À luz do atual surto de um novo coronavírus (COVID-19), o Blog Quimikinha gostaria de compartilhar um breve histórico sobre a família coronavírus e sua estrutura macroscópica (parte I), destacando uma importante proteína que está envolvida no processo de infecção viral (parte II). Por último, vamos falar sobre pesquisa e desenvolvimento de agentes terapêuticos e vacinas para COVID-19 e doenças relacionadas ao coronavírus humano (parte III). Esta postagem tem como objetivo fornecer uma breve visão geral das importantes contribuições da química no desenvolvimento de fármacos para o tratamento do COVID-2019. Como sabemos, a química tem um papel fundamental a desempenhar na compreensão de tudo, desde a estrutura viral à patogênese, isolamento de vacinas e terapias, bem como no desenvolvimento de materiais e técnicas utilizadas por pesquisadores, virologistas e médicos. (1)

Família coronavírus

O coronavírus (CoV) é uma grande família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a doenças mais graves. Em 11 de fevereiro de 2020, a Organização Mundial de Saúde nomeou a doença viral que se espalhou pelo mundo de novo coronavírus 2019 (COVID-19). (2) Isso porque já existiram outras espécies da mesma família viral que infectaram humanos. Por exemplo, Em 2003, estava em circulação a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV). Atualmente, ainda temos em circulação a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV). No entanto, esse último vírus não se espalhou pelo mundo tal como o que causa a doença COVID-19 (SARS-CoV-2). Para saber um pouco mais sobre temas relacionados à biologia molecular e curiosidade do coronavírus recomendo o conteúdo divulgado pela bióloga Rafaela da Rosa Ribeiro que trabalha com o COVID-2019 na Itália.

Estrutura básica do coronavírus

Na sua superfície, o vírus contém importantes proteínas tal como é mostrado no Video produzido pelo grupo Biosolution.  Estas macromoléculas se encontram incorporadas na bicapa lipídica da superfície do vírus. Dentre as macromoléculas, se destaca a proteína spike pelo sua forma de coroa que dá o nome ao vírus e, sobretudo, pelo seu papel fundamental na infecção viral. O material genético do vírus encontra-se no interior do nucleocapsídeo, um invólucro de natureza proteica.

No vídeo, encontra-se uma visão tridimensional do coronavírus destacando sua constituição. Além disso, ele contém uma imagem do microscópio eletrônico de transmissão que mostra o SARS-CoV-2, o vírus que causa o COVID-19, isolado de um paciente infectado.

Na próxima postagem, vamos falar um pouco mais sobre como a estrutura da proteína spike do coronavírus tem papel fundamental no processo de contaminação celular.

Informem-se, cuidem-se e até logo!

Prevenir é sempre o melhor remédio!

Referências biliográficas

 1.     Chemistry in Coronavirus Research: A Free to Read Collection from the American Chemical Society. Available from: https://pubs.acs.org/page/vi/chemistry_coronavirus_research#

2.           Liu W, Zhu H-L, Duan Y. Effective Chemicals against Novel Coronavirus (COVID-19) in China. Curr Top Med Chem. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/32133962

3.           Structural view of coronavirus cell entry and neutralisation  Available from: http://www.esrf.eu/UsersAndScience/Publications/Highlights/2012/sb/sb7  

Os argumentos expressos nos posts deste especial são dos pesquisadores, produzidos a partir de seus campos de pesquisa científica e atuação profissional e foi revisado por pares da mesma área técnica-científica da Unicamp. Não, necessariamente, representam a visão da Unicamp. Essas opiniões não substituem conselhos médicos.

Skip to content