Sobre xixi de Dinossauro Brasileiro na NatGeo

Durante o recente post escrito pelo paleontólogo Brian Switek (The Surprising Science of Dinosaur Pee) no blog Laelaps do canal da National Geographic, um membro do Grupo Colecionadores de Ossos, o Dr. Marcelo Fernandes,  foi mencionado por sua descoberta de xixi de dinossauro.

Os urólitos são raríssimos icnofósseis (i.e fósseis que representam a atividade/comportamento de organismos – nesse caso, a excreção líquida de animais) – que foram pela primeira vez formalmente descritos por Marcelo A. Fernandes para a Bacia do Paraná, Formação Botucatu (Centro-Sul do Brasil).

Durante o fim do Período Jurássico, e o início do Cretáceo (190-160 milhões de anos atrás), São Paulo era semelhante ao Saara. Dinossauros terópodes e ornitópodes que viviam no deserto de dunas da Formação Botucatu deixaram a impressão de seus ‘xixis’ ao longo tempo.

Esses achados são muito importantes para que cientistas compreendam melhor a fisiologia desses animais, suas adaptações ao ambiente árido, a viscosidade/composição do material de sua excreção, entre outros.

Leia mais sobre a descoberta do xixi de dinossauro e implicações científicas no post que escrevemos aqui.

Veja o post de Brian Switek AQUI.

Laje de arenito com preservação de extrusão líquida: Urólito. Foto por Marcelo Adorna Fernandes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.