I. DIÁRIO

Respirando na janela

o ar da tarde.

Algum vizinho escutando

música da Elza Soares.

Chega-me, intermitente,

uma ou outra frase,

latido,

resmungo,

grito.

Pego a caneta

e rascunho versos

no pequeno papel

termossensível.

 

II. PATRULHAMENTO (A)

Ao sujeito que caminhava,

gritaram do 5º andar:

–VAI PRA CASA!

–Sinto. Não tenho lar.

 

III. PATRULHAMENTO (B)

Casemira fica o tempo todo

nos monitores,

anotando

a entrada e saída

dos moradores:

–Um absurdo! Só hoje,

já saiu três vezes

a menina do Doze!

 

IV. CONSTATAÇÃO

Na vida, tudo passa;

na vida, tudo muda.

Ontem, na rua,

tomando sol e chuva;

hoje, em casa,

de máscara e luva!

 

V. PACOTE

–Caramba, Feitosa!

Isso lá é hora pra

desilusão amorosa!

–Você sabe, Virgílio,

o mal, quando vem,

não vem sozinho…

 

JM (“o recolhimento, a insanidade, a bisbilhotice, o lamento e a fossa ociosa da razAo”)


logo_

Os argumentos expressos nos posts deste especial são dos pesquisadores, produzidos a partir de seus campos de pesquisa científica e atuação profissional e foi revisado por pares da mesma área técnica-científica da Unicamp.
Não, necessariamente, representam a visão da Unicamp. Essas opiniões não substituem conselhos médicos.


editorial


João Mauro Araújo

Jornalista, poeta, boas palavras em épocas imprecisas...