Browsed by
Autor: ncostarugnitz

Crónicas Millennials (I)

Crónicas Millennials (I)

El computador (en general en conjunción con el celular e, intermitentemente, con la tablet o el kindle) es una especie de exocerebro del sujeto así llamado millennial. Somos millennials los nacidos entre 1980 y el año 2000. Generación Y, también se nos dice. Y conste que si me permito la primera persona, en general tan limitada y limitante fuera del universo poético, es porque la categoría me incluye de lleno. Desde que supe de ella, de hecho, no ha dejado de…

Read More Read More

A CAVERNA DE PLATÃO (II)

A CAVERNA DE PLATÃO (II)

Continuando a reflexão sobre a Alegoria da Caverna de Platão, ou simplesmente “A Caverna”, como a partir de aqui a chamaremos, segue um segundo ensaio dando sequência ao tópico iniciado em Julho deste ano. Trata-se de uma transmutação daquele esboço inaugural, motivo pelo qual o leitor assíduo reencontrará conceitos conhecidos. A Alegoria da Caverna se encontra no sétimo livro da República, de Platão. A República – em grego Πολιτεία, na transliteração latina, Politeía – foi composta no século IV antes de Cristo e é um dos maiores tesouros…

Read More Read More

Entendendo as técnicas de edição genética

Entendendo as técnicas de edição genética

História recente A Revolução Genética tem na história recente uma série de acontecimentos fundamentais. Na segunda metade do Século XX a biologia molecular despontava. A técnica do DNA recombinante deu lugar à produção de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs), transformando a agricultura e pecuária rapidamente. Na década dos 70, surgiu o primeiro animal transgênico; na dos 90, iniciou-se uma força-tarefa para mapear o genoma humano (Projeto Genoma). Em 2003, após um trabalho fantástico, a comunidade científica internacional anunciou que o sequenciamento fora concluído com sucesso. Poucas semanas…

Read More Read More

The compulsory emancipation: The role of Necessity in Plato´s Cave (PART I. Republic VII 514a-515e)

The compulsory emancipation: The role of Necessity in Plato´s Cave (PART I. Republic VII 514a-515e)

Abstract: This paper will focus on the first part of the Allegory of the Cave (Rep. VII 514a-515e). We will suggest that, in the most elementary interpretative level, the interior of the cave can be read together with the simile of the Sun and the Divided Line (Rep. VI 504 et seq.) as a symbol of (i) the ontological structure of reality and (ii) human cognitive condition in relation to that structure. However, we will observe that, even if in…

Read More Read More

Crise Política no Brasil: a corrupção e o “vandalismo de gravata”

Crise Política no Brasil: a corrupção e o “vandalismo de gravata”

O que há para além da indignação? A raiva, seguramente. Ou talvez ela venha antes. Seja como for, eis a questão: qual é a paisagem que vislumbram aqueles que atravessaram o agitado tumulto desses nefastos sentimentos? Sem dúvida é uma paisagem inóspita e desolada, um deserto capaz de dissuadir o peregrino mais empenhado e fazê-lo desviar o caminho, abrir-se pela tangente, lançar-se mato dentro e talvez construir uma cabana na montanha onde, isolado em terapêutico retiro, possa recuperar forças e…

Read More Read More

Optimismo socrático – ¿pesimismo platónico? Las reflexiones del joven Nietzsche y un posible desdoblamiento (PARTE I)

Optimismo socrático – ¿pesimismo platónico? Las reflexiones del joven Nietzsche y un posible desdoblamiento (PARTE I)

En El Nacimiento de la Tragedia Nietzsche defiende que Sócrates es el padre del optimismo teórico occidental. El mensaje socrático contiene de modo patente y manifiesto, según el genio de Leipzig, dos axiomas básicos del optimismo: (i) que la sabiduría es la virtud y la virtud sabiduría y (ii) que quien realiza el mal – quien “peca”, digamos cristianamente – lo hace por ignorancia. Friedrich Nietzsche (1844-1900) fue filólogo de formación y conocedor de la literatura griega desde la fuente. Entre 1869 y 1879 leccionó en…

Read More Read More

Sobre el suicidio (I)

Sobre el suicidio (I)

Em português aqui Porque ese cielo azul que todos vemos, no es cielo, ni es azul. ¡Lástima grande que no sea verdad tanta belleza! B. y L. L. de Argensola   Acompañar la cadena de pensamientos que se desata en la mente del suicida; comprender sus argumentos, sus motivos y asentir atónita a sus razones una a una – he aquí algo que le resulta no solo posible sino inclusive fácil y espontáneo a la inteligencia meditativa. Es que la inteligencia…

Read More Read More

A CAVERNA DE PLATÃO (I)

A CAVERNA DE PLATÃO (I)

A Caverna é a descrição de um inusitado espetáculo de ilusionismo, um teatro de sombras sinistro em cuja volta acontece uma transformação tão ominosa quanto a encenação mesma. Os espectadores são prisioneiros; o subsolo, o claustro no qual cumprem sua pena; a obra representada, nada além de uma miragem. Mas então um prisioneiro abandona a gruta e, de escravo que era, devém liberto. Na superfície, o liberto descobre o mundo iluminado pelo Sol e o próprio Sol, se emancipa finalmente da…

Read More Read More

Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

O livro A Sociedade Aberta e seus Inimigos, do filósofo austríaco Karl Popper, é sem dúvida um dos textos de filosofia política mais influentes do Século XX[i]. De ascendência judaica e naturalizado britânico, Popper publicou por primeira vez em Londres e em inglês The Open Society and its Enemies em uma data sugestiva: 1945. Tendo sobrevivido às Grandes Guerras na condição de intelectual e de exilado, a aguda inteligência de Popper, conhecida fartamente pela reflexão em torno à lógica da ciência, condensou reflexões…

Read More Read More

Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

 A Lei de Biossegurança do Brasil No artigo primeiro da Lei de Biossegurança do Brasil se lê que ela estabelece “normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa, a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o descarte de organismos geneticamente modificados” – âmbitos aos quais depois se adiciona, no artigo segundo, o da “produção industrial”. Essa forma…

Read More Read More