O que andei vendo no Netflix em abril

Abril foi um mês em que o mestrado começou a me exigir bastante atenção mas mesmo assim consegui arranjar tempo para assistir documentários sobre calçados, os filhos da talidomida, a poluição oceânica, animais fofos, o encontro entre dois grandes cientistas e saga de cinco famosos cineastas na II Guerra Mundial. (mais…)

Um rascunho de videogame de Sagan

Speace Invaders V.1 by Lexis-Barant

Um dos telejogos mais antigos que existem é o Space Invaders. Lançado em 1978 nos arcades japoneses e dois anos depois no Atari 2600, seus gráficos de 8-bit mostram apenas uma nuvem de icônicos alienígenas quadriculados que devem ser abatidos com pixels de laser. Jogo de saudosa memória para muita gente e inspirado em Guerra dos Mundos e Star Wars, Space Invaders não parece ter agradado ao autor de Cosmos.

Ao contrário de muita gente na época, que demonizava os jogos eletrônicos, Carl Sagan reconheceu o potencial dos games para educar enquanto entretém. No entanto, Sagan não tinha muito idéia de como começar a projetar um jogo. Suas exigências de um jogo “astronomicamente correto” estavam além das possibilidades técnicas da época.

No rascunho datilografado em duas páginas que traduzimos a seguir — arquivado como “confidencial” entre as “viagens de ideia” do astrônomo-comunicador —, Sagan imagina o que seria um jogo ideal para ensinar astronomia “num contexto tão excitante quanto o de videogames mais violentos” e no qual o objetivo seria revirar a galáxia em busca de um contato: (mais…)

Descoberta a bola quadrada

borosfereno

B-40, a nanobola (quadrada) de boro. [Imagem: Wang Lab/Brown University]

Ou melhor: a nanobola quadrada. Melhor ainda: a nanobora quadrada. Trocadilhos à parte (ou não, porque esse texto vai ter um monte), há uma nova bola no campo da nanotecnologia. O time que a encontrou é formado por pesquisadores da China e dos Estados Unidos. A equipe foi a primeira a apresentar evidências experimentais de que átomos de boro podem se juntar numa cadeia tridimensional fechada — similar às chamadas buckyballs, moléculas de carbono em forma de bola de futebol. (mais…)

Patentes Patéticas (nº. 145)

Ah, os anos 1980. A idade das trevas para os nerds, que sofriam bullying de todo mundo, dos oftalmologistas (que indicavam óculos fundo de garrafa) a Hollywood, e seus filmes com mais bullying ainda (e raramente uma vingança como exceção), passando por ortodontistas e seus aparelhos ostensivamente horríveis, carinhosamente chamados de “freios de cavalo” ou “freios de burro”. Mas nenhum vilão foi tão sádico com os nerds quanto o inventor do Reminder and Enforcer Apparatus [Aparato de Advertência e Execução], cuja utilidade é (mais…)

Em uma palavra [192]

plaquê (pla.quê) s.m. 1. lâmina de metal mais ou menos delgada e geralmente de aparência dourada, com a qual se revestem certos objetos ou ornamentos de metal ordinário; metal ordinário usado na fabricação de objetos de adorno, imitando objetos de ouro; ouropel, ouro falso, bijuteria. 2. gír. no Brasil, o Leia mais…