2022 – 2023: Agradecimentos e Convite

PxHere: https://pxhere.com/pt/photo/1485233

Neste artigo gostaríamos de agradecer a todos que nos visitaram, comentaram e criticaram nossos textos. É com a ajuda de nossos leitores que poderemos melhorar nosso trabalho. Lembramos que, apesar do suporte técnico da Universidade Estadual de Campinas e do nosso compromisso com a divulgação científica, nosso esforço é em prol do grande público e, dessa maneira, feito de forma voluntária e sem qualquer ganho pecuniário. Manteremos nossas publicações em 2023, convidando-os a nos acompanhar em mais um ano. Gostaríamos, todavia, de lembrar resumidamente o que fizemos durante o ano de 2022 e apresentar nossa proposta de publicações para 2023, ano em que o “Sobre Economia” completará 5 anos de existência.

Em 2022, o blog “Sobre Economia” apresentou um jeito de olhar a economia e suas relações com outros assuntos. Um jeito que acreditamos ser crítico às condições atuais de produção e distribuição da riqueza em nosso país, em linha com o que apresentamos desde o nosso primeiro artigo, ainda em dezembro de 2018. Nesse sentido, os artigos Uma teia em construção: leituras sobre desenvolvimento econômico, Álvaro Vieira Pinto: Ciência e Superação do Subdesenvolvimento (I) e Álvaro Vieira Pinto: ciência e superação do subdesenvolvimento (II) resgataram autores importantes para entender o surgimento e o desenrolar da ideia de desenvolvimento em nosso país e, através disso, levantar os principais obstáculos a serem superados para que essa ideia se concretize. Dois outros artigos, As equações marxistas de Kalecki e O demônio monetário visita Jerome Powell, seguiram uma visão teórica, apresentando as relações da macroeconomia com a criação e distribuição de renda. Os artigos O Brasil tem a maior carga tributária do mundo? e Neoliberalismo, Indústria e o Governo de Ronald Reagan discutiram questões mais concretas com o intuito de desmistificar duas afirmações comumente repetidas pelas correntes de pensamento neoliberal brasileiras: a de que o Estado brasileiro arrecada impostos demais de todas as camadas sociais; e a de que a recuperação econômica dos Estados Unidos a partir dos anos 1980 foi impulsionada por políticas neoliberais, sobretudo a de ajuste fiscal. Finalmente, o artigo Conhecendo a agricultura familiar brasileira e suas controvérsias e as publicações de “Comida e Economia” contribuíram para questionar o quão verdadeiras são algumas das afirmações sobre os benefícios do agronegócio e da indústria alimentar.

Publicamos um total de 9 artigos próprios e 10 posts curtos de parceiros, sendo 7 de “Comida e Economia” e 3 do “Pílulas de Economia”. Nos artigos, contamos com o trabalho de elaboração dos membros da equipe do blog, sendo um dos textos feito com a colaboração de Nathan Caixeta. Finalizamos esse ano as publicações das “Pílulas de Economia”, de autoria de Patrícia Andrade, uma vez que a autora finalizou o projeto para seguir novos passos. Agradecemos a Patrícia pela colaboração e, ainda em tempo, reforçamos nossos desejos de sucesso em sua caminhada. Iniciamos uma nova parceria, com Valter Palmieri Júnior, publicando os posts curtos de “Comida e Economia”, projeto que o autor vem construindo ao longo dos últimos meses. Somos gratos ao Valter pela parceria conosco.

Neste ano de 2023, pretendemos, acima de tudo, manter o blog vivo e ativo. Neste sentido, estaremos empenhados em realizar a publicação de um artigo a cada mês, iniciando o mês de janeiro com esse texto. Além disso, temos a intenção de manter a parceria com “Comida e Economia” e seu autor, Valter Palmieri Júnior, através da publicação de um post curto todo dia 15 de cada mês. Continuaremos apresentando uma visão crítica ao modo atual de produzir e distribuir riqueza no país e compromissados com a ideia de um desenvolvimento econômico mais autônomo e adequado para o Brasil. Estamos animados em continuar nesta caminhada. Ter nossos leitores conosco neste ano certamente nos trará mais energia e entusiasmo. Visitem nosso blog! Leia nossos artigos! Comente-os! E que nesse ano possamos produzir mais e melhor!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*