Quais são os princípios do Contato Improvisação?

Contexto da escrita: no final da tarde. Tempo curto de movimento.

O Lab do qual estou participante se pergunta pelos princípios do CI.

A minha complementada por de tod@s:
– controvérsia da definição
– Estudo do movimento – sempre há algo sendo estudado no nível do movimento do corpo no espaço/tempo
– As forças newtonianas – forças que agem sobre o corpo na superfície terrestre. Palavras-chave: gravidade, momentum, resultante de vetores, alavancas
– A exploração do espaço esférico em torno do centro de duas pessoas, afinal, “já me sinto bastante satisfeito que temos conseguido explorar o espaço esférico em torno do centro de duas pessoas” (Paxton)
– Manejo da queda por meio da esfericização do corpo (Aikidô)
– Treinamento de reflexos para o manejo da queda (Paxton, 2008 – Material for the spine)
– A pergunta paxtoniana geradora do CI: “como sobreviver à queda?” – A comunicação por meio da cinestésia – é um jogo de resposta cinestésica (Bogart em View Points)
– O prazer em mover. A liberdade de ser adulto e se permitir desfrutar da fisicalidade para improvisar com outr@s.
– Desierarquização das partes do corpo e da verticalidade
– Regulação de tônus, com percepção do mínimo necessário para realizar cada movimento
– Perceber cinestesia (o movimento acontecendo em nível muscular)
– Transitoriedade dos estados, inclusive psicológicos e emocionais.
– Experiência de meditação: observar o que está acontecendo enquanto acontece.
– Prática de comunicação
– Auto conhecimento
– Consciência de centro e periferia corporais integradas muscularmente
– Tem na pele um órgão de localização espacial
– A prerrogativa de que o toque é público.
– Requer tempo de qualidade investido em movimento (as próprias danças) – por isso práticas de longa duração – para a experiência do estado adrenalado (Paxton [na narrativa de Chute ou de Fall alter Newton).

Boa noite àqueles e àquelas que improvisam e estão terminando de ler estas lista in process de princípios do Contato Improvisação.

Maldonado, 6 de março de 2018.
Marília Carneiro

CEO at Mucíná - Aquela que Dança | marilia.carneiro@alumni.usp.br | Website | + posts

Doutora na área de Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte (Brasil/UNICAMP, Canadá/UQAM e Moçambique/UEM), dançarina e coreógrafa indisciplinar, bacharelou-se em Dança na Faculdade Angel Vianna (Rio de Janeiro) e bailarina criadora no Ateliê Coreográfico sob a direção de Regina Miranda (RJ/NYC). É especialista em Saúde Pública pela Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, mestre em Ciências da Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz e atuou por 10 anos nas políticas públicas de saúde, inclusive a implantação do programa integral de atenção à saúde dos povos indígenas aldeados no Parque do Xingu, pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. Na área da Dança trabalhou com muita gente competente no meio profissional internacional da dança contemporânea. É improvisadora mais do que tudo, bem que gosta de uma boa coreografia. Esteve em residência artística em Paris por 3 anos, com prêmio do Minc. Mulher de sorte, estudou de perto com Denise Namura & Michael Bugdahn, da Cie. À fleur de peau (Paris). Pela vida especializou-se no Contact Improvisation (Steve Paxton), onde conheceu as pessoas mais interessantes do mundo. Estudou pessoalmente com Nancy Stark Smith, Alito Alessi (DanceAbility), Daniel Lepkoff, Andrew Hardwood, Cristina Turdo e toda uma geração de colegas que começou ensinar Contact na mesma época que ela. Interessa-se por metodologia de pesquisa em arte, processos de criação de obras e ensino-aprendizagem e formação profissional em Improvisação de Dança. Estudou no Doctorat en études et pratiques des arts (Montreal, no Canadá) com o privilégio da supervisão de Sylvie Fortin. É formada no Método Reeducação do Movimento, de Ivaldo Bertazzo (BR). Seu vínculo com a Unicamp é de ex aluna da Faculdade de Ciências Médicas e da Faculdade de Educação. Suas pesquisas triangulam a dança contemporânea no Brasil, Canadá e Moçambique. Idealizou, fundou em 2016, e dirige a plataforma interdisciplinar de ensino e pesquisa em prática artística Mucíná - Aquela que Dança. E-mail: marilia.carneiro@alumni.usp.br