Livros que ajudam a pensar a pandemia da COVID-19…

Oi! Nos últimos dias consegui ler alguns livros de divulgação científica e vou indicá-los abaixo. Todos eles tratam de temas que estão sendo muito falados ultimamente e, portanto, podem nos ajudar a pensar sobre a pandemia da COVID-19! Eles possuem diferentes abordagens (focadas por exemplo, mais na biologia, na historiografia, ou na filosofia e em relatos pessoais), para falar sobre temas como: pandemias, vírus, imunidade, vacinação, doenças, economia, ecologia, evolução… Temos livros para todos os gostos! Vem comigo!

Ah! Este não é um post patrocinado. Clique nos nomes dos livros para serem direcionados ao site da Amazon!

O primeiro livro é o recém lançado "Ciência no cotidiano“, de Natalia Pasternak e Carlos Orsi (Contexto). Natália é microbiologista e Carlos Orsi é jornalista com experiência em jornalismo científico. Am0bos fazem parte do Instituo Questão de Ciência! Nesse livro, a dupla mostra a aplicação do conhecimento científico em diversos contextos das nossas vidas: energia, transgênicos, higiene, astronomia, estatística… Tudo isso numa leitura interessante, curiosa e muito fluida. O capítulo 3 (sobre vacinas) é de utilidade pública! Leia a introdução do livro, clicando AQUI.

Darwin sem frescura + Como os Vírus e as Pandemias Evoluem” (ebook – capítulo extra e gratuito), de Pirula e Reinaldo José Lopes (Harper Collins). Pirula é biólogo, tem experiência na área de zoologia e evolução e divulga ciência em seu canal no YouTube. Enquanto isso, Reinaldo é jornalista experiente e respeitado quando o assunto é ciência, evolução, evolução humana, história e autor de vários livros. Ao se unirem o resultado foi um livro sobre evolução que aborda temas complexos, tabus e com exemplos muito curiosos. Nesses últimos dias, liberaram um capítulo extra e gratuito sobre evolução dos vírus e das pandemias, que é muito bom!

 “Corpo – um guia para usuários, de Bill Bryson (Cia. das Letras). Bryson é famoso por um de seus livros anteriores que tinha o objetivo de contar a “Breve História de Quase Tudo” (Cia. das Letras) – que também recomendo. E agora ele procura fazer o mesmo, mas falando curiosidade sobre o nosso corpo. Bill começa falando sobre a pele, o sistema nervoso, o coração e a circulação, o equilíbrio, como ações simples envolvem arranjos complexos, nosso intestino e digestão, o sono, sistema urinário e reprodutor, a concepção e o parto… O capítulo 20 (“Quando as coisas dão errado: doenças”) está espetacular e é muito importante para ajudar a entender como e porque doenças se espalham e podem virar uma pandemia!

Imunidade”, de Eula Biss (Todavia). A autora é uma jornalista que durante sua primeira gravidez foi em busca de respostas que assolam mães e pais… Essa empreitada resultou neste livro, escrito de uma maneira muito didática! Em seu relato, Biss fala sobre dúvidas que, na verdade são de todos nós e não apenas de quem vai receber um novo membro na família! Vacinas, micro-organismos, álcool em gel! O debate sobre vacinação tem um destaque grande no livro – e a autora comenta sobre o histórico caso do estudo fraudulento que relacionou vacinação e autismo, e sore o movimento antivax que, preocupantemente, tem ganhado palco no mundo todo. Fica a recomendação!

Na batalha contra o coronavírus, faltam líderes à humanidade” (ebook gratuito), de Yuval Noah Harari (Cia. Das Letras ). Best seller mundial com os livros “Sapiens” e “Homo Deus”, o historiador israelense Yuval Harari analisa aqui a situação global da pandemia da COVID-19 e defende a importância da cooperação entre povos para o enfrentamento de situações como essa pandemia, mesmo em tempos de isolamento. Esse ebook, que é a tradução do artigo publicado originalmente na revista Time, é um texto curtinho, gratuito – dá pra ler de uma sentada.

O amanhã não está à venda” (ebook gratuito), de Ailton Krenak (Cia das Letras). Um dos principais líderes do movimento indígena brasileiro, Ailton Krenak, faz um relato emotivo sobre sua percepção da relação do ser humano com a natureza em meio à pandemia da COVID-19. “Tem muita gente que suspendeu projetos e atividades. As pessoas acham que basta mudar o calendário. Quem está apenas adiando compromisso, como se tudo fosse voltar ao normal, está vivendo no passado […]. Temos de parar de ser convencidos. Não sabemos se estaremos vivos amanhã. Temos de parar de vender o amanhã.” 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*