Resultados do Ato P√ļblico contra a nova distribui√ß√£o dos royalties do petr√≥leo.

Dias atr√°s comentei a realiza√ß√£o de um Ato P√ļblico encabe√ßado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ci√™ncia (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ci√™ncias (ABC) contra o projeto de lei que prev√™ a redistribui√ß√£o dos royalties do petr√≥leo.

As críticas à Proposta de Lei Substitutiva 448 extrapolam a cobertura da mídia sobre o entrave entre os Estados e Municípios produtores e não produtores, baseando-se no fato de a nova proposta extinguir itens que tratam da destinação de percentagens específicas para Ciência, Tecnologia & Inovação previstos na legislação vigente.

Sal√£o Nobre lotado para o in√≠cio das discuss√Ķes. Ato P√ļblico realizado em S√£o Paulo no dia 7 de Novembro de 2011. (Imagem: arquivo pessoal)

O evento terminou com a decis√£o das entidades organizarem um movimento para solicitar aos deputados da C√Ęmara Federal mudan√ßas no PLS 448 que destinem por lei percentuais para as √°reas supracitadas. Um resumo do Ato foi publicado pela SBPC em “J√° a partir de 2012, os fundos setoriais perder√£o quase metade do valor atual“.

O ScienceBlogs Brasil manifestou seu apoio √† quest√£o pela publica√ß√£o do artigo “Royalties do Petr√≥leo: Educa√ß√£o, Ci√™ncia, Tecnologia & Inova√ß√£o e o PLS 448” no blog Raio-X. O texto¬†cont√©m explica√ß√Ķes sobre o tema e foi elaborado para que todos tenham mais conhecimento sobre o assunto.

Acessem!

Royalties do Petróleo: Educação, Ciência, Tecnologia & Inovação e o PLS 448

 

√Ēnibus espacial: Embalagem retorn√°vel para o espa√ßo valeu a pena?

nasa espaço

Assim termina o programa de √īnibus espaciais da NASA, o Projeto Constelation.
A Atlantis voar√° e fim. A pergunta √©: valeu a pena? Muita gente critica o gasto deste programa, afinal levar e trazer um √īnibus √© muito caro. Exatamente 100 bilh√Ķes de d√≥lares. E eu mesmo sempre tive essa d√ļvida, se vale a pena esse gasto. Para a ci√™ncia foi importante, claro, afinal temos o Hubble e suas fotos e descobertas, al√©m das aplica√ß√Ķes tecnol√≥gicas desenvolvidas para viagem espacial e aplicadas hoje em nosso dia-a-dia (Clique aqui para ver uma anima√ß√£o bem legal mostrando tecnologia espacial que j√° usamos no banheiro ou na cozinha).

Mas não teríamos avançado mais por menos dólares se tivessem investido em foguetes sem volta e viagens não tripuladas? Eu acho que sim.

Talvez o que tenha acontecido √© que chegaram dois projetos na mesa dos caras, um dos √īnibus espaciais retorn√°veis e outro dos foguetes descart√°veis (t√°tica russa) e na hora de decidir quiseram inovar, mas escolheram a que acabou sendo mais cara, fazer o qu√™? Acontece. Importante √© saber a hora de parar.

Segue aqui um texto muito bom do José Monserrat Filho, chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da Agência Espacial Brasileira (AEB), e que respondeu várias perguntas que eu tinha sobre isso. LEIA!

A revista brit√Ęnica The Economist, edi√ß√£o de 30 de junho, anuncia "o fim da Era Espacial" (The end of the Space Age). Como subt√≠tulo, a mat√©ria de capa adianta algo para se come√ßar a entender sua proposta: "O espa√ßo interior √© √ļtil. O espa√ßo exterior √© hist√≥ria" (Inner space is useful. Outer space is history). A primeira frase parece correta, a outra, nem tanto. Continue lendo

S√≥ um coment√°rio: sobre a explora√ß√£o para viagens particulares ao espa√ßo ele diz que √© um luxo in√ļtil, mas eu n√£o tiro a raz√£o de quem sonha em fazer isto. Veja este v√≠deo do avi√£o que voa mais alto do mundo e tire suas conclus√Ķes.

E se todo ser humano pudesse passar por essa experiência, o mundo mudaria?

 

B√īnus: Space Tourists – este document√°rio passou na TV Cultura, mostra uma dicotomina interessante entre turistas espaciais milhon√°rios e catadores de lixo espacial russos. MUITO BOM!!!

A ingenuidade de Bill Gates sobre a Biologia

Caro Bill Gates,

Sinto informar que células não são tão rápidas quanto elétrons. Mais que isso: burocracia para mexer com gente e com o ambiente não é tão simples quanto programar um software.

Digo isto em vista da reportagem do New York Times, repassado pela √Čpoca, sobre o balan√ßo dos investimentos em pesquisa em sa√ļde feitos pela funda√ß√£o Gates.

 

“Cerca de 1.600 propostas chegaram, e as 43 principais eram t√£o promissoras que a Funda√ß√£o Bill & Melinda Gates liberaram US$ 450 milh√Ķes em bolsas de cinco anos _ mais de duas vezes a estimativa inicial.
Recentemente, a funda√ß√£o chamou todos os cientistas a Seattle para avaliar os resultados e decidir quem seguir√° recebendo os financiamentos. Numa entrevista, Gates soou de certa forma moderado, dizendo diversas vezes: “N√≥s fomos ing√™nuos”.”

[Leia a história e os projetos selecionados aqui]

 

Mas na verdade n√£o d√° pra saber se ele foi ing√™nuo ou enganado pelo hype alardeado pelos projetos. Afinal o objetivo de escrever um projeto √© justamente convencer a todo custo quem o l√™. O famoso “puxar a sardinha pro seu lado”, coisa que as vezes (muitas vezes) os cientistas fazem exagerando nas expectativas e enviesando as perspectivas. Outra coisa √© que tem v√°rios ganhadores do Nobel participando, e convenhamos que receber um projeto de um cara desses e dizer “n√£o” n√£o deve ser f√°cil.

Fato √© que ele parece n√£o ter gostado do resultado. E muita gente, incluindo um comentarista da reportagem acima, os cientistas e o pr√≥prio Bill Gates acham que o dinheiro investido nessas pesquisas foi algo bem significativo! Quando na verdade o gasto √© irris√≥rio comparando com gastos militares por exemplo. Para entender meu ponto de vista voc√™ precisa ler este texto espetacular do 100 Nexos, onde se l√™ que antes do telesc√≥pio Hubble, o instrumento mais fant√°stico da astronomia por muito tempo, que ajudou a desvendar milhares de mist√©rios do espa√ßo, do tempo passado e do futuro, √© uma aplica√ß√£o tardia de um projeto de sat√©lites-espi√Ķes que somaram 9 em nossa √≥rbita!

Ou seja, enquanto mendigamos por recursos para a astronomia e tamb√©m para outras √°reas como a sa√ļde e o bem-estar humano, uma quantia gigantesca √© gasta sem que n√≥s sequer saibamos onde.

Obrigado Bill Gates, continue assim gastando parte da sua fortuna pelo bem do próximo (e olhem que eu não estou nem questionando o como essa fortuna foi adquirida), mas acho que mesmo este esforço é uma gota num oceano de descaso pela vida humana.

RNAm Expresso – Vol.2

custo c√Ęncer.jpgImagem do dia (acima)- Quanto j√° se gastou com pesquisa sobre o c√Ęncer – Leia aqui um artigo em ingl√™s sobre grana em pesquisa com c√Ęncer – NYTimes