Um Novo Tipo de Predador do Período Cretáceo brasileiro

Foi publicado recentemente a ocorrência de Megarraptores em depósitos rochosos do Período Cretáceo no Sudeste do Brasil. Essa descoberta é apenas um exemplo do que ainda temos por descobrir sobre a fauna de dinossauros de nosso país…

Megaraptor namunhuaiquii, espécie argentina. Reconstrução por: Robinson Kunz.

Durante a Era Mesozóica (250 a 65 milhões de anos atrás) um grupo específico de dinossauros se destaca, sobretudo na mídia popular. Eles são conhecidos por serem predadores vorazes e eficientes. Entre eles, estão os famosos T-rex e o Velociraptor. Para os paleontólogos, eles são os Terópodes ou dinos com “pé de besta”.

Pouco se conhece sobre os dinos terópodes que existiram no Brasil durante o final do Período Cretáceo. Até então eram conhecidos somente registros de Abelissaurídeos, Manirraptores,  Deinonychossauros e  Carcharadontossaurídeos, sendo que estes dois últimos, foram inferidos unicamente por meio de dentes.

Apesar de funcionarem como caracteres diagnósticos, principalmente para terópodes de pequeno porte, os dentes não são unidades muito confiáveis… E é por isso que alguns paleontólogos brasileiros não consideram o registro de Carcharodontosaurídeos – um tipo de terópode de grande porte. Alguns Abelissauros apresentam dentição bastante semelhante a desses animais, o que nos leva a acreditar que os dentes atribuídos a Carcharodontossaurídeos sejam na verdade de Abelissauros!

O registro de terópodes do Cretáceo Final brasileiro realmente é escasso e os materiais pouco preservados. Por isso quando surge qualquer novidade, os paleontólogos de norte a sul ficam logo animados!

O achado de um fóssil de uma única vértebra caudal (a direita) encontrada na Formação São José do Rio Preto, Grupo Bauru, no Noroeste de São Paulo foi a mais recente novidade. Em trabalho publicado por Ariel Méndez, Fernando Novas & Fabiano Iori (AQUI), atribui-se o primeiro registro de um novo grupo de terópodes para o Brasil! Apesar de ser uma única vertebrazinha, ela apresenta uma estrutura bem características que indica que o material é muito similar ao de terópodes encontrados no nosso país irmão, a Argentina. Essa característica não é encontrada em nenhum outro grupo de dinos terópodes, a não ser nos megarraptores, como Aerosteon, Megaraptor e Orkoraptor: uma pleurocela. Pleuroquê? Bem, veja na Figura acima, destacada na imagem “C”. Trata-se de uma depressão, nesse caso muito bem marcada, que ajuda a dar leveza a vértebra do animal.

Trata-se de uma ótima notícia, que vem confirmar mais uma vez o que acreditam muitos dos estudiosos do Cretáceo Final brasileiro: nossa fauna ‘dinossauriana’ era muito semelhante a da Argentina e mais diversa do que pensávamos.

Megarraptores até pouco tempo eram considerados um grupo misterioso e somente na última década é que se tem lançado luz sobre alguns dos seus segredos. Acreditava-se inicialmente que eram intimamente relacionados aos raptores (Dromeossaurídeos), porém GIGANTES. Tudo não passou de uma grande confusão. Depois de encontrarem restos mais completos eles se mostraram um grupo totalmente distinto. Hoje acredita-se que sejam animais basais na história dos grandes terópodes, porém que teriam persistido até o final da Era dos Dinossauros.

Sua distribuição, por exemplo, é muito curiosa. Ocorrem na América do Sul, Austrália e Japão até agora. Os únicos registros da América Latina eram da Argentina e é por isso que a descoberta brasileira vem a ampliar os horizontes sobre o conhecimento da distribuição deste grupo. Algo tão simples e tão importante para o entendimento de um grupo inteiro de dinossauros no tempo e no espaço! Esse é mais um exemplo de que não é necessário encontrar um fóssil completo para que seja feita uma grande descoberta. Às vezes ela é pequena o suficiente para caber na palma de sua mão ou dentro do seu bolso!

Bibliografia:

Méndez AH, Novas F & Iori F (2012) First record of Megaraptora (Theropoda, Neovenatoridae) from Brazil. C. R. Palevol 11 (2012) 251–256.

3 comentários em “Um Novo Tipo de Predador do Período Cretáceo brasileiro”

  1. Essa nova espécie deveria se chamar Brasiloraptor titanius
    Brasiloraptor: por ser o primeiro megaraptor descoberto no Brasil
    titanius:por causa do seu tamanho

  2. Oi pessoal
    Estava lendo uns artigos sobre esses animais no Brasil e eu vi que a formação rochosa onde foi encontrado data da epoca do Maastrichtiano.
    Entao esse bixo pode ser o Megaraptor mais “novo” achado ate agora?
    Quem sabe se ele competia com o Pycnonemosaurus…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.