adequadas, incluindo o pH, por outro lado: 

– não se sabe quais valores de pH (ou níveis de acidez) são suportados pelo coronavírus;

– não existem quaisquer estudos que avaliaram a eficiência de frutas cítricas em contato com a pele no combate ao vírus;

– não existem produtos a base de limão testados para esta finalidade nem em termos de anti-sepsia, nem em relação possíveis problemas dermatológicos.

Para além de tudo isso, ao passar limão na pele você corre riscos de desenvolver queimaduras (alguns podem conhecer como queimaduras de limão), uma vez que a pele em contato com substâncias presentes no limão (e em alguns outros alimentos) em presença da luz solar gera o problema conhecido como fitodermatite. Portanto, ao passar limão na pele, você não só não terá certeza de que está protegido como poderá ficar com a pele queimada e manchada.

A segunda mensagem propagada é a de que ao ingerirmos substâncias ácidas ou básicas, nosso corpo teria seu pH alterado e o vírus então não sobreviveria. Nesse caso, não há muita lógica.

Qualquer alimento ingerido é metabolizado e passa por diversas transformações até seus nutrientes serem levados aos locais específicos. FELIZMENTE, o equilíbrio presente em nosso organismo faz com que o pH das diferentes partes do corpo se mantenha dentro da faixa adequada. Então, por mais  que você consuma grande quantidade de limão, seu sangue não ficará mais ácido. Na pior das hipóteses você terá uma boa azia causada pelo excesso momentâneo da sua acidez estomacal.

Portanto, essa receita caseira não funciona. Se você deseja se proteger, as recomendações continuam as mesmas. Lavar as mãos com água e sabão e/ou utilizar álcool gel e manter-se, nesse momento, em distanciamento social.

Não há soluções mágicas. Os estudos para o desenvolvimento de vacinas e o teste de medicamentos estão sendo feitos e cabe compreendermos que estes envolvem etapas necessárias para que se garanta a qualidade e segurança dos produtos que serão administrados.

Para saber mais

1BRIGHENTI, Deodoro. et al. Inversão da sacarose utilizando ácido cítrico e suco de limão para preparo de dieta energética de apis mellifera Linnaeus, 1758. Ciência e Agrotecnologia. Lavras. v. 35. n. 2. p. 297-304. 2011.

2BORGES, C.D. et al. Características físicas e químicas de abacates das variedades Margarida e Breda. XXV Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos. Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Gramado. 2016.
3FURONI, R. et al. Distúrbios do equilíbrio ácido-base. Revista da Faculdade de Ciências Médicas. Sorocaba. v.12. n.1. p. 5-12. 2010. 

Os autores

Gildo Girotto Junior é Licenciado em Química (UNESP), Doutor em Ensino de Química (USP) e atualmente é professor do Instituto de Química da Unicamp.

Cyntia Almeida é aluna da licenciatura em Química (Unicamp).


logo_

Os argumentos expressos nos posts deste especial são dos pesquisadores, produzidos a partir de seus campos de pesquisa científica e atuação profissional e foi revisado por pares da mesma área técnica-científica da Unicamp.
Não, necessariamente, representam a visão da Unicamp. Essas opiniões não substituem conselhos médicos.


editorial


44 comentários

Andreia Freitas · 10 de abril de 2020 às 13:25

Vale a vitamina C que tem no limão para ajudar na imunidade?

Marcelo G. Destro · 14 de abril de 2020 às 23:18

Belos esclarecimentos passados acima. Claro e objetivo, não deixando nenhuma dúvida para que o ler. Parabéns e muito obrigado.

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:13

    Obrigado Marcelo. Que bom que fomos esclarecedores.
    Obrigado.

      José Rubens Batistella · 4 de agosto de 2020 às 11:57

      Mas o limão ingerido com água, 1/2hora antes do almoço, é depois de 15 minutos entra na corrente sanguínea, tornando-se alcalino.

Paulo · 15 de abril de 2020 às 10:21

Obrigado pelos esclarecimentos, infelizmente há muita notícia falsa circulando pelas redes sociais.

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:15

    Realmente Paulo. Mas vamos juntos buscando as informações adequadas.

      R. Ferraz · 20 de maio de 2020 às 04:18

      Me causou estranhesa a cotação no anúncio dos dados do pH de frutas como o limão e a laranja. Pois sempre soube que são frutas ácidas. Por isso fui pesquisar e encontrei essa excelente explicação que acabei de ler. E bom é que fiquei esclarecido de que nenhum dos produtos citados tem pH básico.

      Silvana Carvalho · 29 de maio de 2020 às 14:58

      Como esse assunto do PH veio à tona, resolvi pesquisar … E me deparei com essa matéria … Obrigada … Importante esclarecer e com propriedade !!! Minha dúvida, que sou leiga (somente algumas lembranças das aulas de Química) … Quer dizer que nada muda o PH sanguíneo ou de outro sistema do corpo ? Nenhum tipo de alimento ?

        SELMA MACEDO · 3 de agosto de 2020 às 10:23

        Silvana,
        Por que frutas cítricas ou ácidas são chamadas de alimentos alcalinos?
        1. Por exemplo, o limão contém o ácido cítrico que, no  organismo humano, sofre reação química, e torna-se um alcalinizante – neutraliza a acidez interna – estabilizando o meio em pH alcalino.
        2. E os diversos sais do limão se convertem em carbonatos e bicarbonatos de cálcio, potássio, sódio… que aumentam a alcalinidade do sangue.
        – Por isso que o limão mostra efeitos positivos contra todos os tipos de gripe. Ainda! O covid-19 não se prolifera em meio ALCALINO… É ISSO!!!!

Osvaldo · 15 de abril de 2020 às 10:44

Muito bom o esclarecimento, divulgar cultura correta e bem fundamentada é algo bastante salutar a ser feito … parabéns pela matéria !!!

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:18

    Obrigado Osvaldo!

Maria Irene Ramalho Mozer CPA · 15 de abril de 2020 às 12:10

Qual frutas tem ph indicando para ajudar na imunidade e se essas frutas ou legumes faz algo bom sobre o covid19, por favor me responda Marcelo. Li a matéria acima e adorei saber.

    Carla de Castro Mendes · 16 de abril de 2020 às 14:04

    Eu também gostaria de saber Maria Irene

    Olá Maria Irene, tudo bem? · 16 de abril de 2020 às 23:21

    Olá Maria Irene, tudo bem?
    Não há nenhuma fruta que combata o corona vírus.
    Claro que devemos nos alimentar bem para mantermos nosso corpo saudável e isso inclui a ingestão de nutrientes contidos nas frutas. Obrigado

Domingos José de Sousa monteiro · 15 de abril de 2020 às 17:08

Foi esclarecido que era necessário fortalecer nosso sistema emunologico para combater o vírus covid19. E que alguns alimentos contribuíam para isso , tais como limão, corvina, própolis, gengibre etc. E que o limão também fortalecia p organismo com vitamina c. Por outro lado vi. Vídeo de um médico que esclarecia como a hidroxicloroquina aliada a azitromicina combatia o vírus. Esclareceu que o vírus entra na célula e aloja nós ribossomos onde tem um ph de 6 e multiplicava. Estes medicamentos alterava o pH dos ribosomos pouca coisa, mas suficiente para acabar com o vírus.

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:50

    Olá Domingos, tudo bem?
    Obrigado pelas informações. Realmente, se alimentar bem pode auxiliar na manutenção do sistema imunológico. Procuramos mostrar que isso não tem relação com o pH e que isso independe da acidez do alimento uma vez que tal acidez não pode alterar o pH de nosso organismo.
    Quanto a cloroquina o processo é mais complexo pois o medicamento atua pontualmente no organismo.
    Obrigado por sua colaboração.

    Adailton · 21 de maio de 2020 às 01:31

    Olá!
    Tenho visto inumeras notícias sem fundamentos, Inclusive de colegas profissionais da saúde, recebi a referida mensagem por um deles e logo tentei esclarecer a questão do pH… Meu objetivo nao é expor colegas ou julgar opnião de ninguem, no entanto, precisamos ter muito cuidado com o que copartilhamos. Azitromicina é um antibiotico e quando usado de forma errada pode criar resistencia bacteriana ( formar as famosas super bactérias) e com isso agravar ou fazer surgir outros problemas de saúde. É importante frisar que antibióticos não são eficazes no tratamento de doenças virais. (O uso dele em pacientes com Covid se dar para inibir infecçao conjunta e isso em momento especifico da doença).
    Em relacão a informaçao, emitida pelo médico do referido vídeo, que informa que o vírus se aloja no ribossomos, tambem imagino ser dificil, os virus nao adentram a celula, apenas depositam o material genetico nelas e os ribossomos, por sua vez que atuam na sintese de proteinas, iniciam a producao do maquinario viral… vale lembrar que uma vez inativando ribossomos todas as proteinas beneficas tambem deixariam de ser produzidas prejudicando outras funcoes orgânicas!
    Muito cuidado! Automedicação pode significar suicidio! Só use se recomendada por um medico ou profissional que possua capacitaçao legal para prescrever!

    Parabéns pelo texto, muito explicativo e com uma linguagem de facil compreensao!

      Adailton · 21 de maio de 2020 às 01:35

      Me refiro no comentario anterior, ao exposto no comentario de Domingos José de Sousa monteiro.

Leila Farias Lima de Guevara · 15 de abril de 2020 às 20:22

Muito obrigada pelos seus esclarecimento
Excelente!

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:43

    Obrigado Leila.

Tânia Lopez · 16 de abril de 2020 às 13:06

Uso uma receita de família com o limão há mais de 20 anos, aliás, todos da minha família usam.
Sabemos que o limão com glicose retira as células mortas da pele, e isto é inegável! Eu penso
que deveriam descer do Olimpo e pesquisar mais sobre o limão, porque partindo do princípio que
comprovadamente ele retira as células mortas da pele, colaborando para isso com a renovação
celular, é óbvio que a defesa da pele se fortalece contra a entrada de organismos estranhos, pode
parecer algo pequeno, mas não podemos desprezar, afinal a guerra é feita de batalhas.

    Gildo · 16 de abril de 2020 às 23:42

    Oi Tânia, tudo bom?
    Acho que existem outros problemas envolvidos.
    A notícia que circulou falava de ingerir os alimentos e que isso poderia mudar o pH interno do corpo, algo diferente de passar na pele.
    Outro ponto é que a notícia também falava que o suco do limão era básico e não ácido. Na verdade, mostrava varios dados errados da acidez das frutas.
    Mas compreendemos seu ponto. Pelo fato do suco do limão ter caráter ácido, existe a possibilidade dele eliminar resíduos da nossa pele. Entretanto, não há nada em relação ao novo corona vírus, afinal este vírus surgiu recentemente e por isso os órgãos oficiais não recomendam o uso de substâncias não testadas.
    Buscamos também alertar que em contato com o sol, a pele com suco de limão pode causar queimaduras.
    Mas agradecemos seu posicionamento e suas informações.

      Fersamiarh · 23 de maio de 2020 às 00:10

      O limão é considerado uma fruta cítrica,porém em contato com os sucos gástricos se torna um alimento dito alcalinizante, o que confere os seus benefícios conhecidos.Vale lembrar que nossa alimentação não tem o poder de mudar o PH sanguineo, porém alimentos alcalinizantes que não somente o limão colaboram para o organismo gaste menos energia em manter o PH equilibrado e desempenhar com mais eficiência as funções da manutenção celular bem como a de defesa(sistema imunológico). Pensando em covid-19 que não se sabe muito além de ser altamente transmissível e sua virulência depender do estado inflamatório basal do acometido, podemos dizer que ter uma defesa eficiente é muito interessante nesse caso.
      Acredito que muitas informações são distorcidas, mais não podemos negar a relevância do benefício do limão no auxilio ao combate do sarscov2.

Nelcira wenceslau · 17 de abril de 2020 às 07:31

Bem como todos estamos ansiosos para saber o que combate este vírus claro , obrigada pela explicação sobre o ph .
Tomo limão sempre em jejum algumas vezes com mel para eu me proteger contra um resfriado mas e coisa de família mesmo ,mas estou preocupada sim e muito com está pandemia no mundo ,queremos saber o que podemos tomar para nós defender deste covid- 19 se souber nos avisa por favor.

Adriano martins · 21 de abril de 2020 às 08:56

parabéns pela matéria. qual o ph di vurus da covid 19 coronavirus pfv

GESSE BARRETO DOS REIS · 23 de abril de 2020 às 13:01

Parabéns professor Gildo bastante esclarecedor, muito obrigado pelas orientações

Agostinho · 27 de abril de 2020 às 12:49

Ótimo artigo, adorei!

    Gilmar Rosa · 28 de abril de 2020 às 13:07

    Informações muito importantes, tenho recebido várias mensagens em grupos de Whatsapp indicando ingerir muitos alimentos ácidos para prevenção do Covid-19, e matérias como esta que trazem informações com embasamento são muito importantes.
    Parabéns.

Fabio Andrade · 30 de abril de 2020 às 13:01

Super relevante seu conteúdo, escrito de forma clara e fácil de compreender para combatermos FAKE NEWS, parabéns pela publicação que ate o Google esta posicionando melhor quando procuramos as palavras acides, limão e Covid

Matheus Sato · 3 de maio de 2020 às 10:44

Acredito que seria importante associar essa questão do pH com a atuação da cloroquina. O mecanismo de atuação da cloroquina é alterando o pH do endossomo formado entre o vírus e a célula. A cloroquina através de seus grupos aminas teria o potencial de aumentar o pH evitando a efetividade da formação do endossomo, e por essa razão seria efetiva no combate do vírus. A fake news dos alimentos parece distorcer essa ideia.
Gostaria de deixar claro que não acredito no uso da cloroquina sem estudos, estou apenas trazendo uma suposta justificativa para a fake news, acredito ser importante compreendermos as estruturações das fake news para combatê-las.
Parabéns pelo trabalho.

    Alan Nicolas · 27 de maio de 2020 às 12:01

    Segue o comentário do Adailton, lá ele explica que esse vídeo da cloroquina é bem falho.

    “Tenho visto inumeras notícias sem fundamentos, Inclusive de colegas profissionais da saúde, recebi a referida mensagem por um deles e logo tentei esclarecer a questão do pH… Meu objetivo nao é expor colegas ou julgar opnião de ninguem, no entanto, precisamos ter muito cuidado com o que copartilhamos. Azitromicina é um antibiotico e quando usado de forma errada pode criar resistencia bacteriana ( formar as famosas super bactérias) e com isso agravar ou fazer surgir outros problemas de saúde. É importante frisar que antibióticos não são eficazes no tratamento de doenças virais. (O uso dele em pacientes com Covid se dar para inibir infecçao conjunta e isso em momento especifico da doença).
    Em relacão a informaçao, emitida pelo médico do referido vídeo, que informa que o vírus se aloja no ribossomos, tambem imagino ser dificil, os virus nao adentram a celula, apenas depositam o material genetico nelas e os ribossomos, por sua vez que atuam na sintese de proteinas, iniciam a producao do maquinario viral… vale lembrar que uma vez inativando ribossomos todas as proteinas beneficas tambem deixariam de ser produzidas prejudicando outras funcoes orgânicas!
    Muito cuidado! Automedicação pode significar suicidio! Só use se recomendada por um medico ou profissional que possua capacitaçao legal para prescrever!”

      Silvana Carvalho · 29 de maio de 2020 às 14:57

      Como esse assunto do PH veio à tona, resolvi pesquisar … E me deparei com essa matéria … Obrigada … Importante esclarecer e com propriedade !!! Minha dúvida, que sou leiga (somente algumas lembranças das aulas de Química) … Quer dizer que nada muda o PH sanguíneo ou de outro sistema do corpo ? Nenhum tipo de alimento ?

Antonio Tunouti · 21 de maio de 2020 às 08:03

Eu, sendo farmacêutico químico aposentado, gosto muito de ler artigos dos nutricionistas. E, com base nos conhecimentos que adquiri a respeito dessa fruta quero defender os consumidores de limão, dizendo que, se ainda não existe estudo comprovando a eficácia, na vida cotidiana, existem várias evidências positivas do benefícios dessa fruta. E, eu acredito muito no limão, porque o limão, ao contrário do que diz o articulista, segundo os nutricionistas, embora ácido, não participa do organismo com efeito acidificante e sim como alcalinizante. Uma vez que, no estômago, o ácido cítrico contido no limão combina com o sódio formando o citrato de sódio, excelente composto químico para alcalinizar as células do organismo. E o vírus, de modo geral, não gosta de atacar o núcleo das células, onde o pH não seja neutro. Não porque o virus sofra efeito direto do nível do ph, mas sim porque pH ácido ou alcalino altera os trabalhos das enzimas citoplasmática, não permitindo que o vírus faça a conversão do DNA dos cromossomos para RNA, conforma o projeto de qualquer vírus. Motivo porque o limão tem mostrado efeitos positivos em todos os tipos de gripe
..

Marlene De Paula · 18 de junho de 2020 às 22:45

Excelente artigo ainda bem que existe a internet para pesquisar, estava com dúvidas sobre o PH do limão . Valeu..

    Gildo · 3 de julho de 2020 às 23:55

    Obrigado Marlene!

de Oliveira Moreira, Alex · 8 de julho de 2020 às 09:44

Olá Sr. Gildo Girotto Junior !
Parabéns pelos esclarecimentos!
Nossa Sociedade será um local melhor; com as contribuições de pessoas como você, comprometidas com a investigação e os esclarecimentos no combate a desinformação.

SELMA MACEDO · 3 de agosto de 2020 às 10:12

Por que frutas cítricas ou ácidas são chamadas de alimentos alcalinos?
Por exemplo, o limão contém o ácido cítrico que, no  organismo humano, sofre reação química, e torna-se um alcalinizante – neutraliza a acidez interna – estabilizando o meio em pH alcalino.
E os diversos sais do limão se convertem em carbonatos e bicarbonatos de cálcio, potássio, sódio… que aumentam a alcalinidade do sangue.
Por isso que o limão mostra efeitos positivos contra todos os tipos de gripe. Ainda! O covid-19 não se prolifera em meio ALCALINO… É ISSO!!!!

Jose Maria Francisco · 23 de agosto de 2020 às 08:10

Já que ninguém conhece o comportamento do civid-19 em nosso organismo, e nem sabe como êle reage às drogas existentes, não devemos abrir mão do consumo das frutas ácidas em momento algum. Tenho 67 anos e desde criança alimento limâo laranja, abacaxi, etc, e graças a Deus, em toda minha existência não tive mais de meia dúzia de febre, . Então que continuemos ingerindo essas frutas. Conforme o ditado: para morrermos, basta estarmos vivos. Ninguém é recolhido por Deus sem ter chegado a hora.

Bernardo F. Cruz Neto · 5 de setembro de 2020 às 12:33

O Gildo como químico, e doutor, não deveria se basear apenas nas Literaturas existentes e muitas vezes absoleta para não falar bobagem.!.!.! Deveria Pesquisar, aprofundar, testar, e a partir daí, conhecer do assunto BENEFÍCIOS DA ALCALINIDADE CORPORAL, pra depois emitir opinião…

Vejam meus Vídeos/aula sobre esse assunto, e vejam também no Google Acadêmico o meu Artigo Cientifico publicado na Revista Científica ETC da Federal, o qual foi indicado para Projeto de Lei na ALBa.
Endereço Eletrônico:

“Benefícios da água com pH alcalino. Saúde ou doença, você decide”

Já tratamos e curamos milhares de pessoas com gastrite, esofagite, úlcera, refluxo, etc, com o uso disciplinado da água alcalina e (ou) água alcalina Represada.

Já temos um estudo em andamento na Federal, sobre o bloqueio e desintegração do novo Coronavírus, a partir do ambiente alcalino, já testado com pleno êxito com 15 voluntária (de fé pública) infectados…

Meu Instagram profissional é: dr.bernardocruz

No Instagram tem Vídeos/aula, onde explico tudo da área de Saúde Pública e Saúde Coletiva…

Dr. Bernardo F. da Cruz Neto
Professor Titular do Instituto Federal da Bahia

Gildo · 8 de setembro de 2020 às 09:23

Prezado Bernardo,
Obrigado pelo seu comentário.
Em primeiro lugar, o texto que escrevemos não trata da discussão sobre água alcalina. Mas como o senhor entrou no mérito podemos discutir esse assunto também.
Primeiramente, quanto a nosso texto, os erros da notícia são bastante claros. Informações erradas sobre valores de pH, indicações de que determinadas frutas podem combater a COVID-19 e conselhos médicos são fornecidos de forma inadequada e irresponsável. Ainda, o entendimento de que o limão, nem qualquer outro alimento possa alterar o pH sanguíneo não é uma questão de interpretação. Se compreendesse o básico de química, e dos equilíbrios ácido base que regulam nosso organismo saberia disso. A regulação do pH passa por inúmeros fatores que vão desde nossa respiração até o funcionamento regular ou irregular das diferentes partes de nosso corpo. Não se trata de literatura obsoleta mas sim de teorias que fundamentam a ciência quimica.

Em relação a literatura, o senhor me diz para não considerar as literaturas obsoletas como fonte de informação mas pede para ler um de seus artigos. Me parece contraditório. A impressão que fica é que apenas as suas publicações devem ser consideradas e que as outras todas estão erradas. De todo modo, fui até o seu trabalho para leitura.
Primeiramente, gostaria de destacar que, infelizmente, o senhor comete alguns erros básicos de química. Por exemplo na frase “Uma água com pH mais alto, alcalina (7,5) possui mais moléculas de oxigênio do que de hidrogênio.” o senhor demonstra desconhecer o mínimo sobre acidez e basicidade, as quais são reguladas pela concentração de íons hidrogênio e íons hidroxila e não por moléculas de hidrogênio ou de oxigênio e, ao longo do texto justifica o caráter básico pelo excesso de oxigênio e ainda justifica que o câncer se desenvolve em meio ácido porque nesse meio há ausência de oxigênio. Senhor Bernardo, esse é um erro um tanto quanto crasso da química básica. Recomendo livros de química geral para verificar, obviamente se o senhor não os considerar literatura obsoleta.
Por fim, talvez tenhamos algum ponto de concordância. Caso o corpo mantenha o pH ideal, este fato auxiliará na atuação contra microorganismos prejudiciais. No entanto, não há evidências de que esse pH deva ser alcalino e, portanto, não há evidências que tomar água alcalina traria benefícios, visto que nem ao menos se tem evidência de água alcalina tem a capacidade de alterar o pH sanguíneo. Não estamos injetando água na veia.
Acredito, como você, na experimentação e testagem e o cumprimento por estar a desenvolver experimentos que busquem comprovar sua hipótese. Deixo minha torcida para que possam chegar a conclusões interessantes e que ajudem a prevenção de doenças. Também estamos a estudar e pesquisar por aqui. No entanto, enquanto os testes forem com quantidades pequenas de pessoas (15 por exemplo), enquanto os testes não seguirem protocolos de pesquisa adequados, fica difícil concordar com hipóteses que vão contra aquilo que já sabemos.
Fico aberto ao debate,

Minha irmã pegou covid 19 e convivemos na mesma casa, eu não peguei a doença, costumo consumir chá de limão com alho ( 12 de ph ) tomo ele morno a noite essa receita é antiga e previne muitas doenças · 10 de setembro de 2020 às 05:40

Uma médica e professora de medicina
chinesa falou em palestras sobre o poder do alho e do limão contra o covid e ela foi presa por isso, então acredito que deve haver um fundo de verdade nisso.

ALOÍSIA LAURA MORETTO · 28 de junho de 2020 às 23:10

Oi prof Gildo, td bem! Trabalhando com o tema do pH nas aulas de química para o EM, os alunos me trouxeram esse recorte da reportagem para a discussão em sala… foi muito rica e muito legal, pois eles mesmos chegaram a conclusão de que algo estava errado, associando os valores de pH citados na repsortagem, Fake News!!… Um grupo usou as suas explicações e orientações ´para compartilhar com a turma… virtualmente…e foi bem legal!

Gildo · 3 de julho de 2020 às 23:54

Oi Aloísia,
Ficamos muito feliz de receber um feedback como esse.
É sempre bom saber que de algum modo estamos colaborando com a educação.
Muito obrigado e estamos a disposição.

#Verificamos: É falso que alimentos com ‘pH mais alcalino’ ajudam no combate à Covid-19 | Agência Lupa · 16 de abril de 2020 às 18:45

[…] químico e professor da Unicamp Gildo Girotto explica, em texto publicado no site da instituição, que não existe um pesquisa que mostra quais valores […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *