Especial: Saurópodes!

Muitas das questões sobre dinossauros que nos chegam por e-mail são relativas aos dinossauros popularmente conhecidos como “pescoçudos”. Entre eles, estão incluídos os famosos braquiossauro e o quase lendário brontossauro.

Diplodocus, arte de Phil Wilson. (http://www.artrep1.com)Diplodocus, arte de Phil Wilson. (http://www.artrep1.com)

Cientificamente, os dinossauros chamados de “pescoçudos” são conhecidos como “saurópodes”, e surpreendentemente, são mais proximamente relacionados às Aves do que, por exemplo, os dinossauros “bicos-de-pato” (hadrossauros)!

Os dinossauros saurópodes ficaram especialmente famosos pelo notável tamanho alcançado por algumas espécies, cujas estimativas alcançam até 40 metros de comprimento, como é o caso do argentinossauro. Alguns pesquisadores ousados sugerem a existência de um animal de quase 60 metros, mas até que ponto esse monstro gigantesco seria realidade?

É importante lembrar que nem todos os saurópodes foram titãs colossais, porém o gigantismo sem dúvida moldou a evolução dessas criaturas, com a seleção de adaptações físicas e biológicas surpreendentes. Como afinal funcionavam essas máquinas vivas?

Os saurópodes estão entre algumas das criaturas mais impressionantes que já caminharam sobre o planeta Terra e incluem os maiores herbívoros terrestres que já existiram. Procurando elucidar várias curiosidades e dúvidas sobre esses animais, convidamos o nosso colega Bruno A. Navarro, que em 2015 defendeu seu trabalho de conclusão de curso sobre aspectos da anatomia e ecologia desses animais. Bruno faz parte da equipe de pesquisa do Museu de Zoologia da USP de São Paulo (MZ-USP) e nesse BoneCast procurou elucidar algumas das questões mais comuns sobre os dinossauros saurópodes.

Vocês estão convidados a deixarem perguntas em nosso canal do YouTube, que serão lidas e respondidas pelo Bruno, outros pesquisadores convidados, e nossa equipe, na medida do possível.

Veja o vídeo AQUI:

Captura de Tela 2016-02-04 às 15.13.30

__________________________

–> Este vídeo foi gravado antes do anúncio da descoberta de mais um gigante colossal na Argentina: um titanossauro ainda sem nome, que, de acordo com estimativas ainda não oficialmente publicadas, seria maior que o argentinossauro. Para saber mais sobre essa criatura, assista o documentário “Attenborough and the Giant Dinosaur” (BBC, 2016) (você pode assistir AQUI).

–> Leia mais sobre o misteriodo gigante Amphicoelias aqui: “The fragile legacy of Amphicoelias fragillimus (Dinosauria: Sauropoda; Morrison Formation – Latest Jurassic)” https://peerj.com/preprints/838.pdf