Browsed by
Categoria: Ètica

Institutions, Philosophy, Freedom and Society (PART I)

Institutions, Philosophy, Freedom and Society (PART I)

What does it mean to talk about institutions; democratic institutions; philosophy and freedom for a democratic society? In a way, it is about the studying and teaching of philosophy we ourselves are practicing, in relation to bringing and carrying on democracy. I wonder how many ways are there to explore this theme, and how many “democracies” there would appear after all. My proposal is to reflect on the problems of philosophical learning. I mean, it is not easy when a…

Read More Read More

Democracia de gênero (I): é possível um pacto entre mulheres?

Democracia de gênero (I): é possível um pacto entre mulheres?

“A democracia não pode funcionar ao menos que haja 50% de mulheres em todos os postos de poder, em todas as partes…”, Beriräs, 1990. Podemos falar em democracia diante das desigualdades de gênero que se expressam diariamente nos diferentes espaços da sociedade, nos quais milhares de mulheres estão sujeitas à injustiças, práticas de exclusão, confinamento ao espaço doméstico, discriminação, violência de todos os tipos, silenciamento, invisibilidade e hierarquias nos espaços de poder? Os dinâmicos processos de construção democrática permitem identificar…

Read More Read More

O que é interseccionalidade?

O que é interseccionalidade?

As mobilizações para o 8 de março deste ano terão de se fazer diante do seguinte horizonte: pesquisas recentes posicionam o Brasil como o quinto país com maior número de homicídio de mulheres.[i] Há, também, estudos que seguem apontando que, quanto ao nível de renda, às horas de trabalho e à divisão de tarefas domésticas e reprodutivas, as mulheres brasileiras ainda se encontram numa posição altamente desigual e desvantajosa em comparação com os homens.[ii] E quão mais triste e complexo tal…

Read More Read More

Democracia de Gênero (II): compartilhar espaços políticos em nível de igualdade

Democracia de Gênero (II): compartilhar espaços políticos em nível de igualdade

Partimos do pressuposto que a democracia de gênero é uma meta, uma utopia a ser alcançada, transformando as relações sociais de acordo com os princípios democráticos propostos em lei. Para Judith Astelarra (2003), a democracia de gênero passa pela igualdade de oportunidades para homens e mulheres. Pela equiparação das mulheres com os homens nos espaços e atividades consideradas masculinas. Pela correção da ausência de mulheres nos âmbitos dos papéis sociais até então definidos como masculinos. Para a autora, as políticas…

Read More Read More

Sobre fungos, corrupções e clichês

Sobre fungos, corrupções e clichês

Por: Vilmar Debona Em uma crônica de 1 de setembro de 2016, o escritor gaúcho Luis Fernando Veríssimo afirmava: “Dilma recorreu à metáfora de uma frondosa árvore, representando a democracia, para comparar golpe parlamentar e golpe militar. No militar, a árvore é destruída a machadadas. No parlamentar, é atacada por fungos, parasitas e erva de passarinho e também morre, mas lentamente. A metáfora parece simples (só faltando definir, no cenário nacional, quem é fungo, parasita e erva de passarinho)”i. Gostaria…

Read More Read More

Optimismo socrático – ¿pesimismo platónico? Las reflexiones del joven Nietzsche y un posible desdoblamiento (PARTE I)

Optimismo socrático – ¿pesimismo platónico? Las reflexiones del joven Nietzsche y un posible desdoblamiento (PARTE I)

En El Nacimiento de la Tragedia Nietzsche defiende que Sócrates es el padre del optimismo teórico occidental. El mensaje socrático contiene de modo patente y manifiesto, según el genio de Leipzig, dos axiomas básicos del optimismo: (i) que la sabiduría es la virtud y la virtud sabiduría y (ii) que quien realiza el mal – quien “peca”, digamos cristianamente – lo hace por ignorancia. Friedrich Nietzsche (1844-1900) fue filólogo de formación y conocedor de la literatura griega desde la fuente. Entre 1869 y 1879 leccionó en…

Read More Read More

Quando a flor rompe o asfalto: em homenagem a Marielle Franco

Quando a flor rompe o asfalto: em homenagem a Marielle Franco

Para fechar o primeiro momento dedicado aos assuntos de gênero e, em especial, à condição e a luta da mulher contemporânea, dedicaremos o post de encerramento ao trabalho de Marielle Franco. Sendo por enquanto inviável nos debruçar sobre a complexa realidade que levou à brutal execução de Marielle no último 14 de março, isto é: em pleno mês da mulher, o que torna o acontecimento ainda mais insuportável, consistirá por ora a nossa homenagem em resgatar algumas reflexões do seu…

Read More Read More