Divertida MENTE, COC√Ēlorido e camisinhas brochantes

Neste epis√≥dio: Divertida MENTE, COC√Ēlorido e camisinhas brochantes.

Coc√ī e camisinha que se colorem quando detectam alguma doen√ßa. Bacana n√©? Ah, mas sei l√°, s√≥ sei que existe.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=VoflVBNu4U0″]

 

Se n√£o acredita no que dissemos, √ďTIMO! Voc√™ aprendeu algo. Mas para provar, seguem as refer√™ncias:

Deixe seu filho ficar triste
http://vida-estilo.estadao.com.br/blo…

Conheça os vencedores desta edição do Prêmio Jovem Cientista
http://www.cnpq.br/web/guest/noticias…
/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/­2596513

Raymond Wang, Nicole Ticea Win Top Intel Science Fair Awards
http://www.huffingtonpost.ca/2015/05/…

Coc√ī colorido
http://www.echromi.com

http://mulher.uol.com.br/comportament…

Estudantes criam camisinha que muda de cor ao detectar doença sexualmente transmissível
http://oglobo.globo.com/sociedade/sau…

Pílula de glitter
https://br.noticias.yahoo.com/blogs/v…

Seja o dono de uma grande farmacêutica, seu porco capitalista!

Algumas das coisas mais odiadas no mundo atualmente:

As duas primeiras¬†n√£o precisamos explicar, mas √© da √ļltima que vamos falar aqui.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=85I89ZrwIfU”]

 

Saiu um jogo de simula√ß√£o [tipo SimCity lembra?] chamado Big Pharma, que coloca o jogador no comando de uma dessas ind√ļstrias. Estas s√£o t√£o criticadas por tocarem¬†em uma l√≥gica meio absurda que traz desconfian√ßa nas pessoas: quanto mais doentes, quanto mais doen√ßas, melhor para os neg√≥cios.

Por isso pessoas se revoltam, gritam que essa ind√ļstria √© s√°dica;¬†que s√≥ trata doen√ßas de pessoas e pa√≠ses ricos; que usa pobres como cobaias; que sabota tratamentos naturais/alternativos/caseiros; e que faz rem√©dios que s√≥ servem para piorar as pessoas, como os quimioter√°picos, e faz√™-las comprar mais rem√©dios.

Essas acusa√ß√Ķes¬†s√£o verdadeiras? Assim como com a Dilma e o Fernando, nem todas. Quimioterapia n√£o √© feita para debilitar mais ainda o paciente, e a sabotagem n√£o √© t√£o conspirat√≥ria como se pensa, mas essas ind√ļstrias n√£o s√£o santas, claro.

A d√ļvida que o jogo traz √©: se essas pessoas que criticam estivessem no lugar do empres√°rio dono da ind√ļstria, o que fariam no lugar dele? Deixariam de lucrar com ricos para fazer rem√©dios baratos para pobres? Deixariam de sabotar seus concorrentes?

Bom, talvez só jogando para saber.

 

Vi no BoingBoing

 

O que ninguém fala sobre a DENGUE

 

Eu sou um dos 3 campineiros que ainda n√£o pegou dengue.

Mas foi pura sorte, porque essa temporada foi pesada: 224,1 mil casos de dengue no país. Pode não ser um recorde nacional, afinal 2013 estava pior, mas em São Paulo a coisa tá feia. A quantidade de casos aqui é imensa.

S√£o paulo bateu recorde e olha s√≥, com muito caso aut√≥ctone, ou seja , transmitido aqui dentro mesmo. Ent√£o, paulistada, n√£o venham com esse papinho ‚Äúora meu, tudo que √© ruim vem de fora, mano, esses migrante e turista viu, v√ī falar.‚ÄĚ

Nãããão mulecada, culpa de SP sim! to achando até que o aedes é listrado preto e branco por ser curintia, mano. Bando de loco!

aedes

E Campinas é a cidade com maior quantidade de pessoas com dengue.

Que bom né, Campinas? A capitarrr do interiorrr é também a capitarrr nacionarrr do perrrnilongo!

Aí eu me pergunto: adianta campanha na TV? Eu acho que não funciona porque as pessoas não acham que o que passa lá é de verdade. Devem achar que tudo que está naquela tela brilhante é novela. Porque veja, tem campanha, tem notícia toda hora no jornal, tem vizinho E parente ficando doente, e ninguém tira a bunda do sofá e faz uma revista na casa pra ver se tem água parada! Afe…

Mas governo e mídia não ajudam também. Sempre a mesma ladainha de colocar uma subcelebridade num bairro de periferia genérico. Ora, quando é que uma celebridade (mesmo que sub) vai bater na minha casa pra virar pneu e limpar o quintal? Bem que estou precisando de uma força aqui.

Se não tá funcionando tem que mudar de estratégia!

Então aqui vão duas coisinhas que eu não vejo ninguém fazendo:

 

O quê ninguém fala sobre a DENGUE

 

1- Sair do comum para fazer as pessoas perceberem que o que passa no jornal interfere a vida delas. Entao: LEVANTA A BUNDA E VAI VER O SEU QUINTAL!!!, SUA CALHA ENTOPIDA, SEU VASINHO DE VIOLETA!

2- Vamos fazer um quiz aqui: em quem é mais urgente passar repelente?

  • em quem n√£o tem dengue, para prevenir,
  • em quem j√° est√° com dengue.

Tempoooo

 

Se respondeu uma ou outra vc est√° errado! Se tem repelente e tem pernilongo voando a sua volta, todo mundo tem que usar, idiotas!

Mas se respondeu a segunda você está menos errado. Bicho, o mosquito não nasce com a dengue, ele pega quando pica alguém doente. Então o doente é o foco da doença, e pode passar ela para vários mosquitos e cada mosquito para várias pessoas! Então é repelente nele!!!!

 

 

Animais mecanizados com estilo

Um estilo de fic√ß√£o em um futuro-retr√ī-vitoriano, com engrenagens e m√°quinas anal√≥gicas √© conhecido como estilo¬†steampunk, que ao p√© da letra quer dizer “punk a vapor”.

Aqui vai o bestiário steampunk do ilustrador Vladimir Gvozdeff para você entender o que quero dizer:

5.0.2 5.0.2 5.0.2

Via boingboing -> via Pipe Dream Dragon

Cientista na Dança dos famosos

Cientistas dançam
Cientistas dançam

Claro que isso não é no Brasil, infelizmente. Mas o Bill Nye é um americano simpático que é conhecido por lá como O CARA DA CIÊNCIA. Ele fez vários programas para ensinar ciência pro povo.

E porque n√£o chamar esse “v√©inho” simp√°tico pra dan√ßar? √Č isso a√≠, pra ensinar ci√™ncia tem que se meter em tudo!

E melhor: ao som de DaftPunk!!!

[youtube_sc url=”http://www.youtube.com/watch?v=KJEqQWgbNV8″]

Via Popular Science

Quem é o(a) cara da ciência no Brasil? Acho que quem mais é conhecido e que fala mais sobre esse tema é mesmo o Dráuzio Varela.

Mas acho que precisamos de uma cara jovem, animada, alguém meio maluco como o Bill Nye, pra tirar a ideia de ciência séria demais e distante que o brasileiro tem.

A Suzana Herculano é bacana, mas ainda acho muito quadrado o programa e a linguagem dela.

Por favor, graduandos, pós-graduandos, professores e interessados: TENTEM SER A CARA DA CIÊNCIA NO BRASIL!!! Ele está precisando.

Jornalistas de ciência são caros. Quem vai pagar?

Hunter S Thompson by nevarraven
Hunter S Thompson
by nevarraven

O jornalismo est√° em crise. E uma crise feia.

Se você é um cidadão, mesmo que não-jornalista, você TEM QUE LER esse artigo chamado O que podemos fazer para salvar o jornalismo, que dá uma boa ideia de toda a situação. Ele até sugere meios de resolver isso tudo. Muito bom esse artigo. LEIA! 

O problema é sempre a grana. Agora, com a internet, a publicidade saiu dos jornais e revistas impressos mas não foi todo para as mídias digitais: de cada  4 dólares de publicidade que saem dos impressos, só 1 vai para a internet, ou seja, os blogueiros não ganham mais e os jornalistas da impressa ficam desempregados.

Bons jornalistas, experientes e especializados em política e economia, por exemplo, são importantes, claro. Nenhum estagiário pode fazer o papel de uma Mirian Leitão ou um William Waack. O problema é que eles são caros, e com razão.

Bom, se o jornalismo como um todo j√° est√° passando por maus bocados, imagina os pobres jornalistas de ci√™ncia, que sempre cobriram esse tema t√£o dif√≠cil, delicado e importante como pol√≠tica e economia, mas que √© tratado como uma curiosidade sup√©rflua nas reda√ß√Ķes do mundo todo. Contamos nos dedos os bons jornalistas de ci√™ncia brasileiros, e eu tenho a honra de¬†¬†ter muitos deles como colegas aqui no¬†ScienceBlogs Brasil. Foi o contato com esse pessoal que me mostrou a diferen√ßa de um jornalista generalista e um especializado, e a diferen√ßa √© imensa, acredite.

Todo cidadão tem que estar esperto com esta questão do jornalismo porque ele é uma ferramenta indispensável para o nosso sistema democrático. A gente precisa de informação pertinente, imparcial, investigativa e de qualidade pra tocar o país.

E em ciência, viver de press release não dá!

 

Efeitos colaterais do fim do mundo

Blogagem coletiva Fim do Mundo
Entrei na blogagem coletiva do Fim do Mundo um pouquinho adiantado, escrevi o texto em 2009! Veja ele aqui. Foi uma memorável caça a paraquedistas, que é nada mais que um estilo malandro de atrair atenção das pessoas pelos buscadores, como o Google, procurando temas que estão na moda. Na época escolhi o fim do mundo, e disse que o mundo não acabaria em 2012 mas em 2019.

N√£o, eu n√£o tive essa revela√ß√£o em um sonho m√≠stico. Foi uma brincadeira, j√° que tr√™s pessoas proeminentes fizeram previs√Ķes tecnol√≥gicas importantes para dali a 10 anos. Mudan√ßas t√£o grandes que o mundo que conhecemos acabar√°, e um novo vai surgir. Ou seja, nada de profecia maia aqui.

Este texto teve dois efeitos colaterais: muitos coment√°rios e me levou para o programa SuperPop com Luciana Gimenez.

Peço que leia o texto e, principalmente, dê uma olhada nos comentários:

O fim do mundo n√£o ser√° em 2012. Ser√° em 2019

Interessante como a imensa maioria das pessoas que se d√° ao trabalho de comentar mostra que simplesmente n√£o leu o texto.

Inclusive o estagi√°rio do Superpop que quando me ligou mostrou que n√£o leu ao me chamar para falar da minha “teoria” da nova data do fim do mundo em 2019.

Mas tudo bem, gente, se mesmo depois dessa bula de efeitos colaterais vocês ainda querem fazer essa blogagem coletiva, vão em frente.

Ok, confesso que me diverti muito. Boa sorte a todos.

 

PS: aqui est√° o post com as minhas impress√Ķes do Superpop:¬†RNAm no Superpop: o v√≠deo e as impress√Ķes

 

RNAm na Campus Party

√Č isso a√≠, o RNAm junto com o Rainha Vermelha e o 100Nexos do Scienceblogs estar√£o numa mesa redonda sobre blogs de ci√™ncia na Campus Party. Teremos a presen√ßa ilustre do pessoal do Jovem Nerd, lindo modelo de neg√≥cios baseado em conte√ļdo que eu invejo e admiro, e do professor Dulc√≠dio do site F√≠sica na Veia, uma celebridade dos blogs de ci√™ncia no Brasil.

Quando? Sábado, dia 11/2 às 16h45 e vai passar ao vivo neste site, eu acho (tem que se cadastrar no botão do facebook ou do twitter dessa página)

Aqui a descrição do evento:

O p√ļblico internauta √© muito interessado por ci√™ncia e tecnologia. No entanto, poucos blogs e podcasts tratam deste tema regularmente, e pouqu√≠ssimos se dedicam apenas √† ci√™ncia. Esta mesa redonda trata de como e por que falar de ci√™ncia na internet, e quais resultados isso pode trazer. Participantes:

Atila Lamarino √Č bi√≥logo, escreve sobre biologia e evolu√ß√£o no Rainha Vermelha e em blogs t√£o distintos quanto o Papo de Homem e o H1N1 da Biblioteca Regional de Medicina. Atualmente, coordena o ScienceBlogs Brasil, a vers√£o brasileira da maior comunidade online de ci√™ncia.

Kentaro Mori Gerente de comunidade ScienceBlogs Brasil, criador e editor Ceticismo Aberto

Caio L√ļcio Analista de Sistemas por profiss√£o e especialista em tecnologia por voca√ß√£o. Quando o assunto tecnologia, ci√™ncia ou hist√≥ria, L√ļcio sempre √© chamado nos podcasts do Jovem Nerd.

Dulcídio Braz Físico e Professor. Pioneiro no ensino de Física Moderna para jovens estudantes do ensino médio e início do curso superior. Autor do blog Física na Veia! www.fisicanaveia.com.br.

Rafael Bento da Silva Soares Biólogo, PhD em biotecnologia, Pós-Doutorando em Neurociências e divulgador de ciências através do blog RNAmensageiro desde 2006.

Deive Pazos Co-fundador do Grupo Jovem Nerd e Diretor Comercial do site. Trabalha com planejamento publicitário, mídias sociais e é especializado em campanhas de nicho e estampas desenvolvidas para a Nerdstore.

Alexandre Ottoni Co-fundador do Grupo Jovem Nerd. Al√©m de gerenciar o conte√ļdo di√°rio do Jovem Nerd, trabalha com planejamento publicit√°rio e midias sociais entre partidas de Black Ops.

Canais de ciência e educação no Youtube produzidos pelo próprio Google

Produ√ß√Ķes originais do Google

O Google pela primeira vez vai produzir conte√ļdo original em canais criados por ele no Youtube. E qual n√£o √© a nossa surpresa em saber que haver√° canais de ci√™ncia e educa√ß√£o! Voc√™ pode pensar: “Incr√≠vel, maravilhoso, √© um sinal de que os tempos est√£o melhorando!”, mas devagar aqui. Dos 100 canais que o Google vai produzir, 4 ser√£o mais cient√≠ficos e 5 educacionais. Eles est√£o na sess√£o “not√≠cias e educa√ß√£o” neste link.

Tem o Numberphilie (algo como “numerofilia”) feito por matem√°ticos e falando das hist√≥rias por tr√°s de alguns n√ļmeros (muita sorte pra eles); o SciShow e o CrashCourse, ainda a serem feitos pelos irm√£o Vlogbrothers,¬†j√° famosos por seus videos (eu n√£o vi, minha mulher viu e disse que √© muito bom); e o DeepSkyVideo,¬†um cara de brinco tentando tirar boas fotos de gal√°xias com seu telesc√≥pio.

Mas e os outros 91 canais? CELEBRIDADES, COM√ČDIA E CARROS!!! Viu, o mundo ainda continua o mesmo.

Ok, eu sei que tem coisas bacanas também por lá que não tem nada a ver com ciência ou educação, e que 9 já é um bom começo. Concordo. Vamos torcer para que façam sucesso.

E aqui no Brasil? Vamos fazer conte√ļdo independente e em portugu√™s, minha gente?

 

Vi no Notes & Theories 

IgNobel 2011 РNão se divertir é altamente improvável!

Hoje à noite tem a entrega do Prêmio IgNobel 2011! Os interessados podem acompanhar a transmissão do evento ao vivo via internet às 20h30 do horário de Brasília (19h30 em Boston РEUA).

De acordo com a pr√≥pria organiza√ß√£o: “The Ig Nobel Prizes honor achievements that first make people laugh, and then make them think”. Uma tradu√ß√£o livre seria que esses pr√™mios honram conquistas que primeiro fazem as pessoas rirem, e depois as colocam para pensar.

Abaixo, a ótima chamada para a premiação:

Detalhes sobre o evento: http://improbable.com/ig/
Como acompanhar a transmiss√£o via internet: http://improbable.com/ig/2011/#webcastinfo

Aproveitem para se divertir com as pesquisas altamente improv√°veis que caracterizam a festa!