A alegria do tédio

Gente curiosa não morre de tédio. Mas um pouquinho de tédio não mata ninguém. Faz até bem a saúde mental, segundo reportagem sensacional de Carolyn Y. Johnson para o Boston Globe.

Johnson entrevistou vários pesquisadores sobre como tecnologias para aliviar momentos de “microtédio”–um conceito, aliás, criado pela indústria de telefones celulares multimedia–está afetando nossa resistência ao tédio e o pouco que restou da nossa capacidade de reflexão, de ruminar, processar, desenvolver, conectar pensamentos e sentimentos.

“As pessoas mais criativas”, diz o psicólogo Richard Ralley a Johnson, “são conhecidas por terem uma grande tolerância a longos períodos de incerteza e tédio.”

Bertrand Russel já sabia disso.

Discussão - 1 comentário

  1. Igor Santos disse:

    Será que é por isso que eu estou sempre inventando coisas revolucionárias que já existem?
    Interessante.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM