O que não me mata me faz mais forte? II – O que a gente não vê…

O Luis Brudna acabou de postar no blogue “Humor na Ciência” a charge abaixo, que foi publicada na PLoS Biology em 2007. [MacCallum CJ (2007) Does Medicine without Evolution Make Sense? PLoS Biol 5(4): e112]. Além de ser uma charge de microbiologia, ela tem tudo a ver com o post anterior: “O que não me mata me faz mais forte? – Resistência, seleção e mutação em bactérias“.

Traduzindo…

-Pssst! Ei rapaz! Quer ser uma Superbactéria…? Coloca um desses no seu genoma… nem mesmo a penicilina vai ser capaz de te ferir!

Foi em um atalho pela cozinha do hospital que Albert foi pela primeira vez abordado por um membro da Resistência aos Antibióticos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content