Texto escrito por Paulo Ricardo S. Oliveira*

A chamada “segunda onda” da pandemia de Sars-Cov-2, isto é, a crise econômica do pós-pandemia, tem sido objeto de discussão entre os especialistas. As necessidades de isolamento social impostas pela pandemia certamente tem impactos sobre a economia, e é sabido que os efeitos deletérios na economia podem perdurar para além da dissolução da crise sanitária. Mas em qual proporção a pandemia deve afetar a economia brasileira? Nesta nota, busca-se lançar luz sobre essa questão com bases na avaliação dos dados da atividade econômica no primeiro trimestre e nas projeções para a retração do PIB brasileiro no ano de 2020.

Antes de analisar os dados, é importante reconhecer que a crise da pandemia não cessa a retomada do crescimento da economia brasileira. A crise da pandemia chega ao Brasil num período de estagnação econômica, que pode ser visto como um desdobramento da crise financeira global e da crise política brasileira, com efeitos mais dramáticos a partir de 2014. Em 2015, por exemplo, o PIB brasileiro encolheu -3,15%. Em 2016, houve nova retração de -2,90%. Desde então, temos observado taxas de crescimento inferiores a 1,5%, nível considerado baixo para as economias emergentes. Por fim, no ano passado, a economia brasileira cresceu apenas 1,08%, e é neste contexto de estagnação que a crise da pandemia nos atinge.[1]

Impactos da pandemia no 1º Trimestre/ 2020

De acordo com os dados oficiais, o PIB brasileiro recuou -1,5% no primeiro trimestre de 2020, em relação ao último trimestre de 2019. Sob a ótica da oferta, o PIB industrial recuou -1,4%, serviços -1,6%, enquanto a produção agropecuária apresentou crescimento de 0,6%.  Do lado da demanda, a pandemia afetou significativamente o consumo das famílias, que caiu -2,0% no 1° Trimestre/2020 – maior queda desde 2001. Na contramão, a formação bruta de capital, isto é, a compra das empresas de bens de capital como máquinas e equipamentos, cresceu 3,1%, sobretudo pela baixa base de comparação do 4º Trimestre/2019. Por fim, os gastos do governo cresceram apenas 0,2%, mesmo diante da gravidade da pandemia[2].  

Os índices de atividade, divulgados para os meses entre janeiro e junho/2020, revelam que, apesar de indicadores positivos na comparação mês a mês desde maio/2020, indústria, comércio e serviços acumulam quedas significativas na comparação entre o 1° Trimestre/2020 e o 1° Trimestre/2019, como mostra a Tabela 1.

Tabela 1. Índices de atividade econômica na indústria, serviços e comércio – Junho/2020

 IndústriaComércioServiços
Taxa de variação mensal (ref. Maio/20)8,9%12,6%5,0%
Taxa de variação mensal (ref. Junho/19)-9,0%-0,9%-12,1%
Taxa de variação semestral (ref. 1S/19)-10,9%-7,4%-8,3%
Notas: Comércio – índice de volume de vendas no comércio varejista ampliado | Serviços – índice de volume de serviços | Indústria – índice de produção física industrial.
Fonte: Elaboração própria com bases nas Pesquisa Mensal de Comércio, Pesquisa Mensal de Serviço e Pesquisa Industrial Mensal do IBGE.

De forma contra intuitiva, nota-se que a indústria foi o setor mais afetado na comparação trimestral, acumulando queda de -10,9% no 1° Trimestre/2020. Da mesma forma, a despeito das taxas positivas para comparação mês a mês, o comércio encolheu -7,4% e os serviços -8,3% no 1° Trimestre/2020. A Tabela 2 mostra a queda por categoria econômica industrial.

Tabela 2. Variação da Produção Física Industrial por Categoria Econômica

Var. 1T/2020 1T/2019Var. Mensal Jun/2020 Jun/2019Var. Mensal Jun/2020 Maio/2020
Bens de capital-21,2-22,213,1
Bens intermediários-6,6-5,94,9
Bens de consumo-16,2-11,615,9
      Bens de consumo duráveis-36,8-35,182,2
      Bens de consumo semiduráveis e não duráveis-10,3-5,66,4
Fonte: Produção Industrial Mensal – Produção Física/ IBGE.

           

Nota-se, que o fechamento do semestre, reforça a persistência dos indicadores negativos e revertem os indicadores positivos verificados nas contas nacionais no 1° Trimestre/2020.

Em relação ao emprego, os dados mais recentes apontam que a taxa de desocupação vem crescendo desde maio/2020, quando estava em 10,5%, e atingiu o ponto máximo do período no final de julho/2020, quando chegou a 13,7%. Também na última semana de julho, o país tinha 5,8 milhões de pessoas afastadas do trabalho devido ao distanciamento social, 8,3 milhões de pessoas em trabalho remoto, 18,7 milhões de pessoas trabalhando menos que o habitual e 29,5 milhões de pessoas com rendimentos menor do que o habitual. Mais preocupante, estima-se que, neste momento, 18,5 milhões de pessoas não procuram emprego por conta da pandemia ou por falta de trabalho na sua localidade e 43,0% dos domicílios nacionais recebem auxílio emergencial.

Para se ter uma ideia da dimensão da amplitude do auxílio emergencial, o bolsa família, um dos maiores programas de transferência de renda da história recente brasileira, beneficiou 13,5% dos domicílios brasileiros, em 2019 [3].

Por fim, é possível verificar que os impactos no setor externo da economia brasileira têm sido consideráveis. As exportações caíram -7,7% e as importações -5,21% no 1º Semestre/2020. Apesar das quedas relativamente baixas, o impacto qualitativo da crise sobre a pauta de exportação merece destaque. Como esperado, dada a elasticidade renda das exportações e importações[4], isto é, como a demanda internacional de cada bem responde a movimentos na renda internacional, a queda foi maior para produtos mais complexos e menor para produtos menos complexos. Produtos mais complexos são produzidos em países mais avançados tecnologicamente, demandam mais conhecimentos para serem manufaturados e possuem maior valor agregado. A Tabela 3 mostra a variação das exportações e importações por categoria de complexidade para economia brasileira.

Tabela 3. Variação das Exportações por Categoria de Complexidade – 1° Trimestre/2020

Grau de ComplexidadeExportações (bilhões USD)% do total exportadoVar. % 2019/2020
Baixa28,3427,9%-6,5%
Média-baixa                  45,645,0%7,9%
Média-alta22,622,3%-25,5%
Alta46,34,5%-30,6%
 Fonte: Elaboração própria com base nos dados do Ministério da Economia e do Observatório de Complexidade Econômica.

Nota-se que as quedas mais acentuadas nas exportações se deram nas categorias de produtos mais complexos, isto é, a pandemia alterou a qualidade da pauta exportadora nacional. A reversão deste impacto qualitativo vai depender da recuperação das economias parceiras e do grau de protecionismo que pode ampliar-se no pós-pandemia. A queda nas importações, no entanto, foi mais equilibrada dentre as principais categorias de complexidade, como mostra a Tabela 4.

Tabela 4. Variação nas Importações por Categoria de Complexidade – 1º Trimestre/2020

Grau de ComplexidadeImportações (bilhões USD)% do Total ImportadoVar. % 19/20
Baixa3,84,8%-24,0%
Média-baixa                  21,527,1%-5,6%
Média-alta36,345,7%-2,4%
Alta17,622,2%-5,0%
 Fonte: Elaboração própria com base nos dados do Ministério da Economia e do Observatório de Complexidade   Econômica.

Projeções de Impactos da pandemia em /2020

Infelizmente, as principais projeções para economia brasileira no 2º semestre de 2020 reforçam a continuidade das quedas verificadas até o momento. A projeção mais recente do Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a economia brasileira deve encolher -9,1%, em 2020[5]. A mesma instituição também prevê que a economia global sofrerá retração de -4,9% neste ano.  As projeções do Banco Central do Brasil (BCB), no entanto, são mais otimistas, prevendo uma retração anual de -6,4%, ao mesmo tempo que reconhece que o nível de incerteza continua elevado para os próximos trimestres[6].

Uma das projeções mais robustas sobre os impactos econômicos da pandemia, que utiliza dados da matriz-insumo produto brasileira, foi feito pelo Grupo de Indústria e Competitividade do Instituto de Economia da UFRJ[7]. O estudo prevê três cenários para o comportamento do PIB e os componentes da demanda final, em 2020, como mostra a Tabela 5.

Tabela 5. Projeções de retração do PIB brasileiro – 2020

CenáriosVar. PIBConsumo das FamíliasFormação Bruta de CapitalGasto do GovernoExportações
Otimista-3,1%-1,5%-10,0%2,5%-6,6%
Referência-6,4%-3,8%-20,0%2,5%-15,7%
Pessimista-11,0%-8,3%-30,0%2,5%-20,4%
Fonte: GIC UFRJ

Em síntese, as diferentes fontes convergem em relação às previsões para economia brasileira em 2020. Mesmo as estimativas do governo já se aproximam do cenário de referência, e a estimativa do Fundo Monetário Internacional do cenário mais pessimista estimado pelos pesquisadores do IE/UFRJ. Neste cenário, até o final de 2020, espera-se que as exportações brasileiras caiam -20,4%, a formação bruta de capital fixo -30% e o consumo das familiais -8,3%.  O aumento de 2,5% nos gastos do governo, foram estimados a partir da previsão dos gastos adicionais com a saúde pública.

 Considerações Finais

Em suma, os números e projeções do ano corrente indicam que os impactos da crise sobre a economia brasileira serão consideráveis, piores do que os verificados em virtude dos desdobramentos da crise financeira e política de 2014. Certamente, os impactos não afetarão apenas a economia nacional, mas também as demais economias globais. As economias que não lograram o rápido controle da epidemia e continuam alimentando altos níveis de incerteza sobre a capacidade de controle da crise sanitária tendem a sofrer mais intensamente os impactos da “segunda-onda”.

É preciso ter em mente que essa crise, além do maior impacto sobre PIB brasileiro, tem caráter bastante distinto da crise financeira global de 2008[8]. Por afetar diretamente a capacidade produtiva, a crise da pandemia faz com que as políticas monetárias sejam relativamente ineficazes na retomada da atividade.

É por isso que policymakers do mundo inteiro têm cada vez mais destacado a importância da política fiscal expansionista (gasto do governo) para a retomada econômica no pós-pandemia. As autoridades econômicas nacionais, no entanto, tendem a perceber a pandemia e seus impactos como um fenômeno temporário, e descartar a possibilidade da ampliação dos investimentos públicos. Essa percepção incorreta da gravidade da crise pode comprometer a recuperação econômica e prolongar o cenário de estagnação da economia brasileira. 

Do ponto de vista do choque externo e da política comercial e industrial no pós-crise, é provável que os efeitos da queda na renda global e políticas mais protecionistas de comércio afetem as exportações brasileiras de forma significativa. É válido lembrar que, apesar da predominância do consumo interno sobre o produto nacional, a indústria brasileira é altamente dependente da importação de insumos industriais e pode ser afetada pela quebra de algumas cadeias de fornecimento que serão afetadas por possíveis guinadas protecionistas.

Por outro lado, esse recuo na liberalização comercial pode gerar algum espaço para implementação de políticas industriais e comerciais mais alinhadas com os objetivos de desenvolvimento da indústria nacional. De todo modo, qualquer movimento neste sentido parece improvável diante da atual visão liberalizante das autoridades econômicas nacionais.


Para saber mais

[1] Dados do IBGE, Sistema de Contas Nacionais Anuais. Produto Interno Bruto (PIB) a preços básicos, variação real anual.

[2] Dados do IBGE, Sistema de Contas Nacionais Trimestrais. Dados dessazonalizados, disponíveis em https://sidra.ibge.gov.br/tabela/5932#/n1/all/v/6564/p/201901,201902,201903,201904,202001/c11255/all/d/v6564%201/l/v,p,t+c11255/resultado

[3] PNAD-Covid/IBGE (2020) Dados da PNAD-COVID/IBGE, disponíveis em  https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid/ .

[4] Informalmente, elasticidade renda das importações e exportações refere-se a mudança percentual no volume destes dois fluxos após uma variação na renda.

[5] Dados do World Economic Outlook, Junho/2020 do FMI, disponíveis em https://www.imf.org/en/Publications/WEO/Issues/2020/06/24/WEOUpdateJune2020

[6] Dado do Relatório de Inflação do Banco Central, Junho/2020 disponível em https://www.bcb.gov.br/content/ri/relatorioinflacao/202006/ri202006p.pdf

[7] Dados disponíveis em  https://www.ie.ufrj.br/images/IE/grupos/GIC/GIC_IE_NT_ImpactosMacroSetoriaisdaC19noBrasilvfinal22-05-2020.pdf

[8] Ver análise da Nota do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica, disponível em http://www3.eco.unicamp.br/images/arquivos/nota_cecon_coronacrise_natureza_impactos_e_medidas_de_enfrentamento.pdf

O autor

Paulo Ricardo S. Oliveira é Doutor em Desenvolvimento Econômico (IE-UNICAMP), Professor da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) e Economista do Observatório PUC-Campinas.

Este texto foi publicado originalmente no Blog Sobre Economia

logo_

Os argumentos expressos nos posts deste especial são dos pesquisadores, produzidos a partir de seus campos de pesquisa científica e atuação profissional e foi revisado por pares da mesma área técnica-científica da Unicamp. Não, necessariamente, representam a visão da Unicamp. Essas opiniões não substituem conselhos médicos.


editorial


380 comentários

Glauciene Gomes de Araujo · 03/05/2021 às 14:03

Assim como a primeira onda do COVID-19, a segunda onda não tem sido diferente com relação ao grande impacto causado na economia do país, pois de acordo com as pesquisas a produção de todos os insumos cada vez estão mais escassos, faltando insumos em todas as áreas, ainda que foi diminuído a quantidade de funcionares de grandes produções para que seja cumprido o decreto, que visa manter o distanciamento social, com isso a taxa do desemprego vem aumentando consideravelmente , tendo como consequências , baixos per capital por família, sendo muitas delas entrando em situação de extrema pobreza, tendo os governantes contribuindo com projetos de auxílios emergenciais, e importante ressaltar que tudo isso influencia diretamente na economia do país.

    ANA REGINA GOMES FERREIRA · 05/05/2021 às 21:46

    Vale ressaltar também que enquanto médicos e cientistas correm contra o tempo para entender melhor o vírus e buscar meios para controlar sua disseminação, economistas tentam mensurar o impacto da doença no comércio global. O Brasil sempre é o país que mais sofre em qualquer episódio mundial. Um “país” sem preparo nenhum. O coronavírus também está afetando a produção da indústria brasileira em outros setores, já que boa parte dos insumos , os bens intermediários , para a produção de eletroeletrônicos, veículos, maquinas e equipamentos e para a indústria farmacêutica vêm da China. Assim, a restrição a importações tende, segundo a IFI, a afetar a indústria de transformação nacional, piorando um quadro já deteriorado para o setor.

      Joana D'arc Andrade de Souza Pereira · 07/05/2021 às 11:59

      Contribuindo com a sua fala, reforço que a crise política que o Brasil já vinha enfrentando, antes mesmo da Pandemia, contribuiu significativamente para o agravamento da Economia, que já mostrava sinais de decadência desde 2014, com preocupantes projeções de incertezas financeiras para os próximos semestres. A quantidade de pessoas que necessitaram dos programas de transferência de renda mais que triplicou de 2019 para 2020 e vem crescendo consideravelmente. A falta de participação proativa do governo com políticas públicas que visem à igualdade e à eficiência no combate à Pandemia somada ao insucesso no combate ao desemprego, por meio do incentivo à iniciativa privada para que desenvolva projetos de interesse público nos trouxe resultados avassaladores.

      Ana Carla da Silva · 19/05/2021 às 16:49

      Eu concordo com você quanto ao despreparo do Brasil frente a pandemia, o governo ainda não ofereceu uma posição coerente e mais criteriosa sobre o isolamento social, ao contrario de países, como a Austrália, que fecharam as fronteiras no inicio de março de 2019 e criaram políticas de controle sanitário bem rigorosas que trouxeram um resultado excepcional para a economia, que já se normalizou, junto com a vida do Australiano.

        Manoela Dias Alvim · 31/05/2021 às 12:15

        Também estou de acordo, tendo em vista que o Brasil, mesmo tomando as supostas medidas, enfrenta problemas com a economia e o desemprego, colocaram o auxilio emergencial que segundo eles afetou ainda mais a economia no pais.

          YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 23:00

          Eu acho que a economia do Brasil já não era boa, com a pandemia piorou, pois causou o desemprego, a fome e outras dificuldades.

        João Paulo Magela de Lima · 09/06/2021 às 15:52

        Eu faço de suas palavras as minhas Glauciene, tanto a primeira onda como a segunda onda do covid estão causando estragos em muitas áreas da vida, principalmente no que diz respeito a economia, contudo foi preciso paralisar muitas atividades economias, sem dizer nos fechamentos de grandes empresas ocasionando a falência e com isto demissões de pessoas que necessitavam desse trabalho, a pobreza sem duvidas cresceu consideravelmente, muitos desemprego com isto causando uma serie de fatores que culminou diretamente na economia entrando em uma crise forte a beira de um colapso.

          YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 16:25

          A economia foi muito afetada com esse vírus, gerou bastante desemprego para as pessoas, o vírus vem causando vários impactos em nossas vidas.

        João Paulo Magela de Lima · 09/06/2021 às 16:18

        Suas palavras são relevantes, temos a mesma linha de raciocínio, o Brasil não soube se ajustar adequadamente em relação ao combate desse vírus, na minha opinião seria viável um planejamento que vinhesse inibir a ação da circulação do vírus, o ministro da saude juntamente com sua cupula, deveria montar uma boa estratégia para frear de vez essas açoes negativas, muitos países já conseguiram retornar suas vidas suas rotinas normalmente, pois souberam como conduzir a situação.

      Alana gabrielly juvino Lobato · 13/06/2021 às 21:45

      O pior é que a Econômia já estava estagnada antes mesmo da pandemia chegar aqui, e por falta de uma boa gestão e planejamento, prevemos que a situação pós pandemia não vai ser das melhores, tendo influência tanto na economia nacional, como Global, pois sabemos que o Brasil é um dos país que mais importa produtos de fora.

      Andreza Lopes Nunes d Silva · 13/06/2021 às 23:31

      Sim , concordo . O Brasil é um país completamente despreparado. Deixa a desejar em muitos aspectos , principalmente em relação a pandemia.

    Matheus Henrique Santos de Souza · 05/05/2021 às 22:59

    E com o começo da produção e de compras de milhões de vacinas teremos um grande gasto pela parte do governo.

      Laureny da cunha barbosa · 18/05/2021 às 16:13

      verdade que a compra das vacinas gera um gasto grande, o problema e que o governo demorou muito para compra as vacinas.

      Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 30/05/2021 às 09:43

      A vacina ainda é uma utopia. Não temos noção de um calendário que atenda a população de um modo geral. Nem mesmo os grupos prioritários foram totalmente vacinados.

      YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 16:26

      A economia foi muito afetada com esse vírus, gerou bastante desemprego para as pessoas, o vírus vem causando vários impactos em nossas vidas.

        Elisete lourdes dos santos · 13/06/2021 às 18:01

        Verdade

      Alana gabrielly juvino Lobato · 13/06/2021 às 22:31

      Sim, mas a Economia do Brasil já estava estagnada e só decaindo desde 2014, a pandemia trouxe suas mudanças e piorou, mas não acredito que o governo comprando vacinas vá prejudicar a nossa Economia, a população vacinada pode voltar ao seu ritmo normal no mercado de trabalho, podem surgir mais vagas de emprego, e melhorar a atual situação que vivemos.

    valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 21:58

    concordo com a consideraçao.com o isolamento social,diminuil a mão de obra e consequentemente a produçao de insumos.e é obrigaçao do governo auxiliar a populaçao no momento de crise.principalmente as pessoas de baixa renda.

      Udirlei Domingos Ferreira · 19/05/2021 às 22:56

      A pandemia deixou muitas pessoas desempregadas e, também, muitas empresas fragilizadas economicamente, ou seja, a nossa economia já não estava bem e com a pandemia piorou mais ainda. É importante ressaltar, que o Governo Federal, desde o início da pandemia, vem alertando para o problema do desemprego e da questão econômica do nosso país. o que buscou-se desde o principio foi o enfrentamento da pandemia através do fechamento do comércio e da economia em geral, o que causou um grande impacto na economia. Muitos comércios tiveram de fechar as portas por falta de condições financeiras e, sobretudo, por falta de incentivos por parte do Governo Federal. O auxílio emergencial ajudou um pouco, mas não foi o suficiente para conter a fome no nosso país . Agora, espera-se que com a vacinação, a economia possa voltar a crescer, pois, as pessoas poderão voltar ao trabalho.

        NILDA MADUREIRA SILVA · 04/06/2021 às 21:20

        Realmente o Brasil já estava com a economia bem ruim, com a pandemia as coisas ficarão bem mais complicadas, temos que nos preparar para um impacto muito grande acredito que o país vai levar muitos anos para se recuperar do enorme desemprego que se encontra e que a tendencia será só aumentar, com o fechamento de tantos comércios industrias milhões de brasileiros desempregados realmente a economia do pais ficará cada vez pior, teremos que nos apegar na possibilidade de toda a população brasileira ser vacinada para que em algum tempo tudo isso tenha passado, e que o país volte a se desenvolver e nós brasileiros tenhamos vida normal.

          Yorrana Alves de Sousa Lopes · 13/06/2021 às 16:29

          Sim, a economia do Brasil já não era umas das melhores e com esse vírus então, piorou e foi muito.

          Alana gabrielly juvino Lobato · 13/06/2021 às 22:32

          Sim, mas a Economia do Brasil já estava estagnada e só decaindo desde 2014, a pandemia trouxe suas mudanças e piorou, mas não acredito que o governo comprando vacinas vá prejudicar a nossa Economia, a população vacinada pode voltar ao seu ritmo normal no mercado de trabalho, podem surgir mais vagas de emprego, e melhorar a atual situação que vivemos.

          Andreza Lopes Nunes d Silva · 13/06/2021 às 23:39

          Verdade antes da pandemia o Brasil não estava com a economia tão boa assim. Porem antes da pandemia o Brasil vinha com índice de empregados muito bom. Infelizmente com a chegada desse vírus pelo mundo, e com o despreparo dos nossos governantes , foram gerados muitos desempregos.

        Josenilda Gomes Queiroz Moraes Luna · 06/06/2021 às 08:37

        Realmente a pandemia causou um impacto muito negativo em nossa economia e no mundo. Infelizmente, nosso país não tem o poder econômico e financeiro para manter os Brasileiros em casa ate a pandemia cessar. Alguns países da Europa, adotaram essa postura econômica devido aos seus poderes aquisitivos elevados. A exemplo disto, foi a França que no início da pandemia o governo deixou quase todos franceses em casa e no final do mês seus salários e alugueis foram pagos.

        JOELI FERREIRA · 08/06/2021 às 22:32

        Eu concordo .
        os investimentos ,gera expectativas muito positivas mesmo com as restrições que temos ,com a enorme pobreza, haveria uma reação positiva nos investimentos produtivos.

        Adenivaldo pereira dos santos · 11/06/2021 às 18:13

        Concordo com voce o auxilio ajuda mas nao e o suficiente para a populaçao

      Bruna Pereira Vieira · 24/05/2021 às 21:35

      o presidente ainda ignora a pandemia e já vamos pra 3 onda do covid-19, quantos mais precisa morrer pra ele levar a serio a pandemia……

        Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 12/06/2021 às 19:12

        Concordo que o presidente e governadores foram omissos nesta pandemia, porém não podemos deixar de responsabilizar a população que negou o vírus e pandemia, que também foi motivo de propagação do covid-19

      NILDA MADUREIRA SILVA · 04/06/2021 às 21:33

      Concordo, por isso existe um presidente para cuidar dos problemas do país e de sua população, se o país está passando por uma crise tão séria com tantos brasileiros desempregados e até passando fome, o presidente tem procurar a melhor solução e não deixar que os brasileiros que perderão seus empregos morram de fome .

        Glauciene Ramos Nonato dos Santos · 09/06/2021 às 18:15

        Devido a pandemia causada pelo novo coronavírus nos deparamos com varias situações que influenciaram na vida e economia. Acredito que uma das principais preocupações da população tanto brasileira quanto mundial é a questão do desemprego, onde tivemos um aumento em índice Inesperadamente alto a partir das medidas protetivas tomadas pelo governo, como fechamento de shopping e comércios, ocasionando assim a demissão e contratação de funcionários nesses setores..

          Andreza Lopes Nunes d Silva · 13/06/2021 às 23:46

          Infelizmente o desemprego é uma realidade muito presente em decorrência desse vírus. A falta de despreparo do poder politico , desestruturou toda uma sociedade com o desemprego elevado.

        YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 16:31

        Um grande problema, infezlimente nós temos um presidente que não se preocupa com o seu povo e certamente não se preocupa com a economia.

      Ítalo Leandro · 10/06/2021 às 11:46

      Também estou de acordo, A quantidade de pessoas que necessitaram dos programas de transferência de renda mais que triplicou de 2019 para 2020 e vem crescendo consideravelmente.

    Carlos Roberto de Freitas · 13/05/2021 às 17:45

    A pandemia causou para o Pais um estrago muito grande na economia trazendo desempregos fome e causando uma falta rentabilidade a qual atingem as pessoas, apesar do nosso Governo ter criado o Auxilio emergencial tem ajudada mais ainda não é o suficiente.

      Jessica Valeria Rufino Martins de Lima 202117239 · 17/05/2021 às 15:37

      Concordo com você Carlos a princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção. Com isso o rendimento da população vem decaindo dia após dia e que o salário emergencial não é o suficiente para essa população.

      Laureny da cunha barbosa · 18/05/2021 às 16:20

      concordo que a pandemia causou um estrago grande, mais quem mais sofreu foi a população mais pobre, devido não ter como onde trabalhar.

        Amanda Silva Souza · 07/06/2021 às 20:40

        Com a pandemia dificultou muito

        YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 16:32

        Concordo com você, com isso veio a fome e o desemprego, várias pessoas que trabalhavam só pra ter o que comer perderam os seus empregos.

        Alana gabrielly juvino Lobato · 13/06/2021 às 22:34

        Sim, as taxas de desemprego subiram muito na pandemia, e isso afeta a nossa sociedade economicamente e socialmente também.

      Allef Damasceno Silva · 07/06/2021 às 19:44

      É verdade, nem todos conseguiram o auxilio emergencial, por isso também a fome foi e está sendo um grande problema no nosso país.

        Glauciene Ramos Nonato dos Santos · 09/06/2021 às 18:32

        Concordo. Referente a essa questão do auxilio emergencial é muita relativo pra mim, me deparei com pessoas que realmente tinha uma necessidade em receber esse tipo de beneficio e o pedido acabar sendo negado, já em outros casos vejo a outras pessoas como jovens que são sustentados pelos pais que em momento algum tiveram algum tipo de renda (por não necessitar) recebendo o auxílio e usufruindo com coisas banais ou supérfluas. Acredito que houve uma falha no método utilizado para a eletivo desses pedidos.

          Rosilene Rodrigues de Souza · 12/06/2021 às 13:56

          Concordo. Acredito que a forma de selecionar os beneficiários foi falha. Com isso, muitas pessoas que realmente passam por um momento delicado não conseguem receber essa ajuda.

        Maika Jamille Evangelista Costa · 11/06/2021 às 19:49

        A pandemia De Covid-19, vem causando varias repercussões, não apenas de ordem biomédica em escala geral, mas também repercussões e impactos sociais, econômicos, políticos, culturais, e históricos, . A estimativa de infectados e mortos concorre diretamente com o impacto sobre os sistemas de saúde, com a exposição de populações e grupos vulneráveis, a sustentação econômica do sistema financeiro e da população, a saúde mental das pessoas em tempos de confinamento e temor pelo risco de adoecimento e morte, acesso aos bens essenciais como alimentação, medicamentos, transportes, entre outros.

        Beatriz Nuit Rodrigues de Matos · 13/06/2021 às 16:10

        Sim. A taxa de desemprego está assustadora.

    Matheus Henrique Santos de Souza · 17/05/2021 às 18:01

    Sim e podemos afirmar que não estamos muito longe de uma terceira onda do COVID-19, mesmo com o inicio das vacinações, a quantidade de vacinas oferecidas para a população brasileira ainda não é o suficiente para que possamos ficar despreocupados. E só vamos acabar com esse vírus fazendo todos os métodos de prevenção até toda a população estar vacinada.

    Rosangela Rosa Barbosa da Silva · 18/05/2021 às 01:10

    Infelizmente houve um grande aumento na taxa de desemprego gerando assim um grande impacto na ecônomia. Muitos chefes de familias desempregados e numero de familias entrando para extrema pobreza só aumenta.

      Ana Carla da Silva · 19/05/2021 às 16:54

      Concordo com você, e acho que se no inicio da economia o mercado tivesse fechado com menos flexibilização, sofreríamos por menos tempo, e os impactos econômicos e na saúde pública seriam atenuados.

      Daisy · 22/05/2021 às 21:11

      Exatamente! Infelizmente essas famílias estão passando por condições desumanas, muitas não podendo nem respeitar o distanciamento social, já que precisam encontrar algum meio de prover alimentação para sua família.

      JOELI FERREIRA · 08/06/2021 às 22:45

      Infelizmente as medidas restritivas afetam ,sobretudo,o desempenho do setor de serviços .
      menos gente fica disposta a sair de casa para consumir ,e empresas tem dificuldade de enxergar quando a economia vai poder voltar a operar de forma plena para novos investimentos.

    Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 30/05/2021 às 09:28

    Vale ressaltar que faz mais de 1 ano que o planeta está passando por uma pandemia e, a terceira onda já chegou ao Brasil. Continuamos com um número elevado de mortes e a vacina não chegou para todos, nem ao menos aos grupos prioritários foram totalmente vacinados. A economia só terá uma expectativa de melhora após a vacinação da população.

    Sherida Maria Lima · 31/05/2021 às 20:50

    Concordo, a Pandemia do Covid-19 devastou a economia do país, praticamente em todos os setores, e mesmo com o auxilio emergencial, não foi possível conter esse decréscimo na economia. No Brasil, o número de desempregados aumenta a cada dia, as pequenas empresas também não conseguiram se manter no mercado tão competitivo e muitas pessoas tiveram que se reiventar para não passarem fome.

      Ítalo Leandro · 10/06/2021 às 11:47

      Isso mesmo, o auxilio pode ter ajudado muito mas não supriu a necessidade de todos

        Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 04:17

        E a população ainda sofrera grandes preocupações pelo auxilio recebido, portanto essa conta ainda vai chegar em futuro próximo que está por vim.

    Patricia Ramos Machado · 02/06/2021 às 21:01

    Mesmo com todo o indice da doença que cada dia so aumenta ,alguns cidadaos ainda nao acredita ,frequenta festa ou realizam festa .

      Allef Damasceno Silva · 07/06/2021 às 19:41

      Concordo com você Patricia, para resolver isso o governo deveria ser mais rígido com as regras quanto a festas…

    Bruna Micaelly Gonçalves Torquato De Sousa · 03/06/2021 às 14:23

    seguindo essa sua linha de pensamento, temos agora a terceira onda da COVID-19. a situação atual do Brasil pode piorar ainda mais se não procurar medidas eficazes para que não haja o agravamento da disseminação do vírus e o comercio possa voltar ao normal o quanto antes para que a economia do Brasil possa se estabilizar novamente.

    João Paulo Magela de Lima · 09/06/2021 às 15:48

    Eu faço de suas palavras as minhas Glauciene, tanto a primeira onda como a segunda onda do covid estão causando estragos em muitas áreas da vida, principalmente no que diz respeito a economia, contudo foi preciso paralisar muitas atividades economias, sem dizer nos fechamentos de grandes empresas ocasionando a falência e com isto demissões de pessoas que necessitavam desse trabalho, a pobreza sem duvidas cresceu consideravelmente, muitos desemprego com isto causando uma serie de fatores que culminou diretamente na economia entrando em uma crise forte a beira de um colapso.

    Maika Jamille Evangelista Costa · 11/06/2021 às 19:48

    A pandemia De Covid-19, vem causando varias repercussões, não apenas de ordem biomédica em escala geral, mas também repercussões e impactos sociais, econômicos, políticos, culturais, e históricos, . A estimativa de infectados e mortos concorre diretamente com o impacto sobre os sistemas de saúde, com a exposição de populações e grupos vulneráveis, a sustentação econômica do sistema financeiro e da população, a saúde mental das pessoas em tempos de confinamento e temor pelo risco de adoecimento e morte, acesso aos bens essenciais como alimentação, medicamentos, transportes, entre outros.

    leonardo costa brasileiro · 13/06/2021 às 13:32

    Penso que por ser um choque na sociedade a primeira onda do COVID-19, teve mais impacto do que a segunda onda, onde os posicionamentos dos governantes estarem despreparados para o que vinha, e que suas decisões seriam de estrema importancia para cada cidadão do pais, mas de todo resto deixou bem claro a situação que o pais ficou parabéns pontuou bem em cada situação.

    Elisete lourdes dos santos · 13/06/2021 às 17:55

    Concordo plenamente

    Alana gabrielly juvino Lobato · 13/06/2021 às 21:45

    O pior é que a Econômia já estava estagnada antes mesmo da pandemia chegar aqui, e por falta de uma boa gestão e planejamento, prevemos que a situação pós pandemia não vai ser das melhores, tendo influência tanto na economia nacional, como Global, pois sabemos que o Brasil é um dos país que mais importa produtos de fora.

Richardson da Silva Santos · 04/05/2021 às 14:04

Exatamente, mas deixando ainda mais rica a informação gostaria de ressaltar que a covid 19 em suas fases tem deixado mais mortos e pessoas correndo riscos de vido do que muitos conflitos armados e outras crises mundiais, também sendo uma das mais letais para as industrias, empesas e organizações de trabalho. A produtividade mundial tem sido o fator mais ameaçado, por conta disso o mundo vivo um período semelhante a crise financeira e de abastecimento que ocorreu nos anos de 2008 e 2009. Alerta esse que fica na responsabilidade dos respectivos governos de nações. Esse reflexo e vivido em todo o planeta.

    meyre suzan damasceno silva · 04/05/2021 às 23:52

    concordo plenamente pois, as informações dadas por esse artigo nos fez ter a certeza, de quanto a pandemia do covid19 impactou em nossa economia.

      ANA REGINA GOMES FERREIRA · 05/05/2021 às 21:02

      A pandemia veio pra ficar por um bom tempo ou nunca mais acabar pelo fato das próprias mutações do vírus, enquanto não houver vacinas suficientes para toda população, a economia só vai despencar, pois o isolamento é necessário mas é um privilégio para poucos.

        Ingred · 12/05/2021 às 14:43

        Concordo com seu pronunciamento, enquanto todos não se vacinarem esse vírus vai criando mais resistência e sendo cada vez mais difícil de conter; o que não permite que o comércio volte a sua funcionalidade normal e fazendo assim com que o país só decaia na economia.

        Laureny da cunha barbosa · 18/05/2021 às 16:33

        A pandemia encontro um governo despreparado .Que fez vista grosa ,deixando a população confusa.

        Adriana Marques da Silva · 21/05/2021 às 18:23

        Concordo que enquanto não tivermos vacinas suficientes para a retomada de todas as atividades a economia vai continuar sofrendo, mas acredito que com o controle do virus a doença vai ser controlada e sera decretado o fim da pandemia já que alguns países já estão voltando suas atividades assim acredito que ocorrerá no Brasil quando o governo tomar medidas eficazes.

        Glauciene Ramos Nonato dos Santos · 09/06/2021 às 18:39

        Ótima colocação Ana, Como disse Paulo Guedes, a volta segura ao trabalho é importante e a vacinação em massa é decisiva, é um fator crítico de sucesso para o bom desempenho da economia.

      Jessica Valeria Rufino Martins de Lima 202117239 · 17/05/2021 às 15:39

      Concordo com você Meyre e o quanto a população vem sofrendo com a falta de emprego.

        Allef Damasceno Silva · 07/06/2021 às 19:47

        A falta de emprego e o fechamento de grandes empresas vem sendo um enorme problema no nosso Brasil, e com isso a economia só afunda.

José Luiz Barbosa Neto · 04/05/2021 às 20:28

Sem sombra de dúvidas o COVID-19 veio a impactar a população mundial como um todo, e na economia isso é notado com quedas bruscas em todos os setores, através do fechamento do comércio para tentar nos manter em isolamento com o distanciamento social, demissões em massa por conta desse fechamento, queda na produção de insumos e matérias primas…
Tudo isso somado (infelizmente), a interesses políticos fez com que pequenas empresas e comércios, ambulantes e trabalhadores autônomos cessassem seus trabalhos.
Isolamento ou distanciamento social é necessário, mas se não houver planejamento, compromisso e vontade política para, de fato, resolver o problema, ficaremos presos nesse abre e fecha de comércio, prejudicando todos os setores.
A sorte, é que enquanto alguns têm prejuízos, outros fazem dessa “tragédia” uma oportunidade para se reinventar e vê no meio disso tudo, a chance de se reerguer.

    Juliana Silva de Oliveira · 07/05/2021 às 23:03

    Concordo que a pandemia tenha sim impactado fortemente a economia, ao longo de 2020 mercados em geral tiveram ai suas portas fechadas e isso gerou uma grande perda na economia, o fato também dos horários fez com que aumentasse ainda mais a crise no nosso Pais.
    Tudo isso afetou não só nossa vida profissional quanto a pessoal, levando ai muitas pessoas sofrerem crises de ansiedade, pânico e até mesmo depressão.

      valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 22:22

      concordo que a pandemia esta sendo um impacto na economia,mais tambem que o isolamento social é uma açao necessaria!

        Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:11

        Que se estivesse sido levado a sério desde o início não teríamos chegado a esse ponto.

          Yorrana Alves de Sousa Lopes · 19/05/2021 às 21:16

          A pandemia gerou um grande empacto na economi, mas o isolamento é necessário e se tivesse desde o início não estaríamos sobe essa situação.

          Cristiano Silva de Souza · 20/05/2021 às 22:08

          O governo não importa com a população, tão pouco com os itens básicos saúde, segurança e trabalho.

    Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 30/05/2021 às 09:34

    No Brasil não podemos citar como exemplo isolamento social, ao contrário da Europa que aconteceu o fechamento total do comércio. infelizmente a negação do vírus por alguns, inclusive autoridades que deveriam dá exemplo, foi um fator crucial para a elevação dos impactos na economia. A demora da compra das vacinas demonstrou total despreparo dos governantes na contenção do vírus. Entendo que é uma bola dividida, governo e população contribuiram para a realidade econômica do país.

      Sthefany · 07/06/2021 às 20:10

      Infelizmente o Brasil ficou pra trás, enquanto vemos os outros países se livrando das máscaras e podendo aos poucos voltar a terem vidas normais, nos estamos aqui, parece que apenas em decadência.

    NILDA MADUREIRA SILVA · 04/06/2021 às 21:51

    Realmente José Luiz, você falou a pura realidade que estamos enfrentado se o abre e fecha resolvesse a pandemia já teria acabado e já teria voltado a vida normal, é preciso que os nossos governantes tenham medidas e atitudes que realmente resolva a situação, o abre e fecha esta prejudicando os mais fracos que estão fechando as portas sem a menor chance de se reerguer.

    Paula Rocha de Souza · 06/06/2021 às 11:08

    Concordo com você José Luiz, a pandemia causou muitos impactos na vida da sociedade como um todo. Muitos perderam seus empregos ou foram impedidos de trabalhar. A questão é, enquanto todos não forem vacinados vamos ficar a mercê dos interesses políticos.

    Sthefany · 07/06/2021 às 20:08

    Com a chegada do novo corona vírus em 2020, afetou toda a população brasileira, principalmente os autônomos, pois nunca é certo seus salários, como os servidores públicos. A economia Brasileira caiu bastante, porém foi vantajoso aos sistemas eletrônicos, onde daria para resolver tudo on-line. Com o fechamento dos comércios, falta de dinheiro, muitos foram fechados permanentemente, por falta de condições de pagar aluguel, água ou luz. Afetou também a importação e exportação que os países faziam entre si de alimentos e vários outros produtos. O governo disponibilizou o auxílio emergencial para maiores de 18 anos, mas depois de determinado tempo diminuiu, colocando na balança que uma cesta básica ultrapassa o valor recebido. Aos poucos as coisas estão voltando ao lugar, mas prejuízos que nunca serão tapados. Vale ressaltar que poderia ter tido um investimento maior na área da saúde.

    Elisete lourdes dos santos · 13/06/2021 às 17:57

    Concordo

Raissa do nascimento silva · 04/05/2021 às 20:50

A pandemia teve, e tem vários impactos sobre a economia financeira trazendo com si a crise global, a grande taxa de desempregos, taxas de importações e exportações caindo, a sociedade com problemas mentais psicológicos surgindo assim altos índices de depressão por distanciamento social, afetando tanto no ramo profissional como pessoal dos indivíduos.

    Mikaele · 07/05/2021 às 17:34

    Concordo Raissa muitos casos vem surgindo em questões de Depressão devido a pandemia ,vem aumentando os índices ,e afetando todas áreas.

    Lucas Menezes · 20/05/2021 às 22:47

    Também concordo, essa pandemia deixou estragos tanto na saúde quanto no bolso Brasileiro, as contas ainda continuam chegando nas casas dessas pessoas que ficaram desempregadas, causando um grande pânico e depressão nas pessoas.

    Mariane Ribeiro Corado · 12/06/2021 às 17:42

    Concordo, a pandemia trouxe problemas econômicos muito para muitas pessoas e assim causando muito estresse, e o isolamento social é super necessário, mas obviamente acaba interferindo na vida social das pessoas, o ser humano é um ser sociável, e ficar longe de pessoas das quais gostamos e nos fazem bem não é nada bom para nossa saúde mental.

    Elisete lourdes dos santos · 13/06/2021 às 17:58

    Concordo contigo Raissa

meyre suzan damasceno silva · 05/05/2021 às 00:20

A necessidade de isolamento social para combater o corona vírus fez com que autoridades pedissem o fechamento do comercio e atividades não essenciais, visando assim o combate ao covid19.
Muitas empresas optaram pelo home office, muitas demitiram pois devido o fechamento, viram seus lucros diminuírem. A principio a indústria foi a mais prejudicada pois somou uma redução brusca de demanda com a paralização da produção entretanto os mais afetados foram os informais. E sem trabalho os brasileiros passaram a gastar menos somente o essencial ,embora o governo tenha ajudado com o auxilio emergencial muitos viram sua vidas mudarem do dia para noite.
Tiveram muitas saídas ao invés de entradas na poupanças .Vimos o aumento dos alimentos, da gasolina, do gás. E a pandemia do covid19 impactou a economia do Brasil trazendo muitas incertezas e poucas informações confiáveis no momento.

    Sherida Maria Lima · 31/05/2021 às 21:08

    Verdade, a economia no país ainda demora a ser equilibrada, tendo em vista que mesmo com algumas medidas do governo, como: auxilio emergencial, baixa de juros, aumento no percentual da margem consignável de servidores públicos, os impostos permanecem altos, ocasionando uma majoração no preço dos combustiveis e consequentemente de alimentos básicos como: arroz, feijão e principalmente no valor da carne. Por todas essas questões, o povo prefere não arriscar, se endividando, pois não sabe o que ainda pode vir, porque enquanto toda população não tiver sido vacinada, o distanciamento social continua dificultando ainda mais o crescimento da economia no país.

Marcelo Moreira de Sousa · 05/05/2021 às 01:29

A pandemia do coronavírus afetou muito a economia global em 2020. E o Brasil foi um dos que foram provocados pelas restriçoes impostas á atividade economica, tanto pela quada na renda das familias e pelos adiamentos de investimentos e projetos empresariais e pessoais.
O isolamento social para conter o avanço do Covi-19, fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. As industrias foram as que mais se prejudicarm, pois somou uma redução de demanda com a paralisação da produção. Mas com as politicas de preservação do emprego, criadas pelo governo federal, beneficiaram as industrias e o comercio, quem se deu de bem, foi o comercio eletrônico, que registrou altas recordes de faturamento mês a mês e adesão de novos clientes em ambiente digital. Umas das principais medidas de resgate feita pelo governo durante a crise, foi o Auxilio Emergencial que despejou mais de 300$ Bilhoes na economia, e o saque FGTS emergencial , que tentou recompor as perdas de renda da populaçao com a pandemia. Mesmo com as medidas do auxilio, a taxa de desemprego veio renovando, a medida que os trabalhadores que perdem sua ocupação na pandemia, passaram a buscar um emprego após o relaxamento das medidas de restrição e redução do valor do auxilio emergencial, o desemprego saltou para 14,6% no 3º trimestre, afetando 14 milhoes de brasileiros.

    Ana Arnt · 05/05/2021 às 15:00

    Marcelo,

    O Isolamento social não foi o que fez a economia despencar. O Isolamento mal feito, aliado a falta de auxílios familiares em valores que deem condições de sobrevivência e financiamentos em setores estratégicos – como pequenos empreendimentos – faz com que o desemprego e o empobrecimento se faça cotidiano.

      ANA REGINA GOMES FERREIRA · 05/05/2021 às 20:46

      Concordo que o isolamento mau feito gerou mais o desencadeamento do vírus e fez a economia despencar. Porém, devemos estar cientes que temos um governo desunido de governantes e que no Brasil não existe lei que se cumpre totalmente, sempre a brechas. As pessoas se contentam com muito pouco e idolatram o governo, e por esse motivo aceitam pela necessidade tais recursos que saem do nosso próprio bolso. Falta de compromisso dos governantes que está causando tanta miséria pro nosso País. Cada estado enfrenta a pandemia de forma diferente, é por isso que a economia no Brasil está levando esse tombo. Os próprios dados comprovam isso, falta de organização entres os grandes e os pequenos que aguentem a própria consequência.

        Ana Arnt · 05/05/2021 às 21:32

        Sem políticas efetivas, não há consciência que permita isolar-se.
        Não há combate efetivo às questões sociais que a doença causa, em nenhum setor e nível da federação.

          Júlia Alves Vieira · 07/05/2021 às 11:11

          Concordo, realmente sem políticas efetivas fica muito difícil combater esse vírus

          Luccas Daniell · 13/05/2021 às 23:26

          verdade, por causa do negacionismo de muita gente, o covid tomou essa proporção tão grande

      Matheus Henrique Santos de Souza · 05/05/2021 às 22:54

      Pelo fato do Brasil que já não estava com uma economia tão estável e também por não ter tido um grande investimento passado na área da saúde , esse vírus desestabilizou completamente nossa economia pelo fato de não termos estrutura e muito pouco investimento para combater a esse vírus.

        JHONATHAN DA PAES PEREIRA SOARES · 10/05/2021 às 23:27

        Concordo e descordo de você Matheus Henrique Santos de Souza, infelizmente por traz dos bastidores há diversos fatores, acredito eu, que investimento houve sim, porém não foram aplicados de forma correta, tiveram super faturamento nos equipamentos, de forma que prejudica sim a economia.

        Maria da paz Conceição · 12/05/2021 às 23:14

        e ainda tem a teimosia de uma parte da população que insiste em aglomerar, (bares lotados, festas “clandestinas” lotando ainda mais o sistema de saúde púbico que sempre foi precário.

        Jessica Valeria Rufino Martins de Lima 202117239 · 17/05/2021 às 14:47

        Concordo com você Matheus, acrescentando também que muitas pessoas vem sofrendo psicologicamente e economicamente com essas mudanças abruptas e que isso vem acarretando um alto índice de desemprego no nosso país. Com isso, as grandes e pequenas empresas tiveram que paralisar parte ou toda a produção e consequentemente mudando o estilo de vida por causa da sua renda interrompida.

        Ítalo Leandro · 10/06/2021 às 11:49

        O Brasil poderia ter essa estrutura a muito tempo atrás, mas a falta de interesse dos governos não ajudaram nessa questão.

      Luccas Daniell · 12/05/2021 às 19:01

      verdade

    Elisete lourdes dos santos · 13/06/2021 às 18:00

    Concordo

William Ferreira Moresi · 05/05/2021 às 15:52

Sabemos que o “efeito corona vírus” tem gerado desafios na economia de um certo tempo para cá, devido ao fechamento dos negócios e o impacto imediato na economia brasileira. A pandemia já trouxe grandes impactos para a economia, afetando diversos países através da interrupção nas cadeias de suprimento globais ocasionando uma menor demanda por bens e serviços importados.

    Luccas Daniell · 13/05/2021 às 23:28

    verdade, mas o Brasil vêm sofrendo impactos na economia desde á época das invasões no Brasil

William Ferreira Moresi · 05/05/2021 às 16:11

Ana,

Concorda que o isolamento mal feito foi causado por nós (população), que no início quando era apenas a epidemia não demos a importância necessária. vimos no carnaval, e entre diversas outras datas no ano de 2020 como a aglomeração era intensa (e até hoje é) quando já tinha anunciado que o vírus estava presente no Brasil.
Sem contar que o nosso país não estava preparado para suprir com todas as nossas necessidades financeiras assim de surpresa.

    Ana Arnt · 05/05/2021 às 21:29

    Não concordo, Willam, pois o isolamento não tem como ser feito pela população sem uma política organizada, estruturada e direcionada para ser eficaz em manter a população em casa. Não basta “pedir” que fiquem, é preciso ação COORDENADA disto.

    E não houve, em nenhum momento, ação coordenada entre federação, estados e municípios.

      Matheus Henrique Santos de Souza · 06/05/2021 às 18:49

      Na minha opinião até poderíamos ter feito um bom isolamento social desde o começo, mas pelo fato das gerações mais novas não terrem passado por algo parecido acabaram não dando tanta importância a esse vírus. E com esse descuido todo, o índice de contaminação junto com a taxa de mortalidade ouve um terrível aumento.

        Ana Arnt · 07/05/2021 às 12:27

        Sem políticas públicas e campanhas efetivas, não se faz isolamento por bom senso.

        Culpabilizar a população sem que tenhamos medidas reais, não faz sentido.

        mikaele · 07/05/2021 às 17:15

        Concordo Matheus, a juventude não deu muita importância para essa pandemia ,pois não viveram algo parecido e de alguma maneira afetou em todos os aspectos.

          Patricia Ramos Machado · 19/05/2021 às 23:25

          Sem falar que a doenca nao escolhe idade , raça ou financeiro economico , todos deveriam se prevenir não so pela a propria saude e sim por todos ao redor.

        Bruna Pereira Vieira · 12/05/2021 às 16:46

        A pandemia deveria ter começado desde janeiro do ano passado, teve o carnaval, veio muitos turistas e o governo escondeu a gravidade da doença.

        Ana Teresa Mendonça Suzaki · 31/05/2021 às 09:57

        Matheus, não houve um descuido apenas das gerações mais novas, mas também do nosso governo que subestimou o vírus, e não tomou a atitude certa.

        Bruna Micaelly Gonçalves Torquato De Sousa · 03/06/2021 às 15:04

        verdade, mesmo depois de muito tempo e muitos estudos já esta mais do que comprovado que ele é um vírus de fácil contagio e as pessoas ainda continua fazendo festas e desrespeitando o isolamento, que é fundamental para que possa contem a disseminação do vírus.

        Bruna Micaelly Gonçalves Torquato De Sousa · 06/06/2021 às 20:28

        o negocio é que as pessoas não respeitaram o isolamento social e sendo esse um dos motivos do porquê chegamos nesse ponto. muitas pessoas precisam trabalhar, mas muitos que só precisavam ficar em casa e não fizeram isso, aproveitando que estava com tempo livre e foram para festas clandestinas.

          Adenivaldo Pereira dos Santos · 10/06/2021 às 21:11

          Eu até concordo com o isolamento social, mas tinha que ser de forma que não aumentasse tanto o desemprego.

      Bruno Carlos da Silva Alves · 06/05/2021 às 20:07

      Concordo em partes tanto com o Willian quanto com a Ana. A responsabilidade não deve ser atribuída nem somente a população e nem somente aos governantes, a responsabilidade é de todos. O governo com ações coordenadas, deixando de lado as brigas políticas, e a população, respeitando as medidas impostas, evitando aglomerações e tomando os devidos cuidados para evitar a proliferação do vírus.

Patrícia Eunice de lima · 05/05/2021 às 22:02

Fato e que todos ficaram perdidos e sem ação, durante essa crise pandêmica começando pelas autoridades primeiro fator agravante foi não acreditar, na forca desse vírus rotular simplesmente como uma (gripezinha) desunião em um governo aonde deveria ser salvos vidas, autoridades que deveriam focar em salvar vidas, o foco era exercer o poder voltado para dizer quem manda e quem tem a caneta em mãos. Resultado o numero de mortes mostram quem realmente deteve o poder e o vírus permanece no comando.

    Matheus Henrique Santos de Souza · 05/05/2021 às 22:43

    concordo com plenamente com suas palavras!

    Hamilton Carvalho Rocha · 05/05/2021 às 23:28

    Verdade!! Hoje de fato as pessoas realmente está reconhecendo a força do vírus é o quanto ele está acabando com muitas família.

    Bruno Carlos da Silva Alves · 06/05/2021 às 20:01

    Verdade Patrícia, se a COVID 19 tivesse sido levada a sério desde o início, com adoções de medidas corretas para o controle, hoje não estaríamos enfrentando uma doença cada vez mais letal, com números de contaminações e mortes cada vez maiores. Ao meu ver, somente com uma ação conjunta dos governantes e com uma maior conscientização da população, poderemos alcançar dias melhores.

      Lucas Menezes · 21/05/2021 às 00:33

      Também concordo, mas a verdade é que a população vai continuar desleixada, pois grande parte das pessoas desse país não se movem esperando atitude do governo para que mude pra melhor, mas nós sabemos que de fato, isso nunca vai acontecer, ou seja, entra presidente e saí presidente e melhoras que é bom nada!

        YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 23:11

        O que a população pode fazer é ficar dentro de casa, respeitando a quarentana, nada a mais pois não dá pra fazer o papel do governo.

    Júlia Alves Vieira · 07/05/2021 às 11:14

    Verdade, se tivessem acreditado na força desse vírus a situação não estaria como a de hoje

    Maria da paz Conceição · 12/05/2021 às 23:30

    sua fala está correta, pois parece que não há um comprometimento das autoridades no combate ao vírus, exemplo disso é repercussão da recusa de oferta das compras das vacinas.

      YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 23:15

      Realmente, o presidente se recusa a usar mascaras e incentiva as pessoas saírem na rua sem proteção, e algumas pessoas que participam ainda são contamidas por esse vírus. Devemos nos cuidar, e quem tiver como ajudar as pessoas, ajudar, é o que podemos fazer por nós e pelos outros.

    Luccas Daniell · 13/05/2021 às 23:29

    Concordo, mas se o governo tivesse tomado providências desde cedo, o Brasil não estaria nesse estado

      YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 23:02

      Se o governo tivesse tomado as medidas desde o princípio não estariamos nesse sufoco.

        YORRANA ALVES DE SOUSA LOPES · 13/06/2021 às 23:04

        Concordo, o governo tinha oportunidades de melhora mas recusou esse meio, no qual era a vacina. Complicado!

    Pollyana Ferreira Do Nascimento · 26/05/2021 às 01:30

    Concordo com suas palavras, até mesmo porque no final de 2019 e começo de 2020, diversos países, tomaram conhecimento da situação preocupante que se encontrava à China, e mesmo tendo conhecimento, a sua chegada no Brasil dividiu opiniões, para alguns era somente uma “gripezinha”, para outros um vírus com a sua real seriedade. E infelizmente muitos dos que foram afetados pelo vírus, eram pessoas que realmente acreditavam na doença.

    millena duarte · 06/06/2021 às 19:40

    as autoridades que deveriam defender a população praticamente jogou os brasileiros pra linha de frente sem nem se quer se importar com a vida da populaçao, de modo que agravou bastante a disseminação do virus. algo que poderia se controlado melhor desde o inicio.

Matheus Henrique Santos de Souza · 05/05/2021 às 22:41

Com a aparição do covid-19, foram afetados pequenos a grandes países com um alto poder econômico ocasionando uma crise mundial. O Brasil foi um grande país afetado não só pelo descuido da população mas também por negligencia da parte do governo ocasionando um alto índice de contaminação, levando a vários óbitos. Foram decretados novas leis com o poder de fechar os comércios não essenciais, com isso várias empresas decretaram falência ocasionando uma alta na taxa de desemprego. O governo criou o auxílio emergencial um programa que investiu bilhões de reais na economia com o intuito de ajudar as famílias de baixa renda .Outros cidadãos que não se enquadravam nas especificações para o recebimento dessas parcelas também receberam ocasionando muitas fraudes, ocasionando um grande rombo na economia.

    Júlia Alves Vieira · 07/05/2021 às 11:22

    Sim, devido o descuido tanto da população quanto do governo a situação se agravou ainda mais, causando mais contaminação e mortes.

      valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 22:28

      sem dúvida!principalmente as atitudes das autoridades, aos cuidados de proteçao,que não foram respeitados.

      Andreza Lopes Nunes da Silva · 13/06/2021 às 14:57

      A economia do país está destabilizada muito antes da pandemia, vem nesse desfalque de governo anteriores . Com o início da pandemia a economia piorou muito , onde os governantes decidiram pelo fechamento dos comércios , fazendo com que o desemprego no Brasil crescesse siguinificamente.

    Pollyana Ferreira Do Nascimento · 26/05/2021 às 01:40

    Exatamente, a iniciativa do governo em criar e executar o auxílio emergencial, ajudou diversas famílias, mas infelizmente pessoas usaram da má fé, para cometer atos ilícitos, como você citou, o que é de causar revolta, porque há pessoas que realmente precisam e não tem esse direito, acredito que o processo seletivo, poderia ser melhor organizado.

Beatriz Costa Serra · 05/05/2021 às 23:01

O mundo está enfrentando uma grave crise econômica provocada pelo avanço da pandemia da Covid-19. Instituições internacionais (FMI, OCDE, UNCTAD, etc.) e economistas renomados estão projetando significativa desaceleração do crescimento mundial, no melhor dos cenários, ou uma recessão global em 2020, em cenários menos otimistas.

As medidas implementadas de isolamento e/ou quarentena para impedir o avanço do vírus nos países mais afetados provocaram a interrupção das atividades normais das pessoas, desmobilizando recursos. Isso impactou negativamente a produção, o consumo corrente e os investimentos. Portanto, a gravidade dos efeitos econômicos da Covid-19 deve-se à sua capacidade de gerar, ao mesmo tempo, choques negativos na oferta e na demanda agregada mundial. Ademais, há uma enorme pressão sobre os recursos (físicos e humanos) na área de saúde com o aumento dos casos de pessoas infectadas, sobretudo no pico da epidemia, o que requer uma espécie de economia de guerra nesse segmento.

    Joana D'arc Andrade de Souza Pereira · 07/05/2021 às 12:19

    Contribuindo com a sua já tão clara explanação, ressalto que a Pandemia forçou um tradeoff social, ou seja, a sociedade precisou abrir mão de ganhos econômicos para obter mais segurança na prevenção ao Coronavírus. Nesse contexto de crise, em que a sociedade não pode abrir mão do direito fundamental da saúde e da vida, precisando diminuir consideravelmente as atividades econômicas em favor do isolamento social, o papel do Estado é imprescindível para enfrentar o tradeoff entre eficiência e igualdade. Eficiência na distribuição de renda emergencial que amenize as situações de insegurança alimentar e vulnerabilidade social, gerando, assim, menos desigualdade. Eficiência nos incentivos fiscais aos pequenos e médios empresários que não conseguem se manter ativos no momento. A Pandemia nos forçou a tomar decisões entre trabalhar arduamente para manter a economia ou assumir um risco de agravar a crise econômica para preservar a saúde e a vida.

      Ingred · 12/05/2021 às 15:50

      Exatamente isso! A população precisou abrir mão de sua vida econômica para ter o ganho em sua vida saudável.

    Luiz Paulo Fiuza de Souza · 12/06/2021 às 17:05

    Sim, verdade Beatriz e isso se torna cada vez mais preocupante ainda mais quando se falamos da vacinação no Brasil, que parecem esta sendo transportadas e aplicadas por lesmas, pois nunca vi tanta demora.

Hamilton Carvalho Rocha · 05/05/2021 às 23:24

Hamilton Carvalho Rocha.

Entende se que esse novo normal que todos estão falando não vai acabar tão sedo, pois observamos que a situação hoje não só no Brasil mais no mundo todo está atingindo toda a economia mundial, pois e de se identificar o crescimento constante do vírus COVID-19, esse crescimento está acontecendo pela falta de compreensão das pessoas que ainda insistem em não utilizar a mascara é nem manter o distanciamento, pois bem esse momento está sendo critico para todo brasileiro principalmente aqueles que tem uma vida de autônomo, então se esse profissional não sair para trabalhar, pegar ônibus lotado, é metro lotado não vai ter seu meio de sobrevivência, nesse momento está sendo muito critico para todos nós, acredito que vamos sair desse furacão que está passando em nossa terra e tudo isso vai passar, nossa economia vai melhorar e vamos voltar a ter uma vida normal como antes é não o novo normal.

    Sherida Maria Lima · 31/05/2021 às 21:18

    Verdade Hamilton, a classe trabalhadora em geral (autônomos e empregados assalariados) do nosso país são as pessoas que mais tem sofrido com a crise econômica, ocasionada pelo coronavírus. E ainda, estão mais propício a se infectar, pois dependem de transporte coletivo para se locomover, onde o risco de contaminação é bem maior.

    Luiz Paulo Fiuza de Souza · 12/06/2021 às 17:01

    Exatamente Hamilton, muitos estão em um beco sem saída, pois se saírem de casa para trabalhar podem pegar o vírus e morrer, e se não saírem para trabalhar irão morrer de fome, triste sistuação.

João Paulo Magela de Lima · 06/05/2021 às 16:16

Debate-se muito, correntemente a respeito das consequenciais ocasionadas que o covid 19 acarretou no mundo, assim sendo trazendo consigo resultados negativos a respeito da economia global, mediante o exposto na qual uma grande parte da populaçã, mundial, visto que fomos rendidos a medidas de isolamento, consequentemente contribuindo no fechamento de escolas do comercio, inclusive na paralisação da produção industrial e eventualmente no fechamento de fronteiras. Além disto com a economia em declínio, obviamente as famílias pararam de consumir em excesso ou comprando menos, devido a queda da renda mensal não estar nivelado em um nível bom para usufruir, portanto estamos enfrentando uma crise extensa e veloz que atinge pessoas e empresas, os governantes devem achar uma saída, pois a cada tempo que se passa a probabilidade é que fique caótica, gerando assim uma insuficiência na reserva financeira para honrar os compromissos com a Nação.

Bruno Carlos da Silva Alves · 06/05/2021 às 19:56

O surgimento da COVID-19 afetou a vida de todos em todo o planeta. Inevitavelmente, a economia global também foi afetada pelas rigorosas medidas adotadas, como o fechamento do comércio considerado não essencial, toque de recolher e o lokdown. O resultado não poderia ser diferente, aumento do desemprego, disparada da inflação que afeta no aumento dos preços de alimentos, produtos e serviços e tudo isso com a diminuição da renda familiar resulta em uma conta que não fecha, onde os mais prejudicados são as pessoas que já viviam com um baixo salário. Apesar do governo tentar amenizar esse problema por meio do auxílio emergencial, o mesmo não tem condições de mantê-lo por muito tempo o que inevitavelmente afeta a economia por se tratar de uma cadeia, quanto menos se ganha menos se consome.

    Luiz Paulo Fiuza de Souza · 12/06/2021 às 16:58

    Verdade Bruno, e além do governo não conseguir manter o auxilio emergencial por muito tempo, no meu ponto de vista o valor oferecido pelo mesmo é muito pouco para quem não tem nada, ou seja sem emprego.

Ítalo Leandro · 07/05/2021 às 08:28

Com essa crise, alguns economistas acreditam que o país caminha para a recessão. A economia brasileira já caminhava a passos lentos rumo à recuperação, mas a pandemia transformou todo otimismo em projeções sombrias, ampliando as desigualdades e provocando um ambiente de muita insegurança.

Júlia Alves Vieira · 07/05/2021 às 11:02

Com o avanço da pandemia, não só o Brasil, mas também outros países enfrentam atualmente uma constante crise na economia, isso se deve ao fato de o vírus da COVID-19 não ter sido levado a sério no começo, quando ainda era controlado no Brasil. Com isso, o isolamente social e outros cuidados tornaram-se necessários, o que hoje ainda não é respeitado por muitos, causando uma situação de calamidade pública e afetando diretamente a economia, pois além de mortos o virús deixou falidos. Devido a essa situação, algumas empresas, principalmente as varejistas e as de turismo, foram à falência, uma vez que o isoloamento social reduziu de forma considerável o número de pessoas em aviões e o alto índice de desemprego nos países impossibilitou o aumento das vendas. A chamada segunda onda do vírus está ainda mais forte que a primeira, portanto, medidas precisam ser tomadas urgentemente para minimizar os danos que estão sendo causados, para isso, é preciso que haja soluções rápidas para essa pandemia, apoiando pesquisas e produção de medicamentos para a saúde, papel esse a ser desempenhado tanto pelo governo quanto pela população.

    Adriana Marques da Silva · 21/05/2021 às 18:03

    concordo, também acredito que se o a doença tivesse sido levada a sério desde o principio podia ter sido controlada e nossa população e economia não teriam sofrido tantas perdas.

    Luiz Paulo Fiuza de Souza · 12/06/2021 às 16:55

    De fato Júlia, concordo algo precisa ser feito urgente para que a economia do Brasil seja retomada a todo vapor e que os brasileiros voltem ter uma vida menos desesperadora a qual vivem hoje.

Joana D'arc Andrade de Souza Pereira · 07/05/2021 às 12:28

Como afirmou Adam Smith em 1776 em seu livro “A Riqueza das Nações”, as relações econômicas entre as pessoas são guiadas pela ‘mão invisível’ do Estado que deve promover o bem-estar econômico geral. Os governos podem e devem melhorar os resultados da economia. A intervenção do governo na economia deve ter dois propósitos: promover a eficiência e promover a igualdade. Somente desta forma, os indivíduos que mais foram atingidos economicamente pela Pandemia terão condições de possuir e controlar os recursos escassos.

mikaele · 07/05/2021 às 19:46

A pandemia causada pelo novo coranavírus ,tem assolado o mundo inteiro e desencadeou uma crise econômica. De acordo com os estudiosos ,na verdade pandemia funcionou como um gatilho para agravar a crise econômica .O Brasil é um desses países que já passava por um momento econômico desfavorável antes do coranavírus ,queda dos investimentos ,altos níveis de desemprego e ,informalidade .

    Ana · 19/05/2021 às 17:12

    Verdade Mikaele, existe uma bagagem histórica da crise econômica no Brasil, que o Corona vírus só agravou. Atualmente o governo tem um impecílio econômico para melhorar o sistema de saúde: a PEC 241 (ou 55) promulgada no governo de Michel Temer, que congela por 20 anos os gastos públicos. Com a pandemia a economia e a saúde pública entraram em situação super preocupante.

deidson · 08/05/2021 às 09:41

O Brasil foi um dos países mais expostos à pandemia do novo Coronavírus, com mais de 105.000 casos ativos e mais de 7.000 mortes. Como a maioria dos outros países, o Brasil fechou grande parte de sua economia (prática conhecida como lockdown) visando promover o isolamento social e o contato humano (“distanciamento social”) e, com isso, conter a propagação do vírus. Embora as curvas de contágio e morte pareçam ainda não ter atingido o pico, algumas partes do país já estão se encaminhando para uma abertura gradual da economia, o que pode aumentar o risco de mais lockdowns ainda este ano, caso a disseminação do vírus não possa ser controlada.

Hellen Melchior Pugas · 08/05/2021 às 14:13

A pandemia derrubou a economia global em e o Brasil não ficou imune ao abalo provocado pelas restrições impostas à atividade econômica, pela queda na renda das famílias e pelos adiamentos de investimentos e projetos empresariais e pessoais, assim afefando milhares de famílias que dependem de sua renda para sustentar os de dentro.

    Ingred Mesquita de Souza · 12/05/2021 às 16:03

    A situação econômica do Brasil já era péssima, a desigualdade já prevalecia e depois da pandeia se agravou mais, com o fechamento de empresas muitas famílias perderam sua renda. E com o auxílio as famílias não conseguem mal se alimentarem.

Bruna Pereira Vieira · 09/05/2021 às 20:31

A economia expõe de forma escancarada a desigualdade social no brasil, ambulantes, diaristas, lojistas, feirantes foram os mais impactados com as leis de restrições de circulação de pessoas e apesar do auxilio emergencial ter amortecido o impacto se vê o reflexo direto com a economia.
A pandemia mostrou a profunda diferença entre camadas do país, precisamos que todos sejam vacinados para que aos poucos a economia volte a funcionar. O brasil chega a 2021 com desafio de reduzir abismos de classes.

    Marlon Bonfim · 11/06/2021 às 21:59

    Sim, um ponto importante mesmo, o desemprego já era um dado alarmante no nosso país antes mesmo da pandemia o sistema econômico já estava decadente.

Larissa Pires Reis · 10/05/2021 às 11:41

A pandemia com certeza agravou a crise econômica do Brasil, o país que já não vinha com uma crescente tão boa assim, acabou se agravando mais com a chegada da doença no Brasil.
Com o fechamento de estabelecimentos a receita de muitos trabalhadores caiu e assim tivemos o agravamento do nossa economia.
O governo deve agir o mais rápido possível para que não se agrave mais ainda e fiquemos a beira de um colapso. O Brasil talvez ainda tenha salvação, dependemos de quem nos governa.

    valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 22:11

    sim! O brasil tem salvaçao,vai depender dos corvernantes,mais infelizmente as açoes estão precárias das autoridades.

    Ingred · 12/05/2021 às 15:39

    Verdade! A economia do Brasil já vinha em estado de declínio, a solução mais rápida para a volta as atividades é a vacinação de todos.

    Júlia Alves Vieira · 21/05/2021 às 18:24

    Concordo, a economia já estava em crise

    Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 18:34

    o Pais já vinha de uma crise desde 2014 pra cá só vem piorado, e concordo que piorou ainda mais com esse vírus, mesmo assim tenho uma visão que o governo vem ruim desde muito tempo atrás, o de agora só pegou ele em um péssimo momento , enfim nossos representantes precisam agir mais rápido e de maneira responsável.

    Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 04:20

    Concordo, quando muitos acharam que as coisas iriam começar a melhorar veio a pandemia afetando em tudo no meio da sociedade.

Ana Paula · 10/05/2021 às 15:40

Com o Covid-19 vieram os impactos sociais, gerado pela falta de empregos, a diminuição em até 30% dos salários, entre outros fatores agravantes, como o fechamento de comércios por conta do lockdown. A economia brasileira já vinha caminhando lentamente, mas a pandemia transformou tudo num aspecto mais crítico, aumentando a desigualdade e provocando um ambiente inseguro.

    João Rafael Pereira Alves · 11/05/2021 às 14:34

    O Brasil é um dos países, que está passando por essa crise sanitária é econômica também,mas bem antes disto já passava por uma crise tanto econômica como política.O PIB brasileiro já estava em baixa segundo a indicadores onde a inflação é desemprego andavam juntos porém a pandemia mundial trouxe consigo fatores irreparáveis.
    Nossa economia teve uma negatividade muito forte com o distanciamento social comércio foi totalmente ao declínio onde indústrias comércio serviços pararam é foi daí que o comércio em geral teve sua baixa .
    O governo obedecendo as medidas internacionais de saúde tinha que fazer sua parte mas já sabendo do que iria acontecer futuramente com a economia.
    Até criou programas sociais como o auxílio emergencial para a circulação de moeda é tentar não deixar a inflação em alta .
    Alguns setores industriais ainda mesmo com a pandemia estão conseguindo contornar a situação com a demanda é exportações
    Mas com o problema sanitário ainda em alta e não resolvido a economia terá que ter estratégias para não deixar afundar mais é mais nossa economia

André Luís · 10/05/2021 às 19:33

Com essa pandemia, vivenciamos um cenário de guerra, o mais complicado é que lutamos contra um inimigo invisível. Com ela enfrentamos de um lado, uma crise na saúde, com colapso em vários estados, no Brasil e no mundo. Com perdas de várias vidas, uma situação muito deplorável. Por outro lado, enfrentamos também uma crise na economia, pois devido a pandemia, várias empresas tiveram que fechar as portas (lockdown), algumas por um período determinado e outras acabaram encerrando por completo as suas atividades, aumentando bastante o desemprego no país. Hoje com as vacinas já sendo distribuídas em quantidades bem maiores, alimentamos uma expectativa maior de voltar a crescer novamente a economia, pois várias empresas conseguiram voltar a ativa. O comércio (grande responsável também por crescimento econômico), em grande parte do país está ativo novamente, funcionando com restrições, mas funcionando. Não será fácil o recomeço, mas cresceremos com mais força.

LUCCAS DANIELL VILAR BOMFIM · 11/05/2021 às 17:29

Com o avanço do Covid-19, a pandemia vêm provocando vários abalos nos mercados globais e parando as atividades econômicas no mundo todo, com impactos na produção industrial, comércio, emprego e renda.

Joeli Ferreira · 11/05/2021 às 21:07

Com a disseminação do Corona viris muitas toda a economia foi afetada .
Um isolamento social mal feito onde só predomina interesses políticos.
Famílias inteiras passando por situações precárias, hospitais super lotados e a população no geral pagando um preço alto.

valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 21:10

Contando que o cenário economico brasileiro ja não vinha estavel desde o ano de 2014,vai ficar dificil a recuperaçao da economia,ainda mais com o fato da pandemia por causa do covd-19.com a diminuiçao da exportaçao e importaçao o fechamento do comercio, a taxa de emprego despencou que ao meu ver é uma da base para uma economia estavel.

    Kevin Barbosa Nery · 13/05/2021 às 20:03

    Essa é uma triste realidade que iremos passar , até a economia voltar pelo menos ao que era antes, muitas pessoas irão passar necessidades ou dificuldades financeiras.
    Com a alta do dólar, não podemos esperar grandes melhoras pois a cada ano que se passa ele influencia na nossa realidade.

    Mayko Parente Alves · 19/05/2021 às 21:04

    Justamente. A economia já estava ruim à um bom tempo. Uma pandemia como essa fez piorar ainda mais a situação do desemprego além de causar tantas mortes.

valmiranda gonçalves de souza · 11/05/2021 às 22:04

sim,mas é um gasto nessesario,para imunizar a populaçao,com isso retomaremos aos trabalhos e consequentemente a economia se estabelecerar.

Ana Eduarda Soares da Silva · 12/05/2021 às 10:44

Eu acredito que afetou em muito a economia porque muitos comércios foram fechados e com isso varias pessoas perderam seus empregos quem não tinha reserva imediata de dinheiro acabou sofrendo muito, por outro lados alguns profissionais se reinventaram e tiveram novas conquistas.

    Bruna Pereira Vieira · 12/05/2021 às 16:50

    Infelizmente só quem sofre com o isolamento é a classe baixa!

      Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:41

      Quem já era rico, ficou milionário e quem já era pobre, ficou miserável.

    Amanda luysin Iino · 12/05/2021 às 17:43

    Realmente, o bom foi que muitas pessoas conseguiram se reorganizar quanto ao trabalho que desempenhavam.

    Kevin Barbosa Nery · 13/05/2021 às 20:00

    Infelizmente nem todos tiveram essa oportunidade de se reinventarem, muitas pessoas estão passando necessidade por que perderam seu meio de renda.

    Vitor Ruan Gomes de Oliveira · 22/05/2021 às 04:23

    Sim esse crescimento de “alguns profissionais“ decorre da adaptação do meio de trabalho se tornando Home – office e também pelo fato da maioria da população está conectada pelo meio virtual devido a pandemia, se tornando então para alguns profissionais um ótimo cenário.

    Pollyana Ferreira Do Nascimento · 26/05/2021 às 02:01

    A pandemia trouxe a superfície, o tamanho da desigualdade social que por muitas vezes poderia até ser vista, mas ignorada, é por tão poucos terem tanto, que tantos tem tão pouco. apesar do governo ter tentado ajudar com o auxilio, o povo brasileiro precisa de mais, e não é somente mais dinheiro é mais visibilidade, é o direito a ter direitos.

    Amanda Silva Souza · 07/06/2021 às 20:44

    Concordo, muitas pessoas reinventaram, e conseguiram um novo modelo de negócio, para se adaptar com a pandemia.

deidson · 12/05/2021 às 14:18

com a segunda onda não tem sido diferente com relação ao grande impacto causado na economia do país, pois as pesquisas apontam a produção de todos os insumos cada vez estão mais escassos, faltando insumos em todas as áreas, ainda que foi diminuído a quantidade de funcionares de grandes produções para que seja cumprido o decreto, que visa manter o distanciamento social, com isso a taxa do desemprego vem aumentando consideravelmente , tendo como consequências , baixos per capital por família, sendo muitas delas entrando em situação de extrema pobreza, tendo os governantes contribuindo com projetos de auxílios emergenciais, e importante ressaltar que tudo isso influencia diretamente na economia do país

Lucas Carvalho Melo da Cruz · 12/05/2021 às 14:48

Acredito que o Brasil atualmente no jeito que se encontra, se tornou o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus somando mais de meio milhão de pessoas diagnosticadas com COVID-19, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde. O número exponencial de casos da doença e vidas interrompidas dividem espaço com os resultados negativos da economia brasileira e as tensões no cenário político. A economia brasileira já caminhava a passos lentos rumo à recuperação, mas a pandemia transformou todo otimismo em projeções sombrias, ampliando as desigualdades e provocando um ambiente de muita insegurança. Com isso, podemos lembrar que vários fatores abrangentes no mundo elevam, tais eles como, aumento do desemprego, da desigualdade a queda do PIB.

    Ítalo Leandro · 14/05/2021 às 10:33

    Isolamento social, distanciamento, ações de saúde pública, medidas econômicas, desemprego, um grande número de mortes. No entanto, ainda não é possível afirmar se as mudanças imediatas, verificadas até o momento, serão encaradas como transformações de comunidades ou da sociedade como um todo

    Priscila Nascimento Rocha · 13/06/2021 às 21:01

    Não está sendo fácil, varias mudanças ocorridas. e Principalmente no setor econômico
    de nosso pais. Os gastos para poder executar as vacias entre outros como auxilio para as familias mais carentes.

Ingred · 12/05/2021 às 15:29

A Pandemia teve grande impacto na economia brasileira e mundial, o vírus por sua fácil forma de transmissão e contágio, teve que ser adotada a medida do “distanciamento social” o que levou a diminuição no quadro de funcionários de muitas empresas fazendo assim com que a produção diminuísse e consequentemente um grande número de desemprego . Ainda assim o vírus só continuou se espalhando fazendo com que o governo adotasse medidas ainda mais severas, “o fechamento do comércio” deixando apenas os mais essenciais , o que agravou mais a situação, e muitas empresas não conseguiram se manter e tiveram que fechar suas portas definitivamente o que gerou mais desemprego. Por outro lado, outras empresas se adaptaram a sistemas como (drive-thru ,tele entregas, atendimento remoto) o que salvou e alavancou muitos, em alguns o rendimento até cresceu. Em relações globais, as importações e exportações diminuíram muito devido a falta de insumos para produção, o que acabou gerando uma crise global.
A esperança para a mudança na crise atual é a vacinação de todos para que volte a normalidade, as empresas volte as suas produções, exportações, importações, geração de empregos, e crescimento da economia. O que já é a realidade de muitos países (China, EUA, México…)

    Ítalo Leandro · 21/05/2021 às 09:51

    Já sabemos que ninguém está imune ao corona vírus, mas que alguns grupos serão mais vulneráveis a ele, podendo levar a consequências fatais.

João Paulo Magela de Lima · 12/05/2021 às 15:56

Houve varias alterações no consumo e nas atividades economicas, não só no Brasil mas também de outros países que mantém diretamente relações comercias com o Brasil, contribuindo no fechamento de fabricas e centros comercias, a medida para um boa parte da população foi as empresas aderirem ao Home office assim para evitar o contagio de seus funcionarios, é necessário fazer um planejamento para que a economia venha se restabelecer o mais rápido possível.

    Ítalo Leandro · 14/05/2021 às 10:30

    Por afetar diretamente a capacidade produtiva, a crise da pandemia faz com que as políticas monetárias sejam relativamente ineficazes na retomada da atividade.

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 14/05/2021 às 15:44

    Com toda certeza, o Brasil vai levar muito tempo para recuperar a economia, com esforço e planejamento, governo e sociedade juntos chegaremos lá.

      Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:29

      Na verdade a economia do Brasil nunca mais vai ser a mesma, foi um baque muito grande!
      O Brasil vai ter que se reeventar.
      Palavrinha nova para o país.

Bruna Pereira Vieira · 12/05/2021 às 16:47

A pandemia deveria ter começado desde janeiro do ano passado, teve o carnaval, veio muitos turistas e o governo escondeu a gravidade da doença.
o isolamento*

    Ítalo Leandro · 14/05/2021 às 10:32

    Os efeitos da pandemia do novo coronavírus extrapolam a área da saúde. Eles permeiam a sociedade como um todo, que vive e ainda vai passar por mais mudanças provocadas pela Covid-19

Amanda Luysin Iino · 12/05/2021 às 17:35

Como ja vemos refletida na sociedade muitas empresar acabaram falindo, nao só grandes mas familiares também. Muitas familias entraram em situação de grande vulnerabilidade pois nao tinham reservas para se sustentar.
Além dessa situação dentro do pais temos também o abalo com a relação com outros países, muitos pararam de consumir alguns produtos ou diminuiram a compra de produtos nacionais com receio de contaminação pela covid-19 o que influenciou de certa forma negaticamente na economia do país.

    Vitor Ruan Gomes de Oliveira · 22/05/2021 às 04:12

    Ocorre que, pela falta de cumprimentos das normas contra o covid nessa pandemia o brasil se tornou aos olhos dos parceiros de comercio estrangeiro, um perigo pela falta de comprometimento com as normas impostas.

    Eliane jesus dos santos · 25/05/2021 às 18:46

    sim Amanda muitas empresas faliram, houve o fechamento do comércio e quando foi para reabrir muitos não tiveram condições para estar abrindo as portas novamente, aumentando ainda mais o desemprego pois tiveram que demitir funcionários.

    Bruna Micaelly Gonçalves Torquato De Sousa · 03/06/2021 às 15:58

    mas também Amanda, muitas empresas conseguiram se reinventar e se adaptar nessa nova realidade, em 2020 teve 7,5 milhões de micro e pequenas empresas novas no Brasil. esse setor representa 99% dos negócios privados e 30% do Produto Interno Bruto.

    Danillo Maia Fernandes · 12/06/2021 às 18:24

    Concordo todos sofreram ao menos uma consequência, e também e importante ressaltar isso que realmente alguns países que compravam nossos produtos deixaram de comprar com receio de contaminação

Emanuelle Pereira Barbosa · 12/05/2021 às 22:26

Enquanto a gestão pública impõem medidas restritivas de lockdown na tentativa de conter o Covid-19, empresas estão encerrando suas atividades pelo país por não conseguir manter suas contas e pagamentos em dias, e esses efeitos do coronavírus tem impactado a população no sentido econômico, e isso faz com que a taxa de desemprego aumente, atingindo uma percentual de 14% da população ativa no Brasil, segundo pesquisas realizada pelo IBGE.
Esse Impacto na economia tem reflexo na mesa e no bolso do consumidor , com os aumentos nos preços dos alimentos, no combustível e serviços, e essa crise só vem reforçando a desigualdade.
As mais afetadas pela pandemia do coronavírus tem sido a população de baixa renda. Com a pandemia assolando o planeta terra, o Brasil tem enfrentado autos índices de morte pelo coronavírus, suspensão de atividades econômicas, medidas de recolhimento em casa, dispensa das atividades escolares como medidas de prevenção, e com isso o distanciamento imposto pelo risco de contaminação acaba promovendo dificuldades individual e coletivos aumentando a crise financeira, cientificas, e politicas.

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 20/05/2021 às 16:16

    Ainda que tenham sido criadas políticas e programas sociais para sua garantia, de direito à alimentação adequada e saldável, foi tardiamente reconhecido no Brasil. contudo, o programa não é suficiente para garantir o acesso a alimentação básica. As pessoas contemplada, na grande maiorias eram de outros programas sociais como bolsa família.

Maria da paz Conceição · 12/05/2021 às 22:50

A crise econômica no Brasil já era uma realidade, má administração e corrupção até então eram os principais fatores. Mas com a chegada da pandemia de convid-19, houve um aprofundamento dessa crise. fechamento de comércio, isolamento social, auxilio emergencial desviado para aqueles que não precisavam impactaram negativamente a economia, prejuízos para o consumidor com inflação altíssima nos itens básicos, prejuízos nos cofres públicos no desvio de verba no “combate” a pandemia, prejuízo para empresários e empregados (perda de emprego, fechamento de empresa), perda significativa para a economia do país, pois o comércio é um dos seus pilares de sustentação. resultado, um país em crise que demorará a se recuperar. ,

    Ítalo Leandro · 21/05/2021 às 09:53

    O tempo passou a ser, aparentemente, algo a ser reconsiderado a partir de agora. Teremos que buscar através da criatividade outras formas de configurá-lo.

    Vitor Ruan Gomes de Oliveira · 22/05/2021 às 04:04

    e é exatamente isso ,um reflexo bem obvio se dará nos impostos que vão vir no pós pandemia ,provavelmente o governo aumentara consideravelmente, por conta da distribuição do auxilio emergencial e etc.

    Vitor Ruan Gomes de Oliveira · 22/05/2021 às 04:06

    e é exatamente isso ,um reflexo bem obvio se dará nos impostos que vão vir no pós pandemia ,provavelmente terá um aumento considerável

Amanda Silva Souza · 12/05/2021 às 23:14

Realmente a necessidade do isolamento social, imposto pela pandemia agravou muito a economia, as industrias estão com grandes prejuízos, comércios fecharam as portas, taxa de desemprego altíssima. Dessa forma o processo de estabilidade será lento.

    Kevin Barbosa Nery · 13/05/2021 às 19:58

    Exatamente, essas consequências só serão sanadas a longo prazo. O governo brasileiro está com uma certa dificuldade para vacinar toda a população, gerando assim um tempo maior para que tudo volte a funcionar corretamente.

Jadas Ferreira Amancio 202118921 · 13/05/2021 às 15:32

É fato que essa pandemia causada por esse vírus maldito vem trazendo muitos impactos econômicos e em toda sociedade, pois além de ceifar muitas vidas vem produzindo efeito econômicos devastadores.por falta de políticas publicas mais eficaz afeta vários ramos empresarial como grandes e pequenas empresas procurando novas formas de ser manter no mercado cada vez mais competitivo, inovando em outros maneira para nao demitir eu funcionário.por outro lado pedir que seja vacinado todo populaçao para que possa voltar com sua atividade voltando estabelecer economia.

Adriano Heleno Pereira da Silva · 13/05/2021 às 16:36

É evidente o impacto da COVID 19 na economia Brasileira. Os dados trazidos pelo texto hora em analise, nos dar uma dimensão do quão grande foi esse impacto na economia Brasileira. mais do quer evidenciar, nos trás questões relevantes que se agravaram com a explosão da pandemia em nosso país.
Diga-se de passagem que, esse impacto sofrido pela economia Brasileira não é um fato isolado, pois o mundo estar sofrendo, já que estamo tratando de um efeito epdemológico em nível global.
Mesmo o Brasil, tendo sinalizado que a partir de 2020 voltaria a crescer econômicamente, os impactos do novo COVID 19, Impõe um desafio gigantesco a equipe econômica, já que o mesmo produziu um encolhimento significativo no processo de crescimento do País.
Os desafios são enormes, não só por conta da recessão na economia, mais por quer junto desse agravante, outros foram suscitados exemplos; saúde e desemprego alto como outras questões de cunho social exemplo; desigualdade social. O desafio é grande, por quer todas essas demandas passam sem dúvidas por uma economia equacionada.

Carlos Roberto de Freitas · 13/05/2021 às 17:49

A pandemia causou para o Pais um estrago muito grande, na economia trazendo desempregos fome e causando uma falta de rentabilidade a qual atingem as pessoas, apesar do nosso Governo ter criado o Auxilio emergencial, tem ajudado mais ainda não é o suficiente.

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 14/05/2021 às 15:38

    Caro colega, salario emergencial , já diz emergência, o país precisa de políticas públicas eficiente.

    Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 18:38

    Concordo em partes, pra mim o auxílio emergencial é uma migalha, hoje em dia esta cada vez mais difícil de viver nesse pais, as coisas só estão aumentando e o salário mínimo continua o mesmo, salve alguns reajustes ridículos ao longo dos anos. Por isso cada vez mais a inflação sobe, o governo distribuindo dinheiro, (criando notas altas R$200) só desvaloriza mais ainda o nosso Real.

Kevin Barbosa Nery · 13/05/2021 às 19:55

Com base nos dados , podemos observar que o corona vírus tem afetado de forma geral a economia Brasileira, contudo , vale ressaltar que a população também uma parcela de culpa não respeitando todas as medidas de prevenção.
O governo brasileiro também tem uma parcela de culpa , pois, demorou para tomar as medidas cabíveis para que a nossa economia não fossem tão afetadas.

    Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:25

    O governo não tomou as devidas providências que deveria ter tomado no início da pandemia.
    Que era isolamento social e investimento na fabricação das vacinas.
    Assim acredito que a economia do país estivesse mais equilibrada,
    pois muitas classes trabalhadoras já estariam voltado aos seus ofícios.

      Daisy · 22/05/2021 às 21:03

      Concordo com você colega, se houvesse um maior cuidado do governo no inicio da pandemia já teríamos mais pessoas vacinadas, e os trabalhadores já estariam movimentando novamente a economia, mas o descaso do governo foi imensurável, foi não, ainda esta sendo!

      Maria da paz Conceição · 23/05/2021 às 20:56

      Teve pouca importância da parte do governo e também da população, o Brasil via o que estava acontecendo nos países infectados e não pegaram o exemplo. em pleno pico da pandemia se aglomerando em eleições, comissos essas coisas..

        Ana Teresa Mendonça Suzaki · 31/05/2021 às 09:40

        Até o Brasil bater seu próprio recorde de mortos, não só o governo como várias pessoas subestimam o vírus, dizendo ser ” apenas uma gripezinha ” .

      Ana Teresa Mendonça Suzaki · 31/05/2021 às 09:50

      O governo deveria ter se precavido assim que a pandemia mostrou os seus primeiros sinais.

        Emilly Mayra · 09/06/2021 às 09:52

        Concordo ana, porém o descaso foi notório e a situação está aí com várias empresas fechada e cidadãos desempregado

        Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 03:57

        Concordo a pandemia vem causando grandes estragos tanto econômico e trazendo outras diversas doenças que são agravantes no meio da sociedade e vem só crescendo o índice

    Mariane Ribeiro Corado · 12/06/2021 às 17:49

    Concordo, o governo foi irresponsável, eles tinham conhecimento do perigo e o estrago que essa doença poderia causar se chegasse no país, mas os invés de tomar as precauções eles resolveram esperar as coisas ficarem descontroladas. E quando houve o primeiro decreto de isolamento social, muitas pessoas não respeitaram.

Victor Hugo Mendonça Miranda · 13/05/2021 às 22:29

A pandemia que tivemos desde o final de 2019 até os dias de hoje, afetou muito a parte econômica no Brasil, e também no mundo. Como comentado pelos colegas, o país teve números históricos de desemprego. Imagens desoladores de comércios de todos os tipos fechando suas portas por conta da recessão que atingiu em cheio a classe trabalhadora, a mesma que faz a economia girar. Alavancados pela alta das moedas estrangeiras e igualmente pela dificuldade na produção de alguns itens em outros países, o Brasil conseguiu atingir recordes na exportação de alguns ramos da economia, como a pecuária e agricultura, que se não fosse essa alta significativa a recessão vivida por aqui poderia ter se agravado de forma mais intensa, aumentando ainda mais o rombo nos cofres públicos de um PIB em queda por conta da pandemia.

fontes:
http://www.paranacooperativo.coop.br/ppc/index.php/sistema-ocepar/comunicacao/2011-12-07-11-06-29/ultimas-noticias/134173-comercio-exterior-brasil-bate-recordes-historicos-de-exportacoes-e-superavit-da-balanca-comercial-em-abril

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2021/01/18/exportacao-total-de-cafe-do-brasil-bate-recorde-de-445-mi-sacas-em-2020-diz-cecafe.htm

Victor Hugo Mendonça Miranda · 13/05/2021 às 22:49

Em 2019 até os dias de hoje, a pandemia tem afetado a economia não só no Brasil, mas também no mundo. Como comentado pelos colegas, o país teve números históricos de desemprego. Imagens desoladores de indústrias e comércios de todos os tipos fechando suas portas por conta da recessão que atingiu em cheio a classe trabalhadora, a mesma que faz a economia girar. Alavancados pela alta das moedas estrangeiras e igualmente pela dificuldade na produção de alguns itens em outros países, o Brasil conseguiu atingir recordes na exportação de alguns ramos da economia, como na pecuária e agricultura, que se não fosse essa alta significativa a recessão vivida por aqui poderia ter se agravado de forma mais intensa, aumentando ainda mais o rombo nos cofres públicos de um PIB em seguidas queda por conta da pandemia.

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 14/05/2021 às 15:34

    Concordo plenamente com o colega, pois a pandemia afetou sim, na vida quanto na economia, mas os empresários e governantes aproveitaram da situação, para enriquecerem cada vez mais.

Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 14/05/2021 às 15:18

A crise na pandemia e na economia brasileira. A crise chega ao Brasil no período de estagnação econômica, criado pelo efeito da crise de 2014, em 2015, quando o Brasil teve uma taxa de crescimento menor, inferiores a 1,5%, um índice considerado baixo para os país emergentes. na verdade é que a economia brasileira sofreu um tombo nunca previsto na história brasileira. A necessidade de isolamento social o avanço da Covid-19, indústria, comércio com redução na produção e vendas de produtos, empresas sendo obrigada a fechar portas, deixando vários funcionários sem seus empregos. A crise também é um sinal de oportunidade para empresas e empreendedores que vislumbraram em plena pandemia uma possibilidade de oferecer novos serviços ou ajustar antigas rotinas ao “novo normal”. segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, que analisou pequenos negócios, a pandemia mudou o funcionamento de 5,3 milhões de pequenas empresas no Brasil, equivale a 31% do total.

    Yorrana Alves de Sousa Lopes · 19/05/2021 às 21:20

    Imapcto**

Emilly Mayra · 14/05/2021 às 17:09

É bastante notável a virada que teve no cenário econômico em decorrência da pandemia, visto que os dados apresentados no arquivo deixa bem claro a suas quedas afetando em uma escala global, não somente no Brasil mas no entanto em outros países a economia ficou meio que de certa forma parada durante o período de quarentena assim tendo quedas bruscas em vários pibs mundiais assim como no Brasil onde a queda do pib em 2020 foi de 4,3%.

    Mayko Parente Alves · 19/05/2021 às 20:59

    Vários outros países realmente tiveram um impacto menor na economia. Talvez por terem conseguido lidar melhor na contenção do contagio do vírus.

      Emilly Mayra · 09/06/2021 às 09:50

      Exatamente creio que muitas empresas souberam se reiventar durante esse processo de pandemia para se manter no mercado

Emilly Mayra · 14/05/2021 às 17:13

Creio eu que após a pandemia o país tera que enfrentar alguns desafios: o desemprego o aumento da pobreza o grande número de falências e a necessidade de um mercado de crédito mais eficiente para amenizar os impactos da pandemia

Sérgio Antonio Marques Vieira · 14/05/2021 às 18:42

Os principais impactos da pandemia do corona vírus na economia é nas pequenas empresas. Elas não conseguiram se adaptar ao isolamento social e tiveram grandes prejuízos nas suas atividades. Sem contar a falta de iniciativa, por parte do governo, para assistir a essas empresas, o que causou a falência de muitas delas. Creio que só será possível retomar a economia nacional com programas de auxilia as pequenas empresas, pois elas foram as que mais sentiram os efeitos do isolamento social. Sem ter como vender seus produtos, elas foram apara a UTI e estão precisando do aparelho público para respirar e sobreviver.

    kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:59

    Bem colocado Sergio, só discordo quando voçê fala que as pequenas empresas foram para a UTI, na verdade elas já viviam na UTI, desde muito antes da pandemia o governo não colabora com os pequenos empresários. As medidas de fechamento do comercio só veio fechar a tampa do caixão dessas pessoas.

Elisete · 14/05/2021 às 19:48

Acredito que depois da pandemia, o Brasil continuará sofrendo com a crise econômica, Pois o País chegou a um estado de calamidade,onde muitas pessoas estão sofrendo passando fome, desempregado, em desespero, com depressão e sem saber o que fazer. Porém muitos não estão fazendo o isolameno social no que tem agravado mais casos da doença.

    Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:18

    Além de não fazerem o isolamento social vem a lentidão nas vacinas, o que causa mais casos da doença e deixa a população mais vulnerável a toda esse situação caótica no país.

    Cristiano Silva de Souza · 20/05/2021 às 22:20

    A população menos favorecida vai pagar o preço, se o Brasil não melhorar suas politicas publicas e haver uma fiscalização em massa no BIP, não vai haver crescimento da economia.

    Daisy · 22/05/2021 às 20:58

    Muitas famílias são ‘impedidas’ até mesmo de fazer o isolamento social, e colocam suas vidas em risco para conseguirem alimento, muitas famílias estão em extrema miséria sem saber o que fazer.

      Ana Teresa Mendonça Suzaki · 31/05/2021 às 09:21

      Isso poderia ter sido evitado caso o nosso governo não tivesse subestimado o vírus aos primeiros sinais, e feito o máximo de preparo para que a população não fosse obrigado a passar por tanto sofrimento.

    Eliane jesus dos santos · 25/05/2021 às 18:34

    concordo Elisete que essa pandemia vai passar mas a crise na economia ainda vai estar por aí, ainda vai haver desemprego e fome por um longo período .

Eduardo Borges Peixoto · 15/05/2021 às 12:12

Os males causados pela pandemia, foram vários. Primeiramente, vimos algo que não era normal em quase nenhuma parte do mundo que foi o fechamento das porta, seja em comércios, nas casas, nas empresas. Com isso, foram poucas as pessoas que saíram neste primeiro momento, foi por causa de uma grande, necessidade de sustentar seus familiares. Pois, mesmo com o governo tentando ajudar, de certa forma, com a utilização dos fundos nacionais o auxílio emergencial.
Ademais, o (Lockdown), para muitas pessoas, foi simplesmente impossível de suportar. Dado o fato que, o ser humano não consegue ficar sendo impedido de fazer certa coisa. Os indivíduos tem dificuldades de para com o, isolamento social. Em outra via, a economia mundial e no âmbito nacional. Com esta corrida, contra uma doença que consumiu boa parte da população que desfigurou família. Assim nos fazendo, perceber o quanto somos frágeis e que precisamos muito uns dos outros. Foi possível também, visualizar que o fundo nacional esta correndo perigo, pois os gastos foram grandes é muitas pequenas empresas foram fechadas ou tiveram um corte em seu efetivo.
Outrossim, o povo se sentiu bastante a coado com tudo isso, pelo fato de que, seus empregos estavam em jogo e sua situação financeira ia de mau a pior, tudo que se ver são as poucas empresas que ainda estão contratando em meio a pandemia, oferecendo salários baixos, isto é, o que é recebido quase que não dá para sobre viver, porque, praticamente tudo aumentou o valor, não somente pelo fato da (COVID-19).

    Maria Aparecida Ferreira da Mota Gonçalves 201921302 · 18/05/2021 às 18:25

    Sim, a pandemia com isolamento ,casou outras doenças como: depressão, ansiedade, síndrome do panico isso causando mais gastou com médicos, psicólogos e medicamentos, aumentando defasagem na economia familiar.

      Cristiano Silva de Souza · 20/05/2021 às 22:13

      A pandemia vem deixando seus rastro de dor e sofrimento, as pessoas estão doente da mente, onde seus valores éticos e morais não estão sendo atendidos pelos nosso governantes, será possível que pos-covid possa transformar as pessoas, em cidadãos melhores.!

        Ana Teresa Mendonça Suzaki · 31/05/2021 às 09:17

        Mesmo que a pandemia melhore com o tempo, os rastros que vem deixando não vão desaparecer facilmente, esse tempo que estamos vivendo vai ficar pra sempre marcado como uma das piores crises do mundo, não só no Brasil e também não só psicologicamente.

      Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 03:56

      Concordo a pandemia vem causando grandes estragos tanto econômico e trazendo outras diversas doenças que são agravantes no meio da sociedade e vem só crescendo o índice

Ana Carla da Silva · 15/05/2021 às 22:54

A crise causada pelo Corona Vírus gera um impacto econômico exacerbado comparado as crises econômicas anteriores que o país já enfrentou. Devido as propriedades sanitárias da crise, o isolamento social se tornou necessário e este aspecto é o que impede a eficácia das políticas monetárias que lograram êxito em crises econômicas anteriores, como a de 2008, por exemplo. Uma vez que o setor de serviços é o maior da economia brasileira, a redução da demanda e circulação de consumidores teve e continua tendo um impacto considerável na economia geral do Brasil, veja— Uma fábrica pode recuperar o que deixou de produzir na pandemia aumentando a mão de obra e os turnos de produção, mas uma cliente não irá ao salão fazer a unha 5 vezes mais, só porque deixou de fazer durante a pandemia.
Ademais, a falta de medidas mais rígidas para o controle da disseminação do vírus no início deste evento, por parte do governo brasileiro, sob o argumento de evitar o aumento do desemprego não obteve sucesso, pois o tempo que já dura a pandemia acabou expondo muito mais o mercado, ocasionando o fechamento de vários tipos de negócios, consequentemente, aumentando o desemprego. Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) o mercado de trabalho brasileiro teve um pior desempenho na pandemia do que a Palestina, México e Paraguai. Assim sendo concluímos que o governo Brasileiro teve um desfavorável “tradeoff”.

Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 16/05/2021 às 17:14

É importante ter em mente que a crise da pandemia do coronavírus, além do maior impacto sobre PIB brasileiro, tem caráter bastante distinto da crise financeira global de 2008. Por afetar diretamente a capacidade produtiva, a crise da pandemia faz com que as políticas monetárias sejam relativamente ineficazes na retomada da atividade. É por isso a importância da política fiscal expansionista (gasto do governo) para a retomada econômica no pós-pandemia. A percepção incorreta de que a pandemia é uma crise temporária e de sua gravidade pode comprometer a recuperação econômica e prolongar o cenário de estagnação da economia brasileira.

Denis Pinheiro Magalhães · 16/05/2021 às 19:18

Antes de qualquer reflexão acerca da matéria em referência, é preciso nos despirmos de qualquer convicção ideológica, precisamos ser apartidários. Digo isso, pois o autor deixa claro que já experimentávamos uma crise mundial aliada a uma crise política/econômica nacional desde 2014. Ambos os fatores já obrigavam o Brasil a viver uma recessão, onde ficamos estagnados economicamente até o início da pandemia em 2020. Dito isso, muitos economistas defendem o aumento dos gastos públicos, objetivando o aquecimento da economia de uma forma em geral, pois assim teríamos mais dinheiro circulando. Porém, sabemos que o governo não tem demonstrado eficiência em relação a tais gastos, o que acaba por desmotivar o setor produtivo da sociedade, que se vê taxado com uma carga tributária muito alta, a fim de que o governo arrecade mais e faça os investimentos necessários. Mas isso acaba por desmotivar os setores produtivos, se pensarmos que eles é que acabam bancando os “Programas Sociais” criados pelos governantes, os quais deveriam ser temporários, mas acabam permanecendo, em decorrência do viés político (voto). Com os setores produtivos desmotivados a economia deixa de crescer. É claro que os programas sociais devem existir, ainda mais em tempos de pandemia, onde as possibilidades de geração de renda ficam limitadas em decorrência dos protocolos de segurança exigidos (isolamento social). É assustador, quando o autor relata que 43,0% dos lares brasileiros ficaram dependentes de algum auxílio emergencial. Isso nos dá mais coragem para cobrar adequações nos gastos públicos gerados pelo governo a fim debelar a desigualdade social, escopo de qualquer nação desenvolvida. Cabe ressaltar, que atualmente o governo vive uma situação de Tradeoff no que diz respeito a economia, ao se deparar com a situação conflitante entre decidir em qual área aplicará mais verbas. Será que a saúde deveria receber mais verbas em detrimento do crescimento do país ?

    Udirlei Domingos Ferreira · 20/05/2021 às 00:49

    Eu acho que a saúde é necessária e sem ela não há que se falar em buscar outras coisas. O problema não reside em dar mais verbas para saúde. O governo federal deu muito dinheiro, para os Estados e Municípios, para o enfrentamento do novo coronavírus, mas alguns governadores e prefeitos sumiram com esse dinheiro, ou seja, dinheiro teve e tem. Em suma, saúde nunca foi tida como lucro, mas sim como prejuízo para o governo, portanto, ao meu ver, o crescimento do país está prejudicado pelo fato da corrupção e desvios feitos, desde sempre, por parte de governadores corruptos.

      Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 10/06/2021 às 21:07

      Concordo. A pandemia do covid-19 foi usada como meio de corrupção. Muitas mortes se deve a irresponsabilidade dos governantes e não por falta de verba pública. Políticos e oportunistas sempre procurando uma forma de deixar a população mais pobre e sem recursos.

Rosangela Rosa Barbosa da Silva · 18/05/2021 às 01:43

O Grande impacto negativo gerado pela pandemia na economia não só brasileira bem como mundial, vem aumentando cada vez mais, com o isolamento social e o aumento no numero de desempregados faz com que a taxa de familia que ocupam lugar na extrema pobrema cresça cada vez mais. Podemos observar que a parte mais afetada pela pandemia foi a classe trabalhadora (populacao de baixa renda) O auxilio emergencial infelimente nao pode suprir as necessidades de familias que moram de aluguel e tem um determinado numero de componentes. Diante de tantas perdas, hoje temos que escolher entre ficar em solamento para nos proteger e proteger o proximo ou sair para buscar o sustento e colocar em risco nossos familiares.

    Bruna Micaelly Gonçalves Torquato De Sousa · 03/06/2021 às 15:34

    verdade Rosangela, infelizmente o auxilio emergencial foi de um valor baixo e que supre pouco as necessidades das pessoas, e com a taxa de desemprego aumentando o número de pessoas que vive abaixo da linha da pobreza triplicou no Brasil durante a pandemia.

      Andreza Lopes Nunes da Silva · 13/06/2021 às 14:57

      A economia do país está destabilizada muito antes da pandemia, vem nesse desfalque de governo anteriores . Com o início da pandemia a economia piorou muito , onde os governantes decidiram pelo fechamento dos comércios , fazendo com que o desemprego no Brasil crescesse siguinificamente.

Lucilene moreira martins · 18/05/2021 às 14:46

A necessidade de isolamento social para conter o avanço da Covid-19 fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. A princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção.

Mas, a partir do ponto mais crítico da crise, entre abril e maio, cada setor teve uma retomada em dinâmicas diferentes. Com as políticas de incentivo fiscal e preservação do emprego criadas pelo governo federal, beneficiaram-se a indústria e o comércio de bens. O grande vencedor foi o comércio eletrônico, que registrou altas recordes de faturamento mês a mês e a adesão de novos clientes em ambiente digital.

Eliane jesus dos santos · 18/05/2021 às 17:26

Devido a pandemia do covid 19 Nosso país sofreu grande impacto na economia, isso ocasionou o fechamento de varias empresas grandes e pequenas, aumentando consequentemente o desemprego, devido o isolamento social muitos comerciantes se viram num beco sem saída, com seus comércios fechados muitos não tiveram condições de abrir novamente, deixando assim seus funcionários sem emprego e com isso sem condições de estarem sustentando suas famílias, o governo criou o auxilio emergencial para ajudar a população mas ainda está bem longe e ser uma solução para esse problema..

    Udirlei Domingos Ferreira · 20/05/2021 às 00:13

    Eliane jesus dos santos, concordo com você. Realmente esse auxílio emergencial não é a solução para o problema gravíssimo pelo qual o Brasil está passando, ou seja, o país está quebrado, não há uma solução, pelo menos, a curto prazo, ou seja, enquanto não houver a imunização, em massa, da população, não voltaremos a ver grandes mudanças no nosso pais.

    Adriana Marques da Silva · 21/05/2021 às 17:49

    Concordo com você acredito que o auxilio emergencial não seja suficiente para resolver o problema já que o valor oferecido agora não é suficiente e com os corte deixou de atender todos que necessitavam.

Maria Aparecida Ferreira da Mota Gonçalves 201921302 · 18/05/2021 às 18:18

O impacto da pandemia causou um desequilíbrio geral na Economia, nas industrias , e no comercio, cancelamento de eventos essas atividade paralisadas, ocorreu o desemprego. Devido muitas empresas não ter recursos para pagar aluguel e salário dos funcionários. O impacto ainda foi maior para os profissionais liberais, com o fechamento não conseguiam vender seus produtos. O governo Federal para amenizar liberou um auxilio emergencial. Outro beneficio liberados aos trabalhadores foi a liberação do FGTS emergencial. Para as industrias foi prorrogado isto é adiando o pagamento de impostos e também a possibilidade de um crédito emergencial para pagamento salarial. Muitas pessoas desenvolveram como alternativas os serviços de rome office, para diminuir os efeitos da pandemia. Os profissionais autônomos e ambulantes criaram um meio de trabalhar por telefone, online e em redes sociais. Com isso favoreceu o desenvolvimento digital, ensino a distancia com aulas remotas foi a solução encontrada como emergencial e sem aglomeração. Também o Delivery foi um meio de renda extra, utilizando aplicativos para oferecer seus serviços. Foi um grande desafio para enfrentar a recessão da economia causada pela pandemia.

Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:13

Que se estivesse sido levado a sério desde o início não teríamos chegado a esse ponto.

    Mayko Parente Alves · 19/05/2021 às 20:52

    Verdade. A maioria não levou a sério no inicio. Não deveria nem ter acontecido as festas do carnaval em 2020.

    Patricia Ramos Machado · 24/05/2021 às 17:02

    Acontece que algumas pessoas sao dao importancia quando ocorre na familia ou aos vizinhos para terem a certeza que realmentd esta gravissima a doença . E previnicao ate hoje nao esta 100% por alguns cidadaos

    Eliane jesus dos santos · 25/05/2021 às 19:24

    verdade demorou ser levado a serio, quando reconheceram a gravidade da situação o estrago já estava grande.

Cristiana santos de Almeida · 18/05/2021 às 22:38

O Brasil chegou aos 10 milhões de casos registrados de covid-19 antes mesmo de um ano do primeiro caso confirmado do novo coronavírus, em 26 de fevereiro do ano passado. A cada três segundos, um brasileiro teve confirmada a doença, que já matou mais de 240 mil pessoas, o equivalente a uma cidade do porte de Itaboraí, no Rio, a 120ª maior do país.

Na esteira da “maior crise sanitária da nossa época”, como chamou a Organização Mundial de Saúde (OMS), a economia brasileira mais uma vez não andou — ou melhor, foi para trás. A estimativa mais recente de analistas consultados pelo Banco Central é que o PIB (Produto Interno Bruto) tenha encolhido 4,3% no ano passado. Parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 19/05/2021 às 18:40

    A pandemia trouxe uma grande lição de vida. Na economia todos tiveram grandes perdas, mas também souberam aproveitar oportunidades que surgiram durante este longo tempo de isolamento social.

      Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 12:57

      Concordo com a colega, podemos ver por esse lado da inovação e criatividade do povo brasileiro, que mesmo sem saída, arruma um meio de sustento para sua família.

    Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 20/05/2021 às 15:37

    Presada colega, no Brasil e no mundo todo, a pandemia fez estrago, foram todos pego de surpresa, ainda vai demorar um longo tempo para recuperar.

Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 19/05/2021 às 18:43

A crise na pandemia e na economia brasileira. A crise chega ao Brasil no período de estagnação econômica, criado pelo efeito da crise de 2014, em 2015, quando o Brasil teve uma taxa de crescimento menor, inferiores a 1,5%, um índice considerado baixo para os país emergentes. na verdade é que a economia brasileira sofreu um tombo nunca previsto na história brasileira. A necessidade de isolamento social o avanço da Covid-19, indústria, comércio com redução na produção e vendas de produtos, empresas sendo obrigada a fechar portas, deixando vários funcionários sem seus empregos. A crise também é um sinal de oportunidade para empresas e empreendedores que vislumbraram em plena pandemia uma possibilidade de oferecer novos serviços ou ajustar antigas rotinas ao “novo normal”. segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, que analisou pequenos negócios, a pandemia mudou o funcionamento de 5,3 milhões de pequenas empresas no Brasil, equivale a 31% do total.

Mayko Parente Alves · 19/05/2021 às 20:50

Devido a pandemia, assim como diversos outros países, o Brasil teve que tomar medidas drásticas para conter o contágio do COVID-19. Uma dessas medidas foi o isolamento social, que teve um grande impacto na economia refletindo em quedas na produção brasileira em diversas áreas. Outro ponto de dano à economia devido a pandemia foi a queda brusca na exportação e importação brasileira. No qual necessitará de muito mais tempo do que o previsto pelos gestores políticos atualmente.

Patricia Ramos Machado · 19/05/2021 às 23:16

O maior pensamento sobre covid -19 é por que os outros países ,90% da população ja foram vancinadas e o Brasil , o indice esta baixa cerca de 19% de cidadãos vancinados ,Os politicos fazem promessa de uma campanha mais eficaz ,mas ate agora ficou so no papel

    Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 12:55

    Colega, você acha que a vacina é a solução para a pandemia? E a que ponto isso interfere na economia.

Udirlei Domingos Ferreira · 19/05/2021 às 23:56

A pandemia do coronavírus (COVID-19) trouxe não só prejuízos para a saúde, mas, sobretudo, para a economia do país. O Brasil não soube lidar de forma eficiente com a pandemia e por causa disso, a nossa economia, que já estava fragilizada veio a piorar. Devido ao avanço da doença, no Brasil, optou-se por fechar os comércios e restringir o direito de ir e vir das pessoas, inclusive o direito de trabalhar. Isso trouxe grandes prejuízos para o país do ponto de vista econômico. Empresas quebraram, fecharam as portas e com isso milhares de pessoas ficaram desempregadas. O Governo Federal, desde o começo, alertou que a economia poderia entrar em colapso com o fechamento dos comércios e com a paralização da economia. Desde o começo da pandemia, o Governo Federal vem alertando para a questão econômica do pais, ou seja, a ideia era tratar a doença e cuidar da economia, pois a fome também mata, ou seja, as pessoas precisam trabalhar pra comer e sustentar suas famílias.

Naisa Sousa dos Santos Rodrigues · 20/05/2021 às 16:34

Com o isolamento social as pessoas sendo obrigada a ficar em suas casas, foram afetada tanto no ramo financeiro quanto no psicológico, ver família inteira perder a vida por um vírus chamado covid-19.

    Mariane Ribeiro Corado · 12/06/2021 às 17:54

    Mas não havia outra forma de evitar que o vírus se espalhasse pelo país, mesmo com o isolamento muitas pessoas morreram, esse número seria bem maior se não houvesse.

Cristiano Silva de Souza · 20/05/2021 às 21:24

A pandemia de coronavírus levou à necessidade dos governo de impor o isolamento social na tentativa de conter a propagação do vírus. Entretanto, a consequência natural foi a redução brutal da atividade econômica, o que levou à demissão em massa de funcionários e ao endividamento das empresas para evitar a falência. Dentre as atividades empresariais que podem ser adotadas para evitar a inadimplência e melhorar o desempenho financeiro estão a renegociação da dívida com os credores, a solicitação de auxílios e subsídios do governo e o corte de gastos aonde for possível.

Cristiano Silva de Souza · 20/05/2021 às 21:49

Os impactos econômicos da crise do coronavírus são diretamente relacionados à determinação do isolamento social e podem ser decompostos em três componentes: impacto imediato diante das restrições à produção e ao consumo; duração do período de recuperação; e impacto sobre a trajetória de longo-prazo da economia. Quanto mais longo o período de isolamento, maiores serão os custos nessas três dimensões. Os custos imediatos foram estimados a partir de um levantamento detalhado de informações para os 128 produtos da Tabela de Recursos e Usos do IBGE. O valor obtido é de R$ 20 bilhões por semana durante a paralisação. Considerando o cenário de retomada cíclica até o segundo trimestre de 2021, reduções estruturais no nível do PIB de longo prazo de 5%, em comparação com o cenário de nenhum impacto no longo prazo, reduzirão o PIB semanalmente em quase R$ 5,0 bilhões no segundo semestre e em R$ 7,5 bilhões em 2021. Esses valores tendem a ser muito piores caso consideremos um período de paralisação maior que até 31 de maio.

Lucas · 20/05/2021 às 22:41

O grande cáos da pandemia, trouxe tragédia não apenas para a saúde da população, mas também afetou a economia drasticamente. Na chegada do vírus, surgiu um grande desemprego no Brasil, fazendo com que os pobres ficassem mais pobres e os ricos tivessem uma alta desaceleração no lucro de suas empresas. A primeira onda deixou a população do mundo inteiro em choque, com medo de morrer pelo vírus ou pela fome, o mundo parou. Com a queda de mortes, aos poucos, comércios foram sendo liberados com muita restrição, e com o pouco desempenho de vendas dos pequenos e grandes empreendedores em seus negócios a quebra de comércios foi se tornando maior cada vez mais.
Na segunda onda houve um impacto menor, porém o desemprego e a fome por conta das restrições ainda prevalecia. O LOCKDOWN(medida restritiva com o intuito de diminuir os casos de morte ) fez com que comércios abertos a noite fossem fechados das 22h ás 5h da manhã ,ocorrendo um índice maior de desemprego, porém a quantidade de pessoas mortas pelo vírus foi diminuindo, fazendo com que o decreto fique menos rígido.

Gustavo Biângulo de Oliveira · 21/05/2021 às 09:44

A pandemia causou varias situações, no qual afetou muito as familias pois tendo que ficar em casa para não contrair o virus, não tem como ir trabalhar assim muitas familias estavam passando por dificuldades, pois sem trabalhar como vamos colocar comida em casa certo. E isso tambem foi muito ruim em questão das empresas pois não teriam funcionarios, como iriam ter produão eficaz sendo que não tinha seus funcionarios, assim fazendo com o que as empresas percam muito nos seus meios de produção, pois nem tudo da pra ser feito em home office. Assim fazendo com que a economia entre em crise.

    Amanda Lorena Mendonça Cardoso · 03/06/2021 às 18:44

    Concordo plenamente, a pandemia teve um impacto profundo no mercado de trabalho, afetando principalmente os trabalhadores com menor proteção social e baixa escolaridade.

    José Lucas · 12/06/2021 às 01:38

    Falando sobre home office, muitas empresas tiveram que se adaptar ao cenário atual e investir em tecnologia para desenvolver seus trabalhos, evoluindo para uma nova era. Esse novo cenário em que as empresas se encontram, vai influenciar muito a economia nos próximos anos.

Adriana Marques da Silva · 21/05/2021 às 17:39

A COVID- 19 impactou bastante a economia brasileira, pois o vírus é altamente contagioso e exige distanciamento social para frear a sua propagação, assim demos inicio aos lookdowns os quais levaram o comercio e muitas empresas a fecharem por conta da instabilidade gerada. O fechamento do comercio contribuiu para o aumento do desemprego que fez com que muitas pessoas ficassem desempregadas e passarem a depender da ajuda de outras pessoas e do governo (auxilio emergencial) para suprirem suas necessidades básicas assim contribuindo para aumento da desigualdade social. Esse descontrole da pandemia levou o país ao colapso, onde varias areas vem sofrendo com a escassez de recursos principalmente a saúde que não tem vacinas suficientes para atingirmos a imunidade de rebanho da população assim dificultando o combate do virus e a retomada de todas as atividades do país.

Vitor Ruan Gomes de Oliveira · 22/05/2021 às 03:48

É notório que a pandemia ocasionou de maneira extrema um abalo diretamente na vida da população, na economia Brasileira e no mundo, o brasil já vem de anos tendo uma economia prejudicada e com baixo aumento no PIB e no desenvolvimento, com a pandemia, o pais se afunda cada vez mais em uma recessão, vale ressaltar que em uma economia como a do brasil o que leva vários anos para o crescimento do PIB ,em apenas alguns meses ou cerca de um a dois ano pode – se regredir de maneira significativa o crescimento da economia, que levaria basicamente o dobro do tempo para voltar ao normal.

Núbia ágata santana dos santos 202118324 · 22/05/2021 às 15:39

A economia brasileira ja caminhava a passos lentos rumo à recuperação, mas a pandemia transformou todo otimismo em projeções sombrias, ampliando as desigualdades e provocando um ambiente muita insegurança pois era tudo muito incerto. o número de desempregados subiu e chegou a 12,8 milhões(12,6%)

Divina Barbosa Da Hora · 25/05/2021 às 20:34

Concordo com os colegas, diante desse convívio com a pandemia COVID-19 trouxe muitas desavenças para todas as sociedade. A crise econômica no país e no mundo cada vez pior, isolamento social muitas pessoas sofrerem perderem, seus empregos e alguns que arriscou indo trabalhar para garantir sua renda perdeu também a vida. Muitos empreendedores fechou suas empresas, há pessoas muitas desempregadas.

    Paula Rocha de Souza · 02/06/2021 às 20:30

    Concordo com a colega, houve uma crise de demanda e oferta devido as empresas terem de paralisar suas produções o que interrompeu toda ou parte da renda dos brasileiros.

Danielle dos Santos da Silva · 25/05/2021 às 23:03

A pandemia afetou tanto a economia do Brasil que diversas pessoas perderam seus empregos, empresas faliram e a taxa de suicídio cresceu, os setores comerciais e turísticos foram o principal foco do desfalque. Foram feitas promessas de melhoria na economia brasileira, onde melhoraríamos e teríamos mais capital, o que não deu certo e deixou o país mais negativado do que já estava. O crescente aumento na inflação fez com que o capital dos mercados entrassem em queda, assim aumentando o preço do dólar, fazendo com que os produtos ficassem cada vez mais caros, um exemplo disso é o arroz, quanto maior a taxa de inflação maior o preço do arroz. Mas vale a pena se perguntar, com diversas mortes acontecendo, talvez não no ápice, mas em um difícil capitulo da pandemia é realmente necessário abrir os comércios para tentar salvar o país? Abre se assim um questionamento válido.

    José Lucas · 12/06/2021 às 01:26

    Analisando um ponto importante que você apresentou sobre o aumento da inflação, eu pude observar que a classe mais baixa foi a que mais sofreu como sempre, pois com salário mínimo atual está praticamente impossível uma pessoa sustentar a sua família! Na verdade tá difícil até da própria pessoa se sustentar, principalmente com a alta no preço dos alimentos.

Danielle dos Santos da Silva · 25/05/2021 às 23:05

quanto vale a vida humana?

    Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 13:00

    É imensurável, as pessoas no poder estão usando vidas como jogo político e isso é lamentável e sujo.

Pollyana Ferreira Do Nascimento · 26/05/2021 às 01:04

O Brasil atualmente, é um dos países mais afetado pela Covid-19, não somente pelo descuido da população, mas também por negligencia governamental.

Em meio a pandemia no Brasil, surgiram alguns decretos, como o fechamento temporário de diversos estabelecimentos comerciais, afim de diminuir a contaminação, mas as necessidades de isolamento social impostas pelos governantes de forma desorganizada, colocou pequenas e médias empresas em risco de falência, e trabalhadores sendo demitidos em massa. Em julho de 2020, o país tinha 5,8 milhões de pessoas afastadas do trabalho devido ao distanciamento social, o que certamente gerou um grande impacto sobre a economia, há outros fatores que causam a recessão na economia, são eles: inflação de produtos, como podemos presenciar na gasolina, gás etc. ,aumento do dólar, queda na renda familiar, também é possível visualizar impactos no setor externo da economia brasileira, as exportações caíram -7,7% e as importações -5,21% no 1º semestre de 2020. O governo afim de amenizar os impactos na economia e ajudar as famílias de baixa renda investiu bilhões de reais em um programa de ajuda (auxílio emergencial), mas com desvios e fraudes, ocasionou um impacto negativo na economia.
Infelizmente até o momento não temos uma visão otimista para diminuir os danos causados pela pandemia na economia.

Ana Teresa Mendonça Suzaki · 26/05/2021 às 17:04

O Brasil não estava preparado para enfrentar a pandemia, nem economicamente e muito menos psicologicamente. Por isso quando o vírus chegou ao país, foi decretado o lockdown para evitar que o número de mortes aumentasse, e o resultado foi muitas pessoas deixaram de trabalhar, e algumas perderam o emprego por causa da crise, muitas empresas, pequenos negócios foram fechados, e mesmo alguns lugares reduziram o numero de funcionários por falta de dinheiro. Mesmo enfrentando essa crise a mais de 1 ano a situação se encontra longe de ser chama de estável.

Marcella Ribeiro · 28/05/2021 às 11:26

Desde o início da pandemia o Brasil vem mostrando o descontrole da situação, e descaso dos governantes, na segunda onde de COVID principalmente os jovens são atingidos, e até então não há vacina disponível para a população toda, diferente dos outros países que se preocuparam na vacinação para voltarem a normalidade, sem vacina e com o nível de desemprego em que o Brasil se encontra está se tornando um ciclo vicioso onde, sem emprego e com o fim de programas sociais como por exemplo o auxilio resulta em queda de renda. Enquanto não houver vacinação e responsabilidade pelos governantes a situação estará longe de acabar.

    Amanda Lorena Mendonça Cardoso · 03/06/2021 às 18:33

    Exatamente, em vista ao outros países o Brasil esta em estado de decadência.

Marcella Ribeiro · 28/05/2021 às 11:37

O Brasil desde o início da pandemia mostra o descontrole e o descaso dos governantes com a população. Sem vacina, sem emprego e sem auxílio, a crise se torna um ciclo vicioso onde o número de contágios vem subindo cada vez mais, e a dificuldade ao acessa a renda provoca a queda de consumo e assim a falência de diversas empresas. Enquanto não houver responsabilidade e controle dos nossos governantes a situação está longe de terminar.

Vilani de Oliveira Dias (202118625) · 30/05/2021 às 09:37

No Brasil não podemos citar como exemplo isolamento social, ao contrário da Europa que aconteceu o fechamento total do comércio. infelizmente a negação do vírus por alguns, inclusive autoridades que deveriam dá exemplo, foi um fator crucial para a elevação dos impactos na economia. A demora da compra das vacinas demonstrou total despreparo dos governantes na contenção do vírus. Entendo que é uma bola dividida, governo e população contribuiram para a realidade econômica do país.

    Amanda Lorena Mendonça Cardoso · 03/06/2021 às 18:39

    sim, de certo modo boa parte da população não cumpriu com o isolamento, fazendo com que os casos aumentassem mais de 50% com a demora da vacina
    .

    Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 12:52

    Sobre a vacina colega, podemos acompanhar também uma possível saída dessa incógnita, as famosas vacinas variadas de cada país. Que com passos lentos, mas aos poucos estão imunizando os mais necessitados, podendo assim ter uma luz no fim do túnel.
    O brasil está muito atrasado na questão de vacinação, mas mesmo nos países com a vacinação adiantada está rolando uma terceira onda, o que pode voltar a fechar todo o comércio novamente. Então apenas a vacina não é o suficiente, mas esta sendo a saída mais clara ao meu ver.

    Benilson Morais Silva · 06/06/2021 às 14:39

    Sim, o despreparo no primeiro momento , com relação a um vírus até então desconhecido foi crucial para a instabilidade economica e social que o Brasil está enfrentando .A autoridade maior do país com suas ideologias do não uso da máscara fez criar no Brasil um verdadeiro caos , no qual muitos indivíduos seguiram o mesmo exemplo , ocasionando um numero maior de contaminação até chegar nessa triste situação atual.

    Ana souza soares de oliveira · 10/06/2021 às 20:01

    Exatamente, a falta de enfrentamento da pandemia, na intensão de diminuir perdas econômicas teve resultados muito piores a economia. esse fechamento e reabertura de comércios contribuiu ainda mais para as incertezas de mercado.

Manoela Dias Alvim · 31/05/2021 às 12:16

Também estou de acordo, tendo em vista que o Brasil, mesmo tomando as supostas medidas, enfrenta problemas com a economia e o desemprego, colocaram o auxilio emergencial que segundo eles afetou ainda mais a economia no pais.

josenilda G.Q.M.LUNA · 02/06/2021 às 13:17

sabemos que ninguém esta imune ao Covid-19, mas alguns grupos são mais afetados e vulneráveis que outros, levando a consequências fatais como temos visto até o presente momento em nossa sociedade. A economia brasileira foi muito afetada com a chegada deste vírus, e levara muito tempo pra se recuperar. Infelizmente o Brasil não tem condições financeira para manter os brasileiros com os auxílios emergenciais, como aconteceu em alguns países da Europa, no inicio da pandemia os comerciantes fecharam as portas, os trabalhadores ficaram em casa, mais no final do mês tiveram seus salários ou boa parte reposto pelo governo.

    MATEUS RIBEIRO VIANA · 10/06/2021 às 15:10

    Podemos sim usar como exemplos outros países, mas não deixando de lado que são duas culturas e modelos econômicos diferentes. O brasil está muito diferente até mesmo em % de vacinados, (que seria um bom começo para frear esse vírus.

josenilda G. Q. M .Luna · 02/06/2021 às 13:55

Com a chegada do corona vírus a sociedade foi afetada em vários aspectos; em relação a economia, gerousse uma instabilidade financeira em vários níveis econômicos. No aspecto afetivo, por causa das mortes o luto em quase todas as famílias brasileiras desencadeou o pânico do medo e da incerteza de como sobreviver a uma infeção agressiva e sem parâmetros de tratamento adequados. No aspecto social perdemos com o distanciamento entre as famílias e os amigos, desencadeando assim varias doenças psicológicas, síndrome do pânico, depressões e outras. Porém, precisamos manter a esperança de que nosso país e o mundo vão se reerguer um dia .

Paula Rocha de Souza · 02/06/2021 às 19:45

Houve uma crise de demanda e oferta devido as empresas terem de paralisar suas produções o que interrompeu toda ou parte da renda dos brasileiros.

    kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:44

    concordo Paula, crise que mais pesou nos bolso dos brasileiros, como se fosse pouco os impostos pagos por nós. Itens básicos que sofreram um aumento absurdo por conta paralização de produção, ocasionando uma procura superior que a oferta.

    Marlon Bonfim · 11/06/2021 às 22:15

    Sim, tendo empresas que preferiu exportar seus serviços do que vender no seu proprio territorio causando mais turbulência na economia do nosso país.

BRUNA MICAELLY GONCALVES TORQUATO DE SOUSA · 03/06/2021 às 15:21

A queda só não foi pior porque a injeção de recursos pelo auxílio emergencial e outras
medidas econômicas de resposta à crise evitaram que as projeções mais pessimistas se
concretizassem – ao fim de junho do ano passado, os analistas chegaram a prever uma queda
de 6,6% no PIB em 2020, com os mais pessimistas ousando falar em um baque de 10%. Mesmo com as medidas de auxílio lançadas pelo governo, a taxa de desemprego no país veio só aumentando.

    kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:50

    concordo Paula, crise que mais pesou nos bolso dos brasileiros, como se fosse pouco os impostos pagos por nós. Itens básicos que sofreram um aumento absurdo por conta paralização de produção, ocasionando uma procura superior que a oferta.

    kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:53

    verdade Bruna, essencial essa injeção financeira na economia brasileira, de fato o auxilio emergencial não deixou que o Brasil “quebrasse” de vez, foi importante e necessaria.

Amanda Lorena Mendonça Cardoso · 03/06/2021 às 18:22

De fato, a pandemia impactou gravemente a economia, não só a brasileira, mas também a Mundial e provocando uma crise econômica com consequências catastróficas em diversos estores. A situação da economia brasileira antes da crise mostrava sinais de melhora em comparação com os últimos três anos, indicando um crescimento superior a 2%, além de queda nas taxas de inflação e juros e aumento das reservas cambiais. Mas vindo a pandemia, ocorreu tudo de maneira inversa, de certo modo a pandemia resultou em vários desempregos, tendo como consequências, baixa renda por famílias, fazendo famílias passarem por necessidades, mas sendo assim os governantes contribui com projetos auxiliares, como por exemplo, o bolsa família, auxílio emergencial, portanto desse modo conclui-se que tudo influencia na economia do país.

Rafael Mendes Lopes · 03/06/2021 às 19:12

O vírus covid19 chegou ao Brasil num momento difícil. Já haviam aqui, vários problemas a serem enfrentados… Problemas na economia, problemas na segurança, na educação e na saúde. A chegada do vírus agravou ainda mais esses problemas, principalmente no setor da saúde. Ainda no primeiro semestre de 2021, após um ano de pandemia, atingimos números impressionantes. São milhões de casos da doença e milhares de mortes em todo o Brasil onde pelo menos mil pessoas morrem por dia por conta da doença, principalmente os que fazem parte do grupo de risco. Para amenizar os efeitos negativos, a OMS estabeleceu medidas de segurança. Distanciamento social, uso de mascara e uso de álcool em gel 70% para higienização (das mãos principalmente). Por causa dessas medidas, estabelecimentos tiveram de ser fechados, agravando mais a economia, tirando empregos e falindo pequenos negócios. A empresa Ford teve que sair do Brasil. Novos negócios foram abertos também… negócios online, serviços de entrega sendo muito mais requisitados que antes. Ao meu ver esse é o lado “bom” da pandemia: Novas portas estão se abrindo. Mas é extremamente obvio que é muito lamentável as diversas famílias que hoje estão sem seus integrantes por causa de uma gestão ruim e irresponsabilidade de parte da população.

Mateus Ribeiro Viana · 04/06/2021 às 12:43

De mal a pior, como dizia os menos privilegiados encontra-se em uma sinuca de bico, não podendo optar em ficar em casa ou ir trabalhar, se for trabalhar falta o principal o alimento em casa. Ao mesmo tempo os números de casos de COVID-19 vêm aumentando cada dia mais junto com a desigualdade social, onde os ricos #ficaemcasa (no início da pandemia era o que rolava), mas chegou ao ponto de terem que escolher entre o vírus e a sobrevivência, perca de emprego e etc.
Até que ponto o isolamento social em longo prazo é benéfico para uma sociedade girar a engrenagem?

NILDA MADUREIRA SILVA · 04/06/2021 às 21:25

Realmente o Brasil já estava com a economia bem ruim, com a pandemia as coisas ficarão bem mais complicadas, temos que nos preparar para um impacto muito grande acredito que o país vai levar muitos anos para se recuperar do enorme desemprego que se encontra e que a tendencia será só aumentar, com o fechamento de tantos comércios industrias milhões de brasileiros desempregados realmente a economia do pais ficará cada vez pior, teremos que nos apegar na possibilidade de toda a população brasileira ser vacinada para que em algum tempo tudo isso tenha passado, e que o país volte a se desenvolver e nós brasileiros tenhamos vida normal.

    MATEUS RIBEIRO VIANA · 10/06/2021 às 14:53

    Concordo, a recuperação dessa pandemia vêm de mãos dadas com a economia, a junção de uma boa política de vacinação e gestão, é a maior chance que nós temos para sairmos dessa crise.

      Larissa Oliveira Cavalcante · 13/06/2021 às 18:57

      Sem vacina, não há salvação. A única forma de contermos a disseminação desse vírus é acreditando em algo que impeça ele de nos atingir e continuar afetando de forma negativa toda a população. Só essa proteção a saúde reativará o mercado, a economia, não existe outra solução que seja mais eficaz para que possamos voltar a trabalhar com segurança, tranquilidade e recomeçar.

    Samuel Aquino · 12/06/2021 às 08:58

    Realmente levará um bom tempo até que tudo se normalize, bem lembrado que o Brasil já vinha sofrendo e rastejando com sua economia e com um elevadíssimo número de desempregados e de empresas que fecharam as portas, logo sofreremos por um longo tempo com essa recessão até que o País volte a ”respirar” tranquilamente.

Ana Patrícia Meneses da Conceição Batista · 05/06/2021 às 19:36

Em 2015 um principio da nossa crise com recuo de – 3,15%, porém, ficaria massivo falar dos números que já sabemos o certo, que a grade massa da população retraiu junto com o Brasil, mais que os números está é uma filosofia econômica existencial, a fome, que esmagou a massa pobre do Brasil o auxilio emergencial foi um escape para muitos, porém o dinheiro não é como tirar xerox na esquina, veio a conta para estas próprias pessoas e onde se mais necessita o alimento foi onde teve as maiores altas, porem é de se nota a metamorfose que aconteceu nas principais economia, isso em termos de crescimento, vamos falar especificamente da china em 2020 cresceu 2,3% porém no primeiro trimestre de 2021 cresceu 18,3% em comparação ao mesmo do ano passado, mas com meu pouco conhecimento era de se esperar, caros amigo(as) se formos analisar economicamente somos dependentes da China para vários produtos resumindo dentro do processo hospitalar a dependência é esmagadora. a China é um pais capitalista desfasado de comunista, só é comunista na hora de controlar a população.

Benilson Morais Silva · 06/06/2021 às 13:31

O impacto da real situação oriunda da Covid-d 19 mudou drasticamente o cenário da economia brasileira. Sérios problemas que já existiam expandiram-se ainda mais como : educação , saúde , fome, pobreza, crise política e principalmente o desemprego, logo, afetando várias famílias brasileiras por causa da estagnação na economia. isso demonstra o quão sério é a crise tanto economica quanto social que o país tende a enfrentar .Milhares ou milhões de indivíduos perderam seus empregos ou foram afastados dos seus serviços por causa do distanciamento social e em outros casos mais severos nem trabalhando estão . Várias empresas fecharam as portas por não terem capital em caixa , situações provocadas por vários decretos de fechamentos comercias os chamados , lockdwans, prejudicando os comerciantes e ocasionando demissões em massa de vários empregados. Esses fatos já citados podem ser confirmados através de estudos e pesquisas em relação a situação financeira que país passa , inclusive uma dessas pesquisas foi feita pelo Fundo Monetário Internacional que afirma uma redução no PIB e na própria economia. Portanto, para tentar amenizar pelo menos a questão pandemica o governo federal com parceria com com os estados devem investir na compra das vacinas com a finalidade de imunizar por completo a população, para retornarmos ao normal e a economia voltar a crescer.

Cristiano Silva de Souza · 06/06/2021 às 17:50

A falta de pessoas nos comércios causa aos comerciantes graves prejuízos financeiros, e acabam não tendo renda e fechando. Sem esses comerciantes as empresas (indústrias) ficam sem renda pois os comerciantes compram os produtos e revendem. Levando as pequenas indústrias tendo a falir. As indústrias não tendo renda acabam não podendo pagar os impostos solicitados pelo o governo para vender seus produtos, com isso, podendo ocorrer uma crise econômica (financeira) no país.

    MATEUS RIBEIRO VIANA · 10/06/2021 às 15:07

    Concordo, o micro empreendedorismo é a base da economia, e estão todos sendo os mais afetados, desencorajando os novos negócios, e estagnando a economia.

      Julia Camila Gomes Pereira · 12/06/2021 às 22:37

      Esse impacto nos pequenos negócios resultou em mudanças no funcionamento, como rodízio de funcionários, unificação de cargos sendo que outros tiveram que fechar pois muitas empresas já não estavam tão bem antes da crise.

    Ana souza soares de oliveira · 10/06/2021 às 19:55

    Concordo, inclusive as grandes industrias serão afetadas principalmente pelo aumento dos preços da matéria prima que o setor primário fornece, logo não será lucrativo as industrias investirem em um pais onde mais gastam do que lucram.

kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:39

Os impactos na economia do Brasil e do mundo devido a pandemia foram históricos, alguns países sentiram menos por serem bem estruturados financeiramente. o que não aconteceu no Brasil, o que já era de se esperar.
Uma queda de 4,3%, como prevista por analistas, nós colocaram em um patamar similar ao dos piores anos do PIB no Brasil.
Com os números de contaminações e mortes batendo recordes, o governo não viu outra saída a não ser o lockdown, que querendo ou não contribuiu bastante para a recessão da economia, tirando emprego da população e criando a necessidade do auxilio emergencial que por meses foi a única fonte de renda para algumas família brasileiras.
Para reverter esse quadro será preciso muito empenho do governo, políticas econômicas consistentes. O Brasil já era um país desigual e ficou ainda mais. só nos restando a esperança e torcida pelo fim da pandemia, e a volta mais rápida possível ao normal.

    Gabriel Corrente · 08/06/2021 às 21:43

    Concordo plenamente Kaio, nós vivemos em país subdesenvolvido que não é tão estruturado quantos os outros países bem desenvolvidos. E isso nós causa um ataso imensurável. Essa pandemia deixou a gente numa cilada, vidas ou a economia, e mesmo o governo nessa caso fazendo a escolha certa, saímos altamente prejudicados nas duas áreas.

    Adenivaldo Pereira dos Santos · 10/06/2021 às 20:57

    E analisando o que o colega Kaio Cesar falou eu vejo que cada dia esta ficando mais difícil para aquelas famílias mais carentes devido a diminuição do auxilio emergencial.

      Larissa Oliveira Cavalcante · 13/06/2021 às 19:02

      A lado mais afetado, como sempre, infelizmente são aqueles que tem menos recursos (ou quase nenhum). Verdadeiros sobreviventes do caos. É lamentável e irremediável todas as perdas.

kaio cesar lopes araujo · 06/06/2021 às 22:49

concordo Paula, crise que mais pesou nos bolso dos brasileiros, como se fosse pouco os impostos pagos por nós. Itens básicos que sofreram um aumento absurdo por conta paralização de produção, ocasionando uma procura superior que a oferta.

Cristiano Silva de Souza · 07/06/2021 às 18:40

As situações globais severas, como a crise atual provocada pela pandemia de COVID-19 extrapolam todas as previsões e planejamentos, tanto de empresas, dos órgãos públicos, como das pessoas e impactam significativamente na economia de uma país, e neste caso, na economia global. Assim, o objetivo do presente trabalho foi de verificar os impactos macroeconômicos na economia brasileira em decorrência da Covid-19. Verificou-se que ainda não se sabe qual é o tamanho do impacto que a Covid-19 casou sobre a economia e PIB do país e como vai ser a sua retomada. Porém, as situações econômicas de muitas empresas apontam para um início de uma crise que repercute na produção interna do país, e consequentemente em sua economia. O governo já adotou uma série de medidas emergenciais para atendimento a muitas destas empresas, para aliviar os impactos da crise, tais como auxílio financeiro, possibilidade de redução de carga horária, auxílio em parte das folhas de pagamento, dentre outras. Porém, estas situações requerem ainda um maior apoio governamental.

Gabriel Corrente · 08/06/2021 às 21:28

O vírus covid19 chegou ao Brasil num momento difícil. Já haviam aqui, vários problemas a serem enfrentados.O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país em determinado período. É um indicador importante para saber se a economia cresceu, encolheu ou se manteve estável. Comparado ao primeiro trimestre de 2020 com o de 2019, o PIB brasileiro caiu 1,5%. A economia brasileira caiu muito também por causa do lockdown, pois, o governo não via outra forma de diminuir os contágios, mas tomando essa medida teria graves consequencias com a economia, literalmente colocando o povo brasileiro entre a cruz e a espada. Mas claramente dava segurar por tempo, mas no Brasil a pandemia não vem melhorando, os contágios ainda são muito altos, fora a sobrecarga dos hospitais. Logo, um país que não vive seus melhores dias tende a demorar bastante para se recuperar dessa pandemia. Mesmo depois que acabe.

    José Lucas · 12/06/2021 às 01:13

    Acredito que se o nosso governo tivesse tomado decisões rápidas e sábias, os hospitais não estariam sobrecarregados, e a nossa população já teria superado essas crise da pandemia, e consequentemente, o Brasil já estaria se desenvolvendo economicamente.

JOELI FERREIRA · 08/06/2021 às 22:23

Muitas pessoas cairão devido ao esgotamento e transtornos relacionados ao extresse causado pelo corona virus.
As empresas tambem estão sofrendo com isso estão ficando sem maneiras criativas de inspirar as pessoas. As empresas terão que investir em uma politica de retorno ao trabalho muito boa , a fim de estar preparadi para aquela ausencia prolongada que aparecera em todos os lugares.

    Marlon Bonfim · 11/06/2021 às 22:05

    Sim concordo, deixa sequelas graves no comportamento social, mudando totalmente o modelo de trabalho que foi passado a nós das gerações passadas!!

    Priscila Nascimento Rocha · 13/06/2021 às 20:56

    também tenho essa mesma percepção.

Glauciene Ramos Nonato dos Santos · 09/06/2021 às 17:17

A pandemia pelo novo coronavírus vem impactando gravemente a economia brasileira e provocando uma crise com consequências catastróficas em diversos setores. Sendo o maior em registro PIB em 120 anos.
Um dos maiores impactos que vale destacar, foram para os investidores, onde tiveram uma queda quanto a bolsa de valores, começando a despencar, no final de Fevereiro de 2020 chegando a cair quase 50% do topo histórico. Os impactos também foram intensos e significativos nos setores de indústria e serviços, onde fábricas e produtores pararam as atividades, alteraram ou diminuíram sua produção em produtos devido a medidas tomadas pelo governo como lockdown e também medidas adotadas por empresas públicas e privadas como o home office, onde o consumo das pessoas são menores.
Mesmo com atitudes tomadas pelo governo para amenizar os impactos da crise causada pelo COVID 19 é comprovado a retração da economia brasileira.

Adenivaldo Pereira dos Santos · 09/06/2021 às 19:15

As projeções para a inflação são apresentadas em cenários com condicionantes para algumas variantes econômicas.
A pandemia da Covd. 19 tem produzido desaceleração significativa do crescimento da economia mundial, cuja magnitude e persistência ainda são incertas.

    MATEUS RIBEIRO VIANA · 10/06/2021 às 15:01

    Como dito, as consequências, dessa pandemia estão sendo refletidas em curto, médio e longo prazo. Segurando o crescimento econômico em um âmbito mundial.

José Lucas · 09/06/2021 às 23:10

A pandemia impactou de forma negativa a economia brasileira, economia esta que já passava por momentos de retração e estagnação nos últimos anos.
Antes da pandemia, a economia brasileira figurava entre as 10 maiores do mundo, onde o PIB (Produto Interno Bruto) não se desenvolvia muito bem. Já no cenário atual, a tendência é do Brasil perder posições, mesmo as economias das outras nações passando por dificuldades.
Com o isolamento social imposto em nosso país por causa da pandemia, vários setores da economia tiveram queda na produção, pelo fato de as pessoas não trabalharem, ou diminuir os trabalhos. Mas não foi só esse o motivo da drástica queda em nossa economia, tivemos também a diminuição do comércio, e muitos outros fatores.
A economia mede o nível de poder de uma nação, e o Brasil encolhendo economicamente, pode enfrentar muitos problemas como: dívidas externas, pobreza da população, outras nações podem diminuir comércio ou cortar relações com o nosso país; gerando assim vários outros problemas.

Eduarda Mikaelly Martins Velozo · 10/06/2021 às 02:19

Por a economia girar em torno da produção, quando a produção de um país é afetada toda sua economia também é afetada. E efeitos da pandemia na economia do Brasil consequentimente se baseia na parte da produção dos brasileiros, onde muitas pessoas ficaram afastadas do seu trabalho devido ao distanciamento social, o que fez com que muito mais pessoas dependessem do auxilio emergencial. Podemos considerar essa situação como um grande tradeoff, onde para conseguirmos diminuir o impacto da pandemia na área da saúde, a economia teve sofrer reajustes drásticos, que grande parte da população não estava habituada, fazendo assim todo o processo de produção retardar. Basicamente o isolamento social foi um grande incentivo para as pessoas. Algumas pessoas desenvolveram seu processo criativo e muitas outras regrediram quanto ao seu processo produtivo. Apesar de algumas produções empresariais terem caído de de maneira significativa, o consumo aumentou significamnete oque a curto prazo parace não fazer nenhuma diferença a longo prazo pode causar um desequilibrio, pois o aumento da demanda com o tempo leva as empresas a elevar os preços e se não há produção suficiente para atender a demanda esse preços se tornam ainda mais elevados.

    Ana souza soares de oliveira · 10/06/2021 às 19:42

    Concordo com você. a lei da oferta e demanda é como uma balança, e como a pandemia esta diminuindo a mão operaria de quem “oferta” e aumentando a demanda essa balança se tornara desproporcional resultando em preços altíssimos, ate porque com a diminuição econômica o mercado se torna menor, diminuindo a competição, fator de extrema relevância na adequação dos preços.

MATEUS RIBEIRO VIANA · 10/06/2021 às 15:03

Como dito, as consequências, dessa pandemia estão sendo refletidas em curto, médio e longo prazo. Segurando o crescimento econômico em um âmbito mundial.

    Kamila Araújo Diniz · 13/06/2021 às 14:13

    A pandemia afetou bastante a economia, não só a brasileira mas a economia mundial, pois em muitos países os comércios tiveram que ser fechados resultando assim o desemprego de muitas pessoas, pois os donos das empresas muitos não tinham condições de mantê-los em casa recebendo o salário. No Brasil a economia foi bastante afetada pois como os comércios estavam todos fechados o governo optou por disponibilizar o auxílio para que a população tentasse sobreviver.

    Beatriz Nuit Rodrigues de Matos · 13/06/2021 às 16:03

    Verdade! E dá para perceber a relação direta entre o número de mortes por covid, e a queda no PIB dos países.

Mariane Ribeiro Corado · 10/06/2021 às 16:32

O vírus da covid-19 chegou ao Brasil e logo foi se espalhando rapidamente, houve inúmeros decretos para evitar o contato das pessoas e assim que esse vírus se espalhasse, esses decretos exigiam o fechamento de comércios, era visto como a única solução, mas mesmo com o comércio fechado os casos de pessoas infectadas só aumentavam assim como o número de mortes, ou seja, as pessoas não estavam respeitando o isolamento social. No primeiro curto período que houve a proibição do comércio os danos à economia não eram tão alarmantes, mas com o passar do tempo e com novas ordens para o fechamento as coisas tomaram um rumo que causou grande impacto na economia, e mesmo depois do fim da pandemia levará um tempo para recuperar a situação econômica do país.

    Adenivaldo Pereira dos Santos · 10/06/2021 às 20:45

    Concordo com a Mariane e a economia não so do brasil mas como de todo o mundo vai levar anos para se recuperar.

    Julia Camila Gomes Pereira · 12/06/2021 às 22:30

    O melhor caminho é o avanço na vacinação para que seja possível a retomada de atividades que dependem de aglomerações, porém o que parece é que dado a demora da tomada de providências a recuperação será um pouco mais lenta que o esperado.

Ana souza soares de oliveira · 10/06/2021 às 19:30

Durante a historia o mundo já passou por diversas crises, econômicas, humanitárias, etc. Mas a pandemia do COVID-19 trouxe de forma geral, a possibilidade de entendermos e compararmos a proporção que uma crise pode afetar a sociedade. No âmbito da econômico já existem diversas pesquisas para mostrar e identificar de modo geral como a mesma reagiu durante a pandemia. Ate mesmo países desenvolvidos sofrem impacto nessa área, mas esse impacto atingiu de forma mais brusca países emergentes, como é o caso do Brasil. Os chamados TRADEOFFS deixaram o pais brasileiro sem opções, ou o pais aderia a medidas como o lockdawn, como forma de conter a proliferação do vírus assumindo perdas econômicas ou arriscava tentar manter a economia. Mesmo o pais tendo buscado a diminuição das perdas econômicas, não obteve resultados significatórios. A intervenção do estado em busca de amenizar as perdas e a própria dificuldade de organização do mercado resultaram em diversos comércios fechados e perdas de emprego. afinal, pais já vinha de uma estagnação econômica, como mostram pesquisas e a pandemia só intensificou ainda mais esses problemas já que o Brasil, frente ao combate da pandemia se mostrou despreparado, não conseguiu estabilizar o vírus e as taxas de óbitos só aumentaram e o comercio foi reaberto e fechado diversas vezes causando mais instabilidade para o mercado já que o controle da pandemia se tornou fator de tremenda importância econômica mundialmente.

Adenivaldo Pereira dos Santos · 10/06/2021 às 20:31

As projeções para a inflação são apresentadas em cenários com condicionantes para algumas variáveis econômicos.
A pandemia da covd. 19tem produzido desaceleração significativa do crescimento da economia mundial cuja magnitude e persistência ainda são incertas.

Adenivaldo pereira dos santos · 11/06/2021 às 18:09

Apesar da pandemia do corona virus a economia no brasil esta surpreendemente robusta.
mas o alto desempregoalto e um problema que depende do avanço da vacinaçaoe do controle da doença

    Julia Camila Gomes Pereira · 12/06/2021 às 22:25

    Conseguimos ver isso pela crescente retomada da economia em países com a maioria da população já vacinada.

    Beatriz Nuit Rodrigues de Matos · 13/06/2021 às 01:15

    Sim. Agora, tudo depende das campanhas de vacinação.

      Larissa Oliveira Cavalcante · 13/06/2021 às 18:47

      Não só das campanhas, mas principalmente da conscientização da população para sua importância. O investimento nesse recurso ou a falta deste, interfere diretamente no controle da doença para a agilidade na retomada das atividades, seja no setor econômico ou qualquer outra de meio social.

    Leonardo Costa Brasileiro · 13/06/2021 às 13:51

    sim pois tem essa cepa da india que também pode ser um problema maior se não vacinar logo toda a população pois temos bastante condições para isso acontecer, e creio que as eleições de 2022 vão atrapalhar bastante isso, pois temos que focar no hoje, mas os governantes estão pensando somente em suas candidaturas, não se importando com as famílias necessitadas.

Marlon Bonfim · 11/06/2021 às 20:32

Esse impacto que todos estamos vivendo nos dias atuais e lamentável, interfere diretamente no nosso crescimento economico, lei da oferta e demanda, superfaturação e licitações governamentais, preços com aumentos absurdos, desacelerando o crescimento da mesma, gerando um descontrole social onde não se ver certeza dos proximos acontecimento, um virus capaz de causar um déficit muito considerável no desenvolvimento de um país e de uma sociedade se não ser tratado com preocupação dos líderes governamentais.

Luiz Paulo Fiuza de Souza · 12/06/2021 às 08:43

A Pandemia de COVID-19 sem dúvidas trouxe grandes impactos para a economia brasileira, como também para economia Mundial, mas devemos lembrar que quando a pandemia chegou ao Brasil já estávamos vivendo uma crise por falta de empregos, com um número de mais de 12 milhões de pessoas desempregadas desta forma a pandemia teve mais força para derrubar a economia brasileira, pois já era algo que vinha caindo. Mas é de forma alarmante o quanto esta sendo prejudicada a nossa economia, a queda que sofreu e vem sofrendo o PIB conforme mostra os estudos é preocupante.
As medidas tomadas pelos governantes para evitar a propagação do vírus no meu ponto de vista teve efeito ao contrário, serviu para propagar o desemprego e a crise econômica no nosso país, pois com essas medidas de distanciamentos e isolamentos muitos estabelecimentos tiveram que fechar suas portas por muito tempo, assim causando grandes prejuízos e falta de giro de dinheiro, e junto com isso veio o corte de gastos que vem acompanhado das demissões em grandes escalas e a falência de inúmeras empresas.
Agora vamos falar do dinheiro publico que no meu ponto de vista será a chave principal para o fechamento dessa drástica crise econômica brasileira, com a pandemia foi decretada calamidade publica, o que significa que os governos podem comprar sem licitações que também ao meu ver não adiantou nada, pois os insumos, equipamentos, remédios e o principal a vacina continuam faltando para a população brasileira e a cada dia o furo nos cofres públicos só aumentam.

Emanuely Gomes · 12/06/2021 às 09:07

A pandemia do coronavírus afetou muito a economia global e principalmente a do Brasil. A necessidade de isolamento social para conter o avanço da Covid-19 fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. A princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção. O fechamento do comércio foi umas das coisas que mais afetou a economia pois o dinheiro não circulava e as pessoas não recebiam, com isso muitos pequenos comércios foram fechando por falta dinheiro para manter. Com o Auxílio Emergencial, o país conseguiu retomar a demanda, mas sem que a produção das empresas acompanhasse o mesmo ritmo, resultando em alta dos preços em vários grupos da economia, sobretudo em alimentos e bens industriais.

Emanuely Gomes · 12/06/2021 às 14:00

A pandemia do corona vírus causou uma crise econômica global e um dos países mais afetados foi o Brasil. A necessidade de isolamento social para conter o avanço da Covid-19 fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. A princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção. Mas um dos principais fatores foi o comércio, após o fechamento do comércio o dinheiro “circulou” menos, os funcionários pararam de receber e os pequenos negócios foram fechando por falta de renda. Com o Auxílio Emergencial, o país conseguiu retomar a demanda, mas sem que a produção das empresas acompanhasse o mesmo ritmo, resultando em alta dos preços em vários grupos da economia, sobretudo em alimentos e bens industriais. A pandemia afetou o rumo dos investimentos no Brasil. Sem uma clareza de quando a crise sanitária vai ser plenamente superada e a economia vai poder retomar a sua plena capacidade

Álvaro Lopes Pereira · 12/06/2021 às 16:38

Um dos primeiros motivos que levaram os impactos sobre a economia brasileira foi não dar importância devida à gravidade do covid-19. Em 2019, a Presidência da República, externou a preocupação com o surgimento do novo coronavírus e achava preocupante a realização do carnaval no ano de 2020, o mesmo foi ignorado por vários governadores. Quando houve as primeiras contaminações do surto e devido ao sucateado sistema de saúde brasileiro, o Brasil ficou paralisado porque não sabia ao certo o que realmente era o vírus e nem seu poder de propagação. Nesse sentido, foram fechados serviços, que alguns consideravam não essenciais, e isso de imediato já causou um impacto na economia brasileira, já que várias lojas foram fechadas e o desemprego bateu a porta de muita gente, e como consequência, arrecadação de impostos diminuiu de forma acentuada e o poder de compra do brasileiro caiu. No plano externo, houve uma queda nas exportações, porque outros países também estavam em crise que praticamente atingiu todo planeta fazendo com que a balança comercial brasileira caísse muito.

Danillo Maia Fernandes · 12/06/2021 às 18:08

A pandemia do novo corona vírus afetou diversas áreas da economia no país, mas primeiramente podemos destacar os trabalhadores da linha de frente mais conhecidos como ambulantes ou autônomos que foram os que mais sofreram no bolso devido a todas a restrições e decretos publicados pelo atual governo, na qual colocaram esses cidadãos em situações precárias de se viver, pois sem clientes não há vendas. Pode se afirmar que toda a população sofreu com as restrições e consequências da pandemia, alguns mais outros menos porém todas as pessoas do mundo obtiveram pelo menos alguma consequência. Diante da atual situação vivida no Brasil pode se dizer que o auxílio emergencial ajudou e muito as pessoas com menores rendas á poder comer e pagar as contas, porém o governo de nosso país não conseguiu enxergar que para a economia continuar girando e para que os cidadãos brasileiros tenham uma vida digna é preciso ter saúde! é preciso estar vivo!! e essa incompetência do governo custou a vida de muitos e influenciou diretamente na economia do Brasil, preço do kg da carne, inflação em muitos produtos para o lar, aumento do combustível e só agora depois de quase um ano e meio de pandemia o presidente vem falar em ´´ vacina sim´´, querendo ou não a pandemia influenciou e muito na economia do país.

Julia Camila Gomes Pereira · 12/06/2021 às 22:23

A indústria, a princípio foi a mais prejudicada, pois teve uma grande redução de demanda com a paralisação da produção. Porém a segunda onda do vírus foi menor que a primeira, não só no Brasil como no mundo. Dessa vez o fechamento foi mais seletivo, não fechou a economia inteira.

Beatriz Nuit Rodrigues de Matos · 13/06/2021 às 01:14

A produção está intimamente ligada ao capital humano. Logo a pandemia, como um desafio externo, afetou mundialmente todas as camadas da sociedade, de forma econômica, psicológica e social. Entretanto, o Brasil sofreu grandes perdas devido ao elevado número de mortes por COVID – atualmente, em 2º lugar no ranking mundial -, o que afetou diretamente a economia do país. As declarações públicas do atual presidente satirizando as medidas preventivas, os impactos do vírus na população e espalhado desinformação contribuíram para a propagação rápida e em massa da doença. Se a pandemia tivesse sido levada a sério desde o início como aconteceu em outros países, o PIB não teria sido tão afetado.

Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 03:50

Um dos primeiros motivos que levaram os impactos sobre a economia brasileira foi não dar importância devida à gravidade do covid-19. Em 2019, a Presidência da República, externou a preocupação com o surgimento do novo coronavírus e achava preocupante a realização do carnaval no ano de 2020, fato este, ignorado por quase todos os governadores de estado do Brasil. Nesse sentido, foram fechados serviços, que alguns consideravam não essenciais, e isso de imediato já causou um impacto na economia brasileira, já que várias lojas foram fechadas e o desemprego bateu a porta de muita gente, e como consequência, a arrecadação de impostos diminuiu de forma acentuada e o poder de compra do brasileiro caiu. No plano externo, houve uma queda nas exportações, porque outros países também estavam em crise que praticamente atingiu todo o planeta fazendo com que a balança comercial brasileira caísse muito. O Brasil então adotou algumas medidas para que não chegasse ao um estado de recessão e do ponto de vista fiscal criou o auxílio-emergencial, a fim de dar suporte aos mais vulneráveis e a economia tivesse um incentivo. Talvez essa medida tenha sido uma forma de atenuar os prejuízos e mantivesse a integridade financeira de famílias que viram da noite para o dia suas vidas mudaram de forma crescente, mas também as
empresas para que pudessem manter os empregos de muitos trabalhadores e não chegassem a falir.

Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 04:03

Um dos primeiros motivos que levaram os impactos sobre a economia brasileira foi não dar importância devida à gravidade do covid-19. Em 2019, a Presidência da República, externou a preocupação com o surgimento do novo coronavírus e achava preocupante a realização do carnaval no ano de 2020, fato este, ignorado por quase todos os governadores de estado do Brasil. Nesse sentido, foram fechados serviços, que alguns consideravam não essenciais, e isso de imediato já causou um impacto na economia brasileira, já que várias lojas foram fechadas e o desemprego bateu a porta de muita gente, e como consequência, a arrecadação de impostos diminuiu de forma acentuada e o poder de compra do brasileiro caiu. No plano externo, houve uma queda nas exportações, porque outros países também estavam em crise que praticamente atingiu todo o planeta fazendo com que a balança comercial brasileira caísse muito. O Brasil então adotou algumas medidas para que não chegasse ao um estado de recessão e do ponto de vista fiscal criou o auxílio-emergencial, a fim de dar suporte aos mais vulneráveis e a economia tivesse um incentivo. Talvez essa medida tenha sido uma forma de atenuar os prejuízos e mantivesse a integridade financeira de famílias que viram da noite para o dia suas vidas mudaram de forma crescente, mas também as empresas para que pudessem manter os empregos de muitos trabalhadores e não chegassem a falir.

    emanuely gomes · 13/06/2021 às 20:58

    verdade, o governo foi muito falho em relação a covid.

Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 04:10

Um dos primeiros motivos que levaram os impactos sobre a economia brasileira foi não dar importância devida à gravidade do covid-19. Em 2019, a Presidência da República, externou a preocupação com o surgimento do novo coronavírus e achava preocupante a realização do carnaval no ano de 2020, fato este, ignorado por quase todos os governadores de estado do Brasil O Brasil então adotou algumas medidas para que não chegasse ao um estado de recessão e do ponto de vista fiscal criou o auxílio-emergencial, a fim de dar suporte aos mais vulneráveis e a economia tivesse um incentivo. Talvez essa medida tenha sido uma forma de atenuar os prejuízos e mantivesse a integridade financeira de famílias que viram da noite para o dia suas vidas mudaram de forma crescente, mas também as empresas para que pudessem manter os empregos de muitos trabalhadores e não chegassem a falir.

Álvaro Lopes Pereira · 13/06/2021 às 04:24

Um dos primeiros motivos que levaram os impactos sobre a economia brasileira foi não dar importância devida à gravidade do covid-19. Em 2019, a Presidência da República, externou a preocupação com o surgimento do novo coronavírus e achava preocupante a realização do carnaval no ano de 2020, fato este, ignorado por quase todos os governadores de estado do Brasil No plano externo, houve uma queda nas exportações, porque outros países também estavam em crise que praticamente atingiu todo o planeta fazendo com que a balança comercial brasileira caísse muito.
O Brasil então adotou algumas medidas para que não chegasse ao um estado de recessão e do ponto de vista fiscal criou o auxílio-emergencial, a fim de dar suporte aos mais vulneráveis e a economia tivesse um incentivo. Talvez essa medida tenha sido uma forma de atenuar os prejuízos e mantivesse a integridade financeira de famílias que viram da noite para o dia suas vidas mudaram de forma crescente, mas também as empresas para que pudessem manter os empregos de muitos trabalhadores e não chegassem a falir.

Givanildo Lima Damasceno · 13/06/2021 às 09:10

A crise econômica no Brasil, fortalecida pela pandemia do covid-19 somente reflete o despreparo de um sistema politico que não favorece a sociedade como um todo. Um sistema politico que só se preocupa com reeleição, e se manter no poder, passando de geração para geração, politicas que não trabalham para a sociedade prevenções, como: projetos de planos sobre problemas tanto econômicas, sanitárias, estruturais.
o Brasil já vinha enfrentando, antes mesmo da Pandemia, contribuiu significativamente para o agravamento da Economia, que já mostrava sinais de decadência desde 2014, com preocupantes projeções de incertezas financeiras para os próximos semestres. A quantidade de pessoas que necessitaram dos programas de transferência de renda mais que triplicou de 2019 para 2020 e vem crescendo consideravelmente. A falta de participação proativa do governo com políticas públicas que visem à igualdade e à eficiência no combate à Pandemia somada ao insucesso no combate ao desemprego, por meio do incentivo à iniciativa privada para que desenvolva projetos de interesse público nos trouxe resultados avassaladores.

    emanuely gomes · 13/06/2021 às 20:59

    verdade

Heliana Lima · 13/06/2021 às 09:37

O tema é complexo e polêmico mas que faz parte de nossa realidade atual , economia fraca , inflação alta , mais desajuste social, pela alto índice de desemprego e renda , Hospitais superlotados sem demandas e insumos para atender a população acometida pelo vírus ou ate mesmo que não seja pelo vírus . A tudo isso se dá a falta de uma gestão politica de prover soluções ágeis e eficazes para que esse cenário seja solucionado .

    Larissa Cavalcante · 13/06/2021 às 18:41

    A desatenção do governo e seu chefe de Estado foi o principal fator para esse caos desenfreado, concordo!

leonardo costa brasileiro · 13/06/2021 às 13:39

As necessidades de isolamento social impostas pela pandemia certamente tem impactos sobre a economia, e é sabido que os efeitos deletérios na economia podem perdurar para além da dissolução da crise sanitária. Antes de analisar os dados, é importante reconhecer que a crise da pandemia não cessa a retomada do crescimento da economia brasileira. índices de atividade, divulgados para os meses entre janeiro e junho do ano passado de 2020, revelam que, apesar de indicadores positivos na comparação mês a mês desde maio do ano passado de 2020, indústria, comércio e serviços acumulam quedas significativas na comparação entre o 1° Trimestre/2020 e o 1° Trimestre/2019, como mostra a Tabela 1. Apesar das quedas relativamente baixas, o impacto qualitativo da crise sobre a pauta de exportação merece destaque.

vitoria · 13/06/2021 às 14:46

A pandemia de Covid-19, vem produzindo grandes repercussões.A taxa de desemprego aumentou tragicamente, muitas empresas fecharam as portas tendo assim que demitir seus funcionarios.
Infelizmente muitos tiveram que se acostumar com essa nova rotina que é ficar em casa.Muitas familias perderam seus entes queridos.
e a taxa de infecçao so vem aumentando.
Não é todo mundo que pode ficar em casa, afinal a realidade de vida de algumas pessoas não são tão boa assim, por isso muitos arriscam suas vidas para não deixar faltar nada para sua família.

Larissa Oliveira Cavalcante · 13/06/2021 às 18:32

Acerca do impacto econômico, podemos perceber que a pandemia causou prejuízos de forma global, no comércio as atividades comuns tiveram que paralisar totalmente ou parcial, empresas de pequeno e grande porte fecharam as portas, a importação e exportação de insumos e produtos se tornou um verdadeiro caos, enfraqueceu o turismo nacional e internacional, gerou o aumento da inflação, impactos negativos na educação, colapso na saúde, entre outros. Implicando em várias mudanças e adaptações na vida em geral. Cada parte do mundo teve uma consequência diferente, porém em nosso país uma das principais causas foi o desgoverno e sua gestão que provocou um desastre histórico pela falta de atenção e ausência de ações.

Larissa Cavalcante · 13/06/2021 às 18:37

Acerca do impacto econômico, podemos perceber que a pandemia causou prejuízos de forma global, no comércio as atividades comuns tiveram que paralisar totalmente ou parcial, empresas de pequeno e grande porte fecharam as portas, a importação e exportação de insumos e produtos se tornou um verdadeiro caos, enfraqueceu o turismo nacional e internacional, gerou o aumento da inflação, impactos negativos na educação, colapso na saúde, entre outros. Implicando em várias mudanças e adaptações na vida em geral. Cada parte do mundo teve uma consequência diferente, porém em nosso país uma das principais causas foi o desgoverno e sua gestão que provocou um desastre histórico pela falta de atenção e ausência de ações.

Kamila Vieira de Morais · 13/06/2021 às 20:02

Com a chegada do vírus da covid-19 no Brasil, veio também a pandemia, que até então muitos nunca havia conhecido, ou entendia de fato o que era, foi um choque muito grande para todos, ver um vírus desconhecido afetar todo o país, as pessoas, e também a economia, é evidente, que além da perda de muitas vidas, a economia foi também, uma das áreas mais afetadas, pois a pandemia exigiu que muitos comércios, empresas, trabalhadores, parasse por um tempo suas atividades, para preservação de suas vidas, e é notório, que o que fez agravar ainda mais o estrago na economia, foi o tempo prolongado que durou e tem durado até os dias atuais a pandemia, muitos empresários quebraram, comércios fecharam, aumentou muito o numero de desempregados no Brasil, chegando em um ponto tão critico, que foi necessário recorrer a verba do governo, através do auxilio emergencial agravando ainda mais o estado precário da economia no pais, todos esses fatores que a pandemia causa na economia, efetuaram para o seu agravamento.

Laiane Lima · 13/06/2021 às 20:42

O Covid-19 tornou-se o mais novo inimigo da saúde humana. Em pouco mais de seis meses, dezenas de milhares de pessoas perderam a vida. Por conta disso, medidas de prevenção tiveram que ser tomadas para que diminuísse o contágio do covid-19. Os cidadãos precisam respeitar o isolamento social por semanas ou até meses. Esse isolamento tem reflexo direto na economia dos países, causando o desemprego em massa. Diante desse cenário, os governantes se veem em um dilema: preservar a Vida ou preservar a Economia.
É preciso esclarecer que a Economia estável, em certa medida, garante aos indivíduos prosperidade financeira e estabilidade emocional. O isolamento social interfere na “roda da Economia”, emperra o sistema, causa insegurança e medo na população, que deixa de consumir. Como a Covid-19 é uma infecção que causa um percentual muito grande de óbitos, é dever dos governantes evitar ao máximo as baixas, mesmo que para isso a economia tenha que ser sacrificada.
Sendo assim, não há como se evitar os impactos na Economia frente à Pandemia. Logo, mesmo com a certeza de que os recursos ficarão escassos, o Ministério da Saúde, por meio do seu ministro, deveria investir em campanhas de esclarecimento sobre a Covid-19, a fim de antecipar a volta à normalidade pela conscientização dos cidadãos.

Priscila Nascimento Rocha · 13/06/2021 às 20:52

Vejo um tema super polêmico mas necessário, nunca haviamos passador por tanta situação delicada, saúde em si e um tema muito complexo. Apesar de tantas percar tantas mudanças sobre nossas vidas a sempre uma forma de nos reconectar e se reiventar como pessoas.
mudou principalmete no tema financeiro de nosso pais, desempregos, mortes subiu bastante e vários outros ocorridos, com a pandemia mundial. Penso em tantas família desabrigadas sem ter o que comer, pespertiva de sonhos deixadas para trás, por percas familiares.
Mas a Ciência está a nosso favor, as tecnologiase os estudos avançados cada dia que passa uma nova descorberta. Vacinas ja estão sendo aplicadas. E espero que tudo volte a se normalizar.

    emanuely gomes · 13/06/2021 às 21:00

    concordo, tema super importante e atual.

Priscila Nascimento Rocha · 13/06/2021 às 21:01

Vejo um tema super polêmico mas necessário, nunca haviamos passador por tanta situação delicada, saúde em si e um tema muito complexo. Apesar de tantas percar tantas mudanças sobre nossas vidas a sempre uma forma de nos reconectar e se reiventar como pessoas.
mudou principalmete no tema financeiro de nosso pais, desempregos, mortes subiu bastante e vários outros ocorridos, com a pandemia mundial. Penso em tantas família desabrigadas sem ter o que comer, pespertiva de sonhos deixadas para trás, por percas familiares.

emanuely gomes · 13/06/2021 às 21:02

A pandemia do corona vírus causou uma crise econômica global e um dos países mais afetados foi o Brasil. A necessidade de isolamento social para conter o avanço da Covid-19 fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. A princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção. Mas um dos principais fatores foi o comércio, após o fechamento do comércio o dinheiro “circulou” menos, os funcionários pararam de receber e os pequenos negócios foram fechando por falta de renda. Com o Auxílio Emergencial, o país conseguiu retomar a demanda, mas sem que a produção das empresas acompanhasse o mesmo ritmo, resultando em alta dos preços em vários grupos da economia, sobretudo em alimentos e bens industriais. A pandemia afetou o rumo dos investimentos no Brasil. Sem uma clareza de quando a crise sanitária vai ser plenamente superada e a economia vai poder retomar a sua plena capacidade. Grande parte da culpa é do governo.

emanuely gomes · 13/06/2021 às 21:03

Tema muito importante a ser debatido, principalmente na atualidade.

emanuely gomes · 13/06/2021 às 21:04

A pandemia do corona vírus causou uma crise econômica global e um dos países mais afetados foi o Brasil. A necessidade de isolamento social para conter o avanço da Covid-19 fez os principais setores da economia entrarem em queda livre. A princípio, a indústria foi mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda com a paralisação da produção. Mas um dos principais fatores foi o comércio, após o fechamento do comércio o dinheiro “circulou” menos, os funcionários pararam de receber e os pequenos negócios foram fechando por falta de renda. Com o Auxílio Emergencial, o país conseguiu retomar a demanda, mas sem que a produção das empresas acompanhasse o mesmo ritmo, resultando em alta dos preços em vários grupos da economia, sobretudo em alimentos e bens industriais. A pandemia afetou o rumo dos investimentos no Brasil. Sem uma clareza de quando a crise sanitária vai ser plenamente superada e a economia vai poder retomar a sua plena capacidade.

Camila Cristina da Silva Luduvico · 13/06/2021 às 22:29

A pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil e com ela veio se avançando cada vez mais as dificuldades que já vínhamos enfrentando. Deixou se várias famílias com perdas de entes queridos, levando ate alguns dos artistas mais prestigiados do país. Veio nos mostrando ainda mais como diversas pessoas mesmo vivenciando um dos momentos mais difíceis, que não se importam com a saúde do próximo. Como nosso governo é falho com a saúde e com a educação. Visando também mostrar como a desigualdade social do país é enorme, onde temos um presidente que prefere a morte de milhares a dar um solução ao Brasil. A sociedade contém uma mente vazia e egoísta, onde só se contém e valoriza o bem estar de si mesmo e o próximo pode se ser descartável, claro que não todos, mas a grande maioria contem essa mente. Este é o erro do brasileiro, pensar em si e não saber ajudar o próximo, essa quarentena veio nos mostrando as pessoas que ainda se importam e querem um mundo melhor.

Camila Cristina da Silva Luduvico · 13/06/2021 às 22:45

A Covid-19 veio ao Brasil e com ela nos mostrando vários problemas no quais já vivenciávamos, entretanto não víamos esse lado da vida. A pandemia deixou varias pessoas desoladas por conta da morte de seus entes queridos que foram levados por conta desta doença, além de ter levados alguns dos artistas mais queridos. Nela podemos perceber a grande falta de infraestrutura que temos no país, um governo que não investe em educação e muito menos na saúde, onde a população mais precisa. percebemos também a grande desigualdade social e um presidente péssimo que esta no controle do nosso Brasil, onde ele mesmo prefere ver a morte de milhares de brasileiros, á ver uma solução para esse caso. Vemos que a sociedade tem a mente vazia e egoísta, mostrando que se o privilegio vier a mim e meu próximo que se vire para conseguir se garantir também. A gente só precisava amar mais o que temos, saber dar valor naquilo que realmente é necessário, porque depôs que perde não tem mais volta, e muitos ainda não perceberem que estamos vivenciando um grande caos, que se todos se ajudassem talvez essa doença estivesse sendo mais controlada e todos nós estaríamos podendo viver com mais paz e tentando lutar pelo que de fato deveria ser importante num país tão rico, mas com poucas pessoas que de fato se preocupam com um mundo melhor

emanuely gomes · 13/06/2021 às 23:40

Já respondi 400 vezes e nao vai

    Ana Arnt · 14/06/2021 às 09:28

    Todas as respostas e comentários são mediados, Emanuely.

    Att,

    Ana Arnt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content