Sobre Água: o audiovisual ativista em uma das maiores favelas de palafitas do Brasil

Cerca de 7 mil pessoas vivem sobre as águas poluídas do estuário, invisíveis e às margens da sociedade santista / Foto: Ed Chaves

O documentário Sobre Água, 20  minutos, produzido pela Zumbi Filmes com iniciativa e realização do FunBEA – Fundo Brasileiro de Educação Ambiental  e apoio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, faz um mergulho no dia a dia dos moradores da comunidade Caminho da União, onde atualmente cerca de 7 mil pessoas vivem sobre as águas poluídas do estuário, invisíveis e às margens da sociedade santista.  O local faz parte de um conglomerado de favelas, formando um dos maiores complexos de palafitas do Brasil.  Na margem destas comunidades,  se concentra o maior porto da América Latina.

O filme  aborda com poesia a realidade e a dificuldade das pessoas, que vivem sem nenhum tratamento de esgoto e com grande racionamento de água potável.  Esse problema, que não é nenhuma novidade no Brasil, se agrava diariamente, e hoje só na Baixada Santista se contabiliza mais de 300 mil moradores vivendo em áreas irregulares, sem infraestrutura básica.

A ideia do filme, desenvolvido especialmente para fortalecer processos educadores ambientalistas na região, é também ser uma ferramenta  ativista, provocando o espectador para a ação.  A Zumbi Filmes em parceria com o FunBEA recebeu o desafio de olhar para a questão do saneamento na Baixada Santista. “É impossível ignorar as comunidades que se formaram sobre as águas do estuário e as condições em que as pessoas vivem no local. Isso precisa ser visto com prioridade e seriedade”, explica Grace Luzzi, produtora do documentário.

A proposta do documentário não é apenas uma denúncia audiovisual sobre a situação na região. Mas também uma tentativa de dar passos para que se promova um  verdadeiro diálogo da sociedade com as questões socioambientais que perpassam todo o estuário da Baixada Santista.

“Há cerca de 10, 20 anos atrás, a gente tinha 100 moradores com água regularizada, com essa demanda de invasão perdeu-se o controle em relação a isso” explica Marco Antônio de Vasconcelos Ferraz, morador e líder comunitário do Caminho da União

Para a Webinar que acontece no próximo dia 5 de abril com exibição gratuita pelo Youtube e Facebook do FunBEA, abrindo o Seminário Conexões FunBEA, o filme vai ser o ponto mobilizador para o  financiamento coletivo Ativismo e saneamento básico – enfrentando as desigualdades na comunidade Caminho da União/Santos SP.

Thaís Brianezi, conselheira do FunBEA , jornalista e membro fundadora da Escola de Ativismo, lembra que o registro audiovisual é uma ferramenta importante de mobilização e luta por visibilidade. “O FunBEA agora quer seguir nessa construção junto com a comunidade, cumprindo seu papel de buscar financiamento para pautas e trabalhos socioambientais, desta vez por uma campanha de arrecadação online”, completa ela.

Financiamento Coletivo

O financiamento coletivo tem o objetivo de apoiar o Instituto EcoFaxina , uma das ongs que atua no local há mais de 10 anos, a adquirir uma bicicleta coletora de resíduos, para auxiliar na proposta do projeto Ecobarrreiras que será desenvolvido no local com a participação da comunidade,  além de apoiar a formação de jovens em ativismo e mobilização para sustentabilidade com um curso na Escola de Ativismo, um coletivo independente constituído em 2012 com a missão de fortalecer grupos ativistas por meio de processos de aprendizagem em estratégias e técnicas de ações não-violentas e criativas, campanhas, comunicação, mobilização, e segurança da informação, voltadas para a defesa da democracia, dos direitos humanos e da sustentabilidade.

#ficaemcasa

A webinar acontece na próxima segunda feira, dia 5 a partir das 19 horas pelo canal do Youtube do FunBEA . A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo endereço eletrônico https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSetkuAbyxvaYISlcroyUy6zCI4_xpYRgcb8Ho6pSiVnXi4xyw/viewform

 

Por Ana Patrícia Arantes

Mais informações: comunicacao@funbea.org.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*