10 mulheres da Microfluídica & Engenharia Química que você deveria conhecer

Semanalmente, eu e você querido leitor nos aventuramos pelo belo mundo da Microfluídica & Engenharia Química através de informações sobre a conexão desses mundos e como eles influenciam os processos industrias e a nossa sociedade. Por trás desse mundo, há uma comunidade dedicada de pesquisadores e cientistas, desenvolvendo os próximos passos da Microfluídica e da Engenharia Química e melhorando as capacidades dessas tecnologias. E em razão da comemoração do Dia Internacional da Mulher nós iremos dar uma olhada em 10 pesquisadoras e cientistas cujas contribuições ajudaram (e continuam a ajudar) o fantástico mundo da Microfluídica & Engenharia Química. 1. Jennifer A. Lewis Jennifer A. Lewis é professora de Engenharia Biologicamente Inspirada na Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas de Harvard. Ela também é membro do corpo docente do Instituto Wyss para engenharia de insumos biológicos em Harvard. Ela recebeu numerosas distinções, incluindo o Prêmio Fellow da Faculdade Presidencial da NSF, o Prêmio Brunauer … Continue lendo

Microdispositivos vestíveis ajudam atletas e melhoram a reabilitação física

Dispositivo de análise de suor microfluídico vestível progrediu do laboratório para uso em numerosas organizações Olá querido leitor. Espero que vocês estejam bem. Eu particularmente gosto muito de pesquisas que vão além do laboratório ou da universidade, principalmente quando envolve o mundo Microfluídica & Engenharia Química. Hoje nós iremos ver como canais microfluídico são utilizados no desenvolvimento de dispositivos vestíveis e que podem contribuir para o monitoramento da nossa saúde. O professor da Universidade Northwestern, John A. Rogers, publicou recentemente, juntamente com outros cientistas, sua pesquisa sobre um dispositivo microfluídico de análise de suor portátil na revista Science Advances (DOI: 10.1126/sciadv.aar3921). Ele agora está colaborando com muitos parceiros, como Gatorade, Seattle Mariners (time de baseball de Seattle) e a Força Aérea dos EUA para desenvolver, testar e levar o dispositivo a uma distribuição mais ampla. O dispositivo foi inicialmente introduzido em 2016 e, como o nome sugere, analisa o suor e … Continue lendo

Microfluídica no ar

Existem vários métodos que podem ser utilizados na fabricação de dispositivos microfluídicos ou microdispositivos. Esses dispositivos são então utilizados para se fazer microfluídica, ou seja, o escoamento de fluidos em canais micrométricos. Isso quer dizer que você precisava de um dispositivo físico ou canais para os fluidos interagirem entre si. Até agora! Isso porque pesquisadores da Universidade de Twente na Holanda desenvolveram um novo método, chamado de microfluídica no ar (IAMF, em inglês), que combina fluxos de líquidos de tamanho micrométrico no meio do ar para preencher um cubo em questão de minutos.  Na prática, os canais microfluídicos são substituídos por jatos líquidos de tamanho micrométrico que são combinados no ar, daí o nome da técnica. Os pesquisadores aplicaram a técnica para a produção rápida de gotículas/gotas, partículas e fibras com composição, forma e tamanho controlados. Eles demonstraram que essas partículas formadas no ar podem ser usadas como “blocos de … Continue lendo

Microfluídica a partir de LEGO

Engenheiros do MIT tornam a microfluídica modular usando os populares LEGO Olá querido leitor! Você costuma ou costumava brincar com blocos LEGO? Eu sinceramente não lembro de ter brincado com eles na minha infância. Atualmente, esses blocos LEGO vão muito além de simples blocos de montar coisas. Por exemplo, o filme Uma Aventura Lego, longa-metragem que dá vida aos personagens da empresa, lançado em 2014 arrecadou US$ 470 milhões, uma quantia que seguramente faria seu criador, o carpinteiro Ole K. Christiansen,  muito feliz. E o que blocos LEGO tem a haver com a Microfluídica? Bom, agora você poderá utilizar esses blocos para fabricar microdispositivos. O grupo do Prof. John Hart do Massachusetts Institute of Technology (MIT) perfuraram minúsculos canais nas paredes de blocos LEGO e os usaram para construir sistemas microfluídicos modulares. Os blocos LEGO são fabricados de forma tão consistente que não importa onde no mundo eles são encontrados, qualquer dois blocos de montar irão … Continue lendo

Corpo humano em chips

Olá querido leitor. Já faz um tempo que nós não conversamos sobre os avanços da Microfluídica & Engenharia Química. Para compensar esse longo tempo, hoje nós iremos ver como microrreatores e impressoras 3D, dois assuntos que nós gostamos bastante, podem reproduzir a resposta do corpo humano aos agentes químicos e biológicos prejudiciais e desenvolver possíveis tratamentos. Uma equipe de cientistas do Instituto Wake Forest para Medicina Regenerativa, e outras nove outras instituições criaram miniaturas 3D de corações, pulmões e fígados humanos para conseguir testes mais realistas de como o corpo humano responde a novos medicamentos. O projeto “body-on-a-chip“, financiado pela Agência de Redução de Ameaças à Defesa, tem como objetivo ajudar a reduzir o custo estimado de 2 bilhões de dólares e a taxa de falência de 90% que as empresas farmacêuticas enfrentam ao desenvolver novos medicamentos. A pesquisa foi divulgada na revista Scientific Reports (DOI: 10.1038/s41598-017-08879-x), publicado pela Nature. Usando a … Continue lendo

Desenvolvimento de Microrreatores – Uma breve introdução

Olá querido leitor! Já faz algum tempo que nós não conversamos sobre os fundamentos da Microfluídica e da Engenharia Química. Eu sei que às vezes pode ser um pouco chato esses textos. Entretanto, entender esses fundamentos é essencial para explorar melhor as ferramentas dessas áreas e assim desenvolver microdispositivos cada vez mais complexos e dessa maneira, em um futuro próximo, construímos unidades industriais inteiras baseadas em microdispositivos. Os reatores químicos são conhecidos como o coração dos processos químicos industriais, podendo ser o responsável pelo fracasso ou o sucesso econômico. Mas o que são reatores químicos? São equipamentos nos quais ocorrem reações químicas e são encontrados em dois tipos básicos: tanques ou tubos. Nesse segundo tipo é que se enquadram os microrreatores. Podemos definir os microrreatores como dispositivos compostos por microcanais interligados, em que pequenas quantidades de reagentes são manipuladas, reagindo por um determinado tempo. Dependendo do tipo de reação, o desenvolvimento de microrreatores … Continue lendo

Microrreator para o estudo da formação do gelo que pega fogo

Olá querido leitor. Na publicação de hoje iremos conhecer o trabalho de pesquisadores do Instituto Politécnico da Universidade de Nova Iorque (EUA) que pode ter importantes implicações para engenharia e ciência climática. Isso porque esses pesquisadores liderados por Ryan Hartman, professor assistente de Engenharia biomolecular e Engenharia Química estão usando um novo meio de estudar como o metano e a água formam hidrato de metano que lhes permite examinar passos discretos no processo de forma mais rápida e eficiente. O composto Hidrato de Metano, também conhecido como gelo que pega fogo, é apontado por alguns como a energia do futuro. Utilizando um microrreator e pequenas mudanças de temperatura, eles conseguiram explorar o processo indeterminado pelo qual o gás metano se torna um hidrato sólido quando exposto à água. A pesquisa foi publicada no jornal Lab on a Chip (DOI: 10.1039/C7LC00645D). Uma quantidade enorme de metano está presa no pergelissolo (camada de solo congelada dos polos) … Continue lendo