Foto improvisação, por Andrey Marcondes

[envira-gallery id=”258″]

No contato Improvisação a dança é movida pelas incertezas e dúvidas de ter uma sensação nova ou repetir os mesmos movimentos que conhecemos. O toque, o olhar, o suspiro nos convidam a jogar no improviso cambaleado tentando achar um equilíbrio diante do outro corpo.
Cada Jam, Performances trás suspiros internos de cada improvisador e de quem assiste com dúvidas de entrar no jogo ou continuar parar a guerra interna entre a coragem de entrar e a insegurança de ficar.
Cada detalhes performáticos de quem estava na dança corporal ou nos movimentos faciais cheio de suspiros na Performance e JAM no Barracão de 4 novembro instigavam o fotógrafo Andy.
A vontade de fotografar também era um contato improvisação do fotógrafo com as danças, os suspiros e a câmera nas mãos. O desejo de entrar na dança e registrar os olhares dos dançarinos movia o fotografo nessas experimentações de captar as sensações por dentro dos corpos e olhares.
A câmera também era como um corpo para o fotógrafo, era preciso dar liberdade para a máquina fotográfica improvisar. E como todo improviso na dança não tem certo ou errado, as fotografias também envolveram dúvidas e incertezas. E os resultados também saíram fotos tremidas e escuras que também surpreenderam ao Andy, que viu que aquelas fotos “ruins” também são boas, cheio de mensagens que registraram um novo olhar sobre as emoções, sensações que cada pessoa trazia naquele momento de incerteza e dúvidas.
Compartilho as dúvidas e incertezas que as fotografias improvisaram na Performance e JAM.
Gratidão por todos e todas e pelo momento especial dos olhares.
O grupo gostaria de ouvir e ler o que vocês sentiram po´s performances e JAM.

Obs: Caso as fotos forem viajar pelo oceano das redes sociais, deem crédito ao Fotografo: Andy – Andrey Marcondes

 


Autor: Andrey Marcondes